Bolsonaro ultrapassa Lula em pesquisa espontânea do Datafolha

Pela primeira vez nas pesquisas, Jair Bolsonaro ultrapassa Lula em pesquisa espontânea (eleitores respondem livremente, sem olhar lista de possíveis candidatos) do Instituto Datafolha. Com esse método de pesquisa, Bolsonaro atingiu 12%, enquanto Lula ficou com 10%.

Na pesquisa estimulado porém, apesar de preso, Lula quando indicado na pesquisa mantem a ponta.

Porém com ex-presidente fora do cenário, quem polariza as pesquisas são Bolsonaro e Marina Silva.

Lula continua mantendo 30% das intenções de votos, quando apontado na pesquisa, isso, dois meses após sua prisão e com toda a celeuma da greve dos caminhoneiros, que manteve o ex-presidente longe da mídia.

Excluindo Lula da pesquisa, Jair Bolsonaro aparece à frente com 19%, seguido de Marina Silva com 14 a 15% e Ciro Gomes que oscila entre 10% e 11% das intenções de votos.

O Datafolha buscou respostas com 2.824 eleitores, em 174 municípios brasileiros, nos dias 6 e 7 de junho último. Depois dos transtornos causado em todo país pela greve dos caminhoneiros, essa é a primeira pesquisa de intenções de votos.

Mas, os números que mais chamam a atenção mesmo nas pesquisas é o alto percentual de indecisos (46%) e em branco, nulo ou nenhum que somam 23% das respostas. Portanto, a situação ainda poderá mudar radicalmente, já que de cada 100 votos, 69 continuam indecisos ou convictos que votarão branco ou nulo.

Em um cenário com Lula na disputa:

Lula                   30%

Sem candidato  21%

Bolsonaro          19%

Marina Silva      15%

Alckmin               6%

Ciro Gomes        6%

Álvaro Dias        4%

Pesquisa Espontânea

Bolsonaro           12%

Lula                     10%

Pesquisas sempre trazem polêmicas. Uns confiam nos números, outros não. Por esse motivo, trouxemos as análises de quatro presidentes de diretórios em Rio Claro, para opinar sobre os números da pesquisa Datafolha.

Olga Salomão (PT), tem opinião que seja qual for os números indicados, o único candidato do PT é o ex-presidente Lula.

“A pesquisa reflete claramente que o povo brasileiro quer continuidade nas políticas públicas implantadas por Lula. O programa de governo que ele deu início mostra que é o que nosso povo quer. Inclusive na política de preços da Petrobrás. Não é verdade que ele não transfere votos. 30% dos eleitores disseram que votariam com certeza num candidato indicado por ele. 17% disseram que poderiam votar. Qualquer outro candidato não consegue isso. Enquanto isso 65% não votariam num candidato indicado por Fernando Henrique Cardoso. Além, disso o PT tem um único candidato à Presidente: Lula”, comenta Olga Salomão, presidente do diretório do PT em Rio Claro.

Renan Aguiar Teixeira do PSL, não vê coerência nos números apresentados na pesquisa.

“A pesquisa do Datafolha mais uma vez não faz qualquer sentido. Lula aparece na frente de Bolsonaro, por 13 pontos, mas Bolsonaro aparece na frente se o candidato do PT for Fernando Haddad. Isso não faz sentido nenhum por vários motivos: primeiro porque eleitor petista é eleitor ideológico; se Lula tivesse 30% Fernando Haddad teria algo aproximado disso, e não ínfimos 1% como demonstra a pesquisa. Segundo porque isso demonstra a reprovação de Haddad já que hoje ele pode ser avaliado por suas gestões enquanto prefeito de São Paulo. E aí que encontra-se a insanidade da pesquisa: no estado de São Paulo é onde Lula tem o menor terreno, não fazendo sentido algum Lula ter 30% e Haddad apenas 1%.

Continuamos a bater na tecla de que as pesquisas dos institutos de peso são direcionadas e não são feitas de maneira confiável. As pesquisas independentes divulgadas nas redes sociais continuam – a despeito do que tem acontecido por anos – demonstrando resultados diferentes daquele obtido pelos grandes institutos. Bolsonaro é o que o povo brasileiro de bem quer!”, analisa Renan Aguiar Teixeira.

Edson Ktal, PDT, já acredita que os números são alvissareiros para Ciro Gomes.

“Foi muito importante o terceiro lugar que Ciro Gomes aparece, até porque a campanha nem começou, e ele foi bem, porque sem a opção do ex-presidente Lula, que está impedido pela justiça, o Ciro Gomes é a melhor alternativa entre os candidatos e com grande chance de chegar ao segundo turno dessas eleições. É um nome que pode juntar as forças progressistas do país, até porque já foi governador, ministro e tem grandes chances de chegar ao segundo turno”, comentou Edson.

Para João Walter (PSDB), os números apontados nas pesquisas só poderão ser considerados reais, a partir de agosto, quando se inicia realmente as campanhas.

“O Alckmin descompatibilizou do cargo a menos de dois meses. As pesquisas só começarão a ficar mais perto do real a partir do mês de agosto, após a Copa, pois a mídia estará mais atenta à história pregressa dos candidatos. Portanto só após a Copa que a mídia e a população vai prestar mais atenção aos candidatos. Já vi muito candidato começar nas pesquisas com percentual muito alto e não ir para o segundo turno. O Alckmin não é candidato que faça estardalhaço e é um candidato equilibrado, e é isso que o Brasil precisa. A campanha começa após a Copa e será uma campanha de avaliação do passado dos candidatos, o Brasil não aguenta mais ir para o buraco. Não é mais possível ter candidatos que levará o Brasil para o buraco”, disse João Walter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *