Vítima de acidente de trabalho morre em Rio Claro

O número de acidentes de trabalho registrados pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) em 2017 é assustador. Foram 3.259 vítimas. Em 2018, de 1º de janeiro a 31 de maio, já são 748 registros no órgão. Entre eles, 520 acidentes típicos e 228 acidentes de trajeto. O Cerest aponta que deste total, 717 foram acidentes leves e moderados e 15 de alta gravidade.

O chefe de Núcleo do Cerest Regional de Rio Claro, Paulo Roberto Coelho Filho, conta que as principais causas envolvem veículos de transporte (se referem tanto a motoristas e motoboys no caso dos acidentes típicos quanto aos acidentes de trânsito), máquinas e equipamentos, queda de altura e queda de objetos. Já entre os ramos de atividades com mais registros estão o metalúrgico, moveleiro, químico, cerâmica e alimentação. “O que observamos é que em alguns casos não são apenas a questão de equipamentos de proteção individual ou coletivo. A falta de organização do trabalho ou supervisão, o excesso de horas extras, a falta de treinamento, tudo isso pode influenciar, é um universo muito grande, existem causas e fatores que são os condicionantes”, declara Paulo Roberto.

O Cerest é um órgão de abrangência regional responsável pela estruturação e monitoramento da saúde do trabalhador em Rio Claro e mais 10 municípios (Analândia, Araras, Conchal, Corumbataí, Ipeúna, Itirapina, Leme, Pirassununga, Santa Cruz da Conceição e Santa Gertrudes), tendo como atribuições técnicas a vigilância de ambientes e processos de trabalho, a assistência referenciada e as ações educativas dentro de projetos específicos, como a notificação de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

MORTE EM RIO CLARO

O trabalhador Daniel Rodrigues de Camargo Filho morreu nesse domingo (10), em Rio Claro, depois de ficar dias internado, após um acidente de trabalho. O caso foi registrado no dia 23 de maio. Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima estava arrumando uma carga no caminhão, quando a cabine do veículo fechou em cima dele. O fato aconteceu em uma empresa no Jardim São Paulo. O sepultamento aconteceu no fim da tarde dessa segunda-feira (11). Daniel era casado, deixa a viúva, a mãe e dois filhos.

Mais uma vítima fatal em Rio Claro em 2018

Um pintor de 56 anos que sofreu uma descarga elétrica enquanto trabalhava em um prédio localizado na Avenida 14, com a Rua 3, morreu na tarde de 14 de maio. O trabalhador ficou internado por 50 dias na Santa Casa de Limeira, segundo informações, ele estaria com mais de 50% do corpo queimado e não resistiu aos ferimentos.

O acidente foi registrado no dia 26 de março, quando o pintor acidentalmente encostou em um fio de alta tensão, recebendo uma descarga elétrica de aproximadamente 14 mil volts. Ele foi socorrido a Santa Casa de Rio Claro e em seguida, transferido para Limeira, onde permaneceu internado até segunda-feira (14), não resistindo aos ferimentos e entrando em óbito. Marcos Sergio Pereira residia em Rio Claro.

Vítima Cordeirópolis

Outro acidente de trabalho foi registrado em uma fábrica de caixões em Cordeirópolis, no dia 24 de abril. O jovem usava uma serra fixa quando acabou tendo a mão esquerda amputada. A vítima de 18 anos foi socorrida por um técnico de segurança da empresa e deu entrada no Pronto Atendimento Municipal de Cordeirópolis com amputação total da mão esquerda. Após avaliação e estabilização, o rapaz foi transferido pelo helicóptero Águia da Polícia Militar para o Hospital das Clínicas em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *