Aulas na rede municipal terminam na quarta-feira em Rio Claro

As aulas nas escolas da rede municipal de ensino de Rio Claro terminam na próxima quarta-feira (20). Alunos e professores realizam atividades diversas para marcar o encerramento do ano letivo nas 58 unidades da rede municipal. Apresentações culturais, formaturas, corais, confraternizações são alguns dos eventos realizados pelas unidades de ensino. “As escolas são livres para escolher como farão o encerramento das aulas”, explica a secretária interina da Educação, Monica Christofoletti.
A Escola Municipal Marcelo Schmidt, que atende 600 alunos do ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA), reuniu pais e familiares dos estudantes na festa da família e casa aberta realizada na segunda-feira (11). O evento contou com apresentações culturais das crianças e exposição dos trabalhos desenvolvidos por elas durante o ano letivo.
Também foi realizada reunião com os pais para avaliação do ano letivo. “Os pais se reuniram com os professores para obter informações sobre o desenvolvimento pedagógico dos filhos”, explica Tatiana Rodrigues, vice-diretora da escola.
Na quarta-feira (13) foi a vez dos alunos da EJA II (8ª serie) encerrar as atividades com cerimônia de formatura. “Fizemos entrega simbólica dos diplomas e uma festa de confraternização”, informa Tatiana.
Mesmo com festas e confraternizações nas escolas, a Secretaria Municipal da Educação informa que as aulas seguem até o dia 20, bem como o serviço de transporte escolar. “Os pais podem enviar seus filhos à escola até essa data”, afirma Monica Christofoletti. O calendário das creches é diferenciado e as aulas prosseguem até o fim de dezembro com fechamento das escolas em janeiro para concessão de férias para professores e funcionários. “O recesso de janeiro nas creches também permite que as crianças passem um tempo maior com as famílias”, observa.

Concertos do Advento têm três apresentações no sábado

A programação Concertos do Advento prossegue no sábado (16) em Rio Claro com três atrações. Paróquia Nossa Senhora da Saúde, Igreja do Nazareno e Matriz São João Batista recebem as atividades.
A partir das 18 horas, coral da Paróquia Nossa Senhora da Saúde apresenta cantata de Natal. A paróquia fica na Avenida 4-A, 244, Cidade Nova. A entrada é gratuita.
Às 20 horas, também com entrada gratuita, na Matriz São João Batista, o coral O Mensageiro leva ao público a cantata de Natal: Alegria. Com direção e regência do maestro Daniel dos Santos Pedroso, a peça de Craig-Claar & David T. Clydesdale terá interpretação de coral e solistas.
O musical relembra a história do povo de Deus e celebra a alegria da chegada do salvador. Também participam da apresentação o Coral Vozes dos Jequitibás, de Campinas, Coral Nós por Voz, também de Campinas e CORDA Coral de Americana “Maestrina Marília Andrade”, formando assim um grande coral com mais de 80 cantores.  A narração será de Aurélio Teixeira. A matriz está localizada na Rua 6, entre avenidas 3 e 5, Centro.
A Igreja do Nazareno Central de Rio Claro recebe às 20h30 apresentação da Banda Sinfônica União dos Artistas Ferroviários, com o concerto “Natal de todos nós”, que encerra a temporada de atividades da banda. Obras orquestrais e canções de Natal integram o repertório do concerto, que terá participação da soprano rio-clarense Bianca Rubio e do tenor campineiro Clóvis Português, que juntos interpretarão trechos dos musicais “A Bela e a Fera”, “O Mágico de OZ”, “Os Miseráveis”, além das célebres canções natalinas “Holly Night”, “Jingle Bells Rock”, “Noite Feliz”, e outras canções que farão mais feliz o Natal de toda a família rio-clarense. A entrada é um litro de leite, com arrecadação revertida a entidades assistenciais. A Igreja do Nazareno Central de Rio Claro fica na Rua 12, 220, Vila Aparecida.CONCERTOS BANDA SINFÔNICA
Os Concertos do Advento prosseguem até dia 23 de dezembro e incluem cantatas de Natal, recital de piano, concerto da Orquestra Sinfônica e Natal in Jazz com músicos da Orquestra Filarmônica. O calendário é organizado pela Secretaria da Cultura, com o apoio da Secretaria do Desenvolvimento Social, Unimed Rio Claro, Paulo Batista Móveis para Escritório e TSA Som e Luz.

Fundação Ulysses Guimarães inaugura nova sede nesta sexta-feira em Rio Claro

A Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro inaugura a nova sede da entidade nesta sexta-feira (15). O evento será realizado às 15 horas na Rua 6, 1.995, Centro. As novas instalações foram providenciadas pela Fundação Nacional Ulysses Guimarães, com sede em Brasília, sem ônus para a prefeitura. Os gastos com a manutenção da autarquia municipal serão custeados pela fundação nacional.
Em janeiro deste ano a prefeitura extinguiu cargos e salários da Fundação Ulysses Guimarães gerando economia anual de quase R$ 700 mil aos cofres públicos. Em julho foi celebrado convênio que permite à Fundação Ulysses Guimarães de Rio Claro receber recursos da Fundação Nacional Ulysses Guimarães de Brasília. O acordo garantiu o funcionamento da entidade local em outro modelo de gestão.
“Conseguimos encontrar uma forma de manter a fundação sem onerar os cofres públicos e sem comprometer a política de corte de gastos implementada pela prefeitura desde o início do ano”, explica o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, acrescentando que a parceria valoriza a história e a memória do ex-deputado Ulysses Guimarães.
Na nova sede será guardado o material sobre o ex-deputado Ulysses Guimarães. O acervo é constituído por mais de 21 mil peças entre documentos, artigos, certificados e livros doados pelo jornalista e escritor João de Scantimburgo, falecido em 2013. O presidente do diretório municipal do PMDB, João Vieira, destaca a importância da FUG ter local próprio para dar continuidade aos trabalhos iniciados em 1994, com os amigos de Ulysses, e a partir de 1998 com a criação da autarquia municipal.
“A fundação vem crescendo ao longo dos anos e oferecendo serviços à comunidade que terão continuidade na nova casa”, afirma Vieira. De acordo com ele, nesse período, a FUG conseguiu recursos a fundo perdido para a construção do antigo prédio da autarquia no Núcleo Administrativo Municipal (NAM). Também tem posse do último projeto criado pelo arquiteto Oscar Niemeyer para a construção do Museu Ulysses Guimarães em Rio Claro. “Vamos tentar obter recursos com o Ministério da Cultura para a construção do museu”, declara Vieira. A obra foi orçada em R$ 37 milhões.
Também no evento desta sexta-feira (15) serão entregues os prêmios dos vencedores do concurso “Ulysses Guimarães e a Nossa História”, realizado com professores da rede municipal de ensino. Os educadores deveriam apresentar planos de aula sobre a vida de Ulysses e os cinco melhores trabalhos serão premiados com notebooks, cursos, livros e vistas à FUG de Brasília.

Show no domingo altera trânsito no bairro Santa Cruz

Os motoristas que transitarem pelo bairro da Santa Cruz durante o domingo (17), nas imediações do Grêmio Recreativo, devem redobrar a atenção. A partir das 10 horas será proibido estacionar veículos na Avenida 8 entre as ruas 11 e 9; na Rua 9 entre as avenidas 8 e 12; e na Avenida 12 entre as ruas 11 e 9. Cavaletes serão utilizados para impedir a parada dos veículos nesses trechos.
A partir das 21 horas todo o entorno ficará interditado para o trânsito de veículos, sendo permitido apenas que pessoas transitem a pé. Para isso serão fechados os cruzamento da Rua 9 com a Avenida 8; Avenida 10 com a Rua 8; Rua 10 com a Avenida 14; Rua 12 com a Avenida 12; Avenida 8 com a Rua 12; e Rua 11 com a Avenida 6.
A previsão da liberação das vias está prevista para as 23 horas, quando se encerra o evento. As medidas do setor de Mobilidade Urbana e Sistema Viário têm o objetivo de manter o trânsito organizado, já que o show deve gerar grande movimento naquela região.

1º Mega Festival Setur reúne centenas de alunos

A ação, desenvolvida no ginásio de esportes Felipe Karam, mini ginásio Mané Bortolotti, piscina olímpica e estádio municipal Augusto Schimidt Filho, reuniu alunos que frequentam as modalidades oferecidas pela secretaria de Esportes e Turismo. O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, esteve presente, assim como o titular da Setur, Ronald Penteado, e os diretores Vinícius Sossai e Roberto Máximo.
A abertura da atividade contou com a participação de grupo da terceira idade que levou a mesma coreografia apresentada nos Jogos Regionais dos Idosos (Jori), realizada em junho em Americana.
O prefeito Juninho destacou a importância da atividade física. “A prática esportiva está diretamente ligada à qualidade de vida, proporcionando diversos benefícios, tanto físicos como mentais. E nosso programa de governo tem entre seus objetivos justamente o bem estar da população”, disse o prefeito.1º MEGA FESTIVAL SETUR (1)
“Foi uma grande confraternização entre os alunos e professores. A descentralização das atividades esportivas permite à comunidade maior acesso às modalidades oferecidas gratuitamente pela Setur” observa o titular da Setur, Ronald Penteado. “Esse festival com certeza vai virar tradição para marcar o fechamento do ano de forma positiva”, acrescenta.
Interessados em obter mais informações sobre as modalidades oferecidas pela Setur podem procurar o setor de matrículas, à Rua 9, número 1, Bairro do Estádio, onde funciona o ginásio de esportes Felipe Karam. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3533-5433 e 3533-5422.

Desconto nos juros e multas da Dívida Ativa termina na próxima semana

O desconto de até 90% nos juros e multas das dívidas anteriores a 2017 com prefeitura de Rio Claro e Daae termina no dia 22, sexta-feira da semana que vem. A orientação é para os contribuintes se apressarem, para evitar longas filas. Quem for renegociar no último dia deve ficar atento, uma vez que em 22 de dezembro o expediente será encerrado ao meio dia em diversas repartições municipais, inclusive Atende Fácil e Daae.
“Independente do dia em que for feita a renegociação, o vencimento do pagamento à vista ou da primeira parcela do Refis é no dia 22 de dezembro. Por isso os interessados não precisam esperar o último dia para renegociar”, explica o secretário de Economia e Finanças, Gilmar Dietrich.
O Atende Fácil fica na Avenida 2 entre as ruas 2 e 3, Centro. Nessa sexta-feira (15) e da segunda-feira à quinta-feira (21) da semana que vem o atendimento será feito das 8 horas às 16h30. No dia 22 (sexta-feira), das 8 horas ao meio dia.
No caso das dívidas do Daae as renegociações são realizadas na sede da autarquia, na Avenida 8, Cidade Nova. Nessa sexta-feira (21) e da segunda-feira à quinta-feira da semana que vem o atendimento será feito das 9 às 15 horas. No dia 22 (sexta-feira), das 9 horas ao meio dia.DESCONTO NOS JUROS E MULTAS DA DÍVIDA
É preciso levar cópia de documento que comprova a condição do interessado como responsável tributário e cópias de CPF, RG e comprovante de residência. No caso da prefeitura, os contribuintes também podem aderir ao Refis pelo site  www.rioclaro.sp.gov.br. Basta simular o parcelamento da dívida, escolher a forma de parcelamento e imprimir a primeira parcela para pagamento na rede bancária. O termo de acordo deve ser impresso e levado ao Atende Fácil até 22 de dezembro para ser avaliado.
O Refis de Natal tem sete faixas de descontos nos juros e multas. No pagamento à vista, 90% de abatimento nos acréscimos. De duas a 12 prestações, 80% de desconto; de 13 a 24 parcelas, 70%; de 25 a 36 prestações, 60%; de 37 a 60 vezes, 50%; de 61 a 80 parcelas, 40%; e de 81 a 100 prestações, 30% de descontos nos juros e multas.
Cada parcela mensal não poderá ser inferior a R$ 30,00, no caso de pessoa física, e a R$ 100,00, no caso de pessoa jurídica. A falta de pagamento por três parcelas consecutivas ou cinco intercaladas excluirá automaticamente o contribuinte do programa.

Casa das Crianças promove confraternização de fim de ano

A Casa das Crianças de Rio Claro realizou nessa quinta-feira (14) confraternização para marcar o encerramento das atividades do ano de 2017. A festa de Natal preparada para as crianças contou com presença do Papai Noel que distribuiu presente para os pequenos.
O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, também participou do evento juntamente com pessoas que colaboraram com o trabalho da entidade durante o ano. “Foi gratificante participar dessa festa com as crianças e apoiar a Casa das crianças que há anos realiza um trabalho social muito importante para a comunidade”, declarou Juninho.
O presidente da Casa das Crianças, Augusto Pedro Prochnon Júnior, explica que a confraternização é realizada todo ano. As crianças ganham um almoço especial e presentes. De acordo com ele, a Casa das Crianças não fecha, mas as crianças ganham um pequeno recesso no fim do ano para passar mais tempo com a família. No ano que vem eles retomam as atividades na entidade.
“Agradeço a prefeitura e todas as pessoas que colaboraram com o projeto social. Esperamos continuar contando com o apoio de todos para manter nosso trabalho e garantir o bem estar das crianças”, agradece Prochnon em nome da diretoria.
Atualmente, a Casa das Crianças atende 133 meninos e meninas em dois períodos, no contraturno das aulas do ensino regular. Quem quiser colaborar com o trabalho social da entidade pode fazer doações na Avenida 19, 1.312, no bairro Consolação.

O 3º Festival de Balé do Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU)

O 3º Festival de Balé do Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), realizado no último sábado (9), marcou o encerramento das atividades deste ano.  Cerca de 90 crianças entre três e 12 anos de idade participaram das apresentações, que foi prestigiada por familiares e também por Ronald Penteado, secretário de Esportes e Turismo (Setur) de Rio Claro. O balé é uma das dezenas de modalidades oferecidas gratuitamente aos munícipes pela Setur.
Sob o tema Princesas da Disney, as alunas apresentaram ao público um pouco dos passos ensinados pela professora Sarah Cristine Nogueira durante as aulas no CEU, que fica no bairro Mãe Preta.
O titular da Setur, Ronald Penteado, parabenizou as crianças pela apresentação. “Alunos e professora estão de parabéns pela coreografia apresentada. O balé é uma dança que requer comprometimento e dedicação e as crianças fizeram uma ótima apresentação”, destacou o secretário.
A professora Sarah enfatiza que as alunas são realmente dedicadas. “Elas se empenham bastante, demonstram força de vontade e querem aprender cada vez mais”, afirma.
Após um ano de aprendizados, as alunas entram em férias e as aulas devem ser retomadas no mês de fevereiro.

GCM localiza veículo produto de roubo

Ao passar pelo local, o solicitante achou estranho o veículo estar naquelas condições, verificou o emplacamento por um aplicativo de consulta de placas que constou a restrição de roubo, acionando a GCM em seguida. No local a equipe constatou o fato, porém o portão estava trancado com um cadeado.
Após a localização do proprietário do terreno, o mesmo se deslocou e providenciou a abertura do portão. GCM LOCALIZA VEICULO PRODUTO DE ROUBO


 

Guarda civil fiscaliza transporte clandestino

Um veículo GM Prisma, prata, ano 2017, do município de Santa Gertrudes, cujo condutor acompanhado de uma passageira, flagrou o mesmo na prática de transporte clandestino

Atendendo a determinação do Comando da Guarda Civil, os patrulheiros da Equipe GAM, em cumprimento à fiscalização de transporte clandestino, na tarde de terça-feira 12/12/2017, por volta das 14h45, pela Av. Conde Francisco Matarazzo Júnior, na Vila Paulista, abordou um veículo GM Prisma, prata, ano 2017, do município de Santa Gertrudes, cujo condutor acompanhado de uma passageira, flagrou o mesmo na prática de transporte clandestino. Segundo as informações colhidas, o condutor estava fazendo o transporte da passageira até o município de Santa Gertrudes. Diante dos fatos, foi lavrado auto de infração previsto no CTB, além da aplicação da Lei Municipal nº 5.021 de 14/12/2016, onde o veículo foi recolhido e o condutor sujeito a pagar uma multa.

Foi registrado o RO/GCM nº 2219/2017, natureza Fiscalização/Recolha de Veículo
Foi registrado o RO/GCM nº 2219/2017, natureza Fiscalização/Recolha de Veículo

 

Equipe Canil da Guarda Civil detém indivíduo na prática de tráfico de entorpecentes

Em patrulhamento pela Av. 27 x Rua 16, no Bairro do Estádio, deparou com um indivíduo transitando em atitude suspeita pelo local

O fato aconteceu na madrugada de quarta-feira 13/12/2017, por volta dos 00h10 min, a viatura 4.35 Canil da Guarda Civil com os GCMs Júnior, Edison, Ferraz e Aguiar, em patrulhamento pela Av. 27 x Rua 16, no Bairro do Estádio, deparou com um indivíduo transitando em atitude suspeita pelo local. O indivíduo identificado como N.A.S.J., 22 anos tinha num dos seus bolsos 19 micro tubos eppendorfs, com uma substância aparentando ser cocaína, além de R$ 51,00 em espécie.

Plantão Policial, onde foi elaborado o RDO n° 11852/2017, natureza Tráfico de Entorpecentes e RO/GCM n° 2222/2017. O entorpecente tinha 12 gramas no total. O indivíduo foi recolhido a Cadeia Pública
Plantão Policial, onde foi elaborado o RDO n° 11852/2017, natureza Tráfico de Entorpecentes e RO/GCM n° 2222/2017. O entorpecente tinha 12 gramas no total. O indivíduo foi recolhido a Cadeia Pública

A Universidade Pública e sua Cultura organizacional

A necessidade de mudança nas universidades públicas tem sido um discurso recorrente nos momentos de crise. Responsáveis pela geração de inovações em todas as áreas do conhecimento, essas estruturas gigantes esqueceram-se de inovar a si mesmas.

Sem a pretensão de esgotar os pontos estratégicos para essa análise, todas as ações de redirecionamento da cultura deveriam incorporar os seguintes elementos:
1. Não apague as memórias ao incorporar novos cenários, essa poderia ser a maneira mais simples de se traduzir o conceito de que a compreensão sobre mudança demanda por uma simetria nos códigos. Ninguém se apropria daquilo que o desestabiliza.
2. Conduzir um processo de mudança de cultura na universidade pública está entre as ações mais complexas de um gestor. Diante do pressuposto de que a revisão de percurso de uma cultura é digladiada no campo das ideias, é nesse espaço que deve articular a liderança: é fundamental convencer aqueles que insistem numa realidade em desuso.
3. A cultura, por sua natureza, tem como característica básica resistir ao que contrapõe ao conveniente. Repelir um código não decifrado, é o caminho mais comum da autopreservação. Isso ocorre porque os seres humanos necessitam de perspectivas de futuro. Todavia, uma previsão é baseada na ‘leitura’ de circunstâncias identificadas. Se as pessoas não reconhecem os objetivos, elas não vislumbram e, por sua vez, não participam. Não é por acaso que em pesquisas de clima organizacional comumente estejam manifestadas percepções negativas relacionadas à incapacidade de ver-se como partícipe na organização. Uma característica que se origina quando os objetivos a pequeno, médio e longo prazo não estão claros.
4. É essencial desenvolver a assertividade e clareza em relação ao caminho que se indica. Quando o gestor propõe novos códigos, é imperativo decodificá-los em todas as instâncias. Um ‘maestro’ assertivo requer ‘chefias de naipes’ igualmente assertivas. A capacitação em todos os níveis é uma condição sine qua non, principalmente quando se apontam para direções ainda nebulosas. Sem esquecer de que assertividade não significa autoritarismo.
5. Invista na comunicação organizacional, já que ela contribuirá na redução de subculturas contrárias. Fator muito comum em universidades multicâmpus e repletas de departamentos.
6. Gerir uma cultura significa modificar concepções coletivas. Uma história que resumirei aqui foi descrita por Deal e Kennedy, ela pode ajudar a compreender o conceito de que a cultura está na ‘mente’ das pessoas: ‘Após o término da segunda guerra mundial muitas empresas estavam destruídas, na maioria delas não restava mais do que ferros retorcidos e equipamentos espalhados entre os pedaços de concreto. Então, iniciaram grandes reconstruções; era preciso seguir em frente. Depois que as fábricas foram reconstruídas e os empregados sobreviventes reiniciaram as atividades, os relacionamentos entre eles foram retomados. Segundo as narrativas, as relações interpessoais na empresa voltaram a ser muito similares às que ocorriam anteriores à guerra. Alguns empregados diziam ‘vejam, nós trabalhamos da mesma forma que antes da guerra’. Embora a parte física tenha sido destruída, os inúmeros aspectos da cultura mantinham-se intactos.
7. As contratações devem ser revisadas, pois elas representam o acesso ao ambiente cultural. Quando alguém é admitido numa organização, ele está sujeito ao dinamismo existente. Um sistema tende a absorver indivíduos aderentes a sua realidade. Nesse sentido, os processos de admissão que reforçam antigos pressupostos têm que ser modificados. Funcionários recém-chegados, admitidos por regras velhas, dificilmente inovarão.
8. É essencial proporcionar a participação, mas não subestime a capacidade das pessoas ao fazer isso, visto que essa atitude ampliará resistências. A pieguice generalizada para desenvolver processos criativos é tão contraproducente quanto uma austeridade. Novas diretrizes exigem coerência; uma conexão entre as condutas da reitoria com todos os níveis de liderança.
9. Metas em longo prazo são sustentadas por metas de curto e médio prazo, isto é, não desmonte uma estrutura obsoleta sem colocar algo consistente no lugar.
10. É preciso metrificar continuamente os avanços. Os gestores de universidades públicas possuem um labirinto a percorrer, um caminho não exato para o pensamento tradicional. Logo, ele é suscetível ao erro. A propósito, em certa ocasião Jack Welch, ex-CEO da General Eletric que ganhou notoriedade global por tirar a empresa do excesso de burocracia e por aplicar inúmeras inovações gerenciais, ao ser perguntado se cometia erros, respondeu sim, errava, mas corrigia rapidamente. Isto posto, mudar de opinião não é o mesmo que retroceder completamente numa estratégia. A revisão de caminho não representa uma perda de território. Lideranças flexibilizam, mas não titubeiam.

Vivemos mudanças necessárias, mas desafiadas pela redução nos recursos. Com tais características, a transformação de uma cultura parece não ser suficiente. É preciso desenvolver a competência de ‘aprender a transformar continuamente’. É isso que garantirá uma visão de futuro; a imprescindível orientação em longo prazo.

Renato Dias Baptista é professor assistente doutor e coordenador do curso de administração da Universidade Estadual Paulista, UNESP, Câmpus de Tupã. E-mail: rdbaptista@tupa.unesp.br

Como escrever um livro

Dizem que para tudo o mais difícil é o começo. Isso se aplica perfeitamente para um livro. Mas por mais difícil que isso possa parecer, nos tempos atuais publicar um livro ficou mais fácil.

As pessoas confundem publicar um livro com publicar um best-seller. Se o intuito da publicação é lucrar com isso, as chances de o plano funcionar são bem menores que uma publicação despretensiosa. Mas assim como um bom jogador de futebol pode começar sua carreira de sucesso já num time grande ou crescer aos poucos em times menores até chegar onde se deseja, um futuro escritor profissional também se verá nesse dilema: almejar logo de início uma editora de renome ou publicar os primeiros textos em editoras menores? O certo é que ele vai escrever bastante!

De fato, será a sua raridade que o fará se destacar entre os outros milhares de aspirantes. Editoras precisam de divulgação para suas vendas, e tanto as resenhas como as 5 estrelas de sites e redes sociais podem projetar o escritor para ambições maiores.

Estudar a trajetória de gente que atingiu o sucesso pode abrir o horizonte do jovem escritor sobre o assunto que vende mais ou é mais procurado pelos leitores. Os temas são, via de regra, sempre os mesmos (traição, punição, morte, amor, vingança, etc.), mas o que os diferencia é o modo de como são transmitidos.

Por piores que possam parecer, guardar os textos produzidos e os livros lidos desde a escola pode ajudar o escritor a perceber como evoluiu, os clichês que persiste em usar, os temas recorrentes, os assuntos preferidos, entre outros.

No meu humilde caso, minha intenção era compilar e imortalizar estórias marcantes de minha vida e de quem fez parte dela, como amigos e familiares (sabe aquele avô que tem estórias e causos sobrando? Por que esperar a idade dele para só então começar a contar?). Mas sendo um cidadão comum, busquei as estórias mais ímpares e mais cheias de humor, as quais classifiquei como sendo “só minhas”. Esses filtros que me impus me renderam mais de 200 páginas de situações inusitadas que eu achei que mereciam ser registradas para sempre, como as estórias de criança que faz cocô em lugares indevidos (todo mundo tem uma!), malandragens que geraram fugas de polícia, traquinagens escolares, traumas “saudáveis” e até uso de magia negra, vividas por mim ou conhecidos meus (um escritor nunca revela seus segredos). A partir daí, outra questão me surgiu: quem aceitaria uma coletânea tosca de crônicas desse tipo numa época em que o politicamente correto impera e oprime a criatividade do ser humano?

Como já havia ganhado alguns concursos literários (e o blog http://concursos-literarios.blogspot.com.br/ é uma ótima ponte para os mais diversos deles, no Brasil e no mundo), certa vez ganhei um promovido pela editora Kazuá, a qual se interessou pelo meu texto, concedeu-lhe um belo trato editorial e materializou o meu sonho.

Meu objetivo era distribuir a pessoas do meu círculo de amizade, as quais ajudaram ou aprontaram as estórias por mim compiladas. E, durante a leitura, elas gargalhavam!

Então, minha primeira ambição foi cumprida – a de divertir as pessoas -, e se eu vender mais de um exemplar para leitores por mim desconhecidos e que também adorarem os textos, já saio no lucro.

Mal posso esperar para ver o colega leitor se aventurando nisso. Só não cometa o mesmo erro que o meu: esperar tempo demais por vergonha ou falta de autoestima.

Pedro Panhoca da Silva é mestrando em Literatura no Programa de Pós-Graduação em Literatura e Vida Social da Unesp/Assis e autor do livro “Traumas e Tabus” (2016, editora Kazuá), além de ter poemas publicados em revistas acadêmicas, coletâneas literárias e outros ebooks.

Políticos, políticos…

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Nossos políticos, principalmente aqueles que exercem cargos eletivos nos legislativos municipais, estaduais e federal, são “useiros e vezeiros” em praticar “imbecilidades” em seus mandatos.
Nos dias de hoje, tramita na Câmara Federal o projeto de lei de nº 7746/17 de autoria de uma deputada do PSDB de Rondonia, criando uma nova categoria de Carteira Nacional de Habilitação.
A Câmara analisa e até já há aprovação pela Comissão de Viação e Transportes para o projeto.
Confesso que fiquei curioso e corri atrás de informações mais detalhadas que me justificasse o tempo e o trabalho para que se aprovasse tal lei.
O porque de uma categoria especial para dirigir motocicletas automáticas. São mais difíceis de pilotar que as mecânicas? Não, não são, pelo contrário, são mais praticas.
As leis de trânsito são diferentes? Não!
Sairia mais barato um carta só para conduzir motocicletas com transmissão automática? Não acreditamos, já que as Auto Escolas terão que investir em novas ferramentas. Então, porque “burrocratizar” ainda mais as nossas leis?
Aí busquei as justificativas da deputada (todo projeto de lei vem com uma justificativa para tal) para a criação de nova lei. Segundo ela a alteração da legislação se faz necessária devido ao princípio da livre escolha dos cidadãos, “que poderão optar por somente tirar a carteira de habilitação para conduzir motocicletas com transmissão de câmbio automático”. A deputada lembra ainda que esses modelos são os preferidos por iniciantes e mulheres.
Ora, mas se a categoria atual permite que se conduza qualquer tipo de motocicleta, sem distinção de transmissão (automática ou mecânica), a justificativa não se “justifica”.
O texto sobre a justificativa ainda diz: “A facilidade de condução é um dos elementos mais desejáveis para motociclistas novatos de qualquer sexo – e atendem especificamente também necessidades específicas das mulheres, COMO CARREGAR A BOLSA (?). O PRESENTE PROJETO DE LEI, POSSIBILITA AINDA A REDUÇÃO DE VEÍCULOS DE QUATRO RODAS NAS RUAS BRASILEIRAS (?). É decorrente e noticiado por vários jornais o aumento de veículos presentes nas rodovias brasileiras, aumentando consequentemente o trânsito por haver muitos carros nas ruas. A alteração da legislação se faz necessário, pela observância do princípio da livre escolha dos cidadãos, que podem optar por somente retirar a carteira de habilitação para conduzirem motocicletas, com transmissão de câmbio automático”, os grifos são nossos.
Confesso que lendo essa justificativa da deputada lembrei-me demais da ex-presidente.
Pois é, durma-se com um barulho desse…