Homem é preso por estupro em Rio Claro

A Delegacia da Mulher de Rio Claro (DDM) conseguiu esclarecer mais um crime e prender o autor. A prisão foi possível após divulgação do retrato falado do criminoso em vários pontos da cidade. O crime foi registrado no dia 8 de maio por volta das 17h30 quando a vítima, uma jovem de 21 anos, passava pela Rua 20, no Jardim São Paulo. Ela seguia para sua casa no bairro Jardim Novo Wenzel, após o trabalho, quando foi surpreendida pelo autor e levada para o meio de um matagal. O indiciado a ameaçou de morte, rasgou suas roupas e passou as mãos nas partes íntimas da jovem. Em seguida fugiu levando sua bolsa contendo R$ 3 mil reais de seu pagamento, cartões e celular. A vítima ficou abandonada próxima a um córrego que existe no local.

A jovem conseguiu sair e pedir ajuda na rua. Um pessoa que passava pela região a socorreu e emprestou o celular para a mulher ligar para o marido. Em seguida, o esposo a levou para Delegacia da Mulher onde registraram a ocorrência. Ela conseguiu passar todas as características do indivíduo para a polícia. A equipe da DDM foi com a moça para São Paulo, onde foi possível fazer o retrato falado do indivíduo, que foi divulgado em vários comércios de Rio Claro, em um deles o autor do estupro foi identificado. Na delegacia, a vítima foi chamada para o reconhecimento e não teve dúvidas.

A titular da Delegacia da Mulher de Rio Claro, delegada Patrícia Silveira Rosa, solicitou de imediato a prisão preventiva que foi concedida pela justiça. Com isso, o acusado de estupro foi para penitenciária. “É a primeira vez que usamos esse trabalho de retrato falado, que só existe na capital. Destaco o empenho de toda equipe para solucionar o caso e pelos profissionais levarem a vítima até São Paulo para colaborar”, afirma a delegada Patrícia Silveira Rosa.

AUTOR DO CRIME

Conforme divulgado pela DDM, o autor do estupro foi identificado como C.D.F., de 32 anos, morador de rua. Ele é da cidade de Lençóis Paulista–SP e estava pelo município há algum tempo. A delegada informou que ele não estava sob efeito de álcool ou outras drogas no momento da prisão e nem no dia do crime.

As autoridades suspeitam que possa haver outras vítimas, por isso divulgaram o retrato falado. A delegada esclarece que as denúncias precisam ser registradas e que as vítimas são preservadas.

OUTROS CASOS

Outras duas prisões relacionadas ao estupro também já foram feitas neste ano pela Delegacia da Mulher. Em um dos caso, outro morador de rua cometeu o crime contra uma estudante da Unesp no feriado do dia 1º de maio. R.J.F., de 22 anos, foi preso poucos dias depois em uma construção no bairro Bela Vista. O segundo caso foi cometido por um homem contra a própria sobrinha de 15 anos. Também foi preso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *