Política da boa vizinha também é segurança

Nos dias atuais é muito comum se ouvir: “moro há tantos anos nessa casa e não conheço o vizinho do lado. Em minha infância, adolescência e juventude, curtíamos muito a amizade de nossos vizinhos. Era comum, conhecermos e convivermos com vizinhos de todo o quarteirão” – frisa uma moradora do bairro santa Cruz.
Hoje, a população começa a redescobrir que ter uma boa relação com a vizinhança é um ponto positivo para a proteção de residências. Se o vizinho se preocupa e fica de olho na movimentação da casa ao lado, acaba por se tornar um aliado e contribui para a tranquilidade e segurança na região. Essa iniciativa é tão eficiente, que a Polícia Militar promove o programa Vizinhança Solidária, que busca, por meio da prevenção primária, melhorar a segurança pública local, incentivando a vizinhança a adotar medidas capazes de prevenir delitos e colaborar com o policiamento.
E em Rio Claro, alguns bairros já adotaram esse programa como segurança para suas residências.
De acordo com participantes do programa no bairro da Santa Cruz, trata-se de uma proposta simples que só há a necessidade da boa vontade das pessoas.
Quando se conhece o vizinho, a tendência é que tenhamos mais confiança para compartilhar informações e estabelecer algumas regras para o dia a dia e momentos de emergência, diminuindo assim as facilidades para que o bandido cometa o crime.
Claudia Vernier líder do grupo de moradores do bairro da Santa Cruz explica o que significa o programa Vizinhança Solidária. Segundo ela, é um grupo de watsapp, hoje formado por 63 membros, que tem o apoio da Polícia Militar e tem o objetivo integrar os vizinhos no sentido de se conhecerem e se ajudarem mutuamente, principalmente em questões referentes a segurança.
“Também temos um canal direto com a PM, para atender as solicitações, nos casos de segurança, o que vale ressaltar que no nosso bairro esse canal tem sido bastante útil, agilizando a presença da PM quando solicitada”, explica Claudia.
“Nosso grupo foi criado em setembro 1017, e percebemos que com a implantação do programa, os vizinhos passaram a se comunicar e se conhecerem melhor, pois temos reuniões presenciais frequentes, permitindo assim uma maior interação dos vizinhos”, completou.
A população do bairro, de um modo geral, aceitou plenamente o programa tanto em termos de segurança, como no caso de relacionamento entre vizinhos, algo tão saudável e que nos dias de hoje está um pouco em desuso.
“Esta é uma iniciativa excelente que permite um monitoramento por parte dos moradores, que no caso da Amosc (Associação dos Moradores do Santa Cruz) possui integrantes bem ativos e atuantes que postam mensagens de aviso de alerta ou atitudes suspeitas no grupo; permitindo assim maior segurança à todos”, comenta Marcelo Undiciatti, morador do Santa Cruz e membro da Amosc.
“Hoje, sentimos uma sensação de segurança, pois se algo anormal é constatado e postado no grupo, após devidas confirmações, é acionado o policiamento que tem tido rápida ação em nossas solicitações” completa.
Os moradores também enfatizam uma maior aproximação entre a vizinhança, já que reuniões periódicas são realizadas, fazendo com o conhecimento mutuo vá aumentando a confiança uns nos outros, o que, logicamente, ajuda e muito na convivência.
“Sentimos hoje que a GCM (Guarda Civil Municipal) tem dado mais atenção ao bairro, principalmente no trânsito, pois, acontecem muitos acidentes por imprudências de veículos estacionados sobre calçadas em guias rebaixadas e em locais proibidos, além da velocidade, principalmente nas avenidas 12 e 14”, diz Clayton Guerra, também morador do bairro e participante do programa.Vizinhança Solidária 002A

Domingo de Páscoa marca a abertura do Amadorzão 2018

O Campeonato Amador 2018, o Amadorzão ou Série Ouro, promovido pela Liga Municipal de Futebol, com parceria junto a Secretaria Municipal de Esportes e Turismo, tem seu início neste domingo com a realização de 11 partidas. Destaque nesta temporada fica pelo fato de que, as últimas duas agremiações classificadas na parte debaixo da tabela, estarão realizando um confronto para saber quem será rebaixado para a Série Prata em 2019. O torneio, além da corrida pelo título, tem agora a luta contra o fantasma do rebaixamento.
No domingo de Páscoa e com rodada completa, o distrital do Jardim Panorama estará recebendo jornada dupla. No primeiro duelo, às 8 horas, o atual campeão, o Boa Vista, terá pela frente o Pisos Nice. Um grande duelo e que deverá reunir bom número de torcedores. Na partida de fundo, às 10 horas, os donos da casa – Panorama/Belmare – entram em campo para duelo frente o Jardim Novo.

Vasco da Gama e UPU estiveram frente a frente na temporada 2017 e são destaques também no atual no torneio dentro do Grupo B
Vasco da Gama e UPU estiveram frente a frente na temporada 2017 e são destaques também no atual no torneio dentro do Grupo B

No distrital do Jardim das Palmeiras, tradicional duelo entre Juventus, mandante, e o Vasco da Gama, vice-campeão do ano passado, com início às 8 horas. Clássico entre dois candidatos ao título. No mesmo horário, no distrital do Wenzel, o Juventude convoca a torcida para partida em que enfrenta o Ribeirão Claro. Partida única também, às 8 horas, no distrital do Santana, onde o Furacão medirá forças frente o Santa Maria.
Outro encontro com duas tradicionais equipes do Amadorzão acontece no IX de Julho, às 8 horas, onde os donos da casa recebem o Unidos. A rodada dupla no IX de Julho ainda terá Inter Mãe Preta e Minativa que jogam a partir das 10 horas.
No distrital da Vila Paulista, Novo Wenzel e CSA Ajapi abrem a rodada às 8 horas. Na seqüência, às 10 horas, jogam São Paulinho e Paulistão. O Tricolor da Vila Paulista conta com o apoio de sua torcida frente ao bom quadro adversário. A primeira rodada conta também com dois jogos no campo da Lagoa Seca do Cervezão. Família CVZ e Cidade Nova se enfrentam a partir das 8 horas. O tradicional time Rubro-Negro tem pela frente uma das boas novidades do Campeonato Amador de Rio Claro. A partida entre América e UPU terá início às 10 horas e promete muito equilíbrio.
Participam da Série Ouro 22 equipes divididas em dois grupos que ficam assim definidos: Grupo A, AA Boa Vista, AA Santana, América FC, CA Juventus, Cidade Nova FC, EC Novo Wenzel, EC Panorama, Inter/Mãe Preta FC, Juventude FC, São Paulinho FC, Unidos EC; e Grupo B, AA Santa Maria, AE Pisos Nice, AE Ribeirão Claro, CSA/Ajapi FC, EC Paulistão, EC Vasco da Gama, Família CVZ FC, IX de Julho FC, Jardim Novo FC, Minativa FC e UPU FC. As 22 equipes competem na primeira fase entre grupos, ou seja, as do Grupo A contra as do Grupo B, classificando as oito primeiras colocadas de cada lado. Nas fases seguintes [Oitavas de Final, Quartas de Final, Semifinal e Final] serão disputadas em dois jogos com vantagem para aquele que tiver melhor campanha.
O torneio deste ano presta justa homenagem ao ex-atleta Jurandir Zacharias, que teve brilhante atuação no futebol profissional e depois que abandonou a carreira seguiu mostrando seu talento nos distritais da cidade, inclusive como treinador. Jurandir tem seu nome gravado na história do Paulista de Jundiaí, onde integrou equipe campeã que garantiu o acesso à Divisão Principal no final da década de 60. Atuou também pelo Ituano, XV de Piracicaba, Rio Claro e Internacional de Limeira. No Galo Azul gravou seu nome entre os zagueiros com maior qualidade que passaram pelo Schimdtão.

Amador tem largada no Domingo de Páscoa
Amador tem largada no Domingo de Páscoa

Paixão de Cristo é encenada na Igreja Aparecida

Na noite da sexta-feira (30), o Grupo de Teatro Novos Tempos com a participação da comunidade de jovens de outras comunidades e o apoio do Pároco Pe. Renato Andreatto, realizaram a encenação da Paixão de Cristo. A princípio pensaram que se tratava de uma simples apresentação. Mas na verdade foi realizado um belíssimo espetáculo com uma produção original e com muita criatividade. O espetáculo dirigido por Tiago Megale contou com um grande número de atores e figurantes.
A montagem rio-clarense teve início com a Sagrada Família simbolizando o nascimento de Jesus em seguida cenas de Jesus e seu anunciador João Batista com Herodes e sua mulher. A encenação tem sequencia com a Bodas de Caná, a tentação de Jesus enquanto horava e jejuava, o sermão da montanha, a recepção as crianças no templo, sua chegada a Jerusalém entre muitas outras passagens da vida terrena de Jesus.
Com a encenação da Santa Ceia, marca o início da dor, do sofrimento de Jesus ao se entregar por nós.
A emoção toma conta da imensa plateia que se formou em frente quando Herodes anuncia sua condenação, com a cruz Jesus passa diante da plateia a caminho do calvário.
As cenas transcorrem em meio a muita agonia e emoção a plateia em silencio absoluto acompanha todos os momentos até o sepulcro.
Ápice da apresentação acontece no momento da ressurreição.
O diretor Tiago Megale reuniu em sua produção os atores: Jesus: Ismael Carbinatti, Maria: Daiane Camargo, Pilatos: Juliano Fernandes, Caífas: Djnoy Carrilho, Anas: Erik Camargo, Herodes: Marcos Palombo, Mulher Samaritana: Patrícia Megale. Diabo: Fernanda Carrilho, Chefe dos Soldados: Elinton Pinheiro, João Batista: Raphael Espego, Maria Madalena: Meg Leah, Discípulo João: Arthur Silva, Discípulo Pedro: Iago Gomes dentre outros.

Com a encenação da Santa Ceia, marca o início da dor, do sofrimento de Jesus ao se entregar por nós
Com a encenação da Santa Ceia, marca o início da dor, do sofrimento de Jesus ao se entregar por nós

paixao de cristo (57) paixao de cristo (58) paixao de cristo (62) paixao de cristo (73) paixao de cristo (74) paixao de cristo (77) paixao de cristo (86) paixao de cristo (91) paixao de cristo (104) paixao de cristo (105) paixao de cristo (106) paixao de cristo (107) paixao de cristo (117) paixao de cristo (144) paixao de cristo (145)

paixao de cristo (146) (1) paixao de cristo (146) paixao de cristo (147)
paixao de cristo (148)

paixao de cristo (161) paixao de cristo (162) paixao de cristo (163) paixao de cristo (33) paixao de cristo (37) paixao de cristo (42) paixao de cristo (54)

A história do Basquete Rio-clarense

No dia 1º de abril de 1933, alguns jovens visionários, procurando dar melhores perspectivas de vida esportiva à juventude de Rio Claro, fundavam o Esporte Clube Bandeirante. Era época em que a depressão financeira abalava a economia mundial. Seu primeiro presidente, Rubens Prochnow, permaneceu por 12 anos no cargo. A primeira diretoria executiva, além de Rubens na presidência teve como presidente honorário Felippe Karam; vice- presidente Aurélio Savoy, tesoureiro Augusto Cristofani; 2° tesoureiro Osiride Giorgi; futebolista Alfredo Colaboni e cestobolista Dilermando Savoy.
A empreitada valeu a pena, pois além de unir a juventude na pratica esportiva, projetou o nome da cidade de Rio Claro no cenário esportivo nacional.
Foi importante o nascimento do Esporte Clube Bandeirante, tanto que um jornal da época estampava em suas páginas que em uma época tão sofrida, angustiante, decadente, quando de todos os setores do esporte vinham clamores de esmorecimento, Rio Claro podia proclamar com orgulho que a fibra entusiasta dos bandeirantes, juntava-se ainda uma indomável vontade de vencer.
O esporte clube Bandeirantes foi responsável no resgate de defender velhas práticas esportivas na Cidade de Rio Claro, patrocinando provas como: Rehder Netto, São Silvestre,”football”, e realizando à época o primeiro campeonato de ping-pong em Rio Claro.
E o clube foi responsável por diversas realizações esportivas na cidade, como em 08 de fevereiro de 1936, com muita festa enfrentou no Clube Ginástico Rio-clarense o todo poderoso Clube Sirio, da capital paulista que havia disputado o 1º Torneio Oficial de Bola ao Cesto da Federação Paulista de Bola ao Cesto.
Está aí um pouquinho da história de um clube fundado por filhos de imigrantes que acreditaram e fizeram a diferença à época. Uma história de perseverança que conseguiu dar a Rio Claro uma presença marcante no cenário do basquete nacional e que é pouquíssimo conhecida dos rio-clarenses.
Infelizmente a história desse glorioso clube se perdeu no tempo, sendo que nos dias de hoje o clube nem mais existe, mas nem por isso deve ser esquecido. (colaboração de Carlos Augusto Prochnow)

Rio Claro recebe do governo estadual máquina de R$ 160 mil para triturar galhos

O município de Rio Claro está ampliando sua infraestrutura para os serviços de manutenção da arborização urbana e de manejo do aterro sanitário. Em evento realizado nesta quinta-feira (29) no Palácio dos Bandeirantes, com a presença do governador Geraldo Alckmin, o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, garantiu a aquisição de uma máquina trituradora de galhos. “Com este equipamento, vamos diminuir o volume de resíduos depositados no aterro sanitário, aumentando sua vida útil”, observa o prefeito Juninho.
A máquina de triturar galhos, que representa investimentos da ordem de R$ 160 mil, foi conseguida com a participação do vereador Júlio Lopes, por intermédio do deputado federal Guilherme Mussi. “A vinda deste equipamento para Rio Claro representa um ganho ambiental e uma economia financeira para a prefeitura”, ressalta o vereador, acrescentando que “os resíduos triturados poderão ser usados para compostagem e também serem fornecidos aos agricultores”. O deputado Mussi disse que continuará sua atuação de apoio ao município de Rio Claro por novas conquistas.Rio Claro recebe máquina (1)
A assinatura do documento que oficializou a doação do equipamento ao município de Rio Claro também teve a participação do secretário estadual de Meio Ambiente, Maurício Brusadin, que destacou as ações da prefeitura para novos avanços ambientais, que resultaram em pontuação no programa Município Verde Azul e, assim, permitiram que juntamente com outras 31 cidades paulistas Rio Claro fosse contemplada neste momento.

Semáforo é solicitado para evitar acidentes em cruzamento

Trabalhando nessa questão desde 2015, encaminhou novamente esta solicitação, desta vez ao prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, por meio de um novo requerimento, aprovado por unanimidade nessa segunda-feira (26), na Câmara Municipal.

“A medida é necessária, pois o referido cruzamento apresenta um intenso tráfego de carros, caminhões e ônibus do transporte coletivo urbano, o que torna o trânsito confuso no local, especialmente durante os horários de pico”, explica o vereador, lembrando que diversos acidentes já ocorreram no local.

Paulo Guedes ainda salienta a dificuldade que os pedestres têm para atravessar a rua e, muitas vezes, se arriscam entre os veículos. “A instalação dos semáforos nas duas vias do cruzamento é uma forma prudente de organizar o trânsito e evitar mais acidentes, visto que é duas importantes vias de acesso na região norte da cidade”, disse o parlamentar.

Alunos de escolas municipais de RC recebem ovos de Páscoa

Para celebrar a Páscoa com alunos da rede pública municipal de ensino, o Fundo Social de Solidariedade (FSS) de Rio Claro realizou a entrega de ovos de chocolate para crianças de creches e pré-escolas municipais. Na quarta-feira (28) a entrega foi feita nas escolas Maria Teixeira Fittipaldi, José Martins da Silva e Paulo Koelle.
“O pequeno gesto de entregar os ovos de Páscoa se torna gratificante em ver a alegria estampada nos rostos das crianças” comenta Paula Silveira Costa, presidente do FSS, que participou da atividade e acompanhou as apresentações artísticas realizadas pelas crianças da escola Maria Teixeira Fittipaldi. A diretora Bianca Tavares Barraca destacou o entusiasmo nos ensaios das danças e preparação para as apresentações. “Criamos um clima legal com brincadeiras, caça ao tesouro, teatro e outras atividades”, explicou.
Para fazer a distribuição de ovos de Páscoa, o Fundo Social adquiriu os produtos com recursos próprios. Os ovos de chocolate também foram entregues para idosos. Na terça-feira (27), pessoas da terceira idade atendidas pelo Abrigo da Velhice São Vicente de Paulo, Hospedaria de Emaus e Lar Bethel ganharam ovos de Páscoa entregues pelo FSS.ALUNOS DE ESCOLAS MUNICIPAIS RECEBM OVOS (2) ALUNOS DE ESCOLAS MUNICIPAIS RECEBM OVOS (3)

Missas encerram o Tríduo Pascal

Neste domingo (1/04) onde a igreja celebra o Domingo de Páscoa é encerrado com inúmeras celebrações o Tríduo Pascal.
Segundo Padre Renato Andreatto pároco da Igreja Nossa Senhora Aparecida em Rio Claro a Páscoa é: “A páscoa da Ressureição do Senhor é o ápice de toda liturgia da Igreja Católica Apostólica Romana, é a festa por excelência do cristão, é a mãe das mães das festas litúrgicas. A festa da páscoa da ressureição do Senhor é a recordação dessa libertação do povo que conquista a Terra Prometida e nós assim conquistamos a Terra Prometida da libertação de todas as amarras de todo o pecado de toda imperfeição humana e espiritual. Jesus vem anunciar a cada um de nós esse novo jeito de ser igreja a igreja viva a igreja que verdadeiramente manifesta a presença de Deus no mundo.” Disse Pe. Renato
Ainda sobre a páscoa Pe. Renato diz “Que a minha benção se estenda a todos aqueles que vivem o sinal do Cristo Ressuscitado na comunidade e na sociedade” finaliza Pe Renato
Horário das missas neste domingo de páscoa:missas (1)

Matriz São João Batista:
Dia 01 de abril – Domingo da Páscoa – RESSURREIÇÃO DO SENHOR
8 horas: Missa na Santuário da Boa Morte
10 horas: Missa na Matriz
19 horas: Missa na Matriz

Paróquia Nossa Senhora Aparecida
Dia 01 de abril – Domingo da Páscoa – RESSURREIÇÃO DO SENHOR
8 horas: Missa na Capela Nossa Senhora das Graças
9 horas: Missa na Matriz Aparecida – Missa das Crianças
18horas: Missa na Matriz Aparecida
19h30 horas: Missa na Matriz Aparecida

Paróquia Bom Jesus
Dia 01 de abril – Domingo da Páscoa – Lenções Dobrados
9 horas: Missa da Páscoa
10h30: Missa de Páscoa – Santo Expedito

Paróquia São Francisco de Assis
Celebração da Ressureição do Senhor
Dia 01 de abril – Domingo da Páscoa – RESSURREIÇÃO DO SENHOR
9 horas: Missa Capela Santa Maria
19 horas: Matriz- São Francisco de Assis

Paróquia de Santa Cruz
Dia 01 de abril – Domingo da Páscoa
7 horas: Missa na Matriz de Santa Cruz
9h30 horas: Missa na Matriz de Santa Cruz – Missa das Crianças
18h30: Missa na Matriz de Santa Cruz

Capelas:
9h30 horas: Capela Nossa Senhora do Carmo
8Horas: Capela Nossa Senhora das Dores

Paróquia de Sant’Ana
8 horas: Santa Missa na Capela São Judas Tadeu
8h30 horas: Santa Missa Capela São Paulo Apóstolo
9h30 horas: Santa Missa Capela Maria Mãe da Igreja
10 horas: Santa Missa na Matriz de Sant’Ana
19horas: Santa Missa na Matriz de Sant’Ana

Inadimplência das empresas acelera pelo quinto mês e cresce 6,76% em fevereiro

Ludmilla Souza – (Agência Brasil)
O volume de empresas com contas em atraso e registradas em cadastros de inadimplentes cresceu 6,76% em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano passado. É a quinta vez consecutiva que o indicador acelera na base anual de comparação. Na comparação mensal, isto é, entre fevereiro e janeiro de 2018, o indicador cresceu 0,90%. Os dados são do Indicador de Inadimplência da Pessoa Jurídica apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).
“O momento econômico vivido no biênio 2015-2016 impôs severas dificuldades para empresas e consumidores, afetando a capacidade de honrarem todos os seus compromissos. Ainda há efeitos da crise, mas também há sinais de retomada da economia. Para este ano, espera-se que, à medida que os negócios se recuperem, a capacidade de pagamento das empresas que têm essa dificuldade também melhore”, afirma o presidente da CNDL, José César da Costa.
Segundo a pesquisa, o Sudeste lidera o crescimento da inadimplência entre as empresas. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o número de pessoas jurídicas negativadas na região cresceu 10,49%, a mais elevada entre os locais pesquisados. Em seguida aparecem, na ordem, as regiões Sul, que registrou avanço de 3,72% na mesma base de comparação, Centro-Oeste (3,05%), Norte (1,96%) e Nordeste (1,90%). Outro indicador também mensurado pela pesquisa é o de dívidas em atraso. Neste caso, o crescimento foi de 5,22% entre fevereiro de 2018 e o mesmo mês do ano passado. É a maior variação na base anual de comparação desde novembro de 2016, quando o índice apresentou uma alta de 6,26%. Na comparação mensal, o índice subiu 0,72%.

Serviços lidera
Entre os segmentos credores, ou seja, as empresas que deixaram de receber de outras empresas, o destaque ficou por conta da indústria, cuja alta foi de 9,26% na quantidade de atrasos. No setor de serviços, que engloba bancos e financeiras, o crescimento no volume de atrasos recebidos de fornecedores e clientes pessoa jurídica foi de 5,23%. Já no comércio, a alta observada foi de 4,35%. Em termos de participação, 69% das pendências de empresas são devidas ao setor de serviços, 17% empresas comerciais e 13% da indústria.
O levantamento também passou a apurar os dados referentes a quitação de dívidas por parte das empresas. Em fevereiro de 2018, o Indicador de Recuperação de Crédito da Pessoa Jurídica apresentou queda de 1,52% no acumulado de 12 meses. Apesar da queda da recuperação, é importante notar que em meses anteriores, as quedas foram maiores, chegando a 8,16% em setembro de 2016. A análise da recuperação de crédito por setor devedor revela que, do total de empresas que saíram do cadastro de devedores mediante pagamento, a maior parte (46%) atua no setor de comércio. Além dessas empresas, 40% atuam no setor de serviços e 10% atuam na indústria.

Procon faz mediação em impasses entre consumidores e empresas

Ao contratar um serviço ou comprar um produto, o consumidor pode achar que não foi atendido no que estava previamente estabelecido e se sentir lesado. Quando isso ocorre, uma das alternativas é recorrer ao Procon para tentar solucionar o impasse entre consumidor e empresa. Nos últimos 30 dias o Procon de Rio Claro realizou mais de 50 audiências de conciliação para tentar resolver situações desse tipo.
“A audiência de conciliação é um importante instrumento para a resolução dos casos sem que haja necessidade de se recorrer ao judiciário”, explica Thiago Falcão, diretor do Procon Rio Claro.PROCON FAZ MEDIAÇÃO EM IMPASSES (2)
Após receber a reclamação do consumidor, o Procon expede carta de informações preliminares, em que solicita da empresa esclarecimentos ou soluções para o problema relatado. Caso a empresa não se manifeste de maneira positiva, é aberta a reclamação e, posteriormente, convocada audiência de conciliação, mediada por equipe do Procon.
A maior parte das conciliações é sobre problemas na compra e venda de produtos em questões sobre prazos de entregas, itens com defeitos e contratação de seguro estendido. No decorrer da audiência o mediador atua para conciliar as partes, buscando soluções a partir da concordância entre os dois lados. Quando a audiência tem êxito, é assinado título executivo judicial, em que os envolvidos se comprometem a cumprir com o combinado. Nos casos em que não se chega a acordo, o consumidor recebe as orientações de como proceder na demanda partir dali.

Duzentos e cinquenta ovos de Páscoa foram entregues pela Mancha Verde

Ao todo, foram duzentos e cinquenta ovos de Páscoa confeccionados com grande dedicação e carinho por Neusa Nodari que chegaram as mãos dos assistidos pelo Projeto Despertai do Bairro Santa Elisa na última quinta-feira (29). A campanha teve início no mês de março através da iniciativa dos torcedores do Verdão que integram a Subsede da Mancha Verde de Rio Claro. À reportagem do Diário Esportes, Geraldo Gandolpho expôs que a ação teve resultado satisfatório e aproveitou para agradecer as pessoas que ajudaram nas doações. “Que JESUS CRISTO, que ressuscitou depois de três dias da sua crucificação no Calvário, abençoe a todos, sempre!”, enfatizou. Cabe destacar que, além de Neusa Nodari, da FonteLuz – Elétrica e Hidráulica e da Eventos Esportivos Fabrício Oliveira, os organizadores tiveram o apoio e respaldo da Sorano Automóveis, de Rosângela e Henrique Rosin e do Consulado do Departamento Interior da Sociedade Esportiva Palmeiras. mancha1

Copa Monely tem primeiro jogo da Grande Final

A quinta edição do campeonato organizado por João Algarve e que conta com apoio de Reginaldo Bortolin chegou a sua decisão neste final de semana. Depois de disputarem a segunda partida da semifinal, no último domingo, dia 25 e com os seguintes resultados: no Campo da Mata Negra, Mata Negra FC 4X1 EC Nova Era, e, no Campo 2 de Ajapi, Santa Cruz FC 1X0 Atlético Jardim Novo], os vencedores retomam os trabalhos nas quatro linhas neste domingo de Páscoa (1º) para os primeiros confrontos da Grande Final. O duelo está previsto para às 8h30, no Distrital do Cidade Nova FC, e reúne Mata Negra FC X Santa Cruz FC.
Importante salientar que, nas edições anteriores, conquistaram Troféu de Grande Campeão: Sport Ceará FC [2014]; Família Pit Stop [2015]; Juventude FC [2016]; e AE São João [2017]. Também que, nesta temporada, além dos finalistas, integraram o certame: Alan Frey FC, Atlético Jardim Novo, Corumbataí FC, Cristofoleti FC, EC JF, EC Nova Era, Expressinho FC, Família Pit Stop, Ferraz FC, Juventude FC, Santa Elisa FC, Sociedad Sparta, Tado FC e União Jovem FC.

Mapa Vôlei/Setur fez bonito no Festival do Sesi em Sumaré

As equipes das categorias Masculino e Feminino do Mapa Vôlei/Setur da Cidade Azul disputaram no último dia 24 o Festival do SESI [Serviço Social da Indústria] de Sumaré! Sob o comando dos treinadores Anderson Lima, Márcio Duarte e Maurício Mazzetto, os elencos fizeram bonito na Cidade Orquídea, confira: os garotos do Mirim e do Infantil ficaram com o Terceiro Lugar, trazendo para Rio Claro o Bronze; já as meninas do times Mirim e Infantil alcançaram o Título de Grande Campeão depois vencer o Sesi/Sumaré por 2X1 e o Sesi/Campinas por 2X0, respectivamente.
De acordo com informações obtidas com exclusividade pela reportagem do Diário Esportes, a competição serviu como prévia para os combates do Campeonato da APV [Associação Pró Vôlei] que tem início no fim do mês de abril! Cabe destacar que a Secretaria de Esportes e Turismo [Setur] promove aulas gratuitas que acontecem diariamente e são ministradas por profissionais especializados! Os interessados em participar podem comparecer ao Setor de Matrícula situado na Rua 9, nº 1 [anexo ao Ginásio de Esportes Felipe Karan, o Felipão], de segunda a sexta-feira, das 8 às 11 horas e das 13 às 16h30. Informações pelos telefones (19) 3533-5422.

Dia da Mentira, e suas histórias saborosas, bem no maravilhoso Domingo de Páscoa.

Livio Oricchio, de Nice, França

Início

Hoje é domingo de Páscoa. Os cristão celebram a Ressurreição de Jesus. Os judeus comemoram também a Páscoa, mas com outro significado, a libertação do seu povo da escravidão de 400 anos no Egito, ocorrida por volta do ano 1.280 antes de Cristo.
Este ano, em particular, o domingo de Páscoa caiu no dia 1º de abril. A data é móvel. Foi instituída no ano 325 da era Cristã, quando 250 bispos se reuniram em Isnik, hoje Turquia, sob a chancela do imperador romano Constantino. A partir de então, determinaram que a Páscoa seria na primeira lua cheia da primavera no Hemisfério Norte. No Brasil, Hemisfério Sul, é a primeira lua cheia do outono. É por essa razão que a data da Páscoa varia de 22 de março a 25 de abril.
E, como mencionado, este ano caiu justo no dia internacional da mentira. São emoções distintas, a mensagem elevada da Páscoa dos cristãos e judeus, convidando à reflexão, e a engraçada que começou a se definir como tradição no fim do século XVI, aqui na França, de onde escrevo.
O papa Gregório XIII instituiu um novo calendário mundial, oficialmente a partir de 1582, para acabar com as muitas distorções do calendário Juliano, estabelecido ainda pelo líder romano Júlio Cesar em 46 antes de Cristo. O rei Carlos IX, da França, adotou o calendário gregoriano, cujo início do ano passava do dia 1º de abril, início da primavera no Hemisfério Norte, fim de período de reclusão imposto pelo frio intenso, para 1º de janeiro.
Mas nem todos os franceses aderiram ao calendário gregoriano, como mandou o rei, seguiram festejando o ano novo dia 1º de abril, junto da chegada da primavera. A maior parte da população obedeceu o rei e passou a zombar dos que insistiam na manutenção do calendário juliano. Enviavam convites aos resistentes para festas falsas, por exemplo.
Desde então, a moda pegou, mesmo sem internet, TV ou rádio. E, a partir do século XX, com o acesso mais fácil da população mundial aos meios de comunicação, dá para imaginar o que aconteceu, não? Algumas brincadeiras são inteligentes, de bom gosto, e nos levam a rir bastante. Outras, nem tanto, por vezes com consequências desagradáveis.
Aqui na França, hoje, os franceses se referem ao 1º de abril como “poisson d’avril”, literalmente “peixe de abril. Na Itália, aqui do lado de casa, pois Nice é na fronteira, os italianos dizem “pesce d’aprile”, é a mesma tradução do francês. Do outro lado do Canal da Mancha, já longe de Nice, 1.200 quilômetros, na Inglaterra, os britânicos falam Folls’ Day, Dia dos Tolos.
Fiz uma breve pesquisa para enumerar algumas das peças aplicadas no Dia da Mentira para os brasileiros. Algumas são conhecidas. Por exemplo: em 1957, obviamente no dia 1º de abril, a BBC colocou no ar uma notícia que despertou grande interesse nos britânicos.
A reportagem falava da extraordinária safra de espaguete dos suíços. Criaram até imagens fictícias dos camponeses colhendo o espaguete nas árvores, favorecidos pelo inverno ameno. Choveu correspondências à emissora desejando detalhes de como fazer para ter a própria árvore de espaguete.
Em 1998, a rede de fast food Burger King publicou um anúncio de página inteira no US Today dedicado aos, na época, 1,4 milhão de canhotos americanos. Uma linha especial de hamburger, “com a distribuição dos ingredientes no pão planejada para atendê-los”, havia sido criada.
Houve muita fila nas lojas do Burger King para conhecer o produto, os canhotos pareciam não se importar em esperar horas para sua suposta recompensa. E os destros passaram a exigir, na hora da compra, a distribuição do componentes antiga, nada de novidades que pudessem comprometer o ato de se alimentarem, com a novidade do hamburger para canhotos.
Em 1996, a Taco Bell, empresa de comunicação norte-americana, anunciou em vários jornais que havia comprado o “Sino da Liberdade”, símbolo da Revolução americana e subsequente Guerra de Independência. Mais: passaria a se chamar, agora, Taco Liberty Bell. Em inglês, bell é sino em inglês.
Uma parte da população, indignada, marchou naquele 1º de abril ao Parque Nacional Histórico, na Filadélfia, onde está o sino que data de 1752. A Bell teve de desmentir rapidamente para acalmar os ânimos e revelar que tudo não passava de uma brincadeira de 1º de abril.
Histórias apetitosas nessa natureza devem estar percorrendo o mundo, hoje, Dia da Mentira. Ah, ouvi dizer, aqui na França, que o juiz Gilmar Mendes, do STJ, resolveu confessar, bem no Dia da Mentira, toda a verdade, por que mandou soltar 15 presos da Lava Jato, afundados até o pescoço em provas que os incriminam gravemente, contra os legítimos interesses de 200 milhões de brasileiros. É verdade ou fantasia de 1º de abril?
liviooricchio@gmail.com

Questão humanitária…

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Este Diário tem publicado algumas matérias sobre a “invasão” dos moradores de rua no Jardim Público de nossa cidade.
A vida de moradores de rua, convenhamos, não é nada fácil. Não acreditamos que todos eles tenham ido morar na rua por simples vontade. Quase todos têm um motivo para fazê-lo, os mais variados. E um dos principais é o vício em drogas, ilícitas ou não.
Portanto, é preciso olharmos o lado humanitário dessa situação. Porém temos que ver dois lados humanitários, o dos moradores de rua e o do restante da população.
A situação é complexa para os moradores de rua, pois, o vício acaba por transformar suas personalidades, acaba por levá-los a não ter senso do que é certo ou do que é errado.
Mas, não é só esse o motivo de levar alguém a morar nas ruas. São vários, tais como perdas familiares, desemprego, violência, perda de entes queridos, perda da autoestima, doença mental e prostituição.
Por outro lado, destaca-se a alienação da população frente a essa questão como impulsionadora dos efeitos da exclusão social.
No caso do Jardim Público eles se tornaram visíveis à população porque trata-se de um local que a população ama e tinha como hábito passear naquele local com a família, fato esse que, hoje, não é muito indicado.
Convenhamos que passar pelo jardim público em uma tarde, trazendo seu filhinho ou filhinha e deparar com um casal fazendo sexo, sem se importar com quem passa pelo local, é degradante. Ou então ser abordado por eles, muitas vezes de forma totalmente inconveniente, pedindo uma moeda de, não nos parece de fácil assimilação e muito menos de compreensão. Por mais humanitário que possamos ser.

É indubitável que, a questão constitucional e a sua aplicação estejam entre as causas do problema. Para Aristóteles, a política deve ser utilizada de modo que, por meio da justiça, o equilíbrio seja alcançado. Analogamente, observa-se que o Governo rompe com essa harmonia, haja vista que, embora a moradia, a alimentação e a saúde sejam direitos básicos garantidos pela Constituição, para os moradores de rua eles lhes são negados. Desse modo, evidencia-se a importância da atuação do Estado como forma de combate a problemática.

BRASIL, 1º DE ABRIL

Carlos Brickmann

Ao contrário da História, que acontece como tragédia e se repete como farsa, a mentira acontece e se repete como farsa trágica. A história da prisão dos amigos de Temer (que, pelo jeito, logo não terá nem com quem comentar A Família Adams) é exemplar: foi detida uma das donas da empresa portuária Libra; foi detido o advogado José Yunes, suspeito de fazer a ponte entre as portuárias e seu amigo Temer; foi detido um dos donos da Rodrimar, outra portuária. Há investigações sobre eles, mas há uns vinte anos se ouvem histórias sobre as boas relações entre Temer e o porto. O alvo não é só Temer, em fim de carreira. Há a Odebrecht, sempre ela. E quem assinou a lei que beneficia a Odebrecht, Dilma Rousseff.
A história real começa lá por 2003, quando a Coimex comprou uma área fora do porto para erguer um terminal. Era ilegal: terminal, só em área de portos. A Coimex, com problemas, vendeu o terreno à Odebrecht, que não deu bola para a ilegalidade. Construiu um terminal de contêineres, o Embraport, sem investir um centavo: o financiamento foi do FI-FGTS, estatal, com os menores juros do país, no máximo 3% ao ano, e do BID, internacional, com garantia do Governo. Total, como levantou o repórter Cláudio Tognolli: R$ 1,8 bilhão, mais US$ 768 milhões, numa obra que não podia ser usada. Inaugurou o terminal em julho de 2013. E só em setembro Dilma assinou a lei que autorizava portos em terrenos privados.
Os fracos e os fortes
Os envolvidos no enredo atual, parte dos últimos amigos ainda soltos do presidente Temer, são uma parte do alvo. A outra parte, bem mais interessante, é saber como a Odebrecht conseguiu dinheiro oficial, a juros de amigo, para construir uma obra fora da lei: e como é que o Governo, sabendo que a obra estava fora da lei, garantiu o empréstimo internacional. E quem foi o gênio da bola de cristal que adivinhou que a lei regularizando terminais em terrenos fora do porto sairia tão pouco tempo depois que aquele terminal ficasse pronto. Mãe Dinah perde de 7×1!
A Operação Lava Jato mostrou que a Odebrecht tinha pago, por favores na área em que estava interessada, propinas de R$ 137 milhões. Mas seria maldade atribuir a isso a coincidência na assinatura da lei por Dilma com a data da conclusão do terminal. Tudo não deve ter passado de coincidência.
Coincidência, de novo
O advogado José Yunes, 80, a quem Temer considera tão amigo que o guarda do lado esquerdo do peito, escreveu um livro contra Paulo Maluf no início do Governo do PMDB em São Paulo. Chamava-se “Uma lufada que abalou São Paulo”, editado pela Paz e Terra. Por coincidência, Yunes foi detido pela Polícia no mesmo dia em que Maluf obteve a prisão domiciliar.
Cargo e função
Em abril de 2016, José Yunes deixou vazar que, se Dilma caísse, ele seria assessor especial de seu amigo Michel Temer. “Serei aquele assessor com liberdade para fazer considerações positivas e negativas. Não levarei apenas notícias boas”. Durou três meses no cargo e levou a Temer muitas notícias ruins. A primeira: a delação premiada de Cláudio Mello Filho, da Odebrecht, segundo a qual o dinheiro para financiar as campanhas do PMDB paulista era entregue, em notas, no escritório de Yunes.
Desrespeito ao voto
A população paulistana elegeu, em primeiro turno, a chapa João Dória – Bruno Covas para prefeito e vice-prefeito. É uma chapa puro-sangue, escolhida apenas entre tucanos. Deveriam compartilhar suas ideias.
Muita gente se escandalizou com a decisão de João Dória de deixar a Prefeitura para disputar o Governo do Estado. É verdade que Dória prometeu cumprir todo o mandato, e o está abandonando antes de completar dois anos no cargo. Mas é verdade, também, que o eleitor terá uma excelente oportunidade de dar sua opinião sobre a atitude de Dória: se a desaprovar, é só mudar de candidato. Escandalosa mesmo é a posição de Bruno Covas, cuja principal força é ser neto do falecido governador Mário Covas. Ele disse que, ao assumir no lugar de Dória, vai mudar sua política para algo mais semelhante ao que seu avô fazia. Pergunta-se: se Covas não concordava com as ideias de Dória, por que aceitou ser seu vice? Ninguém votou em seu nome: foi eleito como integrante da chapa do outro. Mudar aquilo em que o eleitor votou é desrespeitar o voto. Esta é sua posição?
Sempre ganha
Desemprego, crise, recessão? Isso é para os fracos; o lucro dos bancos do país subiu mais uma vez, como de hábito. Sete dos dez maiores bancos tiveram receitas crescentes; no total, os dez bancos somaram R$ 86 bilhões em lucros, 20,2% mais que os ganhos de 2016. Os bancos que mais ganharam, segundo o site Poder 360°, foram Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Santander, Safra e Votorantim.
COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann

Doações estimulam moradores de rua a permanecer no espaço

Vivendo de doações dadas por transeuntes, moradores de rua encontraram no Jardim Público local ideal para fixarem residência.
Porém a população em sua grande maioria, não vê com bons olhos essa “invasão” e pede encarecidamente providências por parte das autoridades municipais.
Como as pessoas, via de regra, cobram do legislativo essas providências, buscamos junto à vereadora Carol Gomes, que trabalha há muito tempo com essa população, uma palavra aos cidadãos revoltados.
“É preciso sempre, antes de qualquer consideração, lembrarmos da questão humanitária. É claro que eles incomodam muitas pessoas, ficam pedindo, sujam a praça, fazem as suas necessidades fisiológicas em qualquer lugar, principalmente à noite quando o banheiro público está fechado. Mesmo com todo esse incômodo, o estado não tem a permissão de tirá-los à força do local, em razão do direito constitucional de qualquer cidadão de ir e vir. A não ser que a família interdite como toxicômano e mesmo assim, Rio Claro não tem suporte para estar abrigando essa população, na sua questão de dependência química. E muitos deles não têm famílias e outros não são de Rio Claro”, disse a vereadora.
Além dessa situação, Carol ainda comenta que deu como sugestão à administração municipal que se faça a abordagem com a volta do Grupo de Redução de danos, para que os moradores de rua queiram a recuperação da dependência química.
Porém, esse trabalho só é possível com os moradores de rua de Rio Claro. Além desse trabalho recomendou que se faça convênio com o governo do Estado de São Paulo, junto ao Projeto Recomeço que o Peniel tem e que disponibiliza vagas gratuitas aos usuários que não têm condições de pagar pelo tratamento.
Outro problema é que a cidade de Rio Claro, assim como outras cidades, têm moradores de rua que são “despejados” aqui, vindo de outras, muitas vezes trazidos por veículos oficiais.
Assim, a sugestão é que o executivo crie uma lei, instalando câmeras de monitoramento, para que a prefeitura que soltar moradores de rua em Rio Claro sejam pegas nessa muralha digital e sejam multadas. Desse modo não se pune o morador de rua, mas sim as autoridades que deveriam dar esse tipo de acolhimento a esses indivíduos.MORADORES DE RUA 006

População está cansada
Obviamente morar nas ruas não é uma condição fácil. Há que se lidar com uma série de questões inoportunas: violência, falta de saneamento básico e higiene, a falta de alimentação, a precariedade e o abandono de uma vida confortável em geral.
Por outro, os cidadãos comuns de uma cidade querem seu espaço de volta, com respeito, limpo e aprazível.
Recentemente, um morador de Rio Claro, Fred Martins, postou no Facebook uma foto onde aparecia vários utensílios utilizados pela população de rua que vive no Jardim Público, onde constava 6 corotes de pinga, que são compradas com “doações” de gorjetas por pessoas que passam pelo local. Muitas vezes, essas pessoas sofrem constrangimento para entregarem moedas a eles.
Nesse mesmo texto, Fred sugere a promoção de uma campanha contra essas doações.
Jane Ferreira, moradora de Rio Claro, explana nessa postagem a sua indignação quando diz: “Eu presenciei uma cena dantesca esses dias. Passando com minha filha de 7 anos para ir na Drogaria São Paulo, em um domingo à tarde, um casal fazendo sexo no coreto. Imagina a minha situação para amenizar e disfarçar para minha filha… e o casal nem deu bola para os transeuntes”.
Em uma outra participação, outra moradora diz que apoia a ideia de Fred e diz que só quem mora na frente “desse manicômio” é que pode se fundamentar com propriedade contra essa situação humilhante para os moradores de bem da cidade. Segundo essa moradora a questão da insegurança também é visível a quem quiser ver, pois acontecem brigas violentas entre eles e provocam as pessoas que passam pela praça, além de atrapalhar o sono de quem mora nas imediações. Acredita ainda que não demorará muito para que aconteça outro assassinato entre eles.
Acredita ainda que é preciso a população se conscientizar que essas doações além de alimentar a ideia de continuarem na praça, ainda prejudica a saúde dos próprios moradores de rua, já que é com esse dinheiro que compram drogas.

Comunidade agradece novas instalações da creche José de Campos Chagas

A cerimônia de entrega das novas instalações da Escola Municipal José de Campos Chagas, na terça-feira (27) em Rio Claro, foi marcada pela emoção de pais, professores e funcionários que reivindicavam melhor estrutura física para a unidade de ensino. “A gente lutou muito para conseguir esse novo prédio”, declarou Karen Barletto de Castro, mãe da pequena Giovana, aluna da escola desde abril do ano passado. “Um espaço muito bom que vai atender melhor as crianças e facilitar o desenvolvimento das atividades”, reforçou Érica Ferreira, mãe de Nicolas, que ingressou na escola em 2016.
A creche saiu da Rua 8, Centro, para a Rua 16 no Cidade Claret, em prédio alugado pela prefeitura. Houve mobilização dos pais e da comunidade escolar em prol da mudança, já que o antigo prédio estava com problemas de infiltração e não atendia mais as necessidades da escola. “Estamos felizes em poder atender essa solicitação que vai proporcionar conforto e um espaço adequado para a aprendizagem das crianças”, afirmou o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.
Juninho observou que essa foi a quarta escola a ganhar novo prédio, além de lembrar de outras conquistas no setor de educação, como a retomada da obra para construção da creche no bairro Terra Nova, reformas e ampliações de escolas, criação de mais de 600 vagas em creches e pré-escolas, obtenção de R$ 16 milhões do governo federal para construção de cinco escolas, entre outras realizações. “São conquistas importantes em benefício da comunidade”, destacou.COMUNIDADE AGRADECE NOVAS INSTALAÇÕES (3)
Adriano Moreira, secretário municipal da Educação, comentou que a nova sede da escola atende pedido antigo da comunidade. “A comunidade escolar e os pais se mobilizaram para viabilizar essa nova sede que, além de oferecer melhor estrutura física, vai beneficiar a prática pedagógica”, pontuou. Luciana Varussa, dirigente da creche, agradeceu o empenho dos pais, professores e funcionários para a conquista do novo prédio.
O presidente da Câmara Municipal, André Godoy, ressaltou o cuidado especial que a administração municipal tem dado às crianças. “As conquistas na educação são sempre muito importantes e essa equipe gestora vai deixar um legado muito positivo na história de Rio Claro”, disse. O empenho do vereador Rafael Andreeta para que a escola ganhasse um novo prédio foi destacado na solenidade.
Também participaram da solenidade o vice-prefeito e secretário de Segurança, Marco Antonio Bellagamba; os vereadores Rafael Andreeta, Irander Augusto e Júlio Lopes; Luciana de Lourdes dos Santos, 1ª secretária do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Rio Claro (Sindmuni); e Marco Antonio Merbach e José Roberto Siqueira, com a esposa Solange, sobrinhos do patrono da escola.