Conferência de Cultura prossegue com discussão dos eixos temáticos

As atividades da Conferência Municipal de Cultura de Rio Claro prosseguem nesta quarta-feira (29) com discussão dos eixos temáticos: economia da cultura e novas tecnologias, infraestrutura cultural, integração e desenvolvimento; produção simbólica, memória e patrimônio histórico; cidadania, diversidade e participação; política cultural, gestão e capacitação; e implementação do sistema municipal de cultura.
O credenciamento tem início às 18 horas, seguida de mostra artística da Banda Sinfônica União dos Artistas Ferroviários a partir das 19 horas. Às 19h30 começam os debates nos grupos de trabalho com mediação dos facilitadores do Instituto Pólis. As atividades serão realizadas na Filarmônica que fica na Rua 5 com a Avenida 5 , Centro. O evento é aberto ao público.CONFERÊNCIA CULTURAL PROSSEGUE (3)
Com o tema geral “Cultura como vetor de desenvolvimento social e econômico”, a conferência começou na segunda-feira (27). Muito aplaudida, a Orquestra Sinfônica abriu os trabalhos da noite com execução de várias composições musicais.
O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, salientou a importância dos Conselhos Municipais, que “ajudam a pautar as ações do Executivo”. Por isso, ele destacou a importância da efetiva participação dos conselheiros. “Um Conselho participativo ajuda a fazer a diferença. Queremos que os conselheiros sejam parceiros da administração para que juntos possamos fazer o melhor para a cultura de Rio Claro”, disse.
Daniela Ferraz, secretária municipal da Cultura, destacou a importância da participação do poder público e da sociedade civil nas discussões para a construção de políticas públicas para a Cultura. “A conferência é um espaço de diálogo e queremos mobilizar a participação do maior número de pessoas para desenvolver uma política democrática, transparente e participativa que seja a ‘cara’ de Rio Claro”, declarou.
A vereadora Carol Gomes representou a Câmara Municipal no evento. “A conferência é um espaço para quebrar paradigmas e mostrar o que o cidadão espera do governo para a Cultura”, comentou. A necessidade de união entre o poder público e a sociedade civil para a construção de políticas públicas culturais foi destacada por João Paulo de Oliveira, presidente do Conselho Municipal de Política Cultural. De acordo com ele, a realização da conferência é importante para reflexão das principais questões relativas ao tema.
O presidente da Banda Sinfônica União dos Artistas Ferroviários, maestro Luiz Francisco Hipólito, representou a sociedade civil na mesa de abertura. Ele frisou a importância de participação das instâncias governamentais e da sociedade nas discussões. “A sociedade tem que estar presente no conselho com efetiva participação”, observou.

Passeio ciclístico chamou atenção para violência contra a mulher

Cerca de 100 ciclistas participaram do passeio ciclístico da Campanha do Laço Branco, realizado domingo (26) com saída da Praça da Boa Morte, em Rio Claro. Os ciclistas receberam orientações sobre a campanha, que visa conscientizar pelo fim da violência contra a mulher. A campanha prossegue e tem atividade marcada para o próximo dia 6, quarta-feira, no Jardim Público a partir das 9 horas.
O passeio ciclístico foi realizado pela prefeitura, por intermédio da Secretaria do Desenvolvimento Social, ao qual está vinculado o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que organizou a atividade. O apoio foi do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Unimed, Loucos por Pedal, SportBike, Colégio Dom Bosco, Udam e Farmácia Drogal.
Laço Branco
Em 6 de dezembro de 1989, Marc Lepine entrou armado em uma escola de Montreal, no Canadá. Em uma sala de aula, ordenou que os homens se retirassem e assassinou as 14 mulheres presentes. O crime ficou conhecido como o “Massacre de Montreal”.
Como forma de protesto, homens se organizaram e adotaram o laço branco como símbolo de um movimento pelo fim da violência à mulher.
O dia 25 de novembro foi então declarado pela Organização das Nações Unidas como o Dia Internacional de Erradicação da Violência contra a mulher.

Spani Atacadista é nova opção em RC para varejistas e consumidores

O Spani Atacadista chega a Rio Claro com o mesmo modelo de sucesso desenvolvido em outras regiões. É o que garantiu o diretor comercial Flávio Almeida na inauguração do empreendimento terça-feira (28). “O público em geral e especialmente o pequeno e médio varejista terão segurança e economia no Spani”, disse, destacando fatores como o aquecimento da economia local e a geração de empregos. Almeida também agradeceu o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, e sua equipe, pelo apoio.
Presente ao evento, Juninho voltou a destacar a importância para o município de uma empresa que chega criando 180 empregos. “Em tempo recorde, a Spani transformou esse local, na Avenida Ápia, para entrar em funcionamento”, comentou, colocando novamente a prefeitura à disposição para colaborar com a empresa, que contratou os funcionários da unidade rio-clarense a partir de recrutamento feito pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT).
A festa de inauguração do Spani Atacadista contou com a presença de grande público e autoridades. Estiveram presentes os vereadores Adriano La Torre, Júlio Lopes e Val Demarchi. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Rio Claro (Acirc), Antonio Carlos Beltrame, também esteve presente. Participaram ainda o diretor de operações da Spani, Valney Gutenberg, e Cleber Gomez, diretor-presidente do grupo Comercial Zaragoza Importação e Exportação, ao qual o Spani Atacadista é vinculado.
A unidade de Rio Claro da Spani tem mais de dez mil itens e centenas de produtos em seções de açougue, bebidas, frios, laticínios, higiene, limpeza, mercearia, hortifruti e importados. Fica na Avenida Ápia, número 80, no Jardim Paulista. A rede Spani Atacadista tem lojas em Americana, Atibaia, Bauru, Bragança Paulista, Caraguatatuba, Diadema, Guaratinguetá, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jacareí, Lorena, Marília, Mauá, Mogi das Cruzes, Pindamonhangaba, Resende, São José dos Campos, São Paulo e Volta Redonda (RJ).SPANI ATACADISTA É NOVA OPÇÃO EM (2)

Espaço Mais Saúde anuncia as primeiras cirurgias

Em breve terão início as cirurgias no Espaço mais Saúde, em Rio Claro. Pacientes que necessitam de cirurgia vascular, por exemplo, já estão realizando exames pré-operatórios no complexo médico-hospitalar instalado pela prefeitura na Avenida Visconde, onde consultas e exames em diversas especialidades estão sendo realizados desde o dia 20 de setembro. O objetivo é reduzir a fila de espera na rede municipal de saúde, que no início do ano era de 37 mil procedimentos.
“Com o Espaço Mais Saúde estamos garantido o direito da população à saúde de qualidade em Rio Claro”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. “Diminuir a fila de espera significa em muitos casos evitar que problemas de saúde que podem ser resolvidos de modo simples se tornem casos de emergência”, acrescenta.
Para o atendimento no Espaço Mais Saúde o município contratou a Cies Global. A Secretaria Municipal de Saúde monitora a qualidade e o número de procedimentos realizados pela empresa.
“Assim que assumimos a administração de Rio Claro fizemos amplo levantamento da fila de espera por consultas, exames e cirurgias”, explica o secretário de Saúde, Djair Francisco. “Constatamos que entre os 37 mil procedimentos da fila de espera existem pacientes aguardando desde 2013”, informa.
Entre as especialidades atendidas no Espaço Mais Saúde nesses meses iniciais do programa estão oftalmologia, vascular, ortopedia, cardiologia, entre outras, além dos vários tipos de exames, como o de sangue, eletrocardiograma, Doppler vascular e colonoscopia.
Os atendimentos no Espaço Mais Saúde são realizados de segunda a sexta-feira das 8 às 17 horas e aos sábados das 8 horas ao meio-dia. São atendidos pacientes na fila de espera por consultas, exames e cirurgias de média e pequena complexidade. O agendamento desses pacientes é feito pela Central de Regulação Ambulatorial do SUS (Sistema Único de Saúde) em Rio Claro, que chama os pacientes por telefone.

Rio Claro capacita 90 alunos em cursos de qualificação

Depois de participarem de cursos de qualificação profissional oferecidos pelo Programa Estadual de Qualificação Profissional (PEQ), 90 alunos de Rio Claro receberam certificados na segunda-feira (27), em evento que contou com a presença do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, e do secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, José Luiz Ribeiro.
Os sorrisos de quem exibia orgulhoso o certificado recém-conquistado já diziam o que isso representava para cada um: a chance de conquistar um novo emprego. É o caso de Leila Souza, do curso de Assistente Administrativo. “O curso foi ótimo e certamente agrega muito ao currículo”, afirmou. A opinião foi compartilhada por Bruno Bronzelli, que frequentou o curso de Departamento de Pessoal. “Não tenho dúvidas de que o conhecimento adquirido vai fazer a diferença”, destacou.
A cerimônia foi realizada no auditório da Associação Comercial e Industrial de Rio Claro (Acirc). O secretário estadual de Emprego manifestou satisfação em estar na cidade. “Rio Claro tem se destacado e feito a diferença no estado de São Paulo”, frisou, ressaltando que neste momento de crise que o país atravessa o curso representa oportunidade de agregar conhecimento. “Na economia moderna as tecnologias estão cada vez mais avançadas, mas não são as máquinas que fazem a diferença, o grande diferencial são as pessoas”, discursou José Luiz Ribeiro.
O prefeito Juninho falou sobre o quanto é importante a vontade de cada um em querer aprender algo novo e buscar seus objetivos. “Assumimos o governo para fazer a diferença e neste momento isso representa dar oportunidades”, observou o prefeito, dizendo aos alunos sobre a importância da dedicação de cada um. “O desafio é grande, já que herdamos uma administração com muitos problemas financeiros, mas em menos de um ano a cidade já tem novas perspectivas, com um grande atacadista sendo inaugurado e com nossos esforços para trazer novas empresas, o que ampliará a oferta de empregos”, ressaltou Juninho.
Sara Diego, coordenadora estadual de Políticas de Emprego e Renda, falou sobre o quanto a qualificação profissional pode fazer a diferença na busca por uma vaga. “De 20 mil pessoas que participaram recentemente do Time do Emprego em nosso estado, 10 mil conseguiram voltar ao mercado”, pontuou Sara.
A importância de Rio Claro ter sido escolhida para receber os cursos foi lembrada por Gilberto Brina, secretário municipal de Governo, Desenvolvimento Econômico e Planejamento. “Hoje em nossa região, Rio Claro é cidade que mais vem gerando empregos, o que resulta da seriedade do trabalho realizado, que inclui a oportunidades de capacitação”, afirmou Brina.
O deputado estadual Aldo Demarchi, por conta de compromisso na Assembleia Legislativa, não pôde estar presente, mas por meio de carta enviou seus cumprimentos a quem concluiu os cursos. Na cerimônia foi representado pelo assessor Ivan Castanho. Também estiveram presentes Paula Silveira Costa, presidente do Fundo Social; Laerte Tebaldi, diretor do PAT Rio Claro; Maricy da Costa Baumeyer, diretora regional da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho; e Francisco Quintino, presidente do Sindicato dos Químicos.
Os professores Ana Aparecida Lima, Denise Iacope e Marcelo Bilauta foram homenageados e sua importância para o sucesso dos cursos foi tema na fala de todas as autoridades, assim como a eficiência da equipe do Posto de Atendimento ao Trabalhador, que ajudou a conduzir o treinamento.
Os alunos participaram dos cursos de Departamento de Pessoal, Técnicas de Vendas e Assistente Administrativo. As aulas foram ministradas de setembro a novembro na Faculdade Asser e no Centro de Qualificação Profissional na Avenida Visconde do Rio Claro.
Essa foi a primeira turma do PEQ deste ano em Rio Claro. Ao concluir o curso, cada aluno participante recebe bolsa-auxílio de até R$ 660,00. O PEQ é um programa estadual que busca capacitar o aluno para aumentar suas chances de inserção no mercado de trabalho.

Prefeitura entrega chaves de 928 apartamentos nesta quarta-feira

Novecentos e vinte e oito famílias vão realizar o sonho da casa própria nesta quarta-feira (29) em Rio Claro. Essas famílias foram contempladas com apartamentos do residencial Jardim das Nações 1, na região do bairro Terra Nova, e vão receber as chaves dos imóveis em cerimônia que será realizada às 13 horas no salão da Igreja Rainha da Paz, no Jardim Esmeralda.
“Agora as famílias passam a ter casa própria, sem despesas com aluguel”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, destacando a importância das famílias cuidarem bem de seus imóveis e seguirem as regras estabelecidas pelo programa habitacional, que proíbe a venda ou locação das moradias.
“É importante que os futuros moradores estejam informados sobre a nova moradia e as regras básicas quanto à utilização dos imóveis”, observa Anderson Golucci, secretário da Habitação. De acordo com ele, o mutuário contemplado que vender ou locar perderá o imóvel. “A venda ou locação somente podem ser feitas após a quitação ou vencimento do prazo de financiamento”, explica Golucci salientando que em caso de quitação antecipada o proprietário perde o subsídio governamental subindo o valor das prestações.
O residencial Jardim das Nações 1 foi construído através do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, em parceria com a prefeitura e o governo estadual, por meio do programa Casa Paulista. O empreendimento popular tem cinco condomínios: Itália com 128 unidades, Holanda (144), Alemanha (176), Japão (240) e África do Sul (240). Os apartamentos têm 47 m² e possuem dois dormitórios e demais dependências, com 104 unidades adaptadas para atender idosos e pessoas com deficiência.

Rio Claro terá EJA 2 em projeto pioneiro no Instituto Allan Kardec

Em evento marcado por muita emoção, a prefeitura de Rio Claro anunciou que vai ampliar o atendimento para os alunos das salas descentralizadas da Escola Municipal Marcelo Schmidt que funcionam em prédio do Instituto Allan Kardec. A medida atende solicitação feita pelas mães dos estudantes. As mudanças serão implementadas a partir de fevereiro do ano que vem.
A salas descentralizadas terão EJA 2 (Educação de Jovens e Adultos), com aulas de matemática, português, ciências, entre outras disciplinas. Hoje, as salas oferecem somente EJA 1. O horário das aulas também será estendido até as 11h30, duas horas a mais que o horário atual, das 7h30 às 9h30. A unidade também terá Sala de Recursos Multifuncionais que oferece atendimento especializado a alunos com necessidades educacionais especiais.
A prefeitura pretende verificar a possibilidade das salas funcionarem em período integral a partir de julho do ano que vem, com atividades e orientações para inclusão no mercado de trabalho. As salas descentralizadas atendem 54 alunos de 8 a 26 anos de idade que, além do ensino gratuito, também contam com transporte escolar. A escola oferece aulas de Educação Física, Artes, Inglês e oficinas de artesanato, que são ministradas por nove professores.
O anúncio sobre as mudanças foi feito pelo prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que visitou o instituto nesta quinta-feira (16). O prefeito falou de seu vínculo com o Instituto Allan Kardec, já que seu irmão Jean frequentou a instituição. “Rio Claro passa a ser pioneiro na promoção da inclusão social. Estamos trabalhando para que, mesmo diante das dificuldades, consigamos fazer a diferença em benefício da pessoa com deficiência e daqueles que mais precisam”, comentou Juninho.
O secretário da Educação, Adriano Moreira, ressaltou a importância de atender ao pedido das mães que buscam melhorar a qualidade do ensino oferecido aos seus filhos. A diretora do Allan Kardec, Ana Carolina Zuchini, classificou como “excelente” as mudanças anunciadas. “É tudo que a gente sempre quis, reivindicações que estamos fazendo há anos e que agora vão se tornar realidade”, comemorou.
A solicitação das mães foi feita ao vereador Adriano La Torre que encaminhou o pedido à prefeitura. “Sei da sensibilidade do prefeito e do secretário, por isso tinha expectativa de que o pedido fosse atendido”, declarou. Paulo Meyer, assessor municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, destacou os avanços de Rio Claro na implantação de políticas públicas da Lei Brasileira de Inclusão (LBI). “Hoje Rio Claro tem avanços maiores que cidades de maior porte”, frisou. Para o vereador Júlio Lopes, as mudanças trarão grandes benefícios no processo educacional dos alunos.
Também participaram do evento Simara da Mata, coordenadora de Educação Especial da Secretaria da Educação, e o vereador Geraldo Voluntário, além de mães e alunos atendidos nas salas descentralizadas.

Escola Municipal Pastor Nephtali Vieira Junior

A questão ambiental é tratada com os alunos da E.M. Pastor Nephtali Vieira Junior. Nesta escola as temáticas trabalhadas são: economia de energia, reciclagem e reutilização de materiais e consumo de alimentos orgânicos. Assim a comunidade escolar (alunos, professores, funcionários e familiares), torna-se envolvida em ações teóricas e práticas sobre a questão ambiental.
Assim através de ações relacionadas ao consumo variado de alimentos, e da importância de uma alimentação saudável e sem agrotóxicos, foi proposto aos alunos um aprendizado “de experiência”, que consistia em atividade prática de contato com terra, (plantar, regar e colher) propiciando um estreitamento dos vínculos entre o ser humano e seu alimento, tão necessário nos dias atuais, em que os agrotóxicos e os transgênicos adquiriram tanto espaço.
Neste sentido faz-se necessário e urgente modificar esta forma de alimentação (que hoje em dia está presente em todo o país), partir de pequenas ações como o cultivo de horta na escola, fazendo com que os alunos adotem hábitos alimentares mais saudáveis.
O projeto “Horto na Escola”, da Escola Municipal Pastor Nephtali Vieira Junior, foi aplicado com os alunos do Infantil II, com a finalidade de motivar e sensibilizar toda a comunidade escolar, no período de Fevereiro a Novembro de 2017, a se engajar no cultivo de hortaliças orgânicas, dentro do próprio espaço escolar, para que estas sejam consumidas pelos próprios alunos dentro da escola, enriquecendo o grau nutritivo da merenda.
Outro ponto positivo do projeto, foi a construção de uma composteira na escola, a fim de aproveitar as folhagens da própria escola, para retroalimentação da horta. Os métodos utilizados para concretização do projeto da horta, em conjunto com os alunos, foram: definição do local para fazer três canteiros na parte externa da escola, revolver a terra com adubo orgânico, plantar hortaliças diversas e de crescimento rápido, e o consumo das hortaliças nas refeições da escola.
Segundo a Professora responsável pelo projeto, os objetivos centrais do trabalho, pautaram-se em conhecer melhor as etapas do cultivo das hortaliças, desde a plantação, adubagem, passando pela rega, até chegar na colheita final; degustar estas hortaliças produzidas, avaliando: odor, sabor, textura, formato; contribuindo assim para uma alimentação saudável.
Nota-se que além de degustar os alimentos cultivados na escola e nas residências, os alunos compartilharam e divulgaram essa experiência com as famílias incentivando-as a adotarem esta prática. Portanto este projeto além de revelar a forte participação e realização das atividades pelos alunos observou-se também mudanças de atitudes por parte deles, principalmente do entendimento quanto às atividades do campo, a necessidade de plantios saudáveis e sustentáveis contribuindo para melhor qualidade de vida.

Criança auxiliando na colheita das hortaliças na horta da escola
Criança auxiliando na colheita das hortaliças na horta da escola
Crianças fazendo a observação da Horta Orgânica da Escola
Crianças fazendo a observação da Horta Orgânica da Escola
Identificação dos tipos de hortaliças plantadas pelas crianças
Identificação dos tipos de hortaliças plantadas pelas crianças
Alunos degustando as hortaliças preparadas na alimentação da escola.
Alunos degustando as hortaliças preparadas na alimentação da escola.
 Alunos colaborando nas técnicas de plantio e na colheita das hortaliças
Alunos colaborando nas técnicas de plantio e na colheita das hortaliças

Novo contrato entre prefeitura e Santa Casa estabelece metas de atendimento

A prefeitura de Rio Claro e a Santa Casa de Misericórdia assinaram na segunda-feira (27) novo contrato de gestão. Uma das principais mudanças é que o acordo estabelece metas de atendimento à população como condição necessária para a Santa Casa receber valores de subvenção da Secretaria Municipal de Saúde. Com esse novo pré-requisito os valores dos repasses municipais podem chegar a até R$ 380 mil por mês. Além disso, a Santa Casa recebe repasses do Sistema Único de Saúde (SUS) via Ministério da Saúde. A previsão é de que a entidade receba mais de R$ 31 milhões em 2018, somando os repasses federais, municipais e de demais convênios médico-hospitalares.
O novo contrato entre a prefeitura e a Santa Casa tem vigência de um ano e pode ser prorrogado. “Esse contrato representa uma mudança de paradigma, um avanço no relacionamento entre o município de Rio Claro e a Santa Casa, no sentido de ampliar ainda mais o atendimento à população nessa entidade que é referência regional na saúde pública”, afirmou o prefeito de Rio Claro, João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.
O contrato prevê ainda o compromisso da Santa Casa em apresentar estudos para assumir a gestão do Pronto Socorro Municipal Integrado (PSMI), conforme prevê a legislação. Outro estudo já em curso, e também reforçado pelo novo contrato, diz respeito à ampliação de leitos para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para pacientes do SUS.
“Esse novo contrato contém avanços na relação entre as instituições, sobretudo no que diz respeito aos repasses da prefeitura vinculados à prestação de serviços. Foram várias reuniões conjuntas entre as equipes técnicas da Fundação de Saúde e da Santa Casa para estabelecermos um contrato que represente um caminho para a evolução no atendimento à população”, comenta o secretário municipal de Saúde, Djair Francisco.
A Santa Casa de Misericórdia é o hospital de referência para o atendimento da população de Rio Claro e microrregião pelo SUS. Esse atendimento é feito mediante um contrato firmado com a Fundação de Saúde, que repassa recursos provindos do governo federal e também recursos municipais.
Desde o início deste ano, a nova gestão municipal de Rio Claro já pagou R$ 2.286.700,00 à Santa Casa, referentes aos valores da subvenção de R$ 4 milhões prometidos pelo governo anterior, que pagou apenas R$ 700 mil desse total.

Passeio ciclístico reúne 400 pessoas no Bela Vista

O tempo fechado no domingo de manhã (27) não impediu a ampla participação da comunidade no 9º Passeio Ciclístico da escola municipal Elpídio Mina, no bairro Bela Vista, em Rio Claro. Cerca de 400 pessoas, incluindo alunos, pais, professores, funcionários da escola e a população em geral, percorreram o trajeto, nas imediações da escola.
“Esta é uma atividade que já está inserida em nosso calendário escolar, com foco na integração entre escola e comunidade”, observa Ana Lúcia Freschi Leme da Silva, diretora da escola, acrescentando que o passeio ciclístico é muito aguardado pelos alunos, com a proposta de uma atividade diferente das que tradicionalmente são realizadas em ambiente escolar.
O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que esteve no local acompanhando as atividades, cumprimentou os organizadores do evento. “É uma iniciativa muito positiva, que inclusive incentiva a prática de atividades físicas, muitas vezes substituídas pelos jovens por jogos eletrônicos”, comentou o prefeito.
Com o passeio ciclístico, a escola trabalhou também a importância da ajuda ao próximo, por meio de arrecadação de leite. Os cerca de 200 litros conseguidos foram entregues na segunda-feira (27) ao Fundo Social de Solidariedade do Município. “Ficamos especialmente felizes em receber esta doação porque sabemos que uma semente está sendo plantada e a solidariedade hoje despertada nos alunos poderá ter reflexos muito maiores no futuro”, destacou Paula Silveira Costa, presidente do Fundo Social.PASSEIO CICLISTICO CHAMOU ATENÇÃO (2) PASSEIO CICLISTICO CHAMOU ATENÇÃO (1) PASSEIO CICLISTICO REÚNE 400 PESSOAS NO BELA VISTA (3) PASSEIO CICLISTICO REÚNE 400 PESSOAS NO BELA VISTA (1)

Sala Verde é inaugurada nessa 3ª-feira na Floresta Edmundo Navarro de Andrade

Na manhã dessa terça-feira (28) em Rio Claro, a Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, berço do eucalipto no Brasil, ganhou mais uma referência educacional com a inauguração da Sala Verde, que foi marcada para as 9 horas.
Instalada no prédio do departamento municipal de Manejo Florestal, vinculado à Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura, a Sala Verde, localizada próxima ao Museu do Eucalipto, é um projeto do Ministério do Meio Ambiente voltado ao incentivo do desenvolvimento de ações e programas educacionais, com a criação de um centro de formação ambiental com biblioteca, jogos e material didático fornecidos pelo governo federal para alunos da rede municipal de ensino e visitantes.
Na inauguração, alunos do ensino fundamental da escola municipal Dante Egreggio vão conhecer o espaço e participar de uma conversa sobre questões do meio ambiente e histórias sobre a Feena.
“É um espaço educacional cujo foco principal será trabalhar a questão ambiental com as crianças e visitantes, ampliando o conhecimento sobre esse assunto”, comenta o secretário municipal do Meio Ambiente, Antonio Penteado.
O projeto de lei que trouxe a iniciativa federal a Rio Claro é do vereador Seron. O objetivo é fazer da Sala Verde um complemento às atividades realizadas em sala de aula.
Essa também é mais uma ação desenvolvida pela prefeitura dentro do “Programa Município Verde Azul”, no qual o governo estadual premia as cidades melhores ranqueadas pelos investimentos feitos no meio ambiente.

Coluna Edmar Ferreira

“Deus teve um propósito para a minha vida”. Essa foi a frase dita pelo limeirense João Paulo Azevedo Barbosa, que só não estava no voo da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, porque não teve seu contrato renovado por mais uma temporada. A tragédia que deixou 71 mortos completa hoje um ano.
O goleiro de 36 anos defendeu o time de Chapecó por 11 meses em 2015. O técnico Vinícius Eutrópio queria contar com o arqueiro no ano seguinte, mas foi demitido antes. Mal sabia o arqueiro que a chegada de Guto Ferreira mudasse por completo os planos de sua vida.
O destino entrou em ação quando João Paulo estava na reserva do CSA/AL. “Eu não estava contente no clube. Em um dia folga, fui a uma sorveteria e li na internet que a Chapecoense havia perdido os dois goleiros por lesão. Liguei para meu empresário, que em seguida entrou em contato com o time catarinense. Fui oferecido à eles”, contou.
João Paulo lembra que Vinícius Eutrópio aceitou na hora, pois o conhecia. “Fechei o gol em um jogo contra ele. Isso ajudou”, sorriu. Mas o contrato seria de três meses, ou seja, apenas para o Campeonato Catarinense. “Meu sonho era jogar uma Série A do Campeonato Brasileiro. Não estava nem acreditando que ele poderia ser realizado, isso é claro, se eu fosse bem no Estadual. Foi um felicidade imensa acertar com a Chapecoense”, lembrou.
Danilo era o titular absoluto e João Paulo revezava na reserva com Silvio. “Não tinha disputado nenhuma partida. O último jogo era contra o Criciúma. Valia uma vaga na Copa do Brasil. O Silvio iria jogar, mas se machucou na véspera. Foi então que ganhei minha primeira oportunidade”, contou.
João Paulo contou que entrou confiante, lembrando sempre dos conselhos de um preparador de goleiros de nome Fernando. “Ele sempre dizia para não ter medo. Foi com esse espírito que entrei. Se eu falhasse, com certeza meu contrato não seria renovado. Ganhamos de 1 a 0 e após a partida o diretor confirmou minha renovação para o Brasileirão. Foi muito gratificante”, frisou.
O limeirense pode, enfim, realizar seu sonho, viajando com a Chape para vários estádios do Brasil, como Maracanã, Beira-Rio, entre outros. “Não tive oportunidade de jogar, mas só de estar no banco já era um objetivo alcançado. Eu queria fazer parte do grupo”, ressaltou.
Com a demissão de Vinícius Eutrópio e a chegada de Guto Ferreira, o futuro do goleiro estava traçado. “O Guto me comandou no Mogi Mirim. Fui bem demais com ele. Estranhamente, o treinador optou por não ficar comigo e meu contrato não foi renovado. Não estava acreditando. Tinha planos até de encerrar a carreira na Chapecoense. Estava adaptado, morava bem, minha esposa estava feliz na cidade. Foi um tremendo baque. Confesso, me abalei muito. Deixei o clube com o nó na garganta e fui para o Brusque”, confidenciou.
Mal sabia que naquele momento, Deus estaria o livrando de estar na tragédia de Medellín. “Se meu contrato fosse renovado por mais um ano, com certeza estaria naquele voo. Me arrepia de lembrar nisso”, disse emocionado.
No dia da tragédia, João Paulo recebeu centenas de mensagens. “Costumo silenciar meu celular para dormir. Quando acordei levei um tremendo susto. Amigos e parentes achavam que eu poderia estar no avião. Liguei para o goleiro Silvio e choramos juntos com a confirmação da queda e dos mortos. Foi uma tristeza imensa. Sem dúvida o dia mais triste da minha vida, superando o dia em que meu contrato não foi renovado com o clube”, salientou.
Com lágrimas nos olhos, João Paulo lembra de cada vítima fatal com quem conviveu na Chapecoense. “Difícil até de falar. Danilo, Denner, Thyego, Gil, Ananias, Caramelo, Bruno Rangel, o preparador de goleiros Boião, o roupeiro Cocada, o massagista Serginho, o auxiliar Duca, o meu grande amigo Cleber Santana…(pausa e momento de maior emoção)…cara, parece mentira que não verei mais esses parceiros. Eles foram muito importantes na minha vida. Tínhamos um grupo no Whatsapp e não apago de jeito nenhum. Tem as mensagens de voz do Danilo. As vezes ouço para matar saudade. Dói muito”, contou.
Não tem um dia sequer que João Paulo não lembra da tragédia e nos amigos que perdeu. Tem até uma camisa autografada por alguns jogadores que perderam a vida naquele dia e que pretende colocar num quadro. “Tenho falado bastante com o Neto. Ele é um milagre de Deus”.
Com 36 anos, e ainda recebendo propostas de trabalho, João Paulo pensa agora apenas na família. Quer curtir mais o filho João Pedro, de cinco anos e a esposa Tatiana, com quem está junto há 14 anos. “Essa tragédia me fez refletir mais sobre a vida. Sobre a importância de valorizar a minha família. É por isso que decidi encerrar a carreira. Ainda podia jogar mais uns anos, tenho até propostas interessantes, mas quero ficar ao lado deles”, disse.
Desde a tragédia, João Paulo ainda não voltou a Chapecó. Pensa em visitar os familiares das vítimas no ano que vem, em especial a esposa e o filho do goleiro Danilo. “A gente jogava boliche junto nas horas vagas”, lembrou.
Morando em um apartamento na frente do Estádio Hermínio Ometto, em Araras, João Paulo treina goleiros na Escola JP, situada na Veloso Sport Center, trabalha na Uniaras e vende calças térmicas para goleiros da sua marca, a JP pelo Instagram. Além disso, vende luvas 3Stars para arqueiros de todo o país.
Em sua carreira, João Paulo se orgulha por ter vestido a camisa de mais de 30 clubes, entre eles o Velo Clube. Seu início foi no União São João aos 17 anos. Passou por CRB, CSA, Mogi Mirim (foi seu auge no Paulistão de 2011), Joinville, Bragantino, Rio Preto, Grêmio Barueri, Metropolitano (foram quatro anos), entre outros. Que história!
Hoje conheceremos o campeão da Taça Libertadores da América. O Grêmio enfrenta o Lanús, às 21h45, na Argentina. No primeiro jogo os gaúchos venceram por 1 a 0, gol de Cícero. Acho que dá Lanús!

BASQUETE SUB-12: CLUBE DE CAMPO É BI DO PAULISTA

O quinteto do Clube de Campo de Rio Claro sagrou-se Bi- Campeão do Campeonato Paulista no ultimo final de semana no Ginásio do Clube com as participações do São Paulo F.C., Criarte de Bauru e Clube Espéria da Capital Paulista. Os comandados de Alvaro, já haviam conquistado as medalhas e o troféu do Certame Regional, contra o Espéria no final de semana anterior. Nos jogos das finais os garotos do Clube de Campo venceram o quinteto do Espéria e o São Paulo F.C venceu o Criarte.
Final
Nos jogos da final da competição, na preliminar Criarte foi o 3º colocado 43 x Espéria 41- 4º colocado. No confronto final Clube de Campo com sua boa equipe derrotou a representação do São Paulo F.C. com o placar de 58 a 46. O time do Clube de Campo não perdeu nenhum dos 4 quartos da partida: 15 a 9, 31 a 13, 41 a 33 e fechando o placar 58 a 46. Ao final os garotos das 4 equipes e seus treinadores receberam medalhas e troféus. Arbitragem dos jogos com a direção da Federação Paulista de Basquete!

Linfoma de Hodgkin: uma história de muitas conquistas e desafios

Entre os tratamentos oncológicos existentes, o direcionado para o Linfoma de Hodgkin é considerado por muitos especialistas um dos maiores sucessos da oncologia moderna. A combinação de quimioterapia e radioterapia é capaz de curar até 90% dos pacientes em primeira linha¹, o que representa uma grande esperança para as pessoas que são diagnosticadas com a doença.
Porém, todo câncer possui desafios e barreiras, entre eles a questão psicológica e de apoio ao paciente nos diversos momentos da trajetória do paciente. “Como toda doença oncológica, é comum o paciente necessitar de apoio psicológico durante o tratamento. Medo em relação ao prognóstico, tratamento e efeitos colaterais são comuns, principalmente em pacientes jovens que geralmente estão em uma época da vida com muitos planos e compromissos”, afirma Dr. Guilherme Fleury Perini, hematologista do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo.
Caracterizado pela multiplicação descontrolada das células responsáveis pela defesa do organismo (linfócitos B)2, o Linfoma de Hodgkin é um câncer do sangue, que atinge os gânglios do sistema linfático. Apesar de raro na população geral, entre os tipos que acometem jovens adultos é um dos mais comuns, com uma incidência maior entre os 15 e 40 anos.
Alguns estigmas, como a própria palavra câncer, também se encaixam nessas barreiras a serem enfrentadas, apesar dos avanços importantes das últimas décadas. De acordo com o especialista, a maioria dos pacientes relata medo com relação à curabilidade do linfoma. Portanto, informações sobre as várias possibilidades de tratamento são muito importantes durante todo o processo. “Explicar ao paciente os próximos passos, o que esperar das terapias disponíveis e dos possíveis efeitos colaterais pode ajudá-lo a entender que além de eficaz, o tratamento do linfoma de Hodgkin tende a ser muito bem tolerado”, pontua Dr. Guilherme.
E é exatamente com foco nesses avanços da medicina que o paciente pode encontrar um conforto, mesmo para os casos refratários (resistentes aos tratamentos de primeira linha) ou recidivados (quando há retorno da doença). O médico explica que a chegada de novas terapias através de anticorpos monoclonais para o Linfoma de Hodgkin, como o brentuximabe vedotina, e também com os bloqueadores de PD-1, chamados de inibidores de checkpoint, conseguem induzir a respostas bastante positivas nestes pacientes.
“O entendimento do comportamento do linfoma de Hodgkin cresce muito rapidamente, e com isso, seremos capazes de aumentar ainda mais as taxas de sucesso no tratamento desta doença. Nós entramos na era da terapia-alvo na oncologia e a ideia é utilizarmos drogas mais inteligentes e menos tóxicas para alcançar a cura dos pacientes. Isso é uma realidade já no linfoma de Hodgkin, com estudos associando terapias novas já em primeira linha”, explica.

Inscrições para cursos do Pronatec terminam na quinta-feira

O Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) está com inscrições abertas para mais de 70 cursos online gratuitos, incluindo desenhista da construção civil, inspetor de qualidade, assistente de recursos humanos, auxiliar de farmácia de manipulação e recepcionista. As inscrições vão até quinta-feira (30). As vagas disponibilizadas são para cursos de formação inicial e continuada, na modalidade Ensino a Distância (EAD) por instituições privadas de ensino.
Para fazer a inscrição, é necessário apresentar RG, CPF e comprovante de endereço. A idade mínima é 15 anos. Os interessados devem procurar o Centro Público de Economia Solidária (Rua 10, 2527 – Av. 28 e 30, Alto Santana), Cras Jardim Brasília (Av. 30, 290, Jardim Brasília), Cras Bom Sucesso/NovoWenzel/Bom Retiro (Rua 5, 1.201, Bom Retiro), Cras Terra Nova (Avenida Marginal, 1.043, Terra Nova), Cras Panorama (Rua 14, 2.763, Wenzel), Cras Jardim Independência (Rua M-7, 1.031, Independência) e Cras Bandeirantes/Mãe Preta (Av. 1-MP, Ruas 6 RV e 19 RV, nº 159).

SNEF Brasil inicia operações em fábrica de Rio Claro

A Snef Brasil iniciou, em Rio Claro (SP), as operações de sua sexta planta no País. A unidade recebeu investimentos de R$ 795 mil, com a geração de 150 empregos diretos, e tem o objetivo de ampliar o atendimento aos clientes relacionados a automação industrial na região e produzir materiais para os projetos de novas linhas do Metrô na capital paulista.
Esse projeto conta com o apoio da Investe São Paulo, a agência de promoção de investimentos e competitividade ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.  “Esse é o primeiro empreendimento da Snef a entrar em nossa carteira, mas nós já colocamos nossa equipe à disposição para ajudar a empresa a crescer cada vez mais dentro do Estado”, explicou o diretor de Negócios da instituição, Sérgio Costa.
Para a Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô –  de São Paulo, a Snef Brasil vai fornecer e implantar os sistemas de alimentação elétrica e auxiliares para a linha 15-prata. Além dos trechos já existentes, a empresa vai trabalhar nos futuros trechos São Lucas – Hospital Tiradentes e suas subestações. Apesar das operações de transportes serem focadas na unidade paulistana da empresa, a nova fábrica é quem produzirá os equipamentos necessários.
No caso da região de Rio Claro, o foco da nova unidade é a automação da agroindústria, principalmente para produtores de cana-de-açúcar da região. O Estado de São Paulo é responsável por 48% da produção brasileira de etanol e cana-de-açúcar, e toda essa indústria está em constante desenvolvimento.
Segundo a Snef Brasil, o município de Rio Claro foi escolhido principalmente por conta do apoio oferecido pela prefeitura ao projeto, que ofereceu aos executivos da empresa segurança e organização na resolução de problemas.
Sobre a Snef Brasil
Criada em 2010 por meio da aquisição da empresa Energ Power, a Snef Brasil, com sede em Minas Gerais, possui empreendimentos ao longo da América Latina e faz parte do Grupo francês SNEF, fundado em 1905 em Marselha, o qual emprega 9.000 pessoas, com faturamento de aproximadamente 3 bilhões de reais.
A empresa possui três setores foco: energia e hidro, indústria e transportes. Há mais de 25 anos atua no fornecimento de equipamentos para hidrelétricas e irrigação, viabiliza soluções turn-key (engenharia, fornecimento, montagem, comissionamento, treinamento e assistência técnica) em eletricidade, automação, instrumentação e mecânica, sendo considerada líder francesa na área. Além de ser especializada em soluções para sistemas de transporte em geral (metro, ferroviário, rodoviário, aeroportuário e portuário), energia, tração, telecomunicações e segurança.

Sobre a Investe SP
A Investe São Paulo – Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo, é a porta de entrada das empresas que pretendem se instalar no Estado ou expandir seus empreendimentos.
A Agência fornece, gratuitamente, informações estratégicas que ajudam os investidores a encontrar os melhores locais para seus negócios, prestando assessoria ambiental, tributária e de infraestrutura, facilitando o relacionamento das empresas com instituições governamentais e concessionárias de serviços públicos. Tudo isso com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e a inovação em São Paulo.
Outra importante missão da Investe SP é incentivar as exportações de pequenas e médias empresas, também de forma gratuita. Ainda estão sob as atribuições da Agência prospectar novos negócios para o Estado ao redor do mundo, recepcionar delegações estrangeiras e promover a imagem de São Paulo no Brasil e no exterior como principal destino de empresas na América Latina. Para mais informações, acesse www.investe.sp.gov.br.

Empreendedorismo 4.0

Em cinco anos, o carro elétrico terá o mesmo custo de um carro convencional, o acesso à internet será universal, cidades estarão mais inteligentes. Essas e tantas outras revoluções, resultantes das inovações nos campos da inteligência artificial, internet das coisas, big data, nanotecnologia, robótica, neurociência, estão a um passo de nos alcançar. Não são previsões; é a realidade.
Recentemente estive no Vale do Silício, nos Estados Unidos, e tive a oportunidade de reunir-me com os principais players do mundo da inovação e vi o impacto que as tecnologias vão causar em todos os campos de nossas vidas. Segunda uma universidade norte-americana, as transformações que vivenciaremos nos próximos 100 anos vão equivaler as que ocorreram nos últimos 20 mil anos. As formas de produzir e consumir serão totalmente diferentes das que conhecemos hoje. Projetar o futuro e planejar nossas ações e estratégias é, portanto, nosso desafio de agora.
Se a ideia é construir empreendimentos relevantes hoje e no futuro, capazes de dar saltos tão espetaculares quanto os das inovações, é preciso fazer diferente e em velocidade máxima.
Nas visitas ficou bem claro que o processo de inovação não se faz somente com acesso as tecnologias, mas com a vivência constante das características empreendedoras. Por lá sobram iniciativa e autoconfiança, persistência, qualidade, capacidade de correr riscos, comprometimento pessoal, planejamento e monitoramento, atualização constante, rede de contatos. E não existem barreiras entre funcionários, empreendedores, lideranças. Todos estão, a todo momento, compartilhando conhecimentos, criando, inovando, de olho nas necessidades dos usuários. São estas pessoas que fazem do Vale do Silício a fonte que o mundo inteiro vai beber.
Outra boa notícia que trouxemos de lá: o Brasil é uma das prioridades dos investidores, que acreditam que o país é “o” mercado de venture capital a ser explorado. Para concretizar isso, precisamos fazer a lição de casa, com medidas que permitam que o setor privado ganhe robustez. Para isso ocorrer na velocidade que as mudanças exigem, tem que diminuir drasticamente a burocracia, enterrar de vez a fúria do aumento de impostos e aumentar a segurança jurídica. O Brasil tem que voltar a confiar no Brasil e abrir as portas para o crescimento.
Também se faz necessário investir em educação de ponto, priorizando um novo jeito de aprender, renovando a rede de ensino, especializando-a em realizar, em empreender. Porque educação não é mais importante, é indispensável.
O SEBRAE-SP deu o seu salto neste sentido, investindo na educação empreendedora de ponta. Nesta semana assinei junto a 124 prefeituras uma parceria para expansão do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos, o JEPP, que desperta nos alunos de 6 a 14 anos, a iniciativa de empreender. Cerca de 160 mil alunos das redes municipais de ensino serão beneficiados.
Soma-se a esta iniciativa, a Escola de Negócios em que formamos anualmente alunos criativos, aptos a desenvolver ideias, fazer conexões, implementar projetos, ou seja, prontos para fazer acontecer. E em 2018 vamos abrir outras duas frentes: a Faculdade Sebrae, que será uma referência acadêmica na formação de empreendedores e atuante centro de pesquisa e geração de conhecimento aplicado sobre empreendedorismo e o Centro Nacional de Referência em Empreendedorismo, Tecnologia e Economia Criativa, um hub de empreendedores e projetos ligados à inovação e criatividade.
Os investidores estrangeiros acreditam, e nós também, que o Brasil pode ser protagonista no admirável mundo da inovação. Basta querer e agir; agora.
Paulo Skaf
Presidente do SEBRAE-SP

Darcy Ribeiro – Compreendendo o Brasil: Ordem versus progresso

O dialético e anárquico e socialmente irresponsável processo colonizador no Brasil foi edificado em circunstâncias de anulação cultural de suas matrizes étnicas, que se ajustaram no improviso, na busca de soluções da expansão de seus núcleos.
A industrialização e a urbanização que deveriam seguir a ótica de complementaridade, aqui foram completamente desconexas. A falta do mínimo planejamento urbano que sofreram os grandes êxodos rurais transformou nossas cidades em grandes depósitos de gente; assim como a inexistente política industrial que nos fez meros fabricantes de matérias primas.
Ressalta-se, porém, como exceção à regra, o período Varguista que deu impulso a um projeto nacional de industrialização. A construção da Companhia Siderúrgica Nacional, CSN, a imposição da devolução das jazidas de ferro de Minas Gerais, negociadas aos aliados da 2ª Guerra Mundial para obtenção de apoio do Brasil, além da Petrobras, a Fábrica Nacional de Motores, dentre outras.
Foi também no período de Getúlio Vargas que as classes, historicamente, marginalizadas e segregadas tiveram sua elevação social, com a efetivação de direitos antes inimagináveis pelas classes dominantes.
Entretanto, o conceito de ordem sempre foi um elemento de controle social baseado na cultura da assimilação e resignação social, enquanto o progresso é uma cátedra para as classes dominantes.
A dramaticidade deste processo explode na agressividade em que cada um procura arrancar o seu, seja de quem for. Nas periferias segregadas se estrutura numa unidade matricêntrica de mulheres que parem filhos e mais filhos e que desconhecem o poder estatal, pois para esses, o Estado é a síntese da farda e da opressão. São despossuídos de saneamento básico, saúde, educação, habitação, dignidade. Seguem o fluxo do ciclo da miséria.
Contemporaneamente essas mesmas classes dominantes perderam esse controle e fogem desesperadamente dos frutos nefastos que seus antepassados germinaram e que convenientemente tentaram manter.
Continuamos a reprodução de um sistema político hierarquizado onde as camadas dirigentes de cada variante se perpetuam e se solidarizam no poder a despeito das classes marginalizadas.
Nossa “modernidade” não edificou e não privilegiou o diálogo multiclasses, no sentindo de diminuir as distâncias segregadoras de nossa colonização.
As aspirações do povo brasileiro jamais foram objeto de interesse de nossa classe dominante porque seguimos o fluxo do atendimento e de feitoria exportadora. O que se estabeleceu foi o aliciamento de índios e negros importados para aumentar a força de trabalho, que foi fonte de produção e lucro.
Essas primícias seguem até hoje sob novas formas e contornos, mas o método da dominação de classe é o mesmo.

Henrique Matthiesen