Figueiras são retiradas da avenida da Saudade

Equipes trabalham no local durante os próximos dias

Três Figueiras começaram a ser retiradas na manhã desta segunda-feira (11) na Avenida da Saudade entre as Ruas 13 e 14. As árvores de quase 100 anos são da espécie Ficus Microcarpa que foram detectadas como mortas conforme atesta laudo técnico emitido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

“É um trabalho moroso, requer cuidado, envolve vários fatores, com os funcionários, a parte elétrica e as pessoas que passam nas proximidades. O corte é feito por etapas do topo para os galhos”, relata o supervisor geral da equipe Antonio Stecca Neto, que acompanhava o trabalho pela manhã.

A remoção das árvores é uma medida preventiva para evitar acidentes, diante do risco de rompimento de galhos e quedas que colocam em perigo quem trafega pelo local.

“Vamos plantar novas árvores para substituir as espécies removidas, de forma a manter o paisagismo e não descaracterizar o visual da Via da Saudade”, informa Emilio Cerri, secretário municipal de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção.

O ecólogo Tadeu Olivetti, diretor municipal de Manutenção e Conservação, explica que a retirada das três figueiras dá continuidade ao trabalho iniciado no final do mês passado quando uma figueira foi removida na Via da Saudade. “Após a retirada dos galhos será necessário remover os tocos das árvores com auxílio de retroescavadeira. Esse trabalho deverá causar danos ao asfalto e calçamento que serão recuperados na sequencia”, explica Olivetti.

O plantio de novas árvores irá finalizar os trabalhos. A prefeitura fará a reposição das quatro figueiras plantando árvores da mesma espécie ou figueiras com a mesma arquitetura de vegetação para manter a homogeneidade da paisagem da avenida, considerada uma das mais bonitas do país e um dos cartões postais da cidade.

O aposentado João dos Santos costuma passear por toda extensão da avenida reconhece a necessidade. “Se estão ruins, tem laudo então não tem jeito, tem que tirar.

O autônomo Everaldo Arraes que também trabalha com corte de árvores, aproveitou a folga para um bate papo na Avenida da Saudade e acompanhou o serviço. “Só de olhar dá para saber que estavam comprometidas. É necessário, tem que cortar para evitar riscos”, afirma.

O trabalho segue ao longo da semana. Motoristas e pedestres que passam pelo local devem ficar atentos para a sinalização e fazer o desvio de trânsito necessário.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *