Cordeirópolis recebe o Procon Móvel nesta sexta-feira (13)

A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável irá trazer para o município o Procon Móvel, que ficará estacionado no centro da cidade, para ampliar o atendimento aos cidadãos. Este serviço garantirá também o acesso das pessoas que residem em áreas mais afastadas da região central em que poderão aproveitar este momento para esclarecer dúvidas, encaminhar reclamações, consultas e denúncias contra empresas que desrespeitam ao Código de Defesa do Consumidor.
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Marco Gomes, a vinda do Procon Móvel para Cordeirópolis garantirá o equilíbrio nas relações com o consumidor. “Nossa proposta é desenvolver políticas de educação para o consumo consciente, sustentável e seguro e estar cada vez mais próximo da população, para conscientizá-la e divulgar os seus direitos e a forma mais adequada de defender os seus interesses”, destacou o secretário.
De acordo com a responsável pelo Procon em Cordeirópolis, Vera Pereira, o programa Procon Móvel é um serviço que tem como objetivo principal descentralizar o atendimento oferecido à população e desta forma, ampliar o trabalho realizado pelo órgão de conscientização e solução de problemas nas relações de consumo. “Por meio desse programa, o munícipe poderá apresentar demandas diversas e obter informações, sejam elas por meio da utilização de sua unidade móvel ou por meio da participação do órgão em uma série de eventos e ações organizadas. Lembrando que a estrutura será utilizada para ações de orientação sobre direitos e deveres, com foco nas ferramentas tecnológicas disponíveis aos consumidores”, explicou.

Convocados pelo INSS têm prazo para agendar a perícia

Caso a perícia não seja marcada, o pagamento ficará suspenso até o convocado regularizar sua situação. A partir da suspensão, o beneficiário tem até 60 dias para marcar o exame. Se não procurar o INSS neste prazo, o pagamento será cancelado.
Foram chamados 94 mil pessoas que não foram encontradas por alguma inconsistência no endereço e quem recebeu a carta, mas não agendou a perícia no prazo determinado. No início de março, mais de 522 mil cartas de convocação foram enviadas para os beneficiários de auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem passar por uma perícia médica e para os aposentados por invalidez com menos de 60 anos.
Aqueles que não responderam às cartas foram convocados por edital publicado no Diário Oficial da União (Seção 3, páginas de 121 a 367). O objetivo é fazer uma avaliação para verificar se estas pessoas ainda fazem jus ao benefício. No último edital publicado em agosto de 2017, foram convocadas 55.152 pessoas. Desse total, 22 mil agendaram perícia.
A meta do governo federal é fazer um pente-fino em 1,2 milhão de benefícios por incapacidade ao longo 2018, sendo 273.803 de auxílio-doença e 995.107 de aposentadorias por invalidez.

Ludmar Gonzalez estreia coluna no Diário

O jornalista Ludmar Gonzalez traz para o Centenário sua experiência de 30 anos na profissão, passando por todas as editorias dentro de um veículo de comunicação. A coluna “NaBoa”, que foi publicada por cerca de dez anos ininterruptos, retorna à imprensa rio-clarense trazendo os comentários ácidos e sinceros que movimentaram a política local, com linguagem popular, sem rabo preso com as fontes, mas respeitando direitos e deveres.
Editor na mídia local por 10 anos, e outras duas décadas como repórter, Gonzalez acompanhou as administrações de Azil Brochini, Nevoiro Jr, Claudio Di Mauro, Du Altimari e Juninho da Padaria. Antes da NaBoa, foi responsável pela “Jogo de Cintura”, ainda nos anos 90. “Gosto de fazer o meu trabalho, sem a necessidade de agradar qualquer segmento, apenas preocupado em manter o respeito e, principalmente, defender o discurso e a opinião do cidadão comum”, comenta o jornalista.
Sobre a novidade, explicou que a coluna será publicada todos os domingos e quartas-feiras. “É um novo desafio, em uma nova casa. Um gigante de 131 anos que registra por dois séculos as notícias de Rio Claro e hoje aparece entre os jornais mais antigos do país em atividade. Estou feliz e espero contar com o apoio dos leitores do nosso Centenário”, ressaltou.
A publicação da coluna faz parte de uma série de novidades que o Diário começa a trazer para seus leitores a partir do mês de abril. Ainda neste fim de semana, o colunista Flávio Ricco começa a publicar sua coluna Canal 1, ainda, outros lançamentos estão programados para acontecer. Vem aí um novo Diário!

 


“Bate-bola” com Ludmar Gonzalez

O que achou da prisão do Lula?
O Lula não inventou a corrupção no Brasil. Ela vem de longe. Mas precisa se colocar um fim nesta relação nefasta entre políticos e empresários corruptos. Que sua prisão sirva de exemplo. Mas tem espaço para muitos outros e de várias legendas e não apenas o PT.

Todo político é corrupto?
De forma alguma. Hoje no Brasil, em meio a tanta safadeza, a população generaliza, inclusive a imprensa. Mas tem quem se salva. O problema é que crescem as denúncias, que envolvem milhões e atingem a todos os níveis. Os bons pagam pelos maus. O empresário que banca o político, também é corrupto.

Culpa é dos empresários?
O político bandido, só ganha dinheiro quando encontra o empresário que não presta. E não tem esta de ser chantageado. Se este tipo de crime ocorre, é porque outro está sendo encoberto. Se o político repassa milhões ao político, é porque está recebendo muito mais nesta “venda casada”. Cadeia para os dois lados.

E a imprensa?
A imprensa já foi considerada dona do quarto poder. Eu chego a apostar que em alguns casos é um poder paralelo. Quanto menor o município, mais próximo ficam os poderes. Mas também neste caso não dá para generalizar. A rádio boataria, que avança nas redes sociais, costuma criar um monstro para cada notícia. É assim que muitos perdem a credibilidade. Quanto mais livre a imprensa, maior a credibilidade.

Credibilidade é tudo?
A credibilidade é fruto de um bom trabalho e de longo prazo. É fundamental para quem trabalha com a opinião pública. Agora credibilidade não se compra ou vive de marketing.

Boato também é notícia?
E muito. Um exemplo são as redes sociais. Não tem como negar, é a forma mais democrática e rápida de se conseguir a informação. Mas é preciso controlar a ansiedade e a criatividade do brasileiro. Um acidente, vira tentativa de homicídio; uma morte no pronto socorro, epidemia; uma separação amigável, traição; enfim tem para todos os gostos. Lógico, que existem acertos pontuais e que devem ser respeitados.

Donos da verdade?
Veja as discussões pelas redes sociais. Não existe um mediador, ou alguém que tente controlar os ânimos. Daí, vira briga, bate-boca e ameaças. E pode ser política, futebol e religião. A coisa foge do controle, quando ninguém reconhece que pode estar errado. O dia que as redes sociais medirem a força que possuem os grandes veículos terão sérios problemas.

Dá para discutir política?
Hoje, no Brasil, não dá para se discutir nada. A pessoa começa a reclamar do som do vizinho e de repente alguém cita o pastor que grita, e neste caso ninguém reclama, ou o carro de som que vende pamonha. Meu conselho hoje é ouça mais e fale menos.

O prefeito está em baixa?
O prefeito municipal João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, foi eleito com uma grande votação e após um governo que vinha de dois mandatos e que, notadamente, estava se desgastando. Venderam a imagem que tudo seria resolvido no toque de mágica, o que é impossível. Olha o caso da Taxa de Iluminação! Promessa de campanha, ainda não cumprida. Juninho não está fora da média de outros administradores.

Qual foi o erro?
É a forma como ocorre uma disputa eleitoral, as coligações que envolvem muitos partidos e que precisam ser atendidas. Quando um prefeito é eleito com o apoio de tantas legendas vai ter que retribuir na administração. Daí sobra quantidade e falta qualidade. Juninho ainda assumiu em meio a um período de recesso econômico no País.

E dá para corrigir?
Só mudando a mentalidade do político, pois o eleitor reclama quatro anos e não aprende. Enquanto fizerem política de olho no resultado nas urnas e não no trabalho a ser desenvolvido, seguiremos reféns. E não é mentalidade de direita, esquerda ou centro. O erro é comum para todos.

A Saúde vai mal?
A Saúde é um problema no País, não apenas em Rio Claro. Não se morre apenas nos hospitais da cidade. Basta ver no noticiário nacional. E vai continuar assim, até que exista um entendimento que é preciso tratar a Saúde, como um todo, ou seja um projeto único, e em todos os níveis, para municípios, estados e União. Se cada lado atuar de uma forma, vai seguir esta tragédia. É preciso mudar a cabeça de quem administra. Unificando a forma de atuar, vem uma segunda fase que passa por pessoal, material, distribuição, leitos e vai por aí.

Interferência política?
Em todos os níveis. Como você pode entender como normal a afirmação de que o prefeito de tal partido tem privilégios, pois o governador do Estado é da mesma legenda. Ou, no caso, se for em relação ao Governo Federal. A disputa tem que acabar no dia da apuração. Daí para frente é tudo brasileiro. Mas não, a direita privilegia a direita e a esquerda, a esquerda. Assim andamos em círculo.

E a relação entre poderes?
Hoje vivemos período da caça às bruxas, como podemos chamar a busca aos corruptos. E todo mundo quer virar mocinho. Se existe ameaça, ninguém se aproxima. Ou se fecha, quando a existência da “quadrilha” é evidente. Uma pena que a disputa entre oposição e situação prossiga depois de uma apuração. E agora entra em cena ainda o Judiciário, que deveria fazer Justiça, mas temos exemplos de que, em alguns casos, o interesse prevalece. Melancólico cenário.

Também em Rio Claro?
É no Brasil todo. Juninho da Padaria, por exemplo, tem maioria, daí se esperava que não tivesse dificuldades. Mas acaba tendo obstáculos, muito pela falta de liderança. E nem sempre procuram o melhor para a cidade. Muito é do “fogo amigo”, quando o Executivo é pressionado até pela base. Neste caso, basta atender o parlamentar que a pressão passa. Rio Claro sofre do mesmo mal do restante do País.

A Câmara é fraca?
Não é questão de forte ou fraca, nem pela quantidade de vereadores. Mas é a forma como se trabalha. Tem vereador que se contenta em distribuir material na internet e na imprensa dizendo que pede isto, solicita aquilo ou cobra por alguma coisa. Atira para todo lado e quando algo é atendido, faz questão de comemorar. E tem quem gosta de dar nome a praças, promover semanas ou tirar fotos ao lado de servidores trabalhando. Legislar vai muito além disto. São necessários projetos de interesse da comunidade. E neste caso dá trabalho. Mas tem quem tenta trabalhar. Fiscalizar é o papel do parlamentar e também do eleitor, que deveria procurar saber o que acontece em sua cidade.

Trecho da Rua 12 fica interrompido na manhã desta sexta-feira

O trecho da Rua 12 entre as avenidas 5 e 7, na região central de Rio Claro, fica interrompido durante a manhã desta sexta-feira (13).
A interrupção será necessária para a realização de serviços de poda preventiva em árvores da via pública.
O trecho ficará interrompido a partir das 7 horas e será liberado assim que os trabalhos forem concluídos. A expectativa é de que até o início da tarde desta sexta-feira os serviços sejam terminados.

Unesp decide reabrir restaurante universitário

Os serviços do restaurante universitário foram suspensos pela direção do Instituto de Biociências (IB) da Unesp, na quarta-feira (11), após alunos almoçarem no local sem pagamento na terça-feira (10), em protesto ao processo seletivo referente à concessão dos auxílios socioeconômicos deste ano.
Segundo nota enviada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), o restaurante universitário volta a funcionar nesta sexta-feira (13). A decisão ocorreu após reunião na manhã de quinta-feira (12) com membros da Comissão Local de Restaurante Universitário (CLRU) e Permanente de Administração do IB. “Cabe destacar que o convite foi estendido às representações discentes da CLRU (IB e IGCE) que, infelizmente, não compareceram”, informou a Universidade em nota. O comunicado afirma ainda que será realizado um fórum aberto, às 14 horas, desta sexta-feira (13), no Anfiteatro II – IB.
“Todos os participantes da referida reunião reconheceram a legitimidade das reivindicações dos estudantes todavia, discordaram da forma como foi feita, via invasão. A universidade destacou ainda que houve uma concordância de que a postura adotada pela direção em fechar o RU foi cautelosa tendo em vista o cuidado com a preservação da integridade física dos usuários e servidores (prevenção de acidentes)”, informou em nota. Segundo a Unesp os documentos pedindo a revisão no processo seletivo de permanência estudantil – 2018 foram encaminhados à assistente social para nova entrevista e reavaliação. “A profissional ainda não concluiu os trabalhos. Enquanto isso, continuam as tratativas junto a COPE/Reitoria para a concessão de auxílios emergenciais extras com duração estendida, buscando assim atender um maior número possível desta demanda”.

ESTUDANTES
Os universitários que residem na moradia estudantil disseram não ter sido convocados para a reunião e se manifestaram por meio de nota repudiando o processo seletivo. “Nós, estudantes que residimos na moradia estudantil da Unesp de Rio Claro e dependemos das políticas de permanência estudantil, como auxilio socioeconômico e moradia para conseguirmos nos manter neste espaço, entendemos que o mesmo foi realizado de forma apressada e utilizou-se de critérios ‘nebulosos’. Uma vez que, o prazo dado pela Unesp para a empresa terceirizada divulgar a lista de contemplados foi de apenas 30 dias e somente 12 estudantes que residem na moradia estudantil vieram a ser contemplados com o mesmo”.
Para os alunos, o restaurante universitário (RU) não contempla as pessoas que residem na moradia estudantil, pois consideram o preço absurdamente alto em relação a outras universidades, além do horário de funcionamento. “Nós nos organizamos de forma coletiva para conseguirmos nos alimentar durante nossa estadia na universidade. Pois, desta forma conseguimos garantir que casos pontuais de pessoas que estão na moradia e não possuem recursos suficientes para se alimentar sejam absorvidos pelo coletivo de alguma casa. Garantindo que os mesmos não venham a se evadir do curso por conta disto. Logo, na atual situação, em que 12 estudantes foram contemplados com os auxílios socioeconômicos, esta forma autônoma de se organizar corre o risco de se enfraquecer ou desaparecer”, informaram os estudantes.

Dnit confirma a Juninho projeto para transferir oficinas da ferrovia

O Ministério dos Transportes definiu a empresa Egis – Engenharia e Consultoria como responsável pela elaboração de projeto para a transferência das oficinas ferroviárias da região central de Rio Claro para o bairro Jardim Guanabara. “É um passo importante para que as oficinas finalmente saiam do Centro, permitindo uma fase de novos avanços ao desenvolvimento de Rio Claro”, afirmou o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, ao confirmar a informação recebida quarta-feira (11), no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).
O prefeito, que está acompanhando o assunto de perto desde o início do ano passado, foi recebido em Brasília por Charles Beniz, diretor de infraestrutura ferroviária, e por Marcelo Chagas, coordenador geral de obras ferroviárias. “O prefeito tem feito um empenho gigantesco junto ao Dnit”, afirmou Beniz.
Para elaborar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, o Ministério dos Transportes fará investimentos da ordem R$ 1,7 milhão. A previsão é de que o projeto esteja concluído num prazo de 12 meses. A partir disto, serão iniciadas providências para a construção da infraestrutra no Jardim Guanabara, para transferir as oficinas.
O prefeito Juninho lembra que as oficinas ferroviárias têm sido um grande entrave para a mobilidade urbana na região central da cidade. “Sua remoção também permitirá a implantação de projetos urbanísticos que darão mais beleza e praticidade ao dia a dia dos rio-clarenses, especialmente com a implantação de uma grande avenida”, considera Juninho, acrescentando que toda a região do Guanabara também terá grandes ganhos com a mudança.

IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017

Nielmar de Oliveira – (Agência Brasil)

 

Em 2017, os ricos do país ganharam 36,1 vezes mais do que metade dos mais pobres. Este grupo 1% mais rico da população brasileira, em 2017, teve rendimento médio mensal de R$ 27.213. O valor representa, em média, 36,1 vezes mais do que metade do que receberam os mais pobres – cujo renda mensal foi de R$ 754 naquele ano. Em 2016, o grupo mais rico ganhava 36,3 vezes mais do que a média do rendimento de metade dos mais pobres.
Os dados fazem parte da pesquisa Rendimento de todas as fontes 2017, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). A publicação revela que a massa de rendimento médio mensal real domiciliar per capita, em 2017, foi de R$ 263,1 bilhões. Deste total, os 10% da população com os maiores rendimentos ficavam com 43,3% do total. Os 10% menores rendimentos detinham apenas 0,7% da renda.
Para o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo, os números mostram que a desigualdade ainda é grande no país. “Vamos separar a população inteira, do mais baixo ao mais alto. Se você pega metade dela, verá que a média de rendimento médio dos 50% que ganham menos é de R$ 754, valor mais que 36 vezes menor do que o rendimento da população que ganha os maiores salários, e que chega a R$ 27.213. Os 10% com os maiores rendimentos chegam a deter 43% do total recebido”, afirmou.

Concentração

Na região Sudeste, a concentração de renda foi ainda maior. Nesta região, está a maior parcela da população e reúne rendimento médio mensal real do grupo de 1% mais ricos. No Sudeste, este grupo chegou a ter concentração 33,7 vezes superior ao rendimento médio mensal real de 50% da população com os menores rendimentos – em 2016 era de 36,3 vezes.
O estudo do IBGE compara o rendimento da população do ponto de vista da distribuição por Grandes Regiões, tipo de rendimento, sexo, cor ou raça, nível de instrução, levando em consideração os indicadores de concentração de renda. Também são avaliados os programas de transferência de renda do governo federal.
Os dados do IBGE indicam que, em 2017, as pessoas que tinham rendimento de todos os trabalhos correspondiam a 41,9% da população residente, o equivalente a 86,8 milhões de pessoas, percentual afetado pela crise econômica que afetou o país. Em 2016, o percentual chegava a 42,4% Em 2017, 24,1% dos residentes (50 milhões) possuíam algum rendimento proveniente de outras fontes. Em 2016 este percentual era menor: 49,3 milhões de pessoas tinham rendimento de outras fontes, o equivalente a 24% dos residentes.

Bolsa Família

Com relação aos programas de transferência de renda do governo federal, a pesquisa constatou que o percentual das famílias brasileiras que recebiam o Bolsa Família caiu 0,6 ponto percentual entre 2016 e 2017, ao passar de 14,3%para 13,7%. Segundo a pesquisa, o rendimento médio mensal real domiciliar per capita dos domicílios que recebiam o Bolsa Família em 2017 foi de R$ 324, bem inferior ao rendimento médio mensal real domiciliar per capita dos que não recebiam, que era de R$ 1.489.
Os dados indicam que os maiores percentuais de famílias que recebiam algum tipo de benefício dos programas de transferência de renda do governo estavam localizados, no ano passado, nas regiões Norte e Nordeste, com respectivamente 25,8% e 28,4% dos domicílios.
A pesquisa ratifica a persistência do salário maior para os homens do que para as mulheres. Enquanto o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos, no Brasil, foi de R$ 2.178; entre os homens, esta média chegou a R$ 2.410. Já para as mulheres, o rendimento médio mensal registrado foi de R$ 1.868, ou seja: o equivalente a 77,5% do rendimento masculino. Em 2016, essa proporção era ainda menor: 77,2%.
A Região Sudeste, que registrou a segunda maior média salarial para as mulheres (R$ 2.053) e a maior para os homens (R$ 2.810), foi, paralelamente, a região onde as mulheres registraram a menor proporção do rendimento masculino (73,1% em 2017 ante 71,7% de 2016). As mulheres brancas apresentaram rendimentos 29,2% superiores à média nacional de R$.2 178, enquanto as pardas e pretas receberam rendimentos 26,3% e 27,9%, respectivamente, inferiores a essa média.
Por fim, aqueles que tinham ensino superior completo registraram rendimento médio aproximadamente 3 vezes maior que o daqueles que tinham somente o ensino médio completo e mais de 6 vezes o daqueles sem instrução.

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.002 para o próximo ano

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.002 para o próximo ano, o que representa alta de 5% em relação ao atual (R$ 954). O valor consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, apresentado na quinta-feira (12) pelos ministros do Planejamento, Esteves Colnago, e da Fazenda, Eduardo Guardia.
Em 2019, a fórmula atual de reajuste será aplicada pela última vez. Pela regra, o mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) de dois anos anteriores.
Em 2017, o PIB cresceu 1%. Para a estimativa de inflação, o governo considerou a previsão de 4% para o índice de inflação que consta do Boletim Focus, pesquisa com mais de 100 instituições financeiras divulgada toda semana pelo Banco Central.
A LDO define os parâmetros e as metas fiscais para a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Pela legislação, o governo deve enviar o projeto até 15 de abril de cada ano. Caso o Congresso não consiga aprovar a LDO até o fim do semestre, o projeto passa a trancar a pauta.

Hospital Unimed Rio Claro recebe certificação ONA 3

O Hospital da Unimed Rio Claro foi agraciado com a certificação ONA 3, o único do município a receber o selo de acreditação. A ONA (Organização Nacional de Acreditação) é uma entidade não governamental e sem fins lucrativos que coordena um processo de certificação voltado para a qualidade de serviços de saúde, que tem como foco principal a segurança do paciente.
A metodologia de acreditação é reconhecida pela ISQua (International Society for Quality in Health Care), associação parceira da OMS (Organização Mundial da Saúde) e que conta com representantes de instituições acadêmicas e organizações de saúde de mais de 100 países.
Fundada em 1999, a ONA se consolidou como a principal acreditação de saúde do país. Seus manuais são específicos para diversos tipos de estabelecimentos: hospitais, ambulatórios, laboratórios, serviços de pronto atendimento, home care, clínicas odontológicas, clínicas de hemoterapia, serviços de terapia renal substitutiva e serviços de diagnóstico por imagem, radioterapia e medicina nuclear. A ONA também certifica serviços de apoio a instituições de saúde, como lavanderia, dietoterapia, esterilização e manipulação, bem como programas da saúde e prevenção de riscos.
A acreditação ONA pode ocorrer em três níveis: 1 – Acreditado, 2 – Acreditado Pleno e 3 – Acreditado com Excelência. Sendo o terceiro a certificação obtida pelo Hospital Unimed, com “excelência em gestão”, quando a Organização ou Programa da Saúde Acreditado com excelência atende aos níveis 1 e 2, além dos requisitos específicos de nível 3. Para obter essa certificação, a instituição já deve demonstrar uma cultura organizacional de melhoria contínua com maturidade institucional.

Projeto aborda inclusão de pessoas com deficiência no ambiente de trabalho

Para incentivar a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, a prefeitura de Rio Claro realiza o projeto Empresa Inclusiva, que inclui atividades nas empresas. Na sexta-feira (6) foi desenvolvido trabalho com profissionais da Unimed de Rio Claro.
“O objetivo é demonstrar as potencialidades de pessoas com deficiência em diversas funções e a importância de atitudes cooperativas para inclusão dessas pessoas no ambiente de trabalho”, destaca Carlos Alberto Trevisan, diretor de Políticas Especiais da Secretaria da Cultura.
As atividades incluíram dinâmicas relativas ao trabalho e a inclusão da pessoa com deficiência, além de palestra sobre as potencialidades, a importância da acessibilidade e de mudanças de atitudes para a realização da inclusão. “É muito importante que levemos este conteúdo para os profissionais das empresas”, observa Paulo Meyer, assessor dos Direitos da Pessoa com Deficiência, acrescentando que cada um tem sua responsabilidade enquanto sociedade para que o processo de inclusão ocorra. “Foi muito bom verificar neste encontro o envolvimento dos profissionais em busca deste  objetivo”, finaliza Meyer, que ministrou as atividades.
A reunião foi pautada por informações preliminares obtidas com a empresa, que fez os apontamentos de quais seriam as formações e ações importantes para avançar na inclusão de pessoas com deficiência em seu quadro laboral.
O analista de políticas públicas Vilson Andrade, que também colaborou com a atividade, lembra que o projeto Empresa Inclusiva está aberto para a adesão de novas empresas. O contato deve ser feito por meio da Diretoria de Políticas Especiais, que está localizada no Centro Cultural. O telefone é 3532-2425.
“A Unimed de Rio Claro dedica-se à ação de conscientizar o seu quadro de colaboradores sobre a importância e necessidade da inclusão social e profissional de pessoas com deficiência e esta atividade veio contribuir com o trabalho que realizamos”, afirma Luiza Helena Rocha, da Unimed.
Para Mariana Vieira Catista, do setor de Recursos Humanos da Unimed, o desenvolvimento de atividades do tipo é muito importante para as empresas. “Vários foram os comentários positivos dos colaboradores da Unimed Rio Claro sobre a palestra, principalmente no que diz respeito à admissão, adaptação e desenvolvimento dos profissionais com deficiência”, frisou Mariana.

Prefeitura realiza recapeamento na Rua 21 do bairro Jardim Claret

Com a chegada de 30 toneladas de emulsão asfáltica, a prefeitura de Rio Claro está realizando recapeamento na Rua 21 do bairro Jardim Claret. A via fica atrás de uma faculdade e de uma rede de supermercados por isso é muito movimentada. “O asfalto é de difícil manutenção por ser muito velho, por isso neste ano, com o orçamento elaborado pela nossa administração, estamos dando maior agilidade e qualidade a esse serviço”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. Além da recuperação asfáltica, a prefeitura também está realizando no local serviços de corte de mato e poda de árvores.
A prefeitura está adquirindo mais material para a intensificação da recuperação do asfalto.  Além da emulsão, o município em breve começa a receber massa asfáltica para aplicação a quente, que será utilizada no recapeamento dos trechos em que as condições das vias são mais precárias.
De acordo com o secretário municipal de Obras, Paulo Roberto de Lima, os serviços serão feitos em outras vias das imediações da Rua 21, onde o trabalho deve ser concluído até o início da próxima semana. “Também estamos finalizando a contratação de empresa para ampliar as equipes de manutenção do asfalto, que atualmente conta com quatro equipes”, informa.
Ainda segundo o secretário de Obras, a chegada do período com menos chuvas também vai contribuir para a intensificação das ações de tapa-buracos e recuperação de vias.

Vereador solicita iluminação na ciclovia

O vereador Julinho Lopes (Progressistas) segue reivindicando iluminação para a ciclovia situada na Avenida Brasil, no Distrito Industrial, que é utilizada diariamente por centenas de pessoas, seja para o lazer ou para a prática de esportes. Entretanto, auxilia, sobretudo, funcionários que atuam nas empresas que a circundam.
De acordo com o parlamentar, há inúmeros pontos que geram insegurança por conta da falta de iluminação, uma vez que é utilizada, inclusive, no período noturno. Trata-se de uma solicitação antiga, mas que até o momento não foi atendida. Julinho Lopes reitera a grande necessidade de se providenciar essa benfeitoria com o propósito de proporcionar segurança àqueles que dependem desta importante ligação ao Distrito Industrial.
O vereador, uma vez mais, requer ao prefeito João Teixeira Júnior, o Juninho da Padaria (DEM), através da secretaria de Obras, que seja instalada no local a carecida iluminação. Julinho Lopes pondera que á, aos que desejam exercitar-se, outros locais que atendem às necessidades, já que existe receio neste sentido durante a noite. Por outro lado, aos que trabalham, não há outra opção.
“Aqueles que trabalham no Distrito Industrial precisam transitar por essa ciclovia. Por isso, uma vez mais, estou solicitando que seja providenciada a iluminação pública”, enfatiza.

CPI do Lixão ouviu representantes da Sustentare Saneamento S/A

Na tarde da última quinta-feira (12), aconteceu mais uma oitiva da CPI 1/2017, denominada CPI do Lixão. Na ocasião o presidente Val Demarchi (DEM) e o relator Thiago Yamamoto (PSB), juntamente com os demais vereadores que marcaram presença, arguiram três arrolados no processo: o engenheiro Danilo e o motorista Sérgio – ambos da Sustentare Saneamento S/A – e Fábio Pedroso, Comandante da Polícia Ambiental e funcionário da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), de Limeira.

O processo que, até o momento, acumula mais de 1200 páginas parece ter ficado ainda mais longe do término, uma vez que novos acontecimentos foram apresentados na sessão e novas dúvidas parecem ter pairado sobre a Casa de Leis. Não obstante o fato ocorrido no ano passado e que foi o desencadeador de toda a investigação, no dia 24 de março um caminhão da empresa foi filmado por um fiscal da Administração Pública despejando chorume em local impróprio.

O vídeo, fez com que os vereadores – principalmente Rogério Guedes (PSB), Carol Gomes (PSDB), Julinho Lopes (PP), Adriano La Torre (PP) e Yves Carbinatti (PPS) – inquirissem o primeiro convidado de maneira mais arguta. Inclusive, Demarchi chegou ressaltou o que já havia antecipado à reportagem do Diário do Rio Claro em matéria publicada no dia 12 de abril e disparou: “O objetivo não é julgar ou condenar e sim apurar todos os fatos ocorridos, entretanto, nós vereadores estamos efetuando o trabalho com a responsabilidade que cabe ao Poder Legislativo, mas é humilhante que em meio a uma CPI o descarte siga acontecendo”.

Em meio as respostas de Danilo, o ponto marcante foi o que assumiu o erro e enfatizou que houve falha de comunicação entre os variados escalões da corporação e a Secretaria do Meio Ambiente. “Gostaria de dividir a responsabilidade com a Prefeitura que deveria ter ligado, pois o áudio [na ocasião também foi apresentado uma gravação recebida por WhatsApp na qual não ficava claro entre as partes envolvidas que o espargimento estava acontecendo naquele sábado] é muito simples. O meu motorista é uma pessoa que trabalha muito bem e a quem não posso culpar, porém uma coisa é certa: nunca tivemos a intenção de jogar o material fora da área e, garanto, não houve contaminação alguma no solo porque o chorume é tratado e, como Gerente do Aterro, peço desculpas pelo incidente.”

Agora, de acordo com informações extraoficiais obtidas pela reportagem do Centenário, uma reunião extraordinária deve ser convocada para que a Comissão Parlamentar de Inquérito siga adiante com prazo estendido até o dia 9 de maio. Constituída na Câmara de Vereadores da Cidade Azul no dia 25 de setembro de 2017, a CPI do Lixo teve início depois da divulgação de áudios do Promotor de Justiça, Gilberto Porto Camargo, nos quais apontava para irregularidades contratuais e crimes contra o Meio Ambiente como o despejo de líquido poluente que pode ter contaminado o Córrego da Servidão, um dos afluentes do Rio Corumbataí.

AÇÃO CIVIL PÚBLICA
Em paralelo a criação da CPI na Casa de Leis, o Ministério Público do Meio Ambiente também instaurou Ação Civil Pública para apurar os mesmos fatos e, de acordo com o que já foi divulgado anteriormente pelo DRC, o Inquérito Civil segue aberto e em fase de investigação. “Acerca dos acontecimentos de derramamento irregular, estamos colhendo novas informações com órgãos ambientais para a análise de contaminação da água e do solo e quais seriam as medidas reparatórias para que o Ministério Público possa assim nortear as ações necessárias da Sustentare Ambiental S/A”.

Recuperação de calçada defronte à Escola Hamilton Prado é solicitada

Na manhã da última terça-feira (10), o vereador Julinho Lopes (Progressistas) foi até a Escola Municipal Hamilton Prado após ser solicitado pela mãe de crianças que estudam no estabelecimento de ensino. Uma das queixas da solicitante era a respeito do mato alto na calçada da escola e também em suas dependências. Acerca deste problema, a secretaria da Educação, há alguns dias, se encarregou de realizar a limpeza.

Todavia, o parlamentar tem feito outras cobranças no sentido de realizar demais melhorias, como no caso da reforma da cozinha da escola, benfeitoria solicitada pelo parlamentar há muito tempo. Outro pedido de Julinho Lopes é com relação ao término do anfiteatro da escola a fim de melhor atender os que lá estudam.

No entanto, um problema de maior urgência e que influi diretamente no bem-estar dos alunos é com relação à calçada localizada defronte à escola.  O vereador pede que um novo passeio público seja feito no local. “Não adianta roçar o mato existente na calçada, sendo que em poucos dias a situação volta a ficar preocupante. É necessário recuperá-la”, alertou Julinho Lopes, acrescentando que já requereu à secretaria da Educação que seja realizada tal melhoria, além do término do anfiteatro e a pintura do ginásio poliesportivo, que foi construído e não finalizado.

Criminoso é preso pela PM e esclarece roubo de motocicleta

Durante patrulhamento no Jardim Progresso os policiais avistaram uma pessoa conduzindo uma motocicleta, em atitude suspeita, e após realizarem os procedimentos de busca e consultarem os dados do veículo, constataram que o veículo havia sido roubado na última terça-feira (10).
Na sequência o infrator foi conduzido ao Plantão Policial, onde foi reconhecido como autor do delito, sendo realizado o registro da ocorrência, permanecendo à disposição da justiça.

Di Gaspi do Shopping Rio Claro inaugura expansão

Inaugurada em novembro de 2011, a Di Gaspi do Shopping Rio Claro comemora o sucesso da operação e promove nesta sexta-feira, 13 de abril, a inauguração da sua expansão.
A festa se iniciará a partir das 12h, com muitas ações para os clientes. Das 12h às 14h, a Rádio Clube FM fará entrega de brindes e flashes ao vivo, e a Cia do Bafafá estará até as 16h animando a ação com uma banda de fanfarra. Além disso, a Interative Produções levará a Candy Girl e Iluminado para entregar balas, balões e brindes aos clientes do centro de compras.
Mas o momento mais esperado certamente acontecerá entre as 16h e 18h, quando a cantora e youtuber Gabi Luthai fará uma sessão de fotos e autógrafos dentro da loja.
“A inauguração da expansão da Di Gaspi é uma solicitação dos clientes, que agora terão uma loja mais ampla, bonita e com uma maior variedade de produtos à disposição”, destaca Everton Rondini, Gerente Geral do Shopping Rio Claro, que convida a população a comparecer nesta grande festa.

Infrator é preso pela pratica de porte ilegal de arma

Policiais Militares da Companhia de Força Tática prenderam um criminoso pela pratica de porte ilegal de arma de fogo, no início da noite de quarta-feira (11), em Rio Claro.
Durante patrulhamento no bairro do Estádio os policiais da equipe do Canil avistaram três pessoas em atitudes suspeitas e ao realizarem os procedimentos de busca obtiveram sucesso em localizar com um dos abordados um revólver, calibre. 32, carregado com quatro munições.
Conduzido ao Plantão Policial, foi realizado o registro da ocorrência, sendo o infrator encaminhado ao presídio, permanecendo à disposição da justiça.

Equipe canil detém indivíduo na prática de tráfico de entorpecentes pelo Bairro do Estádio

Na noite de quarta-feira 11/04/2018, por volta das 18:38 h, a Equipe Canil da Guarda Civil com os GCMs Oliveira e Ferraz, em patrulhamento pela Rua 16 x Av. 27, no Bairro do Estádio, local conhecido como ponto de venda de drogas, avistaram a presença de um indivíduo em atitude suspeita. O indivíduo ao perceber a presença da viatura, tentou correr, o que motivou a abordagem. O indivíduo identificado como A. M. B. O. C., estudante, 18 anos, foi abordado e tinha em suas mãos 13 porções de crack e dois eppendorfs contendo cocaína, além de 29 reais em espécie encontrado em sua cintura. Durante a aproximação da viatura o indivíduo chegou a dispensar 8 eppendorfs de cocaína e três porções de maconha. Indagado a respeito dos entorpecentes, o indivíduo assumiu que a droga encontrada com ele, o mesmo havia acabado de comprar a pedido outra pessoa, que não relatou a sua identidade, porém a droga encontrada próximo a ele, relatou que não lhe pertencia. Diante dos fatos, foi dado voz de prisão a ele, o que foi ratificado pela autoridade de Plantão na Delegacia. Foi registrado o BO/PC nº 3153/2018, natureza Tráfico de Entorpecentes, e RO/GCM nº 602/2018.