O SORRISO DE UMA CRIANÇA

271

Por Geraldo J. Costa Jr.
25/10/2017
Se tem alguma coisa capaz de emocionar a gente é o sorriso de uma criança. Ele revela toda a inocência do ser humano, enquanto ainda desconhece a realidade da vida. A criança não sabe e não se preocupa em classificar as pessoas, conforme crenças, costumes e opções. Para a criança há os bons e os maus. Os primeiros a tratam com amor e respeito. Os demais, com violência e desprezo.
Maltratar uma criança é um ato de covardia, acima de tudo. Saber entendê-la demanda tempo, paciência e algum esforço. E tempo e paciência são coisas que pais e responsáveis parecem ter cada vez menos. É comum atualmente, pais transferirem para professores, treinadores esportivos, psicólogos e até religiosos a educação de seus filhos. Ledo engano.
A criança aprende por assimilação e desenvolve seu comportamento, seu caráter, ao reproduzir aquilo que observa. E nesse sentido, aquilo que os pais falam e fazem causa-lhes maior impacto, porque até prova em contrário, os pais, são para a criança, sinônimo de confiança, de companheirismo e de respeito. Elas tendem a repetir o que os pais falam e fazem e o modo como falam e fazem, porque essa é a realidade que lhes é apresentada mais de perto e com exclusividade diferentemente do que acontece nas escolas e nas equipes esportivas, por exemplo, onde tudo é compartilhado.
O amor e a atenção que se dá a uma criança é um tesouro de valor incalculável. Impossível mensurar a importância que isso terá na formação do caráter desse indivíduo que apenas inicia os seus passos neste mundo.
O efeito do sorriso de uma criança, no ambiente em que ela se encontra, é contagiante. A criança feliz desperta a atenção de todos e encanta. Transmite um sentimento de esperança que, nos dias atuais, se vê constantemente ameaçado.
Portanto, educá-las, dar-lhes oportunidades para adquirir conhecimentos, transmitir-lhes o valor profundo da vida, é missão de todos, porque todos um dia já fomos crianças, mas é sobretudo, missão dos pais.
Há exceções, evidentemente, mas, via de regra, um indivíduo considerado mau elemento na sociedade, foi uma criança infeliz, desprezada e maltratada. Pouco ou nada sorriu, porque não lhe deram nenhum motivo para fazê-lo. Cresceu sem conhecer o lado bom das pessoas. Tomou a maldade e a indiferença como único valor vigente no meio em que vive.
Daí, a importância fundamental de cuidar bem das crianças. De mostrar-lhes, com exemplos, ações e palavras, que sim, o amor existe, que há pessoas de bem neste mundo, que existem oportunidades para todos, que dependerá apenas de sua vontade e esforço, permanecer no caminho do bem e vencer na vida de maneira digna, para que possa aprender a sorrir ou continuar sorrindo.
O colaborador é escritor
Jcostajr2009@gmail.com

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA