Fórmula 1: Hamilton vence no Texas e fica a nove pontos do título

502

E. Cortez
Olá amigos! Agora nem um milagre deverá ser capaz de “tirar o doce da boca da criança”: Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio dos Estados Unidos de Fórmula 1 e já está praticamente com a mão na taça. O resultado representa a quinta vitória do inglês no traçado texano em seis corridas lá realizadas, e na próxima prova só precisa de um 5º lugar para levar o título desta temporada.
Largando da pole position, ele viu Sebastian Vettel, seu rival na disputa pelo campeonato, ultrapassá-lo na largada, tomando a primeira colocação. Porém, logo na sexta volta, o inglês retomou a liderança com uma ultrapassagem na curva 1, disparou na frente, e mesmo com uma estratégia de uma parada, seguiu para vencer pela nona vez na temporada, e garantir o título de construtores para a Mercedes.
A segunda colocação ficou com Sebastian Vettel, que fez duas paradas e superou Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen nas voltas finais, ficando com a segunda colocação. O pódio foi completado por Kimi Räikkönen, que foi superado na última volta por Max Verstappen, mas viu o piloto da Red Bull ser punido com cinco segundos por passar por fora da pista na ultrapassagem. O holandês caiu para quarto, e foi seguido por Valtteri Bottas.
Esteban Ocon, da Force India, finalizou a corrida na sexta colocação, depois de suportar os ataques de Carlos Sainz, que fez sua estréia pela Renault nos Estados Unidos e terminou em sétimo. Sergio Pérez, companheiro de Ocon, terminou em oitavo, e foi seguido por Felipe Massa, nono com a Williams após apostar em uma estratégia de uma parada. O top-10 foi completado por Daniil Kvyat, da Toro Rosso.
A Fórmula 1 prossegue no próximo domingo (29), com a realização do Grande Prêmio do México, que será disputado no Autódromo Hermanos Rodríguez, na Cidade do México.
F1 americanizada – A Fórmula 1 soube mesmo se “americanizar” no coração do Texas. Para conquistar o público americano, criou um espetáculo com a cara da NBA, da NFL e, claro, da Nascar e da Indy. eua 601
Já se sabia que Usain Bolt, o nome mais famoso da história do Atletismo, é quem daria a bandeirada para a volta de apresentação da corrida. E assim foi feito: com seu sorriso famoso, o recordista mundial dos 100m e 200m agitou a bandeira verde.
Antes de Bolt, porém, diversas surpresas apareceram, levando à loucura não só o público no circuito, mas também quem acompanha a corrida pela televisão e comenta nas redes sociais. Com os boxes abertos 45 minutos antes da corrida, e não 30 minutos, como é o tradicional, uma apresentação de cada dupla das equipes foi feita, como na Indy, Mundial de Atletismo ou de Natação, por exemplo.
O fator novidade pareceu ter inibido a maioria dos pilotos, já que não se animaram muito com o estilo. Mas, para o público, funcionou.
Com os pilotos no carro, enfim seu lugar de praxe, o histórico locutor de boxe Michael Buffer apareceu em destaque no pódio para levantar o público com ‘start your engines’, “liguem seus motores”, autorizando os carros a abrir a corrida.
Na pista, além das cheerleaders, uma das coisas ‘circenses’ mais americanas existentes, Bill Clinton, ex-presidente do país, declarou aos repórteres presentes sobre como é “importante que a F1 esteja nos Estados Unidos”.
É claro, pessoas famosas são sempre bem-vindas para dar a “consolidada” na idéia de popularizar o esporte. Na NBA, são músicos e atores que estão sempre presentes à beira da quadra. Na F1, foi Michael Douglas quem apareceu no paddock. Com certeza as outras sedes da categoria irão perder o sono para tentar igualar esta festa.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA