Infelizmente o Velo Clube não conseguiu a tão sonhada vaga para a disputa do acesso no Campeonato Paulista da série A3.

A derrota por 3 a 1 para o Capivariano impediu que o Rubro Verde seguisse vivo na competição.

O Velo se portou bem durante todo o primeiro tempo, não se abalou com o gol tomado no segundo e foi buscar o empate, mas o pênalti cometido por Lucas Oliveira custou caro ao Velo, que se perdeu em campo após este gol e ainda sofreu mais um.

Com isso, a temporada do Galo Vermelho parece estar finalizada, já que o presidente Reginaldo Breda parece não ter a intenção de disputar a Copa Paulista no segundo semestre, sob a alegação de contenção de despesas.

Aliás, o Velo montou um bom time para tentar o acesso, mas duas situações em especial, na minha visão, impediram que o clube conseguisse o grande objetivo deste primeiro semestre, que era o acesso à A2.

Primeiro, a falta de peças de reposição no elenco, como as laterais, principalmente a esquerda, e o ataque, que não tinha nenhum finalizador com qualidade suficiente para corresponder às expectativas dos torcedores.

O meio-campo da equipe ficou sobrecarregado, já que era o setor de maior destaque, este sim, com atletas de qualidade, como os ótimos Niander, Léo Cruz e Alisson Costa, mas as demais posições, deixaram a desejar.

Outro ponto foi a insistência em jogadores como Lucas Oliveira e Marrá, principalmente o primeiro, que cansaram de fazer bobagens e dificilmente saíam da equipe titular. Ambos são atletas da M2R e quero pensar que não houve escalação por interferência. Não afirmo isso mas, a insistência absurda dos dois treinadores abre margem para tal.

O que a torcida velista, tão machucada nos últimos tempos por gestões que lembram os anos 70, mais quer é ver o time de volta às glórias do passado distante e também recente, de poucos anos atrás.

E não disputar a Copa Paulista acho um erro, embora entenda a posição financeira do clube. Mas uma competição que dá para montar uma equipe barata e ainda assim disputar uma vaga numa competição nacional acho que deve ser prioridade sempre no cenário futebolístico atual.

O Corinthians foi campeão paulista com todos os méritos no último domingo ao derrotar o Palmeiras em pleno Allianz Parque por 1 a 0 no tempo normal e nos pênaltis por 4 a 3. Com o título, o Timão agora soma 29 conquistas no torneio estadual.

Foi um jogo tenso e marcado por uma polêmica muito grande da arbitragem, que anotou um pênalti a favor do Verdão e depois voltou atrás, marcando apenas o escanteio em prol da equipe verde.

Na minha visão o pênalti não existiu de forma alguma e não acho demérito algum voltar atrás quando se fala em fazer o certo. Claro que a arbitragem poderia ter realizado outro tipo de abordagem, e isso ajudou a inflamar os ânimos palmeirenses na partida.

Para completar o assunto pênalti, fico com a frase de meu amigo pessoal, palmeirense roxo e ex-árbitro profissional de futebol da FPF, Eduardo César Coronado Coelho: “Não importa o quanto o árbitro demore para voltar atrás na marcação. Ele sabendo disso, tem que fazer o certo e ponto final. Acertou no domingo o Marcelo Aparecido de Souza”.

Sobre o jogo, o Palmeiras dominou completamente após levar o gol no início, mas não conseguiu sequer transformar isso em grandes chances de gol, que foram raras. Parabéns ao sistema tático montado pelo técnico corintiano Fábio Carille.

E nos pênaltis, Cássio mostrou mais uma vez que melhorou muito nesse fundamento, que historicamente nunca foi seu forte. Será que a atuação nas semifinais e finais lhe garantiram um lugar na lista de Tite para a Copa?

E no próximo final de semana começa o tão aguardado Campeonato Brasileiro, e os favoritos são, na minha visão, Palmeiras e Flamengo, com Cruzeiro, Grêmio e Corinthians correndo por fora. E aí, qual a aposta de vocês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *