Bezerra de Menezes poderá abrir 40 leitos em parceira com Prefeitura

Os cidadãos que são atendidos pela rede pública de saúde de Rio Claro poderão ter à disposição mais 40 leitos hospitalares. A notícia foi divulgada na tarde de terça-feira (31), após reunião para discutir a possibilidade de parceria da Associação Casa de Saúde Bezerra de Menezes com a prefeitura.
“Sem dúvida seria um grande ganho para a comunidade, portanto, vamos iniciar estudos dos aspectos jurídicos e financeiros”, informou o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.
Se a parceria for estabelecida, o município ampliará em mais de 40% o número de leitos pelo SUS. “Hoje temos 94 leitos e estes outros 40 leitos seriam utilizados para média e longa permanência, facilitando o fluxo ao centro cirúrgico”, avaliou Djair Francisco, secretário municipal de Saúde, que propôs a elaboração de projetos da estrutura da parceria e de reforma do prédio, visando o credenciamento dos serviços no Ministério da Saúde.BEZERRA DE MENEZES PODERÁ ABRIR (1)
“Temos um prédio com espaço ocioso, capaz de abrigar pelo menos 40 novos leitos”, informou João Carlos Sanches, presidente da casa de saúde. “Entendemos que a parceria traria benefícios ao setor de saúde da cidade”, comentou Aparecido Chagas do Nascimento, diretor administrativo da entidade.
O vice-prefeito Marco Antonio Bellagamba ressaltou que a casa de saúde e a prefeitura têm interesse no trabalho conjunto e que a localização do prédio, próximo à Santa Casa de Misericórdia e à UPA do Bairro do Estádio, é um elemento facilitador.
Os vereadores Seron e Val Demarchi, que também participaram da reunião, manifestaram apoio à iniciativa e disseram que certamente a Câmara Municipal está à disposição para auxiliar na concretização da parceria.

Basquete profissional pode retornar em Rio Claro

A busca por patrocínio para viabilizar a retomada do basquete profissional motivou a reunião na sede da Caixa Econômica Federal, em Brasília, na última quinta-feira, 26, entre o gerente geral da instituição Sérgio Santos Serra, o secretário municipal de Esporte e Turismo de Rio Claro, Ronald Teixeira Penteado e o vice-presidente da Câmara Municipal Julinho Lopes, agendada pelo o deputado federal Guilherme Mussi (PP).
Maior investidora do futebol brasileiro, a instituição financeira também é atualmente a patrocinadora máster do Novo Basquete Brasil, o NBB, competição organizada pela Liga Nacional de Basquete.
Neste ano, Rio Claro não participa da competição nacional devido à dependência do dinheiro público herdada da gestão passada. Na reunião em Brasília, o secretário Ronald Penteado fez explanação em duas etapas.
Na primeira delas, ressaltou a importância histórica do basquete profissional para Rio Claro onde detalhou conquistas estaduais, nacionais e até sul-americanas. Por outro lado, o secretário salientou que a política do atual governo municipal, neste momento de crise econômica onde receitas das prefeituras reduzem de forma contínua, leva em conta investimentos nas principais áreas de atendimento ao público.
Ronald mencionou os investimentos já colocados em práticas em Rio Claro para sanar problemas graves na área da Saúde e reduzir o déficit de vagas em creches situação que inviabiliza, na maioria dos casos, o trabalho que permite mães completar ou garantir a renda da família.
Na segunda parte do encontro, o titular da Setur apresentou farto material, contendo fotos e reportagens jornalísticas, que ratifica a trajetória vitoriosa do basquete profissional de Rio Claro desde a época que disputava as competições através do Clube de Campo.
O amplo trabalho desenvolvido pela Setur com as categorias de base, para que Rio Claro possa voltar a ser celeiro de atletas profissionais também foi abordado na reunião. “Diante da realidade positiva onde a Caixa Federal se consolida como locomotiva no que diz respeito aos patrocínios esportivos, motivo deste encontro é colocar Rio Claro como um pólo forte do basquetebol e desta forma confirmar a solicitação de apoio”, disse o secretário. “Temos a certeza de que estamos diante de duas marcas vencedoras: a Caixa Federal e o Rio Claro Basquete”, acrescentou.
O vereador Julinho Lopes solicitou à Caixa Federal estudo no sentido de que a Liga Ouro de Basquete também possa contar com patrocínio. “Esta é a Liga de Acesso ao NBB. Fortalecendo a Liga Ouro, a Caixa Federal vai solidificar a força do NBB com times cada vez mais qualificados”, comentou. “Ciente da importância do basquete profissional à comunidade, o deputado Guilherme Mussi solicitou atenção especial por parte da Caixa no que diz respeito ao patrocínio para Rio Claro”, finalizou.

Prefeitura paga R$ 586,7 mil e garante leitos na Santa Casa

A prefeitura de Rio Claro, por meio da Fundação Municipal de Saúde, efetuou o pagamento de R$ 400 mil à Santa Casa de Misericórdia nesta terça-feira (31). A informação foi divulgada pelo secretário de Saúde, Djair Francisco. Os recursos são referentes à parcela de agosto para abater a dívida de R$ 4 milhões herdada do governo anterior.
Também nesta terça-feira, a prefeitura liberou R$ 186,7 mil para o pagamento da bolsa-médico aos profissionais que atuam no hospital. “Herdamos da gestão anterior uma grande dívida e estamos trabalhando para quitá-la. Somente neste ano já pagamos mais de R$ 2 milhões ao hospital”, comenta Djair destacando que, mesmo diante da difícil situação econômica da prefeitura, os repasses estão sendo feitos honrando o compromisso assumido com o hospital de pagar dívida herdada.
“Em nosso governo vamos continuar apoiando o trabalho da Santa Casa para que leitos não sejam fechados. No passado, até a alimentação faltou aos pacientes porque a prefeitura não fez os repasses”, relembra o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, ressaltando o setor de saúde como prioridade de governo.
De acordo com Juninho, a prefeitura está aberta a todas as iniciativas para melhor atender a população, especialmente aqueles que mais precisam. Nesse sentido, recentemente firmou convênio com o Hospital Santa Filomena para a realização de cirurgias eletivas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). E nesta terça-feira (31) o município iniciou entendimento com a Casa de Saúde Bezerra de Menezes visando a abertura de 40 novos leitos para a rede pública.

Cooperativas doam quase 1.800 litros de leite ao Fundo Social

O Fundo Social de Solidariedade de Rio Claro recebeu na terça-feira (31) doação de quase 1.800 litros de leite, resultado de ação solidária promovida pelo Circuito Sescoop de Cultura. O evento foi realizado na semana passada pelas cooperativas Sicoob UniMais, Unimed Rio Claro e  Sicoob Crediacirc.
“Essa doação representa uma grande ajuda às famílias atendidas por meio do Fundo Social de Solidariedade”, destaca Paula Silveira Costa, presidente da entidade, agradecendo a iniciativa dos organizadores e a generosidade da população.
“Esse evento é realizado anualmente, sempre com a proposta de levar cultura para a população e também contribuir com a causa social”, observa Egidia Witzel Beltrame, presidente do Conselho Administrativo da Sicoob UniMais. A entrega foi realizada juntamente com membros do conselho administrativo e diretoria da Sicoob UniMais: Sidney Tadeu Denari, Arlindo José Romani Filho, Denilson Antonio Ribeiro Floriano, José Fernando Bissoli e Ruan Christofoletti de Queiroz; e também Gislaine Rossi Pinhatt (diretora presidente Sicoob Crediacirc) e  Luiz Wehmuth Neto (diretor presidente Unimed). O Circuito Sescoop teve apresentação do espetáculo infantil 2por4, no dia 25 no Floridiana Tênis Clube.

Juninho cobra início da duplicação da estrada Rio Claro-Araras

A prefeitura de Rio Claro está empenhada em agilizar o início das obras para duplicação da Rodovia Wilson Finardi (SP-191), que liga Rio Claro a Araras. O assunto foi tema de reunião realizada nessa terça-feira (31) na sede da Intervias, concessionária do grupo Arteris que administra a rodovia. O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, cobrou da empresa agilidade no início dos trabalhos. “O índice de imprudência dos motoristas é grande, mas é necessário oferecer uma rodovia em condições de favorecer a diminuição de acidentes”, afirma Juninho.
O prefeito recebeu do gerente de Planejamento da Intervias, Nelson Machado da Silva, a informação de que conseguiu da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) licença prévia para realizar a obra. “O início da duplicação agora depende da Cetesb emitir licença de instalação”, informa Juninho ressaltando que pretende procurar a companhia e cobrar celeridade na emissão desse documento.
Existe a possibilidade das obras de duplicação da rodovia começarem pelas extremidades, do quilômetro 49 ao 52, próximo a Araras, e do quilômetro 71 ao 74, na região do trevo de Batovi.
Em reunião realizada em julho, o início das obras foi anunciado para o mês de novembro. O deputado estadual participou dessa e de outras reuniões para discutir o assunto e tem sido um dos articuladores das ações para viabilizar a obra. “A duplicação da estrada de Araras até Rio Claro é uma antiga aspiração regional que dará maior segurança aos usuários da rodovia”, observa o parlamentar.
A previsão inicial de investimento é de R$ 95,9 milhões. A duplicação da SP-191 será feita entre os quilômetros 49 e 74, no trecho que vai da rodovia Anhanguera (SP-330), em Araras, até a rodovia Washington Luís (SP-310), nas imediações do distrito de Batovi em Rio Claro.

Pré-conferências preparam RC para Conferência de Saúde em dezembro

As pré-conferências municipais de saúde estão em andamento em Rio Claro. Nesta quarta-feira, 1º de novembro, a atividade será realizada na Sala de Endemias do Núcleo Administrativo Municipal (NAM, Rua 6, 3265 – Santana), às 13 horas. Todos podem participar.
As pré-conferências fazem parte da etapa preparatória para a 13ª Conferência Municipal de Saúde, marcada para o dia 2 de dezembro e organizada pela prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Conselho Municipal de Saúde. Abertas ao público as pré-conferências tem três eixos centrais: “Entendendo melhor o controle social”, “Fortalecimento da participação social” e “A população como protagonista no SUS”.
Na terça-feira (31) foram realizadas duas pré-conferências, uma na Unidade Básica de Saúde da Vila Cristina e outra no Centro de Habilitação Infantil Princesa Victoria. Outra pré-conferência estava agendada para ser realizada na sede da Rede Rio-Clarense de Combate ao Câncer.
Na segunda-feira (6) as pré-conferências estão agendadas no Cead (Avenida 24, entre Ruas 8 e 9) às 8 horas e no Sepa (Avenida 19, 1.045) às 14 horas. Na terça-feira (7), às 14 horas, a atividade está marcada no salão da paróquia da Saúde e no dia 10 (sexta-feira), às 11 horas, no Centro de Habilitação Infantil (Avenida José Felício Castellano, 1700, Vila Cristina). Outras pré-conferências podem ser agendadas pelo e-mail conselho@saude.rc.sp.gov.br.

Trabalho árduo e de risco da Defesa Civil são destacados pelo Legislativo em homenagem

A solenidade realizada na noite da última segunda-feira, 30, no Plenário do Legislativo, foi presidida por Julinho Lopes (PP). Na Mesa Principal também estavam o vice-prefeito e secretário municipal de Segurança e Defesa Civil Marco Antônio Bellagamba, sua esposa Luciana que representou o Fundo Social de Solidariedade e os vereadores Geraldo Voluntário (DEM) e Ruggero Seron (DEM). Os parlamentares La Torre (PP) e Val Demarchi (DEM).
No Plenário, José Belém Saraiva recebeu a Medalha Funcionário Defesa Civil do Ano. Os demais homenageados, com Moções de Aplausos, foram: Antônio Paulo Lucas, Cláudio Antônio Pereira Pires, Jonathan Willian Turro Zuccoler, Kelly Pereira dos Santos, Luiz Afonso Polezi, Marco Antônio Ferreira, Niuro Ribeiro, Orestes Batista Minigildo Filho, Paulo Rogério Ortiz, Rodrigo Mateus Rodrigues e Sulamita Andréa Christofoletti.
“O Corpo de Bombeiro e da Defesa Civil são corporações que muitas vezes não são vistas mas estão sempre atentas nas horas mais difíceis em prol da segurança da cidade no que diz respeito aos incêndios e inundações”. A fala é do vereador Seron do Proerd que parabenizou a Defesa Civil pelas homenagens recebidas da população através da Câmara.
Autor do Decreto Legislativo que estabelece a homenagem, Julinho Lopes resumiu como excelente o trabalho prestado pela Defesa Civil de Rio Claro. “Temos de buscar mecanismos para que a corporação seja melhor equipada. Tenho acompanhado o trabalho deles há muito tempo. São profissionais comprometidos que merecem todo o nosso respeito”, disse.
O secretário Bellagamba defendeu a modernização da legislação vigente para melhorar as condições de trabalho da Defesa Civil. Destacou que nos momentos mais difíceis, principalmente em incêndios, os profissionais estão à frente 24 horas/dia. “Sinto orgulho de estar trabalhando com vocês e ter a oportunidade de lutar por melhorias”, assinalou o secretário.

Prefeitura estuda melhorias para aposentadoria de professores

A prefeitura de Rio Claro pretende estender a linha do tempo para a aposentadoria dos professores da rede municipal de ensino.  A medida consta de minuta de projeto de lei que está sendo elaborada pela administração municipal. A proposta será encaminhada ainda neste ano à Câmara Municipal para votação em plenário.
O anúncio sobre a mudança foi feito pelo prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, na solenidade de entrega da Medalha de Honra ao Mérito a 13 educadores, realizada no dia 26 de outubro na Câmara Municipal. A cerimônia foi presidida pelo vereador Ruggero Seron. A extensão da linha do tempo de aposentadoria atende solicitação feita pelos docentes. “A construção de uma escola com educação de qualidade deve evidenciar a importância do papel do professor que precisa ser valorizado”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.PREFEIITURA ESTUDA MELHORIAS PARA
O diretor Financeiro da Secretaria da Educação, Osmar Garcia, explica que mudança na legislação retirou dos diretores de escolas o direito à aposentadoria especial que prevê aposentadoria por 25 anos de contribuição para mulheres e 30 anos para homens. Agora, a regra estabelece prazos de 30 e 35 anos, respectivamente, para concessão dos benefícios.
O problema é que os diretores perdem o direito à progressão de carreira que pára nos 25 anos. Todo o período trabalhado após os 25 anos ficam sem progressão, ou seja, os profissionais não podem mudar de grau e adquirir outros benefícios. O projeto de lei pretende estender esse prazo para que os diretores mantenham a progressão até a aposentadoria. “A proposta prevê que esse benefício seja estendido a todos os professores municipais e não somente aos diretores”, explica Garcia.
Para o secretário da Educação, Adriano Moreira, a valorização dos profissionais do magistério é uma das metas da administração e a extensão da linha do tempo para aposentadoria se enquadra nesse propósito. “Não devemos pensar somente no ganho imediato, mas no que representa essa medida para o futuro do educador”, conclui.

Estados Unidos – curiosidade: Hershey e sua fantástica fábrica de chocolate

E. Cortez
Sabe aquelas cidades que giram em torno de um único tema? Que são sedes de uma grande empresa que emprega quase toda a população? Hershey, localizada no sul da Pennsylvania, pertinho do Amish Country e a menos de duas horas da Philadelphia, é assim. Mas como um ótimo exemplo do senso de oportunidade norte-americano, o município soube aproveitar sua vocação e hoje é um ótimo destino turístico, com parques de diversões, ruas bem cuidadas, restaurantes, lojas, e claro, a fábrica da Hershey’s, maior produtora de chocolates dos Estados Unidos.
Como começou – Em 1894, Milton Hershey abriu uma fábrica de doces na cidade de Lancaster, na Pennsylvania. Com a produção em massa de guloseimas como chocolates, caramelos e biscoitos, Hershey tornou possível a popularização do chocolate (que até então era um produto consumido apenas pela elite) entre os norte-americanos. Com o sucesso da marca, o empresário se viu obrigado a expandir sua produção. Em 1905, ele voltou a Derry Township, sua cidade-natal, no sul da Pennsylvania, onde inaugurou sua nova fábrica. O município possui uma localização estratégica, estando em uma região rural, mas ao mesmo tempo próxima a cidades importantes como Nova York e Philadelphia.
O resto é história: em 100 anos, a Hershey’s tornou-se a maior fabricante de chocolates dos Estados Unidos, exportando seus produtos para mais de 70 países, abrindo lojas próprias, comprando e incorporando outras marcas, detendo itens como o Kit Kat (sim, ele é fabricado pela Hershey’s) e o Reese’s.
E a pequena comunidade de Derry Township tornou-se Hershey, que, conforme a propaganda local, é “o lugar mais doce do mundo”. E deve ser mesmo, já que absolutamente tudo na cidade gira em torno da marca. Até os nomes das ruas! E como tudo na cidade remete à marca, até os postes de luz têm o formato do chocolate Kisses!
Hoje, a Hershey’s é uma verdadeira locomotiva, e sua cidade-sede, muito bem cuidada, possui lojas, restaurantes, e até mesmo um parque de diversões, chamado Hersheypark.
Mas a grande atração da cidade, sem dúvida, é a fábrica da Hershey’s.

ESTADOS UNIDOS (4) ESTADOS UNIDOS (1) ESTADOS UNIDOS (2)

Novembro Azul

Exames de rotina como medição da pressão arterial, dosagem do colesterol, glicose ou triglicérides costumam fazer parte da rotina da mulher e pouco estão presentes na vida do homem. O movimento Novembro Azul vem justamente conscientizar o homem sobre a importância dos cuidados diários com a saúde, além da prevenção e do diagnóstico precoce de doenças.
Ter uma alimentação balanceada, praticar regularmente atividades físicas, não fumar e evitar o consumo de bebida alcoólica são hábitos fundamentais para a prevenção de doenças como é o caso das doenças respiratórias e o câncer.
A hipertensão arterial é o principal fator de risco para mortalidade em todo mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 50% das doenças do coração e 75% dos casos de AVC estão relacionados à hipertensão.
Já o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no mundo e, no Brasil, ocupa esse mesmo ranking quando um tumor está relacionado à mortalidade. Três quartos dos casos de câncer de próstata ocorrem em homens acima de 65 anos.

A próstata
A próstata é uma glândula presente exclusivamente nos homens. Ela fica localizada na parte baixa do abdômen, logo abaixo da bexiga. O câncer de próstata é resultado do crescimento desordenado de células nesta glândula.
No Novembro Azul diversas ações orientam o homem e seus familiares sobre a importância do cuidado integral da saúde e alerta sobre a necessidade de procurar o médico em caso de identificar algum sintoma relacionado ao câncer de próstata, ou mesmo para conversar com ele sobre a indicação da realização de exames preventivos.

Sintomas
Na maioria das vezes, o câncer de próstata evolui lentamente podendo demorar 15 anos para alcançar 1 cm³. Nesses casos, de acordo com o INCA, o tumor não chega a dar sinais e nem ameaça à saúde do homem. No entanto, há casos em que ocorre um crescimento acelerado do tumor, que chega a se espalhar rapidamente para outros órgãos.
Os sintomas mais comuns são dificuldade de urinar, frequência urinária alterada, diminuição da força do jato ou sensação de que a bexiga não foi completamente esvaziada. Há casos em que o homem pode sentir dor ou observar sangue ao urinar. Na fase avançada pode provocar dor óssea, infecção generalizada e insuficiência renal.

Prevenção
A prevenção do câncer de modo geral começa com uma alimentação saudável ao longo de toda a vida. Frutas, verduras, legumes, grãos, cereais integrais e pouca gordura de origem animal são essenciais para manter o corpo saudável e reduzir os riscos de desenvolver várias doenças. Além disso, recomenda-se realizar 30 minutos de atividade física, manter o peso saudável, reduzir o consumo de álcool e não fumar.
De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer) “a decisão do uso do rastreamento do câncer de próstata por meio da realização de exames de rotina (geralmente toque retal e dosagem de PSA) em homens sem sinais e sem sintomas sugestivos de câncer de próstata, como estratégia de saúde pública, deve se basear em evidências científicas de qualidade sobre possíveis benefícios e danos associados a essa intervenção”.  O INCA mantém a recomendação de que “não se organizem programas de rastreamento para o câncer da próstata” e que homens que demandam espontaneamente a realização de exames de rastreamento sejam informados por seus médicos sobre os benefícios e limitações do exame.(fonte –

Falta de ingestão de água e má higiene podem provocar a infecção urinária

Infecção urinária é uma das principais causas de atendimentos nos postos de saúde. Os sintomas variam bastante: dor, ardência, urgência de ir ao banheiro, cheiro forte no xixi, eliminação de pouco xixi e até febre. A uroginecologista Marair Sartori e a médica da família Denize Ornelas estiveram no Bem Estar de terça-feira (24) para falar sobre sintomas, cuidados e tratamentos.
As mulheres são as que mais sofrem com o problema. Nelas, a uretra (canal que conduz a urina) é mais curta do que nos homens. Isso facilita a contaminação. A doença pode surgir em lugares diferentes – na bexiga é a infecção urinária baixa e nos rins é a infecção urinária alta. Quando está só na bexiga, a infecção é chamada de cistite. Se o processo não é resolvido, pode subir pelos ureteres, que é a ligação entre bexiga e rim, e a partir daí se espalhar para o corpo todo.
Por que a infecção aparece? A infecção urinária pode ser causada pela falta de ingestão de água ou pela má higiene. Dependendo da idade, uma série de outros fatores podem ser levantados como causa.
Algumas mudanças de hábitos podem evitar a infecção: urinar após as relações sexuais, trocar fraldas e absorventes quando estão úmidos, evitar roupas úmidas e, o mais importante, tomar bastante água (pelo menos dois litros por dia)

Buscando ajuda médica
Procure um especialista ao perceber os sintomas típicos de infecções urinárias. Descreva os sinais da doença e tire todas as dúvidas. Veja exemplos do que você pode perguntar ao médico:
* Há alguma outra doença que poderia estar causando esses sintomas?
* Preciso fazer algum exame para o diagnóstico?
* Qual tipo de infecção urinária se encaixa melhor nos meus sintomas?
* Os medicamentos variam de acordo com o tipo de infecção urinária?.
Ele, por sua vez, também deverá lhe fazer algumas perguntas, como:
* Quando os sintomas começaram?
* Seus sintomas aliviam depois de urinar?
* Com que frequência você urina?
* Está fazendo uso de algum tipo de medicamento?.
Diagnóstico de Infecção urinária
Os exames que podem ser feitos para diagnosticar infecções urinárias são:
* Exame de urina: é o método mais frequente usado para realizar o diagnóstico. A urina é analisada a procura de leucócitos e traços de sangue, sinais de infecção. Fica pronto em torno de duas horas
* Cultura de urina: Uma análise de urina feita em laboratório geralmente é seguida de uma cultura de urina, em que o médico usará a amostra do paciente para cultivar a bactéria causadora em laboratório. Esse exame ajuda a identificar a bactéria e quais medicamentos são mais eficazes na ação contra ela. Este é o melhor exame para identificar a infecção e a bactéria causadora dela, no entanto, os resultados demoras de três a sete dias para ficarem prontos
* Exames de imagem: o médico também poderá optar por realizar uma tomografia ou um ultrassom para identificar possíveis anormalidades em seu trato urinário. Também para esse fim, o especialista pode solicitar o exame com utilização de contraste para destacar as partes do sistema urinário que apresentam problemas
* Há, também, a possibilidade de fazer uma cistoscopia para analisar as partes internas da bexiga e da uretra, a fim de identificar a causa da infecção.

Tratamento de Infecção urinária
O tratamento de infecções urinárias varia muito de acordo com o tipo de cada infecção e sua gravidade também. Geralmente, o tratamento é feito à base de antibióticos. Mas o médico também poderá receitar um analgésico para aliviar a dor e a ardência ao urinar.
O tratamento também varia de acordo com a frequência que o paciente apresenta quadros infecciosos. Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula (fonte Saúde e Vida)

AVC mata anualmente mais de cinco milhões de pessoas por ano

No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o número de casos é de aproximadamente 100 mil. As sequelas ocasionadas por um AVC são muitas e incluem: paralisias, déficit sensitivo, déficit de memória e alterações comportamentais.

Sintomas
Entre os principais sintomas de acidente vascular cerebral estão as manifestações súbitas de:
– Dormência ou fraqueza da face, braços ou pernas (especialmente em um lado do corpo).
– Confusão, dificuldade para falar ou entender a fala.
– Dificuldade para enxergar em um ou ambos os olhos.
– Dificuldade para andar.
– Tontura, perda de equilíbrio ou coordenação.
– Dor de cabeça, sem causa conhecida.

Fatores de risco 
Um fator de risco é algo que aumenta a probabilidade de surgir uma doença ou uma complicação. No caso do AVC, há condições que não são possíveis controlar como o avanço da idade (a doença é mais comum após os 40 anos) e características pessoais (pessoas do sexo masculino e pessoas negras exibem maior tendência ao desenvolvimento de AVC). Porém, outros fatores de risco que podem ser regulados para ajudar a vivenciar dias mais saudáveis. Separamos os principais veja tabela abaixo:   (Fonte: Medline Plus / Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein / Rede Brasil AVC / Ministério da Saúde – Conteúdo aprovado pelo coordenador técnico-científico do Portal Unimed)

NOS 172 ANOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE RIO CLARO-SP

PRÉDIO DA CÂMARA MUNICIPAL EM 1850

O professor que assinou a independência
de Rio Claro e dominou Botucatu no chumbo

Parte inicial da história do primeiro secretário da Câmara Municipal de Rio Claro. O professor que virou o chefão de Botucatu e comandou a política paulista daquela região no chumbo.

Em 1845 Rio Claro tornou-se independente de Limeira ao ser elevada à categoria de Vila, como se classificava na época. Com a alteração, a comunidade política local passava a ter administração própria através de uma Câmara Municipal formada por sete vereadores.

A separação não foi amigável, mas permeada de intrigas. As tentativas de boicote por parte de Limeira tinham motivos óbvios. Para o vizinho município, a independência de Rio Claro significava a perda de uma imensidão de terras, prejuízo com recolhimento de impostos, além da formação de um reduto eleitoral concorrente. Rio Claro passaria a dominar uma região que seguia além de Brotas.
A intriga começou pela mobilização de fazendeiros locais fazendo abaixo-assinado pela independência encaminhado à Assembleia Legislativa, a quem competia aprovar a media. A favor estava o então deputado Antonio Paes de Barros, depois barão de Piracicaba. Ele foi um dos fundadores de Rio Claro. Do lado contrário estavam os vereadores de Limeira, que acusavam os rio-clarenses de ignorantes, pobres, manipuladores e incapazes para a administração pública. As acusações são conhecidas pelas crônicas memoriais da cidade.

Cartas de um lado e outro esquentavam o tempo na Assembleia Legislativa. O enfrentamento ficou conhecido como a disputa entre tatus e indaiás. O primeiro termo fazia referência a Tatuibi, antigo nome de Limeira. O termo indaiás identificava os partidários de Rio Claro, distrito associado a tipo de palmeira com este nome.

Fracassado o boicote de Limeira, o governo paulista sancionou a lei de desmembramento a 7 de março de 1845. Os indaiás elegeram seus vereadores. O futuro visconde de Rio Claro, José Estanislau de Oliveira, líder do grupo, foi confirmado como presidente. A posse do presidente ficou marcada para acontecer em 26 de outubro de 1845. Mas em Limeira. Ele teria que prestar juramento ante aos vereadores adversários. Sentindo-se injuriado pelas críticas até ali sofridas, Estanislau decidiu não ir. A decisão foi irreversível.

Foi daí que entrou para história um paraquedista que havia caído em Rio Claro por conta de haver sido nomeado o primeiro professor para uma escola pública na cidade. Seu nome era Tito Corrêa de Mello, que depois teria insólita trajetória na política paulista. Estanislau o institui como procurador para tomar posse em seu nome.

Com o presidente oficialmente reconhecido em tal circunstância, Estanislau marcou para 9 de novembro a posse dos demais seis vereadores. Assim aconteceu e a Câmara Municipal de Rio Claro passou a administrar a cidade. Na época não havia prefeito. Os vereadores exerciam as atividades executivas e legislativas.

O jovem Tito, ele tinha em torno de vinte anos, tornou-se a partir dali integrante da roda graúda dos políticos indaiás. Foi nomeado secretário do governo local. As atas dos primeiros anos da Câmara Municipal foram redigidas e assinadas por ele. Sua rápida ascensão pode ser explicada por ser um dos poucos alfabetizados na cidade com algum conhecimento para redigir atas.

Não deixa de ser curioso notar que o presidente da Câmara de Limeira, que liderou o boicote contra Rio Claro, era Manoel José da Carvalho. Anos depois ele acabou se instalando em Rio Claro como agrimensor e logo foi eleito vereador local. No exercício da profissão, prestou serviços de demarcação de ruas do povoado em formação. É ele mesmo. Aquele que projetou o cemitério de Rio Claro e morreu no dia da inauguração, em 01 de novembro de 1875. Foi sepultado em Finados. No dia seguinte. O seu é o túmulo número um.

Quanto ao momento da independência de Rio Claro cabem alguns destaques.

Desde o ano anterior a cidade enfrentava uma epidemia de varíola, que dizimava a população. As crônicas memoriais disponíveis detalham o assunto. Por sinal, a incidência de varíola, hanseníase e febre amarela foi uma constante até os anos 1920.

Politicamente a cena estava tumultuada desde 1842, quando paulistas, sob o comando do senador Vergueiro, fundador de Rio Claro, Limeira e Piracicaba, e do senador Feijó, tentaram um levante contra o governo de Pedro II.

Ambos eram expoentes da Corte com participação ministerial. Eles representavam os interesses liberais contra os dos conservadores, que os haviam removido do poder no Rio de Janeiro.

Fracassada a tentativa de revolução, Vergueiro e Feijó acabaram presos. Depois foram anistiados. O episódio influenciou negativamente nas cidades em que Vergueiro exercia influência. O que retardou a independência de Rio Claro e também de Limeira. As duas pertenciam a Piracicaba. A chamada província (estado) de São Paulo ficou marcada pela suspeita, motivo pelo qual perdeu o Paraná, que era território paulista e conseguiu sua independência.

A nomeação do professor Tito para a primeira escola pública de Rio Claro sofreu atraso por este mesmo motivo. O governo estadual ensaiava os primeiros momentos de organização do ensino público.
Era para ele ter iniciado ter tomado posse em 1843, mas em meio ao tumulto assumiu as aulas em 1845. De alguma maneira não esclarecida, o jovem Tito também envolveu-se na tentativa de revolução, por sua vez em Sorocaba, cidade de Feijó e sede da resistência contra o governo imperial. Igualmente, Tito foi anistiado. Só daí foi aparecer em Rio Claro.

A permanência do primeiro professor público na cidade foi breve. Não chegou a quatro anos. Ao longo de sua vida, Tito morou em São Paulo, Itu, Itapetininga e Botucatu, onde faleceu na passagem para o século XX. Sua origem é relativamente obscura e mobiliza pesquisadores. A tendência é identifica-lo como sendo mineiro.

Já em 1847, o jovem Tito deixava Rio Claro casado com a filha de
José Gomes Pinheiro e seguiu para Botucatu com o objetivo de cuidar das terras do sogro.

Em Botucatu ele imprimiu seu nome na história paulista de maneira polêmica e violenta. O período que vai de sua chegada àquela cidade à sua morte tornou-se conhecido em Botucatu como a “Era do Capitão Tito”.

Mas esta é outra história, que fica para a sequência, com a crônica “Tito, da pena ao chumbo”.
J.R.Sant´ Ana
03 de novembro de 2017

Tabela mínima de honorários advocatícios: alguns incomodados!

Não é a primeira vez que o Ministério Público questiona a tabela de honorários advocatícios mínimos publicada pelas Subseções da Ordem dos Advogados do Brasil. Para São Paulo foi publicada recentemente nova e completíssima tabela, com valores adequados, atualizados e extremamente justos.
Já se pediu há alguns anos a instauração de processo administrativo contra o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil por suposta prática anticompetitiva, com infração à ordem econômica. Na visão de alguns Promotores de Justiça, a OAB, ao deixar para cada subseção a fixação de tabela com os honorários advocatícios mínimos, estaria incidindo em conduta ilegal, com indícios de prática de cartel.
Questiona-se o fato de que a Ordem pune eticamente advogados que cobram abaixo do valor mínimo estabelecido na tabela, o que prejudicaria a concorrência. Existiria impossibilidade de o profissional determinar individualmente e com total liberdade com seu cliente os valores a serem contratados, com o cerceamento, inclusive, do direito fundamental de acesso à Justiça.
Dias atrás a questão voltou à tona: está em curso perante a Secretaria de Direito econômico do Ministério da Justiça investigação deflagrada pelo Ministério Público de Minas, sob o mesmo argumento: a OAB Federal permite que as Seccionais fixem honorários mínimos a ser cobrados do cliente, o que levaria à cartelização, enfim, tudo a violar o princípio constitucional da livre concorrência.
Há grande equívoco nesse pensar! A tabela de honorários advocatícios mínimos tem como finalidade justamente evitar o aviltamento da profissão e a prática de captação ilícita de clientela. Escapa-se, assim, da concorrência desleal. Grandes escritórios poderiam atrair clientela pela oferta de honorários baixos, prejudicando e até aniquilando concorrentes com menor estrutura física e de pessoal, embora tecnicamente bons profissionais. Sem parâmetros mínimos haveria uma prostituição no segmento, prejudicando a essência do trabalho intelectual da Advocacia, tão importante quanto a Magistratura e o Ministério Público.
Além disso, a relação entre advogado e cliente não é de consumo, pois a Advocacia é incompatível com qualquer espécie de mercantilização. Enquanto elemento essencial à administração Justiça, a relação com o cliente é pessoal de confiança e não de cunho comercial. Não há oferta de serviços no mercado de consumo e sim uma relação direta com o cliente.
A relação é marcada pela confiança que o cliente deposita no advogado. A advocacia é avessa à mercantilização. Logo, é impossível pretender se aplicar a essa atividade o Código de Defesa do Consumidor, diploma legal que tem a existência do mercantilismo como pressuposto. E mais, pode sim o advogado cobrar menos do que o mínimo de tabela, em situações pontuais humanitárias ou outras bem caracterizadas.
Cartelização também não é o caso; não se impõe a prática de preços semelhantes, podendo o advogado realizar valores superiores aos fixados na tabela mínima, de acordo com sua especialização e reputação no mercado. O parâmetro mínimo, portanto, afasta o dumping, garantindo-se um ambiente concorrencial saudável e não predatório entre os profissionais da Advocacia.
O então ministro César Asfor Rocha, do STJ, proferiu voto considerando a não aplicação do Código de Defesa do Consumidor em relações cliente/advogado, pois ainda que o exercício da nobre profissão de advogado possa importar, eventualmente e em certo aspecto, espécie do gênero prestação de serviço, é regido por norma especial, que regula a relação, além de dispor sobre os honorários. Não é atividade fornecida no mercado de consumo. E mais, as prerrogativas e obrigações impostas aos advogados, como, por exemplo, a necessidade de manter sua independência em qualquer circunstância e a vedação à captação de causas ou à utilização de agenciador, deixam clara a natureza incompatível com a atividade de consumo.
Lamentável queira o Ministério Público interferir, mais uma vez, em algo que não lhe diz respeito, até porque a conexão cliente advogado tem regulação própria, não se inserindo no contexto da típica relação de consumo. Cada um procura o profissional que quiser, dentre de sua confiabilidade e orçamento. Aos que não podem, a Defensoria dará o suporte necessário.
Há outras preocupações nacionais com as quais deveria o MP se envolver, tal como a extrapolação/violação do teto constitucional para salários de categorias privilegiadas.
William Nagib Filho – Advogado

Estarrecedor…

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Sempre acreditamos que o crime organizado no Rio de Janeiro tinha a mão de políticos influentes nos governos estadual e federal.
Josias de Souza é um jornalista com uma bela carreira profissional e não se conhece nada que pudéssemos desacreditar de seu blog, de nome “Blog do Josias”.
E o Blog do Josias, nessa terça-feira (31 de outubro) traz matéria que fortalece ainda mais aquela minha crença.
Segundo o blog, o ministro da Justiça, Torquato Jardim faz um diagnóstico aterrador do setor de segurança pública no Rio de Janeiro.
Entre as declarações do Ministro, por exemplo, está essa que “o governador fluminense, Luiz Fernando Pezão, e o secretário de Segurança do Estado, Roberto Sá, não controlam a Polícia Militar. Para ele, o comando da PM no Rio decorre de “acerto com deputado estadual e o crime organizado.” Mais: “Comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio”.
Ainda segundo o pensamento do Ministro a prisão dos chefões do tráfico no Rio de Janeiro, horizontalizou o comando, pulverizando os vários pontos de tráfico e os vários comandos, que hoje são chefiados por milicianos.
“Aí é onde os comandantes de batalhão passam a ter influência. Não tem um chefão para controlar. Cada um vai ficar dono do seu pedaço. Hoje, os comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio”, de acordo com o Ministro.
O que mais me preocupa é que eu não fiquei surpreso com essa notícia. Parece que eu já sabia há muito tempo que essa era a verdade no Rio de Janeiro e, o pior, não acreditamos que isso aconteça somente na cidade maravilhosa. Em todo lugar onde haja um crime organizado, acreditamos haver a participação de políticos de influência, na cidade, no estado ou em âmbito federal.
Para que bandidos tenham armamento muito superior ao da polícia, é preciso facilitação para que as armas entrem no país. Para que isso seja facilitado é preciso influências muito poderosas.
Assim, enquanto não houver o expurgo das pragas que assolam a política nacional, vamos continuar a conviver com o crime organizado no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Curitiba, em Porto Alegre e em todas as cidades do país.
Infelizmente, para nós, que queremos ser cidadãos cônscios e cumpridores dos nossos deveres e que nem sempre usufruímos dos nossos direitos, continuaremos a viver com medo, presos em nossas próprias casas, enquanto bandidos ficam à solta, distribuindo balas perdidas por esse Brasil afora…

Trabalhar dá trabalho

Carlos Brickmann

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse o que todos que não estão implicados gostariam de dizer: o crime não teria tomado as proporções que tomou, no Rio, sem muita cumplicidade oficial e policial. Jardim sabe de coisas que muita gente deve saber, mas: a) tem informações do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, ou seja, do general Sérgio Etchegoyen; 2) como ministro, tem obrigação legal de agir. Portanto…
Portanto, não se sabe. O caro leitor deve lembrar-se de que vive sob o auriverde pendão de nossa terra. O presidente Temer já pediu ao ministro que aja com discrição, o máximo de discrição (se não agir, melhor ainda). Jardim é velho amigo, Temer espera dele que compreenda seus problemas.
O fato é que PMDB e PT tentam rearticular a velha aliança, só rompida pela inabilidade da presidente Dilma. Lula já mandou um recado: é hora de parar com o “fora Temer”. O PMDB de Temer (e de Sérgio Cabral, e do governador Pezão) enfrenta as mesmas dificuldades do PT do Mensalão, do Petrolão e do Quadrilhão; ambos ficariam felizes com medidas legislativas como a proibição da delação de réus presos, condução coercitiva só em caso de recusa ao depoimento e fim de prisões temporárias que, pela longa duração, funcionam sem julgamento como antecipação de pena.
Juntos, PT e PMDB, calcula a repórter Lydia Medeiros, de O Globo, ficam com ¼ do dinheiro de campanha. Esta linguagem ambos entendem.
O trabalho eleitoral
É cada vez menos lógico, portanto, imaginar a eleição polarizada entre Lula e Bolsonaro. Lula dificilmente será candidato, Bolsonaro dificilmente terá fôlego para ir muito longe. Há outros nomes possíveis, na perspectiva de uma chapa PT/PMDB: Luiz Felipe d’Ávila, por exemplo; ou, no caso de a economia crescer bem, Henrique Meirelles. Meirelles tem boa entrada na área empresarial, foi presidente do Banco Central com Lula, ministro da Fazenda com Temer (e Lula cansou de indicá-lo a Dilma, que o rejeitou). D’Ávila, professor respeitado, é genro do empresário Abílio Diniz (que há tempos mantém boas relações com o PT). Do outro lado, o nome provável é o do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Caso algo semelhante ocorra de fato, a campanha será muito mais tranquila do que se espera hoje.
O trabalho cansa
Todas as articulações estão ocorrendo nos níveis mais altos de cada sigla e provavelmente provocarão algumas exclamações de horror se, e quando, se confirmarem. E estão ocorrendo longe do Legislativo – até porque quem deveria trabalhar contra o acordo ou a seu favor optou pelo repouso. Não, nada a ver com as férias disfarçadas de diplomacia parlamentar oferecidas, com dinheiro público, às Excelências que viajaram à Europa e ao Oriente Médio; é coisa mais bem distribuída. A Câmara prepara um recesso branco de dez dias – agora, quando pouco mais de um mês nos separa do recesso oficial do fim do ano. Funciona assim: há sessões marcadas para a próxima semana, de segunda a sexta. Mas não é para valer: é só para que o número de sessões atinja o mínimo e seja possível folgar de 13 a 21, sem que haja qualquer tipo de desconto. O Senado deve seguir o exemplo da folga.
O trabalho pacífico
Um acerto entre PT e PMDB deverá provocar a queda de muita gente do PSDB instalada no Governo. O ministro Antônio Imbassahy, bom político, por isso mesmo caiu em desgraça junto à bancada franciscana (a que segue a oração de São Francisco, “é dando que se recebe”). Aloysio Nunes e Bruno Araújo não despertam grande emoção no partido; Luislinda Valois, no Governo, mais retira prestígio do PSDB do que lhe acrescenta. Mas o desembarque do PSDB deve ser ameno, com garantia de apoio às reformas econômicas, sem brigas – até porque, embora em menor escala, os tucanos enfrentem os mesmos problemas que PT e PMDB tentam resolver.
O trabalho escravo
Livrar-se de Luislinda Valois, a inacreditável ministra que escreveu 207 páginas para dizer que ganhar pouco mais de R$ 33 mil por mês, como ela, se assemelha a trabalho escravo, é tarefa urgente para o Governo e o PSDB. Justificar-se alegando que é preciso vestir-se com dignidade, alimentar-se e usar maquiagem já é escárnio. Se a ministra acha baixos seus vencimentos, ninguém a obriga a ficar no Governo: pode ir embora. E será aplaudida.
O trabalho necessário
Mesmo que o ministro Torquato Jardim se aquiete, atendendo aos apelos de Temer, a acusação ao Governo e à PM fluminenses deve gerar efeitos. O secretário da Justiça e da Segurança do Mato Grosso do Sul cobra também o Governo Federal, pelo frágil combate ao tráfico nas fronteiras. “O crime no Rio é diretamente ligado ao tráfico de drogas”, diz, em ótima entrevista ao repórter Paulo Renato Coelho Netto, do UOL. E que faz a União para combater o narcotráfico? O Ministério da Justiça não respondeu à pergunta.
COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann

Prefeitura vai contratar 55 professores para as creches

A partir do ano que vem todas as creches da rede municipal de ensino de Rio Claro vão contar com professor efetivo na etapa 1 da educação infantil (berçário 1 e 2), que atende crianças de zero a dois anos. Atualmente, o atendimento nessa etapa de ensino é feito por monitores, exceto nas novas escolas que já possuem docente contratado pela administração municipal. A partir do ano letivo de 2018, esse benefício será estendido para todas as unidades que atendem mais de 2.200 crianças, sendo 964 na etapa 1. A etapa 2, para crianças de três anos, já conta com professores efetivos.
“É mais um investimento do governo no setor de educação que vai contribuir para melhorar o atendimento às crianças e a qualidade do ensino nas escolas”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que anunciou a melhoria na solenidade de entrega da Medalha de Honra ao Mérito a 13 educadores, realizada em 26 de outubro na Câmara Municipal. A cerimônia foi presidida pelo vereador Ruggero Seron.
No total serão contratados 55 professores. Neste mês, as vagas serão disponibilizadas para remoção aos educadores efetivos que já atuam na rede municipal. “Os professores interessados em mudar de escola vão poder participar da seleção. As vagas remanescentes, bem como as vacantes, serão preenchidas pelos novos docentes que serão contratados em janeiro”, explica o secretário municipal da Educação Adriano Moreira. Os novos educadores serão chamados do último concurso realizado pela Secretaria da Educação.prefeitura estuda melhorias para PREFEITURA VAI CONTRATAR 55 PROFESSORES PARA CRECHES
Para Simone Reganhan, diretora do Departamento Pedagógico e de Supervisão Escolar da Secretaria da Educação, a concepção da educação infantil é fundamentada em três conceitos: cuidar, brincar e educar. “Ter nas creches um profissional habilitado é reafirmar esses conceitos e garantir que a prática pedagógica se inicie a partir do ingresso da criança na escola”, afirma Simone observando que o trabalho pedagógico deverá levar em conta a idade da criança.
Já a coordenadora de Educação Infantil – Etapa 1, Keila S. Pinto, avalia que “ter um professor efetivo na etapa 1 da educação infantil contribui para o desenvolvimento e aprendizagem da criança que será assistida por profissional especializado desde o início de sua vida escolar”.

Alunos arrecadam 300 mil lacres e conseguem cadeira de rodas

A prefeitura de Rio Claro realizou na quarta-feira (1) mais uma troca de lacres de alumínio por cadeira de rodas. Cerca de 300 mil lacres foram arrecadados e a cadeira de rodas foi doada para a Pastoral do Deficiente Semeando a Esperança. O evento foi realizado nas Faculdades Asser e teve como destaque partida da modalidade paralímpica golbol, entre alunos da escola Dante Egreggio.
Essa foi a quarta troca de lacres por cadeira de rodas. Desta vez, a arrecadação integrou a Olimpíada Ambiental do município, realizada pelas secretarias de Meio Ambiente e Educação. A ação também contou com apoio da assessoria especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Rio Claro.
A entrega das cadeiras de rodas em troca dos lacres de alumínio faz parte do programa “Voluntários”, do projeto “Lacre Amigo Arteris”.
A Olimpíada Ambiental de Rio Claro tem neste ano participação recorde de 20 escolas da rede municipal de ensino e também faz parte das ações de Rio Claro para o Município Verde Azul, programa do governo estadual que premia as cidades melhores ranqueadas no desenvolvimento de ações ambientais.ALUNIS ARRECADAM 300 MIL LACRES
Após a entrega dos lacres, alunos do quarto ano de Ensino Fundamental da escola Dante Egreggio disputaram partida de golbol, esporte direcionado a pessoas cegas ou com baixa visão. “Foi uma ótima maneira de abordar com os estudantes a perspectiva de quem tem deficiência”, comenta Djalma Aparecido Lino, vice-presidente da Pastoral do Deficiente Semeando a Esperança.
No golbol o objetivo é fazer gols lançando com as mãos a bola rente ao chão. A bola contém um guizo para orientar os jogadores. “Foi uma experiência muito boa”, relata a aluna Erica Aparecida Miranda, de 10 anos. O assessor dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Paulo Meyer, também esteve presente no evento e ressaltou o trabalho feito no município em prol das pessoas com deficiência. “A inclusão em Rio Claro está sendo levada a sério. Com atividades como a dessa quarta-feira, barreiras são quebradas, o que ajuda a diminuir preconceitos”, comenta.