Seria mesmo o fim da impunidade?…

1

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Uma das maiores “injustiças” sociais nesse país é a sua “justiça”. Isso porque, na voz do povo, e a voz dele é a voz de Deus, ela só vale, para os três Ps (Pretos, Pobres e Prostitutas).
Seria de graça que o povo pensa assim ou a história mostra que o povo, realmente tem razão. Procurem nas cadeias e vejam quantos estão lá por ter roubado um chocolate no supermercado. Quantos “ladrões de galinha” estão atrás das grades simplesmente por não ter dinheiro para pagar um bom advogado?
Em contra partida, quantos condenados no mensalão estão cumprindo pena até hoje?
Há no mínimo dez anos ouço que a impunidade vai acabar. Desde quando a justiça brasileira aceitou denúncia criminal contra agentes do Estado por crimes cometidos durante a ditadura. Quatro militares (incluindo dois generais da reserva) e um ex-policial são acusados pelo Ministério Público Federal (MPF) pelo atentado do Riocentro, no qual um grupo extremista tentou explodir bombas em um show organizado para celebrar o dia do trabalho em 1981 e dificultar a transição democrática então em curso.
E daí? Acabou a impunidade? Que nada. Veio então o escândalo dos Correios e…, o mensalão e… agora a Lava Jato. Será, que se fará justiça? Será que os culpados ficarão presos, mas presos nas cadeias e não em prisão domiciliar, em verdadeiros casarões que nem de longe podem ser chamados de prisão?
Bem, eu, do alto dos meus 67 anos, NÃO ACREDITO que a impunidade acabe. Para isso precisaríamos de uns dois mil “Moros” e nenhum Gilmar Mendes.
Agora se aproxima o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no próximo dia 24. É mais uma oportunidade de vermos se, realmente, poderemos um dia sonhar com “JUSTIÇA PARA TODOS”.
Por tudo que temos ouvido, visto e lido, somente mesmo o mais fanático dos “lulistas” para acreditar na inocência dele. Críticos e especialistas já dão como certa a sua condenação. E se isso acontecer, poderemos acreditar que algo poderá mudar na justiça brasileira. Infelizmente, ainda com essa condenação não se poderá dizer que o homem será preso ou será condenado em definitivo. Isso porque ainda cabe recursos no Supremo e lá já sabemos que existem os Gilmar Mendes da vida e que esse senhor é capaz de tudo.
Mas, mesmo sabendo de tudo isso o Movimento Vem Pra Rua, promove no próximo dia 23 de janeiro, às 18 h, Ato em Defesa da Justiça, pois esse movimento acredita (eu não) que a confirmação da condenação em Segunda Instância do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, pelo TRF-4, no dia 24 de janeiro de 2018, será o maior símbolo do fim da impunidade no Brasil, atestando que a Justiça no país, de fato, funciona igualmente para todos, independentemente de cargo, influência, poder ou dinheiro.
Assim o movimento convoca mais uma vez a sociedade brasileira para ir às ruas na defesa da Justiça, inclusive aqui, na cidade de Rio Claro.
Depois, é só pensar direito em todos esses fatos e escolher o seu candidato. Se depois de tudo isso, você ainda insistir em votar nos corruptos… Bem, aí já é um problema seu, mas que afetará toda a comunidade em que vivemos, inclusive seus pais, seus filhos, sua esposa ou seu marido. Você é quem decide…

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA