Lula, mesmo preso, continua a dominar as pesquisas

Em qualquer circunstância que se apresente com Lula candidato, ele lidera pesquisas

74
Terminou às 17 horas da sexta-feira, dia 6, prazo estipulado pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal no Paraná, para que o ex-presidente se apresentasse voluntariamente à Polícia Federal

No último domingo o Datafolha divulgou nova pesquisa de intenção de voto para as eleições presidenciais de outubro próximo.
A pesquisa compara diferentes cenários, analisando chance dos candidatos chegarem ao segundo turno.
Em todo cenário onde Lula aparece candidato ele domina as pesquisas, com mais de 30% de intenções de votos. Em segundo lugar aparece Jair Bolsonaro, do PSL, apresentando 15% e a seguir Marina Silva com 10%.
O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa (PSB), vem em seguida com 8%.
Na sequência Geraldo Alckmim (PSDB) 6%, Ciro Gomes (PDT) 5% e o senador Álvaro Dias (Podemos) com 3%.
Nas circunstâncias em que Lula não aparece como candidato, a liderança passa para Jair Bolsonaro que ficaria com 17%, tendo em seu encalço Marina Silva com 15%, o que determina um empate técnico.
Enquanto se apresenta Lula como candidato, os números não diferem das pesquisas anteriores, mesmo com a prisão do ex-presidente.
Porém, tirando-o da pesquisa, os números sofrem mudanças interessantes, fazendo parecer que eleitores do ex-presidente acabam migrando para Marina Silva, que alcança um empate técnico com Bolsonaro.
Como o ex-presidente pode não ser elegível, já que a Lei da Ficha Limpa diz que condenados em segunda instância (caso de Lula) e isso ninguém pode mudar, terá o seu registro de candidatura impugnado.
Em caso de não candidatura de Lula, o nome com maior possibilidade de substitui-lo é Fernando Haddad. E quando a pesquisa é feita com o nome de Haddad, esse aparece com apenas 2% das intenções de voto, mostrando que o ex-presidente não consegue transferir seus votos.
Mesmo com os entraves legais, o Partido dos Trabalhadores diz que pretende registrar a candidatura de Lula.
Mesmo que a Lei da Ficha Limpa vete o registro da candidatura, a legislação permite que o pedido de registro seja feito. Aí, caberia à Justiça Eleitoral analisar o pedido.
Logicamente que esses números ainda poderão sofrer alterações até outubro, uns podem crescer e outros ainda perderem espaço nessa corrida.

O que pensa a direita rio-clarense
Em Rio Claro, buscamos a palavra do vereador e presidente da câmara, André Godoy.
André aponta uma queda nas pesquisas do ex-presidente se comparada à janeiro desse ano.

André Godoy não acredita que a candidatura de Lula seguira até o fim e que a mudança no quadro será muito grande (Foto arquivo pessoal)

“Em relação à pesquisa Datafolha de janeiro, o ex-presidente Lula caiu cerca de 7 pontos percentuais, o que representa uma queda considerável. Os 30% de intenções de votos que ele ainda mantém reúnem os seguidores do PT e o eleitorado fiel do Norte e Nordeste, onde programas sociais como o Bolsa-Família tiveram maior impacto. A tendência, no entanto, é de redução ainda maior desse apoio nos próximos levantamentos, pois, enquadrado na Lei da Ficha Limpa, Lula está praticamente fora da disputa e outros nomes farão de tudo para ocupar esse espaço”, comenta André Godoy.
“Toda pesquisa é uma radiografia do momento em que os dados são levantados. E não se pode negar que o deputado Jair Bolsonaro ocupa uma posição de destaque na mídia e nas redes sociais, principalmente porque expressa o pensamento da parcela mais conservadora da população. Já a ex-senadora Marina Silva ainda conserva parte do capital eleitoral acumulado em 2014, quando concorreu à presidência. Até agosto, no entanto, quando as candidaturas forem registradas, ficar confirmada a inelegibilidade de Lula e começar a campanha, deveremos ter um quadro completamente diferente”, completa o presidente da Câmara de Rio Claro.

O que pensa a esquerda
Já a esquerda está representada pelo pré-candidato a deputado pelo PT, Agnelo Matos. Agnelo afirma que a população tem preferência pelo seu partido.
“As pesquisas também mostram que 19% da população tem uma preferência pelo PT. Houve uma melhora de 3% em 60 dias. O segundo partido em que as pessoas confiam vem bem atrás com 6%.
Nunca foi fácil para nós, não será desta vez. Mas confio muito na nossa militância, também a nossa pré-candidatura representa uma forma diferente de pensar a política. Pensar nas pessoas em seus direitos fundamentais, como direito ao trabalho, a saúde e educação de qualidade. Direito de ir e vir com segurança. E na questão de moradia, tenho uma certa experiência na área. Estou com muita confiança para enfrentar este desafio, juntamente com a direção partidária e os nossos apoiadores.
Quanto ao Lula, as pessoas perceberam que ele não foi preso pelo triplex. Que não conseguiram provas concretas contra ele.
Ele está preso pelos avanços sociais que o governo dele fez, principalmente aos que mais precisavam.

Agnelo aposta em crescimento ainda maior de Lula nas pesquisas (Foto arquivo pessoal)

É este debate que os adversários políticos que representam parte de uma elite atrasada não querem fazer. Não querem porque não conseguem.
Lula representa uma ideia, a esperança, a confiança que as pessoas já experimentaram. Seu governo saiu com mais de 80%, de aprovação.
Melhorou acesso a educação (ampliou vagas de universidade como nunca antes, Enem e ProUni, um sucesso). Oportunidades de pessoas possuírem suas casas, carros. Gerou empregos, com isso estabilidade e confiança na vida das famílias. Por isso é que o Lula irá avançar ainda mais nas Pesquisas”, explanou Agnelo.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA