Unesp e Prefeitura realizam projeto Junho Verde Azul

O projeto Junho Verde Azul foi desenvolvido em parceria entre a Prefeitura Municipal de Rio Claro através da Secretaria do Meio Ambiente com o Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE) da UNESP promovendo diversas palestras com o tema meio ambiente, ministradas por professores, doutores e pesquisadores da universidade.

As palestras são gratuitas e acontecem no anfiteatro do bloco de Administração IGCE. As atividades tiveram início nessa terça-feira (19). O evento continua nesta quinta-feira (21), às 18 horas, com a palestra do geógrafo Vitor Baganha Carita “Desafios da Gestão Municipal de Resíduos da Construção Civil: realidades e perspectivas para o município de Rio Claro”. Encerrando as apresentações às 18h40, a engenheira ambiental Cintia Minori Takeda trata em sua apresentação o tema: “Proposta de Cobrança pelos Serviços de Coleta e Disposição Final de Resíduos Domiciliares: Estudo de caso do município de Rio Claro”.

Este ciclo de palestras, vinculado ao projeto Junho Verde Azul, possui o apoio da Federação Brasileira de Geólogos (Febrageo) e da Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental (ABGE). O Evento é aberto à toda comunidade.

Pesquisa de professora da UNESP é destaque nas mídias internacionais

O asteróide 2015 BZ509 tem cerca de 3km de diâmetro e foi observado pela primeira vez no Havaí em 2014 pelos telescópios Pan-STARRS. Sabe-se que ele orbita em torno do Sol na vizinhança de Júpiter, mas deslocando-se no sentido contrário dos planetas do Sistema solar. Asteróides que possuem órbitas retrógradas existem nos confins do Sistema solar. Alguns destes pequenos corpos, denominados Centauros, ocasionalmente entram na região de influência dos planetas gigantes onde permanecem por alguns milhões de anos.

“As nossas simulações numéricas permitiram retraçar a localização do 2015 BZ509 há 4.5 mil milhões de anos atrás, época correspondente ao final da formação dos planetas.

Contrariamente aos Centauros, 2015 BZ509 sempre esteve numa órbita retrógrada na vizinhança de Júpiter, semelhante ao seu estado atual.”, conta Helena Morais, pesquisadora da Universidade Estadual Paulista (Unesp) que fez parte do estudo.

No entanto, no final da formação planetária, todos os planetas e asteróides do Sistema Solar deveriam movimentar-se em torno do Sol no mesmo sentido. Isso implica que 2015 BZ509  não pode ter originado no Sistema solar e deve ter sido capturado pelo planeta Júpiter de uma estrela vizinha.

A imigração de asteróide pertencente a outras estrelas para o Sistema solar é possível porque o berçário estelar em que o Sol se formou possui sistemas estelares com os seus próprios planetas e asteróides, e originalmente a densidade de estrelas era superior ao valor atual na vizinhança solar. A grande proximidade de estrelas combinada das interações gravitacionais com os planetas permitiram atrair, ejetar e capturar asteróides entre sistemas.

A descoberta do primeiro asteróide imigrante no Sistema solar tem consequências importantes para a formação planetária, especialmente nas questões ainda em aberto sobre as etapas iniciais de formação do Sistema solar e possivelmente mesmo sobre a origem da vida.

IMPACTOS E RESULTADOS

 Compreender exatamente quando e como 2015 BZ509 imigrou para o Sistema solar permitirá conhecer o ambiente original na vizinhança do Sol e identificar possíveis sistemas estelares dos quais poderá provir. A partir do fato de que sistemas estelares têm composições químicas distintas, os asteróides imigrantes poderão ter transportado para o Sistema solar um material diferente do que existia originalmente. Esse enriquecimento pode ter contribuído, por exemplo, com elementos necessários para a formação de vida na Terra.

Observações futuras do astéroide 2015 BZ509 e de outros possíveis asteróides imigrantes, assim como a determinação da sua composição química, permitirão compreender como os asteróides formados em outros sistemas estelares poderão influenciar a evolução no nosso Sistema solar.

O artigo de Helena Morais e Fathi Namouni, pesquisador no Observatório de Cote D’Azur (França), foi publicado no periódico “Monthly Notices of the Royal Astronomical Society”, e divulgado nos veículos nacionais Revista Galileu, Revista Pesquisa FAPESP, Exame Abril, Folha de São Paulo, Estadão, e ganhou um enorme destaque internacional ao ser reportado na BBC, Reuters, CNN e  Fox News, nas revista Science, Scientific American, Cosmos Magazine e Newsweek, e nos jornais The Guardian, Independent, Le Figaro,  New York Times, Washington Post,  entre muitos outros.

An interstellar origin for Jupiter’s retrograde co-orbital asteroid (doi:10.1093/mnrasl/sly057), de F. Namouni e M. H. M. Morais, está disponível em https://academic.oup.com/mnrasl/article-abstract/477/1/L117/4996014?redirectedFrom=fulltext.

 

 

Livro ‘Os Tomattos’ é lançado no CC

Há menos de uma semana Márcia Beatriz Bello chegou de Nova York, onde foi dirigir e produzir uma peça teatral. Hoje, em dois eventos distintos, a diretora teatral esquecerá um pouco os palcos, luzes e aplausos para vir a Rio Claro e lançar o seu livro infantil “Os Tomattos”. Seu afilhado Thom era um menino que adorava ir ao mercado para comprar frutas, legumes e verduras – seus alimentos prediletos – e Marcia percebeu que o tema “alimentação saudável e desenvolvimento” poderia ser levado às crianças através da arte. Assim, depois de pronto, adaptou o texto aos palcos e estreou no Rio de Janeiro, apresentando a peça por três temporadas de sucesso.

Hoje a família “Tomatto” estimula as crianças no palco pelo figurino colorido e no papel, no livro, a ausência da cor convida os leitores mirins a expressar seus sentimentos e prazeres colorindo cada uma das páginas, ilustradas por Clemente Lippmann.

O lançamento do livro ocorrerá na Biblioteca do Centro Cultural, na manhã desta quarta-feira (20), entre 10h e 13h. No mesmo dia 20, das 19h às 21h, noite de autógrafos na livraria Lumos, no Shopping Rio Claro.

A AUTORA

Bio: Márcia Beatriz Bello é atriz, diretora teatral, produtora e dramaturga formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Tem especialização em Educação Estética e Mestrado em Memória Social, também pela UniRio. Foi professora de Oratória e Teatro para Direito na PUC-Rio e na FGV Direito Rio. Viaja pelo mundo dando workshops de Teatro e dirigindo e produzindo peças de teatro, principalmente na Argentina. Seu mais recente trabalho foi em NY onde participou do Festival Hispano Americano Fuerzafest NY 2018. Com a peça do argentino Leonardo Maldonado seu projeto foi um dos oito selecionados para participar do Festival. Recebeu indicação para os seguintes prêmios em NY: Melhor Direção, Melhor Produção, Melhor Ensemble, Melhor Atriz, Melhor Ator, Melhor Texto.

Rio Claro investe R$ 2,7 milhões em reformas e manutenção de escolas

O setor de educação é uma das prioridades de investimento da prefeitura de Rio Claro, que tem realizado obras de construção, reforma e manutenção de escolas, e melhorado o trabalho pedagógico com oferta de cursos de capacitação para os professores. De janeiro do ano passado até agora, a prefeitura realizou 21 processos licitatórios para reformas e manutenção de escolas com investimento de cerca de R$ 2,7 milhões nesses serviços. Dessas 21 obras, 12 já foram finalizadas, três estão em execução, quatro aguardam assinatura de contrato e duas estão em fase de homologação.

Esse resumo de trabalho foi apresentado pelo secretário municipal da Educação, Adriano Moreira, na Tribuna Livre da Câmara Municipal na sessão de segunda-feira (11). “Muitas dessas obras eram reivindicações antigas que felizmente estamos conseguindo atender com o objetivo de oferecer maior conforto para a comunidade escolar”, informou Moreira, destacando que após longo tempo de espera, a população pode comemorar a construção do muro no entorno das escolas “Jardim das Palmeiras – Caic” e “Isolina Huppert Cassavia”, a reconstrução de muro da escola “Armando Grisi”, a instalação de grades no entorno da escola “Elpidio Mina” e individualização das escolas municipais do complexo educacional do Jardim Novo I.

O presidente da Câmara Municipal, André Godoy, enalteceu a iniciativa pioneira em Rio Claro. “É um ato de responsabilidade do prefeito Juninho da Padaria permitir que os secretários utilizem a tribuna para fazer esclarecimentos aos vereadores sobre o trabalho realizado pelo Executivo, já que a Câmara é a casa do povo e é papel dos vereadores fiscalizar e acompanhar as ações do Executivo”, assinalou André Godoy, acrescentando que a iniciativa mostra compromisso, respeito e transparência com as ações realizadas pela prefeitura.

Além das obras realizadas por empresas contratadas, outros serviços também são executados com equipe própria da secretaria. Como exemplo, Moreira citou as adaptações dos prédios para a mudança das escolas Arlindo Ansanello, Darci Reginato, Marina Cyrino, José de Campos Chagas e Projeto Caic, que ganharam melhores instalações. Isso sem contar a ampliação da escola Dom Pedro I, que ganhou segunda unidade, e a instituição da escola “Jardim Esmeralda”.

Além de reforma e manutenção, novas escolas estão sendo construídas. A creche do Terra Nova está sendo finalizada e vai atender 130 crianças em período integral. A obra é fruto de parceria entre a prefeitura e o governo estadual, com investimento de R$ 1,9 milhão. Na segunda-feira (11) a prefeitura, em parceria com o governo federal, iniciou a construção de uma escola de ensino fundamental no bairro Benjamin de Castro, com capacidade para 780 alunos. O investimento é de R$ 3,5 milhões. Outra escola de mesmo porte será construída no bairro Jardim Novo II com início previsto para breve, também com investimento de R$ 3,5 milhões.

“São regiões com grande demanda de alunos porque casas populares foram entregues sem a construção de equipamentos públicos. Hoje as crianças estudam em outros bairros e, com as novas escolas, vamos economizar com transporte escolar”, destacou Moreira, ressaltando o apoio do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, para viabilização e execução das obras. “Desde o início do governo, o prefeito colocou como prioridade a manutenção das escolas e ampliação de vagas”, assinalou.

O trabalho pedagógico não foi esquecido. Desde o ano passado, a Secretaria da Educação ofereceu 26 formações aos educadores, em parceria com outras instituições e secretarias. Outra medida implantada foi ampliar o número de professores beneficiados com a gratificação por difícil acesso, subindo de cinco para onze escolas favorecidas. Neste ano todas as creches municipais passaram a contar com professores na etapa 1 (berçário I e II) e a rede municipal implantou programa contínuo de educação ambiental. Além disso, foram criadas comissões de estudo para aperfeiçoar ainda mais o processo pedagógico nas escolas.

Prefeitura inicia construção de escola no Benjamin de Castro para 780 alunos

A prefeitura de Rio Claro iniciou nesta segunda-feira (11) a construção de escola de ensino fundamental para 780 alunos (1º ao 5º ano) na Avenida 10-JC com a Avenida 8 e Rua VLA, no bairro Benjamin de Castro. A empresa S. Maluf Engenharia e Obras Ltda., responsável pela execução da obra, a frente de trabalho vai abrir aproximadamente 50 vagas. Os trabalhos começaram com serviços de limpeza e terraplenagem. Em seguida será feito o fechamento do terreno para início da demarcação das fundações. A previsão de término da obra é final de 2019.

“É mais um investimento do município no setor educacional para melhor atender nossas crianças que terão o conforto de estudar perto de casa”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que acompanhou o início dos trabalhos nesta segunda-feira (11). O investimento será de mais de R$ 3,5 milhões, sendo R$ 3 milhões do governo federal, através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), mais contrapartida de R$ 529,2 mil do município. “Nossa administração tem demonstrado uma atenção especial com a educação, com criação de novas vagas em creches, melhoria da infraestrutura das escolas e construção de novos prédios escolares”, acrescenta Juninho, lembrando da creche cuja construção está sendo finalizada no bairro Terra Nova.

Além do Benjamin de Castro, a nova escola irá atender os bairros Centenário, Jardim Nova Rio Claro, Nova Veneza, Paulista I, Sebastião dos Santos Lima, entre outros. De acordo com o secretário da Educação, Adriano Moreira, essa região precisa de uma unidade escolar. “São centenas de crianças que residem no Benjamin de Castro e região que dependem do transporte para freqüentar a escola. Com a construção dessa escola vamos diminuir essa demanda e economizar com esse serviço”, afirma Moreira, que também acompanhou o início das obras junto com a engenheira Monique Neiva e Paulo Apolari, diretor de Planejamento da Secretaria da Educação.

A escola terá 12 salas de aulas, bloco administrativo, auditório, biblioteca, laboratórios, cozinha e refeitório, banheiros, quadra poliesportiva coberta, entre outras dependências. O projeto arquitetônico segue padrão do FNDE. A viabilização dessa escola para o município foi conseguida através do alinhamento político do Democratas no governo federal, através do ex-ministro da Educação Mendonça Filho e de Leandro Damy – diretor do FNDE –, do deputado estadual Aldo Demarchi, do deputado federal Rodrigo Garcia e da bancada do Democratas na Câmara Municipal, composta pelos vereadores André Godoy, Geraldo Voluntário, Ney Paiva, Ruggero Seron e Val Demarchi.

INCLUSÃO EM DEBATE

Por Paulo Meyer & Vilson Andrade

Não somos técnicos na área para elaborar teses sobre o que se consiste a educação inclusiva e sua importância, mas podemos pontuar sobre a mesma como uma Política Pública fundamental para Inclusão.

Uma educação Inclusiva se perfaz em sua plenitude não somente com a preparação do ambiente, adptações e aplicação na modalidade da educação especial em uma metodologia, com intuito de alcançar as potencialidades da pessoa com deficiência, no contexto escolar. Uma educação inclusiva transpassa o campo da aprendizagem e abrange o convívio com as diferenças e a socialização contínua para o crescimento de todos. Como exemplo, podemos citar a escola Armando Grisi em nosso município, onde não somente alunos surdos aprendem libras, mas sim todos os outros alunos, possibilitando a comunicação entre todos e o crescimento mutúo e coletivo. Temos excelentes profissionais em nossa cidade, atuando nesta área, do qual devemos nos orgulhar muito. A lei Brasileira de Inclusão dispõe em seu “Art. 27. A educação constitui direito da pessoa com deficiência, assegurados sistema educacional inclusivo em todos os níveis e aprendizado ao longo de toda a vida, de forma a alcançar o máximo desenvolvimento possível de seus talentos e habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem.”  Para que exista uma sociedade mais inclusiva é muito importante a busca pelo desenvolvimento no âmbito escolar não só nas habilidades físicas, sensoriais, intelectuais mas também social. Neste diapasão percebemos a importância do ensino inclusivo e dos profissonais da educação em uma nova visão de sociedade, claro não só estes tem esta missão, mas estes são importantíssimos na mesma. Quem sabe um dia passamos a viver com as diferenças, crescer com as mesmas e transformar o mundo, onde todos venham ter verdadeiramente perspectivas de crescimento e igualdades de oportunidades.

Giro Inclusivo:

Redução da jornada de trabalhador com filho com deficiência é aprovada na CDH

O trabalhador do setor público e da iniciativa privada que tenha filho com deficiência poderá ter sua jornada de trabalho reduzida. Esse é o teor do Projeto de Lei do Senado (PLS) 110/2016, aprovado no último dia 30 de maio, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). A matéria segue para análise terminativa na Comissão de Assuntos Sociais (CAS).  O projeto altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para que o trabalhador que possua filho com deficiência tenha sua jornada de trabalho reduzida em 10% sem prejuízo de sua remuneração.

Circuito Inclusivo- atividades Mensais são realizadas em Rio Claro

Durante o mês de maio foram ministradas palestras sobre “Direitos das Pessoas com Deficiência e Cidadania” no CRAS Mãe Preta, CRAS Brasília e CRAS Independência. A atividade faz parte do programa “Circuito Inclusivo”. Instituído em Rio Claro a partir do projeto de Lei Municipal de autoria do vereador Julio Lopes e organizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, nesse mês de maio em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Social e apoio da Assessoria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o programa objetiva ampliar as reflexões e ações voltadas às pessoas com deficiência. As palestras foram ministradas pelo Assessor dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Paulo Meyer, e o Analista de Politicas Públicas, Vilson Andrade.

Acessibilidade em Escola Municipal

A Escola Municipal “Jardim das Palmeias – Caic”, localizada no bairro Jardim Brasília em Rio Claro, terá elevador após mais de 20 anos de espera. A unidade de ensino foi inaugurada em 1996, mas o equipamento nunca foi instalado. Agora, a prefeitura está realizando licitação para contratar empresa que irá reformar o fosso e instalar o elevador, que vai garantir acessibilidade para as crianças, professores e funcionários com deficiência ou mobilidade reduzida. A previsão de investimento é de aproximadamente R$ 130 mil.

Concurso Público disponibiliza vagas para Pessoas com Deficiência

A prefeitura de Rio Claro está abrindo concurso público em que disponibiliza 135 vagas para contratação de servidores em diversas áreas e para vários graus de escolaridade, sob o regime estatutário. Cargos como Agente de Serviços Gerais, Agente Operacional e Agente Educacional, contemplam vagas reservadas para Pessoas com Deficiência. As inscrições serão pela internet e podem ser feitas a partir da sexta-feira que vem, dia 14, com encerramento no dia 16 de julho. O endereço eletrônico para se inscrever é www.institutomais.org.br

Casa das Crianças de Rio Claro, há 65 anos ampliando a cidadania de crianças e adolescentes

No ano de 1952, um grupo de pessoas preocupadas com a situação de menores órfãos, abandonados na cidade, decidiram juntar esforços para acolher as crianças em situação de risco e abandono, pois na época não havia nenhum lugar para abrigar estas crianças.

Assim em 04 de outubro daquele ano era fundada em Rio Claro a Sociedade Beneficente São João da Escócia – Casa das Crianças. Até o ano de 2002 ela tinha a função de abrigo para crianças de 5 a 14 anos. A partir daí, passou a atender crianças de 6 a 12 anos, no contra turno escolar, preenchendo o tempo ocioso daquelas crianças.

Hoje, após 65 anos, atende 200 crianças e adolescentes que moram em bairros comprovadamente em situação de vulnerabilidade social. Na programação educacional desenvolvem ações diversificadas para atender necessidades psicossociais e educacionais, com o objetivo de que se tornem pessoas responsáveis, capazes de realizar suas escolhas com liberdade e participação ativa na construção de novos tempos.

Organização Social sem fins lucrativos, a Casa já foi contemplada com os Títulos de Utilidade Pública Municipal nº 366, em 27/06/1995, Utilidade Pública Estadual nº 1.806, de 26/10/1978, Utilidade Pública Federal, decreto nº 50.5017, de 02/05/1961.

Missão e Objetivo

A Casa tem como missão e objetivo “Ampliar a cidadania de crianças e adolescentes, conscientizando-os de suas capacidades e valores, para que vivam com autonomia e dignidade”

Para tanto, desenvolve inúmeras oficinas para levar essa missão avante. Entre as oficinas a Casa oferece:

  • Música: Atividades que favoreçam a percepção auditiva e memória musical, conhecer diversos instrumentos, violão, flauta doce e outros.
  • Dança: Conhecer diversas danças, postura, desenvolver a compreensão da capacidade de movimentos, favorecer a consciência corporal aumentando suas potencialidades.
  • Capoeira: Oferecer atividades tendo como princípio o respeito às diferenças individuais, resgatar valores, criatividade, coordenação motora e concentração.
  • Educação Física: Oferecer atividades esportivas, compreendendo as modalidades voleibol, basquetebol, futebol e outras.
  • Informática: Na informática as crianças têm acesso ao mundo virtual, onde se familiarizam com os computadores, fazendo pesquisas, trocas de informações proporcionando a elas expressivos ganhos na aprendizagem e autonomia para solucionar suas dúvidas.

Mais do que isso, a proposta principal é estimular essas crianças na busca de novos conhecimentos.

Estrutura

Atendendo 200 crianças e adolescentes, de ambos os sexos, o Casa das Crianças tem uma boa estrutura.

As atividades acontecem de segunda a sexta-feira, das 7h00 às 17h00, de janeiro a dezembro.

E a entidade conta com uma Biblioteca, onde as crianças são incentivadas a adquirir o hábito da leitura, contando que nem todas têm essa acessibilidade em suas casas. Com inúmeros títulos ao mesmo tempo que proporciona às crianças conhecimento, interação e informação, também leva-os à consulta.

No refeitório são servidas em média 400 refeições diariamente, além de lanches e sobremesas, que podem ser fruta ou doce.

São três refeições diárias, café da manhã, almoço e lanche da tarde. Criança bem alimentada absorve muito melhor os ensinamentos.

Recursos financeiros

Logicamente, para toda essa estrutura, há a necessidade de recursos financeiros de grande monta.

A entidade, apesar de uma parceria firmada com a administração municipal através da secretaria de Desenvolvimento Social, que cobre o salário de alguns profissionais, ainda há a necessidade de muitas outras coisas, pois a estrutura é muito grande.

“Hoje, a nossa necessidade maior é leite, mas qualquer doação, seja lá o que for, pois temos um bazar, que comercializa os materiais que não servem para as nossas crianças. Quem quiser conhecer a nossa instituição, serão muito bem vindas. Funcionamos das 7h00 às 17h00”, explica Maria Cristina Degli Esposti, coordenadora técnica.

Como fazer doações

São várias as possibilidades de contribuir com a Casa da Criança. As pessoas físicas podem entrar em contato com o serviço de telemarketing através do telefone (19) 3522-2978, que a doação será retirada.

Pessoas Jurídicas podem colaborar através de doações mensais contatando o serviço de telemarketing e também através de cotas de patrocínio nos principais eventos realizados pela casa das Crianças. Exemplos: Feijoada e Celebrar.

Além dessas, há o projeto do Selo Empresa Parceira da Casa da Criança, onde as empresas doam mensalmente uma quantia e podem utilizar o selo em todo o seu material de divulgação (e-mails, material gráfico e digital e mais…).

 

Colégios iniciam festividades juninas

Milho verde, quentão, vinho quente, danças e muita diversão. Essa é formula do sucesso. Afinal, quem não gosta de festa junina bom sujeito não é. Tradição no país, a festa homenageia três santos católicos, Santo Antônio (no dia 13 de junho), São João Batista (dia 24) e São Pedro (dia 29), e é diversão garantida para pais e filhos.

Em Rio Claro, alguns colégios já começam neste sábado (9) as festividades. É o caso do Colégio Koelle que tem a festa programada para às 10 horas e prossegue até às 20 horas. Na programação, além das tradicionais quadrilhas realizada pelos alunos, terá apresentação musical do cantor Danilo Correa que interpreta cantores consagrados da música brasileira.

Outra opção pra quem gosta do clima é no Colégio Puríssimo Coração de Maria, onde a festa junina também acontece neste sábado (9), a partir das 10 horas. Ingressos para não alunos serão vendidos a R$ 15. O evento termina às 19h30.

O Colégio Claretiano também prepara para este sábado (9) seu evento, que tem início às 13 e segue até às 18 horas.

No Colégio Alem o arraial acontece na sexta-feira (15), a partir das 19 horas. A entrada é gratuita e terá a presença da dupla Fabrício e Zé Gabriel.

No próximo sábado (16) é a vez do colégio Eduq realizar a festa. Atividade está programada das 15 às 22 horas. Os ingressos serão vendidos antecipadamente somente na secretaria da escola.

Já na Escola Coc a festa será realizada no dia 29 deste mês, a partir das 19 horas.

Vale ressaltar que todos os eventos terão as comidas típicas da festa e serão apresentadas danças durante os eventos.

EXPOSIÇÃO: Estação da Língua Portuguesa segue em cartaz até dia 23 de junho

A exposição itinerante “Estação da Língua Portuguesa”, que leva na bagagem acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), prossegue em Rio Claro, onde fica em cartaz até 23 de junho, na Filarmônica Rio Clarense (Rua 5, 914, no Centro).

“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação”, declara o Secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello.

O Totem, com painéis que apresentam uma prévia do conteúdo da mostra, o segmento O que nos une e o espaço Mundo Lusófono foram especialmente pensados e produzidos para essa itinerância. A mostra também conta com acessibilidade: o Mapa do Mundo possui informações sobre os países que falam português em Braille; os Vídeos Culinária e Dança têm tradução em Libras; e a Linha do Tempo e os Falares Paulistas podem ser traduzidos em Libras com o auxílio de tablets.

“É por meio da interatividade e tecnologia, som e imagem, que a exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa transmite a infinidade e riqueza da língua”, explica o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca.

A exposição gratuita ficará em cartaz até 23 de junho, às segundas, quartas, sextas e sábados, das 8h00 às 17h00; e às terças e quintas-feiras, com horário estendido, das 8h00 às 21h00.

A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio é do Instituto CCR, Vivo, Sabesp, EDENRED Brasil e Ticket marca do Grupo, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio na terceira cidade da itinerância é da Prefeitura de Rio Claro.

 

 

Escolas de Rio Claro recebem alimentos que garantem merenda

Após ter que fechar as escolas e creches municipais por três dias, a prefeitura de Rio Claro começou a receber nesta sexta-feira (1º) gêneros alimentícios para recomposição do estoque que abastece a merenda servida diariamente a mais de 20 mil alunos nas escolas municipais, estaduais e projetos sociais. Uma grande quantidade de arroz, açúcar e óleo foi entregue ao Departamento de Alimentação Escolar nesta sexta-feira (1º), suficiente para atender a demanda por 30 dias. Carnes, verduras e legumes serão entregues na segunda-feira (4) diretamente nas escolas, como é feito regularmente.

“A partir de segunda-feira todas as empresas que fornecem gêneros para a merenda escolar retomam o abastecimento normalmente. Com isso, teremos condições de atender as crianças”, explica o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. Os produtos não perecíveis são entregues às escolas pela prefeitura, conforme a demanda. “Estamos retomando o abastecimento normal de itens para a merenda”, informa o secretário municipal da Educação, Adriano Moreira.

As aulas nas escolas da rede municipal de ensino serão retomadas na segunda-feira (4) depois que foram suspensas nesta semana em função da falta de combustível nos postos que abastecem a cidade causada pela greve nacional dos caminhoneiros, o que prejudicou o fornecimento da merenda escolar, bem como a locomoção de professores e alunos. Com o fim da paralisação, o transporte escolar voltará a funcionar. “O transporte escolar está garantido para os alunos que utilizam esse serviço”, destaca Moreira.

Além das escolas, as unidades de saúde e as repartições públicas municipais também retomarão expediente normal a partir de segunda-feira (4). O seis ecopontos voltaram a funcionar nesta sexta-feira (1º) e a coleta de lixo está sendo realizada normalmente. Os ônibus do transporte coletivo também voltarão a circular nos horários normais na segunda-feira.

Unesp Rio Claro pesquisa materiais flexíveis

A busca por novos materiais eletrônicos e por novas tecnologias de processamento tem permitido cada vez mais o desenvolvimento de novos tipos de dispositivos eletrônicos e optoeletrônicos que têm mudado a vida cotidiana.

Pesquisadores do Departamento de Física do Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE) da Universidade Estadual Paulista – UNESP de Rio Claro vem trabalhando com estes materiais desde 2002, culminando na criação do Laboratório de Eletrônica Impressa em 2017. Além de serem pesquisados dispositivos eletroluminescentes e materiais que podem ser aplicados em eletrodos flexíveis e transparentes, o laboratório tem desenvolvido transistores de filme fino (TFTs) à base de óxidos metálicos transparentes processados por solução. Transistores são componentes eletrônicos cuja corrente pode ser controlada em mais de um bilhão de vezes através da aplicação de um campo elétrico, estando presentes aos milhões em qualquer dispositivo eletrônico.

Estes dispositivos permitirão o desenvolvimento de circuitos eletrônicos flexíveis e transparentes com reduzido custo e com simplicidade de produção, servindo de base para telas e displays de televisores, computadores e celulares dobráveis. Esta nova área de pesquisa nasceu do estágio de pós-doutoramento do Prof. Lucas Fugikawa Santos (Departamento de Física/IGCE) na Universidade Tecnológica de Darmstadt, Alemanha. Desde seu retorno ao Brasil, ele se dedicou juntamente com seu colega Prof. Giovani Gozzi, à implementação das técnicas de síntese e processamento de óxidos metálicos como o óxido de zinco, ZnO, e compostos correlatos, assim como na otimização dos processos de construção e de caracterização elétrica dos transistores. Como resultados, já foram produzidas dissertações de mestrado, orientações de doutorado, artigos em revistas internacionais indexadas e capítulos de livros publicados internacionalmente. Aplicações destes dispositivos como sensores também têm sido consideradas para o desenvolvimento de patentes que poderão dar origem a produtos comerciais no futuro.

Prefeitura decreta emergência, reduz expediente e suspende aulas

O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, assinou na sexta-feira (25) decreto de situação de emergência preventiva no município de Rio Claro, em razão da falta de combustível nos postos que abastecem a cidade. Em reunião de urgência com secretários municipais e o presidente da Câmara de Vereadores, André Godoy, o prefeito de Rio Claro tomou algumas medidas administrativas para o enfrentamento da crise. “São medidas emergenciais que, esperamos, possam ser suspensas o mais rápido possível”, afirma Juninho.

As aulas na rede municipal estão suspensas na próxima semana e os serviços públicos municipais terão expediente reduzido, atendendo das 7h30 às 13h30, com exceção dos serviços de urgência e emergência da saúde, segurança, abastecimento de água e Defesa Civil.

O prefeito determinou a paralisação e o recolhimento de todos os veículos da frota municipal, permanecendo em funcionamento apenas os veículos de urgência e emergência da saúde, do setor de segurança e do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae).

As aulas nas escolas e creches públicas municipais de Rio Claro foram suspensas em razão das dificuldades causadas com a falta de combustível, que prejudica a locomoção de professores e alunos, e também o fornecimento de merenda escolar.

A falta de combustíveis também atinge o transporte coletivo urbano. Os ônibus, a partir desse sábado (26), funcionarão com horários especiais, com redução do número de viagens.

A coleta de lixo, por enquanto, ainda não sofreu alteração, tendo garantia de realização até a segunda-feira (28).

O presidente André Godoy disse que acompanhará as decisões do prefeito na Câmara de Vereadores. “Inclusive, já determinamos o recolhimento de todos os carros oficiais e a suspensão de viagens”.

Muro de escola no Mãe Preta será reconstruído pela prefeitura

A Escola Municipal “Jovelina Morateli”, no bairro Mãe Preta em Rio Claro, terá muro reconstruído. O muro foi danificado por temporal no ano passado e agora será consertado pela prefeitura. A administração municipal vai investir R$ 42,9 mil na obra que será realizada pela empresa Bramer Construtora e Paisagismo Eireli – EPP.

“São obras simples que fazem a diferença no dia a dia de professores e alunos. Obras como essa estão sendo realizadas em várias escolas”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. “As escolas ficaram muito tempo sem manutenção e aos poucos, com trabalho e planejamento, estamos realizando várias melhorias em prédios escolares”, acrescenta o secretário municipal da Educação, Adriano Moreira.

A recuperação da estrutura era uma demanda da comunidade escolar. O trecho de muro danificado fica no fundo da escola, em área livre sem edificação. O projeto prevê a reconstrução do muro e instalação de portão. “Hoje o trecho aberto está cercado por alambrado e o muro dará mais segurança aos alunos”, observa Simone Chenta Padula, diretora da escola.

Além dessa obra, a prefeitura está finalizando a reconstrução de parte de muro de arrimo da Escola Municipal “Armando Grisi”, no Jardim Paulista II. A obra, aguardada há pelo menos dez anos pela comunidade escolar, teve investimento de R$ 117,1 mil. No Jardim Brasília I, a prefeitura concluiu neste ano a construção de muro no entorno das Escolas “Jardim das Palmeiras – Caic” e “Isolina Huppert Cassavia”, com investimento de R$ 224,7 mil. No início deste mês, foi finalizada a reforma do telhado da Escola “Maria Aparecida Polastri Hartung”, no Jardim Ipanema, com investimentos municipais de R$ 113,8 mil.

“CONHECENDO O CICLO DE VIDA DAS TATURANAS”

A compreensão de que todos os seres vivos, em especial as taturanas, possuem um ciclo de vida, marcado por fases como nascimento, desenvolvimento, reprodução e crescimento, vem sendo estudado pelo público infantil. Isso possibilita revelar aos alunos que estes seres vivos, da ordem Lepidoptera,  apresentam processo de reprodução diferenciado.

A Escola Municipal João Rehder Netto, desenvolveu o projeto: “Conhecendo o Ciclo de Vida das Taturanas”, de autoria da Professora Maridélia Rodrigues Bordon, em que os alunos do Projeto Recriando B -Tarde, estudam as etapas evolutivas das lagartas, com destaque para as taturanas, mostrando a importância destas na natureza.

A primeira etapa do projeto foi constituída pela coleta em campo, onde os alunos coletaram taturanas do parque da escola ou trouxeram de casa (se houvesse). Estas foram armazenadas em um vidro em sala de aula, para observação sobre este ser vivo.

A segunda etapa consistiu em atividades práticas e de análise com os alunos, promovendo rodas de conversas, sobre experiências com taturanas, como o assunto das queimaduras. Os alunos escolheram nomes para as taturanas que se encontravam no aquário na sala de aula, dentre os nomes escolhidos estão: Princesa, Fofinha, Bolinha.                   As taturanas foram catalogadas no dia 02 de Abril, e posteriormente os alunos efetuaram descrições e registros sobre o ciclo de vida destas espécies. Entretanto ao decorrer da atividade depararam com a morte delas o que causou entristecimento nos alunos.  Foi então que a professora fez comparações dizendo que as taturanas também morrem como os seres humanos, e outros seres vivos, pois todos nós temos um ciclo de vida.

Dando continuidade, e para ilustrar essa reflexão trabalhada em sala de aula, a professora responsável pelo projeto, resolveu aplicar os conhecimentos, solicitando a cada aluno a confecção de um desenho, onde mostrasse imagens do ciclo de vida das lagartas. Houve também ensaios com os alunos, para a apresentação teatral, “A Primavera da Lagarta” que será apresentada para a comunidade escolar (escola e família). Os convites para assistir essa peça teatral serão confeccionados pelos alunos, com desenhos do tema proposto.

Os objetivos pedagógicos da elaboração desse projeto conforme informa a Professora Maridélia Rodrigues Bordon, foram: revelar aos alunos a importância de respeitar os insetos de qualquer natureza; apontar de onde vêm as lagartas e taturanas e o processo de metamorfose e fases de vida (nascimento e morte), e apontar a diferença entre as espécies.

Crianças observando as cores das taturanas
Explicação sobre o universo das lagartas aos alunos
Taturanas coletadas e armazenadas no pote de vidro da sala de aula

Portanto este valioso projeto além de transmitir aos alunos conhecimento sobre as fases: nascimento, desenvolvimento, reprodução e morte, e as modificações físicas, metabólicas e alimentação, ocorridas com as lagartas, pode-se também vincular a linguagem oral e o processo de observação, e fortalecimento do trabalho em equipe com os alunos.

A QUESTÃO DA SUSTENTABILIDADE NOS ESPAÇOS URBANOS

A “sustentabilidade urbana” por ser um conceito amplo e apresentar inúmeras definições, acarreta interrogações/dúvidas. As pessoas, em sua maioria, associam o termo “sustentabilidade” apenas a questões relativas ao meio natural e não urbanizado, entretanto este termo refere-se à busca de equilíbrio no ambiente, seja ele ambiental urbano ou agrário.

Mediante a abrangência, de impactos nas cidades, em setores como educação, saúde, lazer, cultura, infraestrutura, emprego, moradia, segurança pública, recursos naturais, há consequências na vida sustentável de uma localidade.

Estes impactos decorrem em sua maioria do crescimento econômico acelerado nos principais espaços urbanos (cidades grandes e médias), que atingem a qualidade de vida daquelas populações ali inseridas, comprometendo as aspirações do presente e do futuro.

Nesse contexto, o ideal seria que as empresas, sejam estas públicas ou privadas, bem como os cidadãos inseridos nestes espaços urbanos conhecessem melhor os parâmetros da sustentabilidade, agregando-os em suas ações diárias e conjuntas, proporcionando e garantindo um melhor bem-estar.                                                                               O termo sustentabilidade, é usado por empresas e instituições como método de marketing, pois a compreensão em si da palavra, muitos a desconhecem, levando-se a um entendimento reduzido, apenas as questões ecológicas, esquecendo-se de outros conhecimentos e valores que abraçam a questão sustentável.

Deforestation on the little green planet. Human hand holds cut t

A educação é considerada peça fundamental na consolidação dos ideais da sustentabilidade, pois é responsável pela formação de agentes socioambientais, que promovem ações interativas com o meio ambiente, e acima de tudo possibilitam capacitar cidadãos quanto a preservação, conservação e gerenciamento do  ambiente.

Assim, o comprometimento com um ambiente sustentável leva ao progresso, visto que se unem práticas de conservação e atitudes de preservação de recursos naturais, fauna, flora, como também ações adequadas sobre a questão da mobilidade e da infraestrutura urbana, integrando aspectos econômicos e sociais de uma localidade.

Portanto o principal na questão da sustentabilidade é conciliar o desenvolvimento social, a preservação ambiental e o crescimento econômico, respeitando os espaços e as populações, cultivando valores que os direcionem a construir um ambiente (urbano) equilibrado.

ATERROS SANITÁRIOS E SUAS FUNCIONALIDADES

Os aterros sanitários são constituídos pela alternância de resíduos e elemento de cobertura formando células a partir de camadas que são constantemente cobertas com materiais inertes ou terra, compactando os resíduos no solo. Dentro destes utiliza-se sistemas de engenharia e normas operacionais específicas para ordenação correta dos resíduos, garantindo de forma segura a proteção à saúde publica, como também um controle em termos de contaminação e poluição ambiental.

Para instalação técnica destes são necessários procedimentos desde a escolha e o preparo da área, bem como posteriormente monitoramento e operação. Estes devem conter eficientes sistemas de drenagem de águas pluviais, drenagem de gases, tratamento de chorume (decorrentes da degradação da matéria orgânica), evitando que as águas subterrâneas e o solo sejam contaminados.

Vale destacar que aterros sanitários devem ser submetidos a vistorias periódicas a fim de verificar se a quantidade e os tipos de resíduos que vem sendo depositados seguem as normas e estão de acordo com as legislações ambientais específicas para o recebimento no local, evitando-se problemas de ordem administrativa.                               A vantagem dos municípios em ter aterros sanitários decorre destes serem alternativa econômica viável devido a sua implantação rápida e suas aplicações iniciais serem de custos menos elevados e possibilitarem resolver problemas de caráter social, estético e de segurança, e recuperarem áreas degradadas.

Estação de Tratamento de Chorume localizado no Aterro Sanitário do Município de Rio Claro

 

No Brasil, ainda existem municípios que não possuem aterros sanitários, em detrimento da falta de recursos ou investimentos, para adequação e estruturação, sendo que os resíduos continuam sendo depositados em áreas expostas sem a devida preparação do solo, não havendo tratamento de chorume, caracterizando os denominados lixões.

Lagoa de Tratamento de percolado tratado no Aterro Sanitário

Neste sentido a implantação de aterros sanitários traz inúmeros benefícios ambientais, pois constituem opção viável em termos de destinação correta de resíduos sólidos urbanos, como também podem apresentar proveitos como a geração de emprego e renda dentro da população local, portanto se no município há aterro sanitário, é importante atribuir a este seu devido valor.

DIA INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA

A manifestação desta data, iniciou-se na década de 1970, nos Estados Unidos, por iniciativa do senador Gaylord Nelson que apoiado por diversos órgãos (universidades, escolas primárias e secundárias e comunidades) instituíram a criação de uma Agenda Ambiental e de leis voltadas a proteção ambiental.
A partir desse acontecimento, seguiu-se uma forma de expressar aos outros países do mundo a importância de reduzir significativamente os índices de poluição afim de que se garantisse um ambiente futuramente sustentável para a humanidade. Assim muitos países foram adeptos a esse movimento, e com o passar dos anos muitos outros foram se inserindo, inclusive o Brasil.
O Dia do Planeta Terra deve ser visto como uma data importante e festiva aos seres humanos, pois tudo o envolve, e nesse sentido devem ser elaboradas e praticadas ações efetivas, que com esforços conjuntos possibilitam estruturar caminhos que agreguem valor e conduza a um ambiente ecologicamente equilibrado.
Dessa forma devemos adotar as seguintes ações: proteção e manejo adequado dos recursos naturais; proteção às espécies da fauna e flora; proibição a utilização de produtos químicos danosos; uso correto do solo e da água, pratica de reutilização e reciclagem de resíduos sólidos; amenização da emissão de gases do efeito estufa, dentre outras ações, nos moldando a tornarmos cidadãos ambientalmente responsáveis e conscientes.
Assim, os ambientalistas esperam que ao comemorarmos mais um ano o Dia da Terra, possamos fazer uma reflexão sobre nossa postura em relação ao meio que vivemos, reconhecendo sua real importância e valor, cuidando sempre para que tenhamos cada vez mais um habitat com uma expressiva qualidade de vida e livre de ônus.
Portanto é necessário que as ações aconteçam de forma efetiva, e partam de cada um, seja reflorestando, economizando água, não jogando lixo em vias públicas ou lugares impróprios, preservando os espaços naturais a nossa volta, a fim de que possamos contribuir no cotidiano para a sustentabilidade local, regional e global.

Éder Rodrigo Varussa – Gestor e Educador Ambiental, Bacharel em Administração Empresarial, Doutorando, Especialista em Gerenciamento Ambiental e Sustentabilidades na área de conhecimento em Ecologia Aplicada, Mestre em Geografia na Área: Organização do Espaço – UNESP/Rio Claro/SP.

DIA NACIONAL DA BOTÂNICA

Em 17 de abril, foi comemorado o Dia Nacional da Botânica, instituído pelo Decreto de Lei nº1147, de 24 de maio de 1994, tendo como precursor o alemão, Carl Friedrich Philipp Von Martius. A data faz uma homenagem a todos os botânicos que se dedicam aos estudos sobre o conhecimento da flora (plantas) brasileira.
Um dos principais temas na atualidade, diz respeito à biodiversidade e sua conservação, e neste contexto o Brasil assume importante papel, sendo considerado um dos “país megadiverso”, que obtém aproximadamente 14% das espécies de plantas do planeta Terra.
A área da Botânica, estuda os vegetais em seus diversos aspectos, ou seja, fisiologia, morfologia, química, ecologia e classificação. No Departamento de Botânica da UNESP, campus de Rio Claro, os estudos nessa área enfocam principalmente as espécies nativas, visando seu inventário e possíveis aspectos evolutivos, ecológicos, fisiológicos e econômicos.

Excursão didática para a Estação Ecológica de Itirapina com alunos de graduação de Ciências Biológicas da UNESP de Rio Claro- Avaliação da invasão de braquiária no Cerrado
Departamento de Botanica – Unesp-Rio Claro

Infelizmente a flora brasileira é muito pouco conhecida, pois, apesar de sua importância no balanço da diversidade, devido à extensão territorial do Brasil e à falta de investimentos em pesquisa básica, o número de amostras vegetais preservadas por unidade de área está muito aquém do desejado para que sua diversidade seja adequadamente dimensionada em nosso país.
Neste sentido, os herbários, instituições onde são guardadas amostras de plantas para estudos científicos, constituem-se num dos principais instrumentos para preservar as amostras vegetais coletadas. Tais amostras são fragmentos ou indivíduos inteiros, secos e fixos em cartolina com os registros de dados associados, como local de coleta, local, coletor, habitat, etc. Em Rio Claro, têm-se o Herbário Rioclarense (HRCB) localizado no Instituto de Biociências, na UNESP, com cerca de 65 mil amostras registradas. Os herbários são de extrema importância pois preservam registros da flora brasileira que está sendo destruída pelo crescimento populacional e econômico.
Materiais adequadamente guardados tem preservação indefinida e podem ser estudados pelos taxonomistas, especialistas que trabalham desde muitos séculos atrás com a diversidade biológica e sua classificação, constituindo-se em testemunho da flora de áreas que muito provavelmente foram ou serão alteradas. Outras áreas do conhecimento, como por exemplo, a agronomia, a ecologia, a farmacologia, etc., também usam os espécimes dos herbários para identificação e depósito de amostras vegetais usadas em suas respectivas pesquisas.

A falta de investimentos compromete o conhecimento da flora nativa sujeita, em sua maior parte, à destruição, com a consequente perda de recursos potenciais inestimáveis. Mesmo as coleções atualmente presentes nos herbários estão sob constante ameaça, visto que sua manutenção requer recursos, como climatização constante do ambiente e corpo técnico qualificado para supervisionar as coleções e organizar seu crescimento com a incorporação de novas amostras, relata um dos professores, do Departamento de Botânica da UNESP de Rio Claro.
O Herbário Rioclarense, através de parcerias e projetos, tem procurado se modernizar, buscando meios seguros e adequados à preservação dos seus espécimes, e facilitando a divulgação das informações disponíveis através da informatização e digitalização do acervo, tarefa essa que continua sempre, em que pesem as dificuldades com reposição/contratação de pessoal e falta de recursos para aquisição e manutenção adequada de equipamentos, com o objetivo de incluir a coleção do herbário do instituto, no herbário virtual brasileiro, contribuindo assim de maneira significativa com o projeto da Flora do Brasil 2020, cujo objetivo é produzir uma flora brasileira, incluindo algas, fungos e plantas, em uma plataforma online que futuramente será integrada à Flora do Mundo Online (World Flora Online – WFO). Seu sucesso cumprirá metas de acordos internacionais assinados pelo Brasil, dentro da Estratégia Global para Conservação de Plantas/Convenção da Diversidade Biológica (GSPC/CDB).