O legado tucano em São Paulo

2

Floriano Pesaro

A eleição de Mário Covas ao governo estadual, em 1994, iniciou a liderança do PSDB. Herdou problemas fiscais, baixíssima capacidade de investimento, obras paradas e políticas públicas em desmonte. Não hesitou em fazer o que precisava ser feito e promoveu um responsável ajuste das contas públicas.
Reeleito, Covas criou os restaurantes Bom Prato, hoje com mais de 50 unidades, e o Poupatempo, que atende cidadãos em 71 locais no Estado.
Com o falecimento de Covas, Geraldo Alckmin assumiu em 2001 e continuou o legado de seu mentor, imprimindo a marca da estabilidade na gestão, durante os seus outros três mandatos.
Quando Alckmin deixou o governo para candidatar-se à Presidência da República, em 2006, elegeu a boa gestão e a inovação com José Serra.
Na segurança, Alckmin combate a criminalidade e o Estado tem o menor nível de homicídios do país e abriga 10 dos 20 municípios mais seguros.
Na educação, lidera o IDEB nos três ciclos: 1.º lugar no ensino fundamental 1 e ensino médio e 2.º lugar no fundamental 2. Têm mais matrículas em Etecs (182 mil), que as escolas técnicas de todo o restante do país.
Na saúde, concluiu muitos hospitais, atuou na diminuição da gravidez na adolescência; combate o câncer com a Rede Hebe Camargo e o Instituto do Câncer; e atende mais nos AMEs e rede Lucy Montoro.
No desenvolvimento social, além do Bom Prato, ampliamos com mais de 80 milhões de litros o Vivaleite, e criamos o Recomeço, com mais de 15 mil internações para reinserção social de dependentes químicos.
São Paulo colhe importantes e significativos resultados da gestão tucana. Um legado que precisa ser mantido e ampliado. Um modelo que queremos ver replicado no Brasil.

FLORIANO PESARO, 49, é deputado federal (PSDB) e secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA