A ENTREVISTA PERDIDA COM O PROF. ZOTTARELLI

Por Geraldo J. Costa Jr.
30/10/2017
Em meados de 2008, eu participava da equipe de redatores do jornal O Beta, mensário com circulação em Rio Claro, com enfoque na cultura. Havíamos entrevistado o cronista Jaime Leitão, o cineasta João Paulo Miranda Maria, o ativista político e cultural Luis Carlos “Curinga” Rezende e o historiador Paulo Rodrigues, entre outros.
Então, um de nós teve a ideia de pedir uma entrevista para o professor Aldo Zottarelli Jr., fundador e então proprietário da Rádio Excelsior Jovem Pan. Durante duas horas, ele nos recebeu com toda paciência e simpatia em seu escritório nas ótimas instalações ocupadas pela emissora no edifício São Lucas, na rua 6.
Respondeu a todas as perguntas, minhas, do Favari, do Lourenço e do Anselmo. Falou sobre o seu romance Névoa, no qual estava trabalhando e sobre seu livro de crônicas “Não é mesmo?”, à época, recém lançado e cujo exemplar autografado tenho guardado até hoje, está lá: “Ao amigo Costa, com admiração”, assinado e datado, 27/3/2008. Contou toda sua trajetória como educador e empreendedor.
Revelou que a TV Rio Claro, hoje TV Claret, que ele também fundou e conduziu durante anos, talvez tenha sido a primeira emissora a ir ao ar sem possuir uma câmera. Falou-nos um pouco sobre bastidores da política que conhecia muito bem, de sua amizade com o ex-governador Mário Covas, deu opiniões sobre assuntos do momento.
Quando lhe perguntei sobre quem era na opinião dele, a maior revelação do rádio em Rio Claro, naqueles dias, ele respondeu sem titubear que era Ivo Rosalem Neto (inexplicavelmente o único daquela promissora geração de jovens jornalistas, hoje fora do jornalismo radiofônico).
Falou com emoção e entusiasmo sobre o sucesso do seu filho Maurício, exímio baterista de renome internacional. Contou-nos sobre suas idas aos Estados Unidos, que lhe renderam alguns contos para o livro mencionado.
Enfim, o professor Zottarelli desnudou-se, no melhor sentido da palavra. Sentiu-se à vontade. Falou sobre intimidades, literatura, serviu-nos café, duas vezes. Foi uma conversa bastante agradável e interessante que, todavia, jamais foi para as páginas de O Beta, porque uma falha técnica, no gravador, impediu que preparássemos melhor a entrevista juntando as respostas do professor com nossas anotações, que, por sinal, eram poucas, uma vez que o conhecimento e a cultura do professor Zottarelli absorveu-nos completamente, e o que era para ser uma entrevista, acabou se tornando um ótimo bate-papo.
Pedimos-lhes desculpas, ele se colocou à disposição para nova entrevista, o que jamais ocorreu. O jornal O Beta deixou de circular, cada um de nós foi cuidar da vida, e o resto é lembrança. Boa lembrança, como daquelas duas horas em que fomos tão bem recebidos pelo professor Aldo Zotarelli Jr.
Por duas vezes, Zottarelli recebeu o troféu “Melhor do Ano”, na área da educação, oferecido pelo Jornal Diário do Claro. Era licenciado em Educação Física, pela Escola Superior de São Carlos, bacharel em Direito, pela Faculdade de Bauru, e na PUC de São Paulo, especializou-se em Direito Administrativo.
Desde jovem, escrevia artigos e crônicas para os jornais locais e de Limeira, Santos e São Paulo, além de comentarista e produtor de jornalismo da Rádio Clube de Rio Claro. Educador, músico e cronista, agora nos deixa, aos 78 anos, após ter inserido o seu nome de maneira ímpar e definitiva na educação, na literatura e na imprensa rioclarense.
O colaborador é escritor
jcostajr2009@gmail.com

Benefício de Prestação Continuada para idosos

Os idosos que recebem o Benefício de Prestação Continuada devem estar inscritos no Cadastro Único. A exigência é do Ministério do Desenvolvimento Social e tem por objetivo facilitar a gestão do benefício, possibilitando maior controle dos recursos e promovendo identificação mais precisa de quem realmente necessita desse benefício da assistência social.
O prazo para inscrição ou atualização do cadastro vai até 31 de dezembro. O setor de Cadastro Único de Rio Claro fica no piso térreo do paço municipal, na Rua 3, entre avenidas 3 e 5, Centro. O atendimento é feito de segunda a sexta, das 8 às 16 horas. Informações podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 0800 707 2003 (ligação deve ser de um telefone fixo).
Para a inclusão ou atualização do cadastro é necessário apresentar RG, CPF, título de eleitor, certidão de nascimento/casamento ou averbação, carteira de trabalho, comprovante de renda (holerite), declaração de matrícula escolar e comprovante de endereço (conta de luz, preferencialmente).
O benefício poderá ser suspenso caso não haja a inscrição ou atualização de cadastro, que deve ser realizada no máximo a cada dois anos.
O BPC é um benefício constitucional, previsto na Lei Orgânica da Assistência Social, que garante um salário mínimo mensal à pessoa idosa com 65 anos ou mais e pessoa com deficiência, que possui renda per capta inferior a um quarto do salário mínimo. O cadastramento e a atualização cadastral da pessoa com deficiência será feita a partir de janeiro de 2018.

Sábado tem campanha de arrecadação de alimentos em supermercados

Rio Claro realiza no sábado (11) campanha de arrecadação de alimentos em supermercados do município. A ação é organizada pelo Fundo Social de Solidariedade de Rio Claro, que destinará as doações a famílias carentes.
“Vinte e dois supermercados aderiram à campanha e terão pontos de arrecadação”, informa Paula Silveira Costa, presidente do Fundo Social. Os alimentos doados serão entregues ao Banco de Alimentos, que encaminhará os alimentos às entidades assistenciais para distribuição às famílias.
A ação solidária terá o apoio da Defesa Civil, Tiro de Guerra, Secretaria do Desenvolvimento Social e entidades assistenciais. Das 8 às 17 horas, atiradores do Tiro de Guerra e voluntários vão estar nos pontos de coleta nos supermercados para orientar a população sobre a campanha. Os voluntários poderão ser identificados pela camiseta com o logo do Fundo Social.
“A solidariedade é característica do rio-clarense, que certamente, assim como em campanhas anteriores, irá contribuir e doar alimentos para que possamos atender quem precisa”, observa Paula.
Os supermercados participantes da campanha são: Assaí, Barbosa, Bom Jesus, Brasil Frios (Avenida Brasil e Avenida 12), Covabra (Rua 8 e Rua 6), Dia (Centro), Duarte, Enxuto (Avenida 34 e Rua 14), Furquim, Irmãos Casagrande, Lavapés (Avenida 29 e Avenida Felício Castelano), Mercadão das Frutas, Mercado Matos II, Mercado Qualidade, Paulistão, Savegnago, Rede Horti Mais e Tropical.

Núcleo Dédalos apresenta: Dédalos -Labirintos Intermitentes

Dédalos – Labirintos Intermitentes é o nome do mais novo espetáculo da piracicabana Luiza Banov, à frente do Núcleo Dédalos – um grupo de trabalho e pesquisa que se dedica a explorar o movimento e suas intersecções –  que estreia em Rio Claro no Centro Cultural Roberto Palmari| Teatro Municipal Prof. Felicia Alem Alam, no dia 12 de novembro, às 19h. A entrada é gratuita.
“O espetáculo nasceu do desejo de dançar com o outro, da possibilidade de cultivar a dança como profissão, e acima de tudo de dialogar com outros artistas. A profissão do bailarino enquanto intérprete-criador é quase inexistente no interior do nosso Estado, compreendo que somos responsáveis por criar, cuidar e cultivar essa arte como profissão”, fala Luiza, que também integra o elenco da obra. “Esse projeto está sendo pensado desde 2013, quando comecei a refletir sobre essa realidade e não pude deixar de encontrar inúmeros labirintos. Eles estão refletidos nessa coreografia”, completa.
Com trilha sonora dos brasileiros Ernani Aguiar (1950) e Heitor Villa-Lobos (1887-1959), além de Oumou Sangare, Toby Twining, gravações e colagens, Dédalos – Labirintos Intermitentestem o intuito de trazer à tona a questão do indivíduo no mundo e das relações estabelecidas a partir do espaço e do tempo em que vivemos, levando em consideração a memória e os desejos de cada sujeito em um imenso labirinto que pode vir a ser a própria vida, o mundo e seu entorno. “O trabalho reflete sobre os múltiplos caminhos e escolhas que temos que fazer todos os dias… o que eles significam? O que é realmente importante nisso tudo? ”, revela Luiza. Na mitologia, Dédalo foi um notável arquiteto e inventor grego que criou o famoso labirinto do rei Minos, onde ficou aprisionado o Minotauro, tornando-se assim também um sinônimo do mesmo.
“Um grande desejo nesse trabalho era de me manter fiel às raízes coreográficas da dança. Então o processo de criação teve o movimento como grande condutor. A trilha sonora e a dramaturgia foram chegando praticamente juntas e aos poucos se agregaram ao trabalho”, conta. Um dos objetivos de Luiza nesta nova proposta era realizar uma criação de grupo, já que suas obras anteriores eram solos – Casulo de Seda (2006), Aos que aqui estiveram… (2011) e Sopro (2013 e 2015), esse uma cocriação com a atriz Marina Henrique.  NÚCLEO DÉDALOS APRESENTA ensaio125 (2)

Construção coreográfica –  A coreografia, executada por três intérpretes – Ana Paula Neves, Bruno de Castro Silva, Luiza Banov – tem interfaces com o vídeo. “As reflexões desse trabalho tiveram início em 2013, e agora, quatro anos depois, já era o momento de ele estrear. Nesse sentido, imagens e momentos de todo esse período estão presentes na cena. Algumas imagens que realizei durante viagens e também caminhos desenvolvidos para a construção coreográfica terão sua voz através de uma projeção em vídeo ao longo da coreografia”, revela a diretora, que também se utiliza de elementos cênicos como o giz e tecido para conduzir a obra. Vale ressaltar que o processo de criação foi acompanhado pela professora da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, Sayonara Pereira.NÚCLEO DÉDALOS APRESENTA ensaio125 (3)

Sobre a artista –  Luiza Banov é bailarina, coreógrafa e pesquisadora. É bacharel (2006) e licenciada em Dança pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), Mestre em Artes (2011) pela mesma Universidade e Doutoranda em Artes Cênicas na Escola de Comunicação e Artes ECA/USP. Tem trabalhado como bailarina independente e docente integrando projetos cênicos em diversificados núcleos de pesquisa. Integrou a Porto Alegre Cia de Dança, em Porto Alegre, em 2008, mesmo ano em que iniciou, em parceria com a coreógrafa Sayonara Pereira, o projeto cênico Transi(s)tórias, que busca integrar as diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, música e dança em criação coletiva. Em 2010 foi estagiária da remontagem de Frauenballett (1981) a convite da coreógrafa Susanne Linke, junto ao Folkwang Tanz Studio, em Essen, na Alemanha. Ainda neste mesmo ano realizou uma residência artística de dois meses na cidade de Bogotá, na Colômbia com o grupo Estantres Danza. Também já se apresentou na Venezuela e em Portugal.

Obras na escola Marrote entram na reta final

A reforma de um dos prédios da Escola Municipal “Antonio Maria Marrote”, no Bairro do Estádio em Rio Claro, está perto da finalização. A recuperação do prédio, que ficou interditado por um ano devido a problemas estruturais, foi iniciada em abril deste ano e segue em ritmo acelerado com objetivo de preparar o imóvel para utilização no início do ano letivo de 2018. O investimento da prefeitura é de R$ 738 mil.
“O prédio está quase pronto para receber as crianças que terão um espaço novo e com estrutura adequada para o desenvolvimento das atividades escolares”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que visitou o canteiro de obras nesta terça-feira (7) acompanhado do secretário da Educação, Adriano Moreira.
O presidente da Câmara Municipal, vem acompanhando a obra desde o início e ressalta a celeridade dos trabalhos. “Em poucos meses a prefeitura conseguiu avançar na reforma para que os alunos possam retornar ao prédio”, destaca.
“Incluímos outras melhorias no projeto que vão tornar o prédio mais seguro e confortável para os alunos”, informa Moreira. Além da reforma das sete salas de aula e da brinquedoteca, o prédio recebeu telhado novo. As telhas comuns foram substituídas por telhas sanduíche que são termoacústicas e possuem propriedades que isolam a temperatura e o som. O espaço externo recebeu sistema de drenagem para evitar alagamentos em períodos de chuva e um novo portão para facilitar a entrada e saída das crianças.
“Já estamos providenciando com a Secretaria da Educação o mobiliário para atender as crianças”, explica Aline Cristina Ceccato Castelo Novo, diretora da escola, que destaca os esforços da administração municipal em atender o pleito da comunidade escolar que vinha solicitando a reforma do prédio há um ano.
Desde que o prédio foi interditado em abril do ano passado, as crianças foram remanejadas para o outro prédio que fica dentro da escola e outras para o Centro Social Urbano (CSU) localizado no mesmo bairro. Depois da reforma, todos os alunos voltarão a ser atendidos nas dependências da unidade de ensino, que tem capacidade para atender 350 crianças.

RC consegue prorrogação de prazo para entrega de seis unidades de saúde

O Ministério da Saúde prorrogou o prazo final para a conclusão das obras das seis unidades de saúde da família, abandonadas pelo governo anterior e retomadas nesta gestão. A nova prorrogação, comunicada nesta terça-feira (07) à prefeitura, permite que o município entregue as unidades completamente construídas até janeiro de 2018.
“Assim que  a atual administração teve início, no início deste ano, começamos a tomar providências para retomar as obras paralisadas”, explica o secretário de Saúde, Djair Francisco. “Abrimos diálogo com o Ministério da Saúde, conseguimos prazo extra, inicialmente até este mês de novembro e, com as obras em estágio avançado de execução, conseguimos estender esse prazo para janeiro”, acrescenta Djair.
As últimas medições, feitas pelo setor de Engenharia da Secretaria de Saúde, mostram o panorama avançado da execução das obras. A USF Santa Elisa/Figueira está praticamente concluída, com 95,07% das obras terminadas. Para a entrega dessa unidade, prefeitura aguarda o término da compra dos móveis e alguns equipamentos.
Também em estágio final de conclusão está a USF do São Miguel, 90,85% das obras prontas. As outras obras em andamento são as USF’s do Jardim Progresso (81,33%), Bela Vista (70,93%), Jardim Brasília (70,23%) e Vila Verde/Mãe Preta (60,60%).
A conclusão das obras e o pleno funcionamento das seis novas unidades de saúde da família, que fazem parte do Programa Mais Saúde, ampliarão o atendimento de Rede de Atenção Básica do SUS (Sistema Único de Saúde) em Rio Claro em mais de 30%.
As equipes da Atenção Básica da prefeitura estão em fase final no trabalho de territorialização, isto é, do cadastramento das famílias dos bairros que serão atendidas pelas novas unidades.

Seminário da Indústria 4.0 no Setor Ortopédico

Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial é um termo que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, internet das coisas e computação em nuvens.
A Indústria 4.0 facilita a visão e execução de “Fábricas Inteligentes” com as suas estruturas modulares, os sistemas ciber-físicos monitoram os processos físicos, criam uma cópia virtual e tomam decisões descentralizadas. Com a internet das coisas, os sistemas ciber-físicos comunicam e cooperam entre si e com os humanos em tempo real, e através da computação em nuvem, ambos os serviços internos e intra-organizacionais são oferecidos e utilizados pelos participantes da cadeia de valor.
A Indústria 4.0 desponta como caminho natural para aumentar a competitividade do setor por meio das tecnologias digitais. No Brasil ainda é pouco utilizada pelas empresas nacionais. O atraso brasileiro diante da integração das tecnologias físicas e digitais em todas as etapas de desenvolvimento de um produto fica evidente porque 43% das empresas não identificam quais tecnologias têm potencial para alavancar a competitividade do setor industrial. (Pesquisa nacional sobre adoção de tecnologias digitais relacionadas à era da manufatura avançada, realizada pela Confederação Nacional da Indústria – CNI)
Esse importante tema que está movimentando, mundialmente, todos os setores, fez com que, a Diretoria do CIESP em Rio Claro, viabilizasse o “1º Seminário da Indústria 4.0 Setor Cirúrgico Ortopédico, que além de apresentar demonstrações teóricas e práticas, incentiva a divulgação e promoção dessa nova cultura industrial.
Durante o evento, ainda, aconteceu o ato de assinatura do Termo de Cooperação entre a FIESP e a Santa Casa de Rio Claro para utilização do “Aplicativo Ponte de Negócios”

Programação:
Dia 7/11 – Terça-feira
13h00 – Recepção e Credenciamento
13h30 – Abertura
13h45 – Ato da Assinatura do Termo de Cooperação entre a FIESP e a Santa Casa de Rio Claro para utilização do Aplicativo Ponte de Negócios      
14h00 – Palestra: Soluções em Ferramentas de Usinagem Dedicadas para a Área Médica
15h00 – Palestra: Virtualização de Projetos e Processos na Indústria Médica 4.0
16h00 – Demonstrações práticas
16h30 – Palestra: Acabamento superficial, suas interferências e metodologias de análise
17h30 – Técnicas e soluções em usinagem 5 eixos
18h30 –  Demonstrações práticas

Dia 8/11 – Quarta-feira
13h00 – Recepção e Credenciamento
14h00 – Palestra: Avaliação de próteses ortopédicas no Inmetro.
15h00 – Demonstrações práticas
15h30 – Palestra: Eficiência – Gestão de contas (SAM) e Gestão de contas chaves (KAM) impulsionando a produtividade de vendas
16h30 – Palestra: Robotização e Digitalização da Manufatura no Brasil.
17h30 – Mesa Redonda com participação dos palestrantes e debates com a plateia e convidados.

Exposição “Projeto Animais” fica na escola Sebastião Ambrósio até 5ª-feira

Segue até quinta-feira (9) a exposição “Projeto Animais” na escola municipal Sebastião Ambrósio, localizada no Complexo Educacional do Jardim Novo em Rio Claro. A exposição é aberta aos pais dos alunos e público em geral.
Os trabalhos foram desenvolvidos pelos professores e alunos de dois e três anos de idade das salas maternais e produzidos com materiais recicláveis, como garrafas pet, caixas de ovos e papel, tudo com um colorido especial. Jacaré, macaco, cachorro, baleia e vaca foram alguns dos bichos produzidos pelas crianças.
“A ideia é fazer com que os alunos identifiquem os animais domésticos, do jardim, da fazenda, os selvagens e os aquáticos, valorizando os bichos e o seu habitat natural”, comenta a coordenadora Cinthya Aparecida Rocha. A inspiração para o trabalho veio da visita que os alunos fizeram à Florestal Estadual Edmundo Navarro de Andrade, onde vivenciaram situações de contato direto com a natureza. “As crianças ficaram encantadas ao visitarem o Museu do Eucaplito e passear ao redor do lago e ver o jacaré”, informou Cinthya.EXPOSIÇÃO PROJETO ANIMAIS FICA NA ESCOLA (2)

UFSCar divulga resultado dos recursos contra indeferimento de inscrições na seleção de estudantes indígenas 

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) divulga o resultado da análise dos pedidos de recurso contra o indeferimento de inscrições da seleção específica para ingresso em 2018 de estudantes indígenas nos cursos de graduação presenciais. Não houve alteração na quantidade de inscrições válidas, permanecendo aptos 797 candidatos inscritos para realizarem as provas no dia 3 de dezembro.
A convocação para as provas, contendo os endereços completos em cada uma das capitais (São Paulo, Recife e Manaus) em que o vestibular será aplicado, será divulgada no dia 17 de novembro, exclusivamente pela Internet.
Os candidatos deferidos devem verificar atentamente os locais de prova na homologação final, disponível em http://bit.ly/2zklQbe.
Mais informações podem ser obtidas com a Coordenadoria de Ingresso na Graduação da UFSCar, pelo telefone (16) 3351-8152.

Confecção de brinquedos a partir de sucata pelos pais dos alunos da Escola Municipal Dom Pedro I

Faz-se importante na sociedade atual, a reutilização de materiais recicláveis, pois diminui a geração de resíduos, transformando-os em peças, por exemplo, de artesanato, e evita-se descartes desnecessários, poupando recursos naturais, e contribuindo significativamente com o meio ambiente.
Muitas unidades escolares desenvolvem este tipo de trabalho. Os professores estimulam os alunos, a confeccionar brinquedos e jogos, a partir de materiais recicláveis, despertando uma consciência ecológica. Além dos alunos, tem-se estimulados a comunidade escolar sobre a temática, principalmente os pais dos alunos, sobre a importância deste reaproveitamento, que além ser benéfico por poupar custos com produtos novos, tem valor significativo ao meio ambiente.
Assim alunos da Escola Municipal Dom Pedro I, na série do Infantil I, coordenados pela professora Ana Paula Mendonça, desenvolveram uma atividade, onde os pais seriam os responsáveis em criar brinquedos, em formatos de animais escolhidos pelos alunos, utilizando-se de materiais recicláveis. Essa atividade permitiu desenvolver uma linguagem oral, e destacar as características dos brinquedos confeccionados aos colegas de sala e outras crianças da escola.
Os animais para a realização da atividade manual, foram escolhidos após a apresentação de teatro na escola, onde alunos ficaram curiosos pelas características de alguns animais. Assim com o intuito de sanar esta curiosidade, e trabalhar os processos de reciclagem de materiais juntamente com os familiares dos alunos, pensou-se na criação de um brinquedo reutilizável de forma integrada entre pais e alunos em uma tarefa de casa. Para a atividade, foi feito uma pesquisa e confecção da arte como ponto de partida, e estipulou-se uma data para que os alunos trouxessem os animais confeccionados de sucatas para a escola, e juntamente um texto escrito pelos pais, relatando a experiência em ajudar nessa atividade.
Segundo a professora da turma, as crianças ao trazerem os animais confeccionados para a escola, apresentaram as criações aos colegas de sala, e outras crianças da unidade de ensino, relatando entusiasmadas aos colegas, os tipos de materiais recicláveis utilizados pelos pais, para confecção dos seus bichos, e explicaram um pouco as características de cada um. As respostas foram bem positivas e os pais se mostraram entusiasmados, e acharam a ideia fantástica, relata a professora Ana Paula.
Além disso, foi feita uma exposição na escola, para que as demais salas, pudessem conhecer o trabalho e valorizar a importância do reaproveitamento de materiais, permitindo uma maior conscientização ecológica, a partir da confecção de novos brinquedos.
Portanto a atividade de confecção de brinquedos proporcionou uma integração entre escola, aluno, família e meio ambiente, reafirmando a importância do conceito de reaproveitamento de recicláveis, e contribuindo para um processo de aprendizagem significativa e de forma lúdica.

Alunos com seus bichos confeccionados e professora no momento de exposição aos outros alunos
Alunos com seus bichos confeccionados e professora no momento de exposição aos outros alunos
 Alunos fazendo perguntas para a garota cujo o Pai criou uma Zebra e a Floresta a partir de materiais reutilizáveis.
Alunos fazendo perguntas para a garota cujo o Pai criou uma Zebra e a Floresta a partir de materiais reutilizáveis.
Abelha confeccionada a partir de materiais recicláveis
Abelha confeccionada a partir de materiais recicláveis
Aluno explicando aos alunos e professora de outra sala como seus pais criaram o Elefante de material reciclável
Aluno explicando aos alunos e professora de outra sala como seus pais criaram o Elefante de material reciclável
Aluna explicando a coleguinha como seu pai confeccionou uma Girafa a partir de sucata
Aluna explicando a coleguinha como seu pai confeccionou uma Girafa a partir de sucata
Borboleta confeccionada a partir de rolinho de papel higiênico garrafinha pet e papelão
Borboleta confeccionada a partir de rolinho de papel higiênico garrafinha pet e papelão
 Leão confeccionado pelo pai da aluna utilizando garrafa pet e papelão
Leão confeccionado pelo pai da aluna utilizando garrafa pet e papelão

A nova psicologia do sucesso

José Renato Nalini, secretário da Educação do Estado de São Paulo

A 1ª conclusão do relatório McKinsey sobre o desempenho dos estudantes latino-americanos que se submeteram à Prova PISA de 2015 é a de que a mentalidade dos alunos afeta os resultados escolares duas vezes mais que o contexto socioeconômico.
Ainda não se dispõe de material denso suficiente para permitir leitura definitiva sobre o papel das mentalidades no aproveitamento escolar. Em Mindset: a nova psicologia do sucesso, Carol Dweck sustenta que indivíduos com “mentalidade de crescimento” são mais motivados ao sucesso do que os de “mentalidade fixa”.
A mentalidade de crescimento apoia-se na crença de que o sucesso deriva de trabalho duro e aprendizado consciente. A mentalidade fixa é a certeza de que as habilidades inatas são estáticas.
A boa notícia é a de que a mentalidade de crescimento pode ser ensinada. Alunos de baixa renda com mentalidade de crescimento conseguem atingir o mesmo alto nível dos alunos de alta renda com mentalidade fixa. Isso significa a independência de fatores condicionantes em relação ao êxito que vier a ser obtido em razão de estudo sério e muito esforço.
No livro Garra: o poder da paixão e da perseverança, Angela Duckworth insiste na relevância dessa vontade indomável como previsora do desempenho. Perseverança, curiosidade intelectual, consciência e autocontrole são fatores de sucesso.
Tal conclusão implica em adoção de estratégias de calibração da motivação. O professor é o eixo de transformação do aluno, detentor de mentalidade fixa, para torná-lo exemplo de mentalidade de crescimento. Para isso, é mister desenvolver o senso de pertencimento e a vontade de atingir metas, sem vinculação necessária com a avaliação, mas por acreditar que isso represente o crescimento como pessoa.
Não é impossível adotar estratégias de metacognição para ajudar o aluno a planejar e avaliar seu aprendizado. O convite aos professores é que tenham a coragem de implementar e avaliar intervenções para empoderar os alunos. O resultado poderá surpreender os mais céticos.

Começa a construção do muro da escola Caic no Jardim Brasília

Uma obra muito esperada pela comunidade teve início no Jardim Brasília 1 em Rio Claro. A prefeitura começou a construção do muro no entorno das escolas “Jardim das Palmeiras – Caic” e “Isolina Huppert Cassavia”. O muro terá 400 metros de extensão e mais de três de altura, sendo 2,60 metros de alvenaria mais proteção de alambrado na parte superior. Os trabalhos começaram pela Avenida 14, no fundo da escola Caic. O investimento é de R$ 224,7 mil com prazo de execução previsto de sete meses.
A obra foi anunciada à comunidade escolar no final de julho pelo prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, durante visita às escolas com o secretário da Educação, Adriano Moreira. “Queremos garantir mais tranquilidade, segurança e proteção para os alunos e profissionais que frequentam a instituição”, comenta Juninho lembrando que como vereador lutou muito para que a construção do muro se tornasse uma realidade, o que está sendo feito agora em sua gestão como prefeito.COMEÇA CONSTRUÇÃO DO MURO (2)
“Faz muito tempo que reivindicamos esse muro. Agora, depois de tantas promessas, finalmente está acontecendo”, destaca Leliane Zácamo, diretora da escola Caic, acrescentando que com o muro a área externa da escola poderá ser melhor aproveitada.
A construção do muro vinha sendo solicitada pela comunidade escolar e pais dos alunos desde a inauguração da escola Caic em 1996. “Essa era uma reivindicação antiga da comunidade escolar que está sendo atendida pela prefeitura”, afirma Adriano Moreira. Na Câmara Municipal, a construção do muro também foi solicitada através de requerimento do vereador Rafael Andreeta.

Coluna Edmar Ferreira

Amanhã viajo para o México para transmitir a Copa do Caribe de Futebol Máster pela AFIA TV. Todos os 40 jogos serão mostrados ao vivo pelo www.afia.com.br. Estarei na companhia do também narrador Sidney Botelho. Será minha quarta vez no Caribe. Voltarei a escrever a coluna após o feriado do dia 20. Enquanto isso o parceiro Léo Mendes manterá vocês informados neste espaço. Pimbaaaa!
Tem início hoje a 33ª rodada do Brasileirão: 19h30 – Ponte Preta x Grêmio e Avaí x Bahia; 21h – Atlético-PR x Corinthians e 21h – Sport x Botafogo e 21h45 – Santos x Vasco da Gama, Vitória x Palmeiras e Flamengo x Cruzeiro. Amanhã: 20h – São Paulo x Chapecoense e Atlético-MG x Atlético-GO e 21h – Fluminense x Coritiba.
A classificação está assim: 1) Corinthians 62, 2) Santos 56, 3) Grêmio e Palmeiras 54, 5) Cruzeiro 50, 6) Botafogo 48, 7) Flamengo 47, 8) Vasco da Gama 45, 9) São Paulo 43, 10) Bahia, Atlético-PR, Atlético-MG e Fluminense 42, 14) Chapecoense 40, 15) Coritiba 38, 16) Sport 36, 17) Vitória, Ponte Preta e Avaí 35 e 20) Atlético-GO 27.
Meus palpites para esta rodada: Ponte Preta 1 x 1 Grêmio, Avaí 1 x 2 Bahia, Atlético-PR 0 x 0 Corinthians, Sport 1 x 1 Botafogo, Santos 3 x 0 Vasco da Gama, Vitória 1 x 2 Palmeiras, Flamengo 1 x 1 Cruzeiro, São Paulo 2 x 0 Chapecoense, Atlético-MG 3 x 0 Atlético-GO e Fluminense 2 x 1 Coritiba.
Vasco da Gama terá quatro desfalques contra o Santos, hoje na Vila Belmiro. O goleiro Martín Silva está servindo a seleção uruguaia e será substituído pelo novato Gabriel Félix, da base do clube. O zagueiro Anderson Martins teve constatada uma lesão na coxa e para por duas semanas. Paulão o substituirá. Na lateral-direita Madson está suspenso e Pikachu assume o posto. Luis Fabiano é outro suspenso.
O atacante Lucas Pratto treinou normalmente ontem no São Paulo. O argentino se recuperou de dores na coxa direita. O goleador foi poupado das atividades na segunda-feira por causa do incômodo muscular. Mas o centroavante estará em campo contra a Chapecoense, amanhã no Pacaembu.
Recuperado de uma cirurgia para a retirada de um tumor no rim, o atacante Roger voltou a treinar no Botafogo. O centroavante conversou com os jornalistas e não escondeu sua emoção. “Estou começando uma nova carreira”. O goleador, pai de Júlia, tornou-se o jogador mais querido do Brasil. O goleiro Marcos, do Palmeiras, era assim.
Grêmio e Lanús, finalistas da competição sul-americana, terão de enviar a lista final de inscritos para o Mundial de Clubes antes do último jogo da decisão. A data limite colocada pela Fifa é dia 27 de novembro. Dois dias antes da finalíssima da Libertadores, marcada para o dia 29, em Lanús, na Argentina.
Autor do primeiro gol da vitória por 3 a 1 do Benfica sobre o Vitória de Guimarães pelo Campeonato Português, Jonas completou 13 gols em 11 jogos nesta temporada e 99 pelo time de Lisboa. O brasileiro igualou o recorde no clube da lenda portuguesa Eusébio e de Julinho ao marcar em nove partidas consecutivas.
O Manchester City tem o elenco mais valioso do planeta, segundo apontou o relatório do Observatório de Futebol do Centro Internacional de Estudos de Esporte. Com quatro jogadores avaliados em mais de 10 milhões de euros (De Bruyne, Sané, Sterling e Gabriel Jesus), o elenco de Pep Guardiola custa 1,19 bilhão de euros (R$ 4,55 bilhões).
Nesta mesma lista, Neymar é o jogador mais caro do planeta, avaliado em 218 milhões de euros (R$ 830 milhões). Melhor do mundo pelo segundo ano seguido, Cristiano Ronaldo vale 96 milhões de euros (R$ 365 milhões). Messi nem aparece na relação, uma vez que o mais caro do Barcelona é o uruguaio Suárez, avaliado em 134 milhões de euros (R$ 510 milhões).
Miroslav Klose, maior artilheiro da história das Copas do Mundo com 16 gols, foi confirmado pela Fifa como personagem de destaque do sorteio dos grupos do Mundial de 2018, que será realizado no próximo dia 1º de dezembro, na Rússia. O ex-atacante da seleção alemã foi escolhido para carregar o troféu que será dado ao mais novo campeão do mundo.
O croata Aleksandar Petrovic convocou ontem pela primeira vez a seleção brasileira masculina de basquete. Foram chamados 24 jogadores para os dois jogos da primeira rodada das Eliminatórias do Mundial, que será na China em 2019.
O primeiro compromisso da seleção será contra o Chile, fora de casa, no dia 24 de novembro. Na segunda partida, três dias depois, o Brasil enfrentará a Venezuela, no Rio de Janeiro.
Dois brasileiros que atuam na NBA estão na lista. São eles os armadores Raulzinho, do Utah Jazz, e Georginho, do Houston Rockets. Petrovic apostará na experiência do armador Marcelinho Huertas (ex-Los Angeles Lakers e hoje no Baskonia, da Espanha) e do ala/pivô Anderson Varejão (ex-Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors).
O primeiro objetivo do novo treinador é classificar o Brasil para o Mundial da China e para os Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, em 2020. Sua comissão técnica terá César Guidetti e Bruno Savignani.
Confira a lista de convocados do Brasil: Marcelinho Huertas, Raulzinho, Fulvio, Ricardo Fischer, Yago, Arthur Pecos, Georginho, Vitor Benite, Alex Garcia, Marquinhos, Léo Meindl, Jhonatan Luz, Jimmy, Lucas Dias, Olivinha, Rafael Hettsheimeir, Rafael Mineiro, Jefferson William, Augusto César, Anderson Varejão, Lucas Mariano, Caio Torres, Antonio e Renan Lenz.
Autódromo de Interlagos passa ontem pelos últimos reparos na pista para o GP do Brasil de Fórmula 1, que acontece neste domingo. Com as renovações no asfalto e o aumento da velocidade dos carros neste ano, a prova deve registrar novos recordes de tempo tanto no treino classificatório, como na melhor volta da corrida.
Curiosidade do dia: O atacante que mais vezes vestiu a camisa corintiana foi Vaguinho, com 551 jogos.

Espetáculo de dança no Sesc Piracicaba aborda o realidade do negro no país

Nesse sábado (11/11), às 14h30, a Cia Sansacroma apresenta o espetáculo “Outras Portas Outras Pontes”, na Praça do Sesc Piracicaba, com entrada gratuita. As cenas e movimentos mostram, em um primeiro momento, o olhar sobre o apartheid “gentil” existente no Brasil, quando negros operários são tratados com sub-cidadãos e os espaços físicos geram separações. Em seguida, quando a consciência desta separação torna-se indignação e é transformada em materialidade poética, explorando questões como herança cultural e identidade do brasileiro. A apresentação integra o projeto especial Expressões Afro, destaque neste mês devido ao Dia Nacional da Consciência Negra, com ações que objetivam o fortalecimento e reconhecimento de diferentes culturas, bem como o fomento ao respeito pelas diferenças, com o intuito de refletir sobre a construção de variadas identidades e valorizar a pluralidade de manifestações e expressões culturais afro.

“Outras Portas Outras Pontes” tem direção artística de Gal Martins (Prêmio Denilto Gomes 2013 na categoria Difusão da Dança, concedido pela Cooperativa Paulista de Dança), direção coreográfica de Yaskara Manzini, e trilha sonora composta pelo multi instrumentista Cláudio Miranda e os músicos Zinho Trindade e MC Gaspar. Segundo a produção do espetáculo, concentrado inicialmente nas ruas do Capão Redondo (SP), tornou-se possível de ser realizado em outros lugares pela própria essência da peça, onde seu processo criativo abrange desde o resgate da ancestralidade africano-nordestina até o olhar sensível sobre as questões político-estéticas que permeiam a cultura periférica, dialogando diretamente com a pesquisa estética atual que a Cia vem desenvolvendo nomeada por Gal Martins nomeia de “Dança da Indignação”. “Nesse processo, as indignações identificadas partiram principalmente dos espaços urbanos e comuns aos próprios bailarinos, moradores de regiões periféricas da cidade, lugares onde emergem causas e bandeiras sociais, políticas e poéticas”. Segundo Martins, é na rua que essas indignações brotam, e onde as pessoas têm a possibilidade de gritar e expurgá-las.

Sobre a Cia Sansacroma: Criada em 2002 pela atriz, dançarina e coreógrafa Gal Martins, a Cia tem se dedicado a desenvolver trabalhos baseados no hibridismo característico às criações coreográficas na contemporaneidade. O ponto de partida das criações são as poéticas do corpo negro onde quer que ele esteja inserido. Sua produção artística focaliza temas pertinentes à sociedade atual, no modo em que chegam e afetam a todos diretamente, seja no cotidiano das ruas, nas relações sociais e interpessoais, na mídia ou na própria arte. A Dança da Indignação, conceito criado pela artista, norteia a pesquisa de linguagem estética da companhia, que pretende reverberar no ato dançante as indignações coletivas, numa abordagem política-poética que aponta para as intersecções entre arte e vida. Tendo feito uma escolha singular ao atuar diretamente na periferia sul de São Paulo, este território influencia diretamente o seu processo artístico.

Escravidão sem cor…

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Feriadão prolongado, tive oportunidade de descansar e a felicidade de ler um livro onde aprendi muito sobre o racismo, sobre a escravidão. Isso porque, quando estamos descansando com a mente livre e solta, sem as “aporrinhações” do dia a dia, podemos ler e, principalmente refletir sobre aquilo que estamos lendo.
E esse livro, cujo autor é José de Oliveira Soares Filho, mais conhecido como Máqui, tem o nome de Histórias & Mistérios: O Caso Velasco.
A princípio você o encara como um livro de aventura, mas com o folhear das páginas percebemos que tem muito mais do que aventura em seu conteúdo.
Aprendi no livro, por exemplo, “que o preconceito racial tem muitas formas. Algumas formas são claras e geram o confronto direto, a guerra, a perseguição, a escravidão. Mas há formas mais sutis, que se misturam ao cotidiano e são inimigos invisíveis muito mais difíceis de combater. E todas, absolutamente todas essas formas de preconceito racial, sutis ou não, são destrutivas e injustas.”
Descobri também que quando há uma menção sobre escravidão nos vem à nossa mente a escravidão no Brasil e quase sempre a história nos remete aos negros trazidos da África. Nos esquecemos que índios foram escravizados; que imigrantes europeus, principalmente italianos foram escravizados de certa forma.
Quase nunca nos damos conta de que hoje a escravidão se dá pela opressão da miséria, da ignorância, sendo que hoje os grandes senhores de escravos são políticos sem caráter, que oprimem o povo para se manterem no poder, sem dó daqueles que não suportam tamanha opressão e morrem, principalmente nas filas de hospitais.
E nessa escravidão não vemos só SERES DA RAÇA HUMANA com a cor de pele negra. Temos também peles brancas, mulatas, amarelas, vermelhas.
Descobri ou acordei também para aquilo que nos omitiram na história da escravidão. Não nos disseram que foram MILHÕES, os negros escravizados; que as chicotadas que recebiam podiam chegar a 300; também não nos disseram que O Brasil, última nação a abolir a escravatura, assinou a lei porque o país estava sendo pressionado pela Inglaterra, muito interessada em vender suas máquinas. Também não me lembro de ter recebido a informação que o negro liberto passou a ser um fantasma, pois não era respeitado, não tinha emprego, dinheiro, oportunidade; nunca aprendi que piadas sobre negro não são engraçadas.
Nunca nos ensinaram que somos da RAÇA HUMANA e biologicamente todos iguais; que RAÇA é uma palavra inventada pelos cientistas para definir um conceito que eles próprios não sabem direito o que significa.
Ninguém nos perguntou como foi possível esse pais ser construído por gente que não tinha o que vestir, o que comer e era obrigada a trabalhar 18 horas por dia sob a ameaça de chicote e torturas.
Preconceito, antes de mais nada é você se sentir superior a outro ser por ele ter cor de pele diferente da sua; posição social diferente da sua; posição financeira melhor que a sua.
Me enriqueci bastante nesse feriado prolongado. Hoje posso dizer que agora sei como lutar contra os meus preconceitos, principalmente por que hoje consigo refletir sobre a história como ela foi e não como me contaram.
Consegui ter mais certeza ainda que não será o sistema de cotas por cor de pele que resolverá o problema da educação no Brasil, muito pelo contrário. Para mim o sistema de cotas por cor de pele é um PRECONCEITO contra a classe POBRE de pele branca, amarela, negra, mulata, vermelha. Isso porque o pobre não tem acesso à escola…

Darcy Ribeiro – Compreendendo o Brasil – Classe cor e preconceito

É indissociável a correlação de classe e poder; consensual, porém, entre as diversas linhas de pensamento que amplos grupos em que a exploração econômica, opressão política e dominação cultural resultem no binômio de exploradores x explorados.
Esta relação criou, segundo Karl Max, a luta de classe que consiste na oposição entre as diferentes classes, que não se ressumem somente entre a economia e a política, mas sim na sociedade como um todo.
Darcy Ribeiro em seu livro, “O povo brasileiro”, pondera que:“Nossa tipologia das classes sociais vê na cúpula dois corpos conflitantes, mas mutuamente complementares. O patronato de empresários, cujo poder vem da riqueza através da exploração econômica, e o patriciado, cujo mando decorre do desempenho de cargos, tal como o general, o deputado, o bispo, o líder sindical e tantíssimos outros. Naturalmente que cada patrício enriquecido quer ser patrão e cada patrão aspira às glorias de um mandato que lhe dê, além de riqueza, o poder de determinar o destino alheio.”
No contexto brasileiro, adiciona-se ainda, entre a relação de classe e poder, a questão do preconceito e da herança escravagista na análise depreciativa da dominação cultural que forma nossa sociedade. A questão étnica gerou doisindissolúveis preconceitos: a-) o da classe social, e b-) aquele que pesa sobre os negros, mulatos e índios.
Em nossa estratificação social, verificamos quatro níveis da relação classe, cor e preconceito:
a-) O topo da pirâmide social está ocupado pelas classes dominantes, compostas da figura do patronato, que são os proprietários das empresas, o dono do capital; alinhados à oligarquia onde está concentrado o sistema político, o coronelismo hereditário. Adiciona-se ainda o senhorial parasitário,que sobrevive do labor alheio, somado ao empresário contratista, o militar, o tecnocrata, as eminências, e as celebridades. Esse conjunto todo forma, o que conhecemos popularmente, como elite.
b-) Na classe média temos: os autônomos, os profissionais liberais, os pequenos empresários, os comerciantes; classe despossuída dos meios de produção, que não “vende” a sua força de trabalho, que detém apenas os bens móveis e imóveis e se acomoda nas burocracias estatais e privadas. A classe média não é determinada pelo seu grau de consumo ou por sua escolaridade, mas pelo modo que ela se insere na sociedade. Neoliberal por ideologia, acredita na concepção de que o gênero humano é um capital de acúmulo econômico e não aceita ser classificada como classe trabalhadora.
c-) Já as classes subalternas que compõem a pirâmide social são os assalariados rurais, minifundintas, como também o operariado fabril e de serviços.
Esta classe integra a vida social e explorada forma uma massa consumidora de produtos de subsistência e são mão de obra crucial para o sistema produtivo.
d-) A quarta classe e última classe, no último bloco inferior da pirâmide, temos os marginalizados, os mendigos, as prostitutas, os delinquentes, os subempregados que são aqueles completamente excluídos da vida social, e lutam para ingressar socialmente no mercado.Para esses só resta o romper as estruturas de classe. Ontem escravos, hoje subassalariados. Causadores do pavor e da repulsa das classes superiores.

Henrique Matthiesen