Mais de 300 têm atendimento marcado para a semana que vem no Espaço Mais Saúde

A agenda de consultas e exames no Espaço Mais Saúde de Rio Claro para a próxima semana prevê atendimento a mais de 300 pacientes. São pessoas que aguardavam na fila de espera do SUS (Sistema Único de Saúde) e que estão sendo chamadas pela prefeitura para atendimento no novo complexo médico-hospitalar do município.
Na segunda-feira (30) estão agendados 40 pacientes para o preparo de exame de colonoscopia. Na terça-feira devem ser atendidos 80 pacientes em exames de eletrocardiograma, 40 pela manhã e outros 40 à tarde. Para a quarta, 1º de novembro, foram chamados 70 pacientes para consultas com o oftalmologista. Ainda na manhã de quarta-feira mais 15 pacientes serão submetidos a exames de endoscopia.
Na sexta-feira (03), após o feriado de Finados no dia anterior, haverá exames de colonoscopia para 10 pacientes e exames de Doppler vascular para 100 pacientes. Fechando a primeira semana de novembro, no sábado (4), haverá coleta de sangue e eletrocardiograma para pacientes que precisam de cirurgias de média e pequena complexidade.
Os pacientes são chamados por telefone para o atendimento no Espaço Mais Saúde. As ligações são feitas pela Central de Regulação Ambulatorial da Secretaria Municipal de Saúde, seguindo os protocolos estabelecidos pelo SUS quanto às prioridades a pacientes registrados em fila de espera para consultas, exames e cirurgias. MAIS DE 300 TÊM ATENDIMENTO MARCADO PARA

Trezentos mil lacres de alumínio serão trocados por cadeira de rodas na terça-feira em RC

Em parceria com o Conselho dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Rio Claro, a prefeitura arrecadou cerca de 300 mil lacres de alumínios, que serão trocados por mais uma cadeira de rodas. Esta será a quarta troca e será realizada na terça-feira (31), às 14 horas, nas Faculdades Asser. Desta vez o recolhimento dos lacres foi realizado na Olimpíada Ambiental, que está sendo realizada em trabalho conjunto das secretarias municipais de Meio Ambiente e Educação com alunos da rede municipal de ensino.
A troca de lacres de alumínio por cadeiras de todas faz parte do programa “Voluntários”, que integra o projeto “Lacre Amigo Arteris”. Desta vez, a cadeira de rodas será destinada para a Pastoral da Criança e Juventude.
Além da entrega dos lacres, a programação do evento inclui disputa de partida amistosa na modalidade paralímpica golbol, entre alunos da escola Dante Egreggio, que serão vendados para realizar a atividade. O golbol é esporte voltado a cegos ou pessoas de baixa visão. O objetivo é fazer gols lançando, rente ao chão, a bola com as mãos. A bola contém um guizo para orientar os jogadores.
“A ideia é expandir o alcance da Olimpíada Ambiental e dar exemplos concretos aos estudantes de inclusão”, explica Leonardo Andrade, gerente do departamento de resíduos sólidos da prefeitura.
De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Antonio Penteado, “o evento também faz parte das ações do Município Verde Azul, programa do governo estadual que premia as cidades melhores ranqueadas no desenvolvimento de ações ambientais”.

300 mil lacres de aluminio serão trocados lacres

Moacir Martins Jr. visita redação do Diário

No final de semana, o professor Moacir Martins Jr., esteve visitando a redação do Diário do Rio Claro, onde veio presentear a redação com seu livro, recentemente lançado, intitulado “Labor e Divulgações”.
O livro faz parte de uma coletânea de ideias e reflexões do autor ao longo de sua carreira, abordando temas como Gestão Planejamento Organização no Trabalho.

Tomada de decisão e o papel do Líder entre outros assuntos que ajudam o leitor a entender a tarefa de gerenciar um negócio utilizando se da experiência pessoal e do seu expertise profissionalPROFESSOR MOACIR MARTINS JR (3) PROFESSOR MOACIR MARTINS JR (4)

Sobre o escritor
Prof. Moacir é Strategic Adviser e consultor organizacional, com grande experiência nas áreas de Gestão Estratégica, Liderança e Serviços. Palestrante, professor universitário, escritor e colunista dos jornais da região e revistas. Possui uma trajetória profissional de sucesso atuando como executivo, consultor e prestando assessoria em gestão e no desenvolvimento de programas de Liderança e treinamento há mais de vinte anos. Seu trabalho tem como marca o envolvimento profissional e o toque prático nas ações. Utiliza uma linguagem adequada ao público alvo que se apresenta em cada situação, o que faz com que suas atividades se aproximem com rapidez do foco da situação problema. Suas ações são realizadas levando em conta a simplicidade na condução das soluções e seu trabalho é efetivado no sentido de incentivar a participação da equipe da empresa cliente na construção das soluções, para prover o conhecimento e evitar a dependência.

Para que o leitor do Diário, possa conhecer um pouco mais sobre as ideias do professor Martins sobre Gestão Empresarial entre outros tópicos relacionados ao assunto, a partir do próximo sábado, dia 4 de novembro, Moacir passará a escrever quinzenalmente para este matutino, vindo se juntar aos outros articulistas enriquecendo ainda mais a leitura dos clientes e amigos. Para mais informações sobre Moacir, interessados podem acessar o site http:// www.prof – moacir.com.br – ou ainda tel 55. (19) 9.9670-6969

Olimpíada Ambiental arrecada mais de seis toneladas de material reciclável

Com número recorde de 20 escolas da rede municipal da Educação Infantil e Ensino Fundamental de Rio Claro, mais de seis mil alunos participam, desde o mês de agosto, da terceira Olimpíada Ambiental. Dentre as atividades que estão em andamento, os estudantes já arrecadaram mais de seis toneladas de material reciclável.
Organizado pela prefeitura por meio da Secretaria do Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria da Educação, o evento tem como objetivo aliar os Jogos Municipais Estudantis com a conscientização e aprendizado sobre questões do meio ambiente. Atividades esportivas, culturais e ambientais fazem parte das olimpíadas e, entre os destaques das competições realizadas até o momento, está o recolhimento de materiais recicláveis como papel, plástico, isopor, lacres de alumínio, esponja de limpeza, materiais de escrita que não funcionam mais, tubos de pasta de dente e óleo de cozinha.
Todo o material recolhido até o dia 30 de novembro será destinado à Cooperviva (Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Material Reaproveitável de Rio Claro) e para a associação de catadores de material reciclável Novo Tempo.
Alunos das escolas do ensino fundamental participam de peça de teatro.  As atividades esportivas incluem com disputas de futebol masculino e feminino, corrida de 60 metros, salto em distância, revezamento, câmbio, queimada, dama e xadrez.

Fórum da Proteção Social Básica tem inscrições para participação  

Com o tema “O fortalecimento do trabalho em rede nos territórios”, a Proteção Social Básica terá seu terceiro fórum em Rio Claro no dia 14 de novembro. A atividade será das 8 às 15h30, no auditório do Núcleo Administrativo Municipal. As inscrições para a participação estão abertas e podem ser feitas até o dia 10 no site www.assistenciasocial.rc.sp.gov.br/forum/.
O objetivo da atividade é fortalecer o trabalho em rede, em que o resultado se dá por meio da participação de representantes dos serviços existentes e organizações presentes no território. “A perspectiva é de construção e manutenção de fluxos de trabalho, discussões de situações e outras ações que contribuam para uma melhor qualidade de vida da população em vulnerabilidade social”, explica Érica Belomi, secretária do Desenvolvimento Social.
Entre o público esperado estão profissionais ligados às políticas públicas de atendimento à população, gestores, parceiros da rede municipal de serviços e da Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (DRADS), região de Piracicaba, além de estudantes e a população em geral.

Rio Claro realiza em novembro Feira Vegana de Final de Ano

Rio Claro irá realizar mais uma edição do evento que conquista cada vez mais adeptos pelo mundo. No dia 26 de novembro será realizada a Feira Vegana de Final de Ano de Rio Claro. Os estandes ficarão montados das 10 às 18 horas na Central do Agronegócio, na Rua 3-A, 1155, no bairro Vila Martins, onde o município realiza a Feira Corujão duas vezes por semana.
A Feira Vegana é uma realização da Univegan (União Vegana pelos Animais) e do grupo “Mas nem Peixinho?”. O apoio é da prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção.
Segundo os organizadores, o evento contará com a presença de diversos expositores de produtos e alimentos veganos da região. A feira também terá palestras, oficina de culinária com Teka Laury e a apresentação Animal Sente, com Bruno e Nana Indigo. Para as crianças, haverá ainda espaço kids com brinquedos.
A expectativa dos organizadores é que aproximadamente duas mil pessoas passem pela feira, que já teve outras edições e foi sucesso de público e vendas na região. Em junho deste ano também foi realizada com sucesso a segunda edição do Bazar Vegano de Rio Claro.
A Feira Vegana receberá doações voluntárias de ração, que serão destinadas à ONG VVA (Valorização da Vida Animal). Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (19) 9.9321-3615, e-mail feiraveganarc@gmail.com ou pelo Facebook (https://www.facebook.com/events/1715076231837414/?ti=icl).

Oito utilidades milagrosas do gelo para a sua beleza

E se você chega a gastar fortunas com produtos de beleza, vai adorar saber que o gelo faz milagres em sua pele. Então, deixe um pouco os produtos industrializados de lado e invista já nos cubinhos. Veja o que eles podem fazer por você:

1. Diminuir as rugas
O gelo diminui e retarda o aparecimento das indesejáveis rugas. Mas que fique claro que isso funciona para as peles mais jovens, ou seja, que ainda estão começando a ter esse problema. Isso ocorre porque ele melhora a circulação sanguínea, evitando o envelhecimento precoce da pele. E você só precisa usar o gelo para massagear a pele por 1 minuto, diariamente.

2. Ajudar a melhorar a circulação
Você só precisa deixar o gelo derreter e aproveitar a água gelada, jogando-a em seu rosto.

3. Reduzir a acne
Sabe aquelas terríveis espinhas que insistem em aparecer na hora errada? O gelo pode reduzir a inflamação, além de aliviar a dor que ela causa. Para isso, enrole um cubo de gelo em um pano limpo e macio e pressione por 5 minutos sobre a área afetada. Você vai perceber que a vermelhidão vai diminuir.

4. Aliviar as olheiras
Após um dia cansativo ou assim que você acorda, as olheiras costumam mostrar sua cara. A boa notícia é que é possível diminuí-las passando um cubo de gelo enrolado em uma toalha macia. Faça movimentos circulares por 2 minutos.

OITO UTILIDADES MILAGROSAS DO GELO

5. Fechar os poros
O gelo pode ajudar a diminuir os pontinhos indesejados. Para isso, você só precisa esfregar suavemente os cubos sobre a superfície da pele. Faça isso até o gelo derreter.

6. Remover a maquiagem
Se você não quer investir em um demaquilante, use o gelo. Você só precisa esfregar um cubo, suavemente, em seu rosto e enxugá-lo com uma toalha macia e limpa.

7. Secar esmalte
Após fazer as unhas, você não precisa esperar um tempão para o esmalte secar. Basta aguardar 3 minutos e mergulhar as unhas em uma bacia com água e cubos de gelo. Deixe-as mergulhadas por mais 3 minutos, e pronto: o esmalte estará seco.
8. Ajudar na depilação
Se você acabou se cortando com a lâmina, lave a região com água e pressione um cubo de gelo por 2 minutos. Isso faz o sangramento parar. Mas atenção! Não caia na conversa alheia de passar gelo antes da depilação com cera, pois a dor aumenta. E lembre-se de fazer movimentos sempre suaves e ir sentindo a sensibilidade ao frio, para não agredir sua pele. Afinal, você não vai querer correr o risco de ficar com uma marca bem visível, vai?

Estados Unidos – Roteiro de luxo acessível na Flórida: de Palm Beaches à Paraside Coast

E. Cortez
Na edição passada, a coluna mostrou um roteiro alternativo para quem gosta de ir às compras na Flórida e ficar longe do tradicional circuito Miami-Orlando e ainda curtir passeios diferentes: as regiões de Palm Beaches e Paradise Coast. E hoje vamos falar um pouco mais sobre estes destinos que estão sendo cada vez mais procurados.
Vale começar dizendo que a cidade de Palm Beach é lugar de riqueza. Para se ter uma idéia, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem ali uma propriedade avaliada em pelo menos US$ 200 milhões. Mas ainda que seja uma região onde se gastam fortunas, é possível experimentar a dolce vita de Palm Beach com orçamento mais modesto.
O luxo acessível pode incluir passeio guiado pelas ruas onde ficam as incríveis mansões, visita ao The Society of the Four Arts (com o jardim de esculturas como a que junta Roosevelt e Winston Churchill) e as atrações de West Palm Beach, que oferece ótimos bares e restaurantes, além de highlights como o GreenMarket, um mercado de produtores locais.
Por falar em dinheiro, a meia hora dali, na cidade de Jupiter, fica o restaurante do jogador de golfe Tiger Woods — o primeiro desportista bilionário da história, segundo a revista “Forbes”. Não à toa, existem na região de Palm Beach 160 campos de golfe — pelo menos 40 deles são públicos.
A pouco mais de duas horas de carro margeando o Golfo do México, está Paradise Coast, região ainda pouco explorada por brasileiros, onde fica Naples, outra cidade da Flórida que costuma ser desfrutada pelos mais ricos, mas que pode caber também em férias não tão abastadas. Por lá, é comum ouvir a expressão snowbirds, que se refere a americanos endinheirados que moram em lugares frios e que no inverno vão para Naples, já eleito o lugar de melhor qualidade de vida nos EUA.
Esse movimento dos que resistem às consequências de crises econômicas tem criado uma tendência na cidade: a de gente que vem de fora e compra as casas simples dos anos 1960 por preços em torno de US$ 1 milhão (devido ao valor do terreno), para colocá-las abaixo, construindo outras, luxuosas, em seu lugar.
Uma das grandes atrações da cidade está no pôr do sol, com seus diferentes matizes. É a hora de o píer se encher de admiradores do espetáculo. E também para opções como os passeios de barco, passando por casas cinematográficas cercadas por palmeiras e debruçadas sobre o espelho d’água.
Localizada próximo a Naples, Marco Island é outra opção para quem quer aproveitar belas praias e procura resorts — a preços acessíveis durante a baixa temporada.
Seja no condado de Palm Beach, seja na região de Paradise Coast, o que também não faltam são atrações para quem viaja em família. Zoológicos, parques, instituições em torno do meio ambiente com programação especial para crianças… a lista é extensa. Além do status local de santuário de pássaros e da abundância de peixes, para encanto de menores e maiores, basta ficar atento nestes paraísos cercados de águas claras: a chance de avistar um golfinho é bem grande.

ESTADOS UNIDOS (2) ESTADOS UNIDOS (1)

“A Matemática está com Tudo” da Unesp

A Unesp de Rio Claro planejou a semana com palestras e exposições e convidou as escolas municipais de Ensino Fundamental Anos Finais de Santa Gertrudes para participar do evento com exposições sobre as práticas matemáticas em sala de aula.

Cada escola produziu um banner com fotos e textos explicando como seus professores de Matemática trabalham a disciplina diariamente. Com o tema da semana sendo “Matemática está em tudo”, os alunos e professores puderam expor atividades e práticas, tais como: trabalho de cálculo do desperdício da água, uso do xadrez para desenvolvimento do raciocínio lógico, queimada matemática e a matemática como ferramenta na luta contra a Dengue.ESCOLAS DE SANTA GERTRUDES PARTICIPAM DO PROJETO (3)

A exposição itinerante começou na segunda-feira (23), na Escola Nilva de Lourdes Rocha de Oliveira, depois foi para a Escola Cecy Apparecida Rocha de Aguiar, seguindo para a Escola Edna Teresa Fiório e encerrou na Escola João Ruffino, antes de chegar, na sexta-feira (27), na Unesp.

PREVENÇÃO: Surtos de sarampo e rubéola na Europa reforçam a necessidade de vacinação

O reaparecimento de doenças já eliminadas no mundo tem preocupado o Governo Brasileiro. O alerta vem após a divulgação de que países como a França, Itália, Alemanha, Bélgica, Bósnia, Geórgia, Cazaquistão, Romênia, Sérvia, Dinamarca Ucrânia estariam sob risco de surtos de sarampo e/ou rubéola. Embora eliminado no Brasil desde 2001, o sarampo é endêmico em nove países da Europa, como aponta o boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS). Já a rubéola, eliminada no Brasil desde 2010, é considerada endêmica em 14 países europeus. Com a globalização, o risco do vírus voltar a circular no país se torna real aumentando a necessidade de manter sempre atualizada a caderneta de vacinação.
O Ministério da Saúde disponibiliza no Sistema Único de Saúde (SUS) a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para evitar essas doenças. Pessoas de 12 meses a 29 anos de idade devem receber a primeira dose aos 12 meses de idade da tríplice viral e aos 15 (quinze) meses, uma dose da vacina tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varíola), que corresponde à segunda dose da vacina tríplice viral e uma dose da vacina varicela. Caso haja atraso na vacinação, crianças até quatro anos de idade ainda poderão receber a vacina com o componente varicela. A partir de cinco até os 29 anos de idade, deverão ser administradas duas doses com a vacina tríplice viral. Pessoas de 30 a 49 aos de idade devem receber uma dose da vacina tríplice viral.
“A vacina contra essas doenças é a única medida preventiva e a mais segura. É importante que o esquema vacinal esteja completo, conforme as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. O Brasil tem uma das melhores coberturas vacinais segundo a OMS e o Ministério da Saúde trabalha na perspectiva de atingir coberturas adequadas a cada ano. Por isso é importante que a população procure sempre atualizar a caderneta de vacinação”, explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.
Em 2016, a taxa de cobertura da vacina tríplice viral, administrada em crianças de um ano, atingiu 95,4% do público-alvo. O índice é ideal, visto que a meta para esta vacina é de atingir 95% do público, porém, a segunda dose administrada aos 15 meses da vacina tetra viral teve menor adesão, com 89,2% das crianças vacinadas.
– ELIMINAÇÃO – O Brasil recebeu, no segundo semestre de 2016, o certificado de eliminação do sarampo da Organização Panamericana de Saúde (OPAS). Desde o ano 2001, não havia registro de casos autóctones da doença no Brasil. Entre 2013 e 2015, ocorreram surtos relacionados à importação, sendo que o maior número de casos foi registrado nos estados de Pernambuco e Ceará. Após a implementação de medidas de prevenção e controle, como intensificação vacinal, campanhas de seguimento, bloqueio vacinal, varredura e monitoramento rápido de cobertura vacinal, a transmissão foi interrompida.
– RUBEÓLA – O Brasil alcançou a meta de eliminação da Rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita, até o ano de 2010. Desde então, não há registro de casos no país. Em 2008, ocorreu a maior Campanha de Vacinação da Rubéola no mundo, com 65,9 milhões de pessoas na faixa etária de 19 a 39 anos de idade vacinadas, nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Maranhão. Nos demais estados, a faixa etária foi de 20 a 39 anos de idade. Nesse ano, a cobertura vacinal foi de 94%.(fonte – Amanda Mendes, da Agência Saúde)

Milhões de pessoas podem ser tido dengue e não sabem

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que cerca de 396 milhões de pessoas são infectadas pelo vírus da dengue ao redor do mundo por ano. Dessas, apenas 96 milhões apresentam os sintomas da doença e aproximadamente 294 milhões têm dengue assintomática, ou seja, não manifestam os sinais e sintomas e nem chegam a saber que foram infectadas pelo vírus por meio do mosquito Aedes Aegypti.

“Essa situação é alarmante, pois há possibilidade do indivíduo infectado pela segunda vez ter mais chance de desenvolver a forma grave da doença, que pode levar ao óbito”, explica a Diretora Médica da Sanofi Pasteur, Sheila Homsani. São quase 300 milhões de pessoas – mais do que toda a população brasileira – que correm maior risco de, em uma infecção secundária, desenvolver dengue grave, sem nem saberem que já foram contaminadas pelo vírus uma primeira vez.

Diferença entre dengue clássica e grave
Segundo a classificação da OMS, a dengue pode ser classificada como: clássica com ou sem sinais de alarme e dengue grave. A doença sem sinais de alarme apresenta sintomas como febre alta (acima de 38º), enjoo, manchas avermelhadas na pele, dor de cabeça e muscular, diminuição de leucócitos no sangue – células de defesa do nosso organismo – e “teste do torniquete positivo”, ou seja, fragilidade dos vasos capilares. Já com sinais de alarme, o paciente manifesta também vômito persistente, dor abdominal, acúmulo de líquidos, edemas (inchaço), sangramento de mucosas e aumento da concentração de células vermelhas no sangue com concomitante queda de plaquetas, o que pode aumentar os sangramentos.
Já o paciente que desenvolve dengue na forma grave, apresenta também sangramento intenso, choque e disfunção de órgãos.

Segundo Sheila Homsani, circulam de forma imprevisível pelo mundo quatro tipos de vírus da dengue (sorotipos 1, 2, 3 e 4). “Não há correlação entre gravidade e sorotipo da dengue. Um indivíduo que seja infectado por qualquer um dos 4 sorotipos pode desenvolver a forma grave da doença”, explica.

Direito à renda para Idosos e Pessoas com Deficiência

A pobreza é uma realidade árdua na nossa sociedade, que pune e mata pessoas todos os dias. Apesar de reconhecermos os avanços do Brasil no combate a esse problema, sobretudo pela transformação da Assistência Social, ainda há milhões de brasileiros nessas condições.

Segundo último relatório divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em 2015, a crise econômica empurrou 4,1 milhões de brasileiros para a faixa de pobreza. A porcentagem de pessoas pobres era de 8,1% em 2014, e passou para 9,96%, em 2015. As estatísticas são altas e o desafio da Assistência Social é grande. Precisamos trabalhar fortemente, para transformar a realidade destas pessoas.

O combate à pobreza tem sido uma das prioridades do Governo do Estado de São Paulo, nos últimos anos. Por meio de programas como Vivaleite, Bom Prato, Ação Jovem e Renda Cidadã, temos nos esforçado para diminuir os números e garantir direitos para aqueles que mais precisam.

Além disso, a Secretaria de Desenvolvimento Social monitora o BPC (Benefício de Prestação Continuada), do Governo Federal, criado pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS). É um importante programa que tem atendido idosos e pessoas com deficiência no Estado.

O poder público trabalha para dar condições de uma vida digna e saudável para pessoas idosas e com deficiência. O BPC assegura o pagamento de 1 salário mínimo mensal a idosos com mais de 65 anos de idade e a pessoas com deficiência, de qualquer idade. A renda mensal familiar per capita deve ser inferior a ¼ do salário mínimo vigente em ambos os casos.

Atualmente, cerca de 390 mil idosos e 353 mil pessoas com deficiência recebem o BPC no Estado de São Paulo. E, para que continuem com o benefício, é preciso estarem cadastradas no CadÚnico. Com a publicação do Decreto n° 8.805/2016, tornou-se obrigatória as inscrições no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e no Cadastro Único (CadÚnico) de todo o grupo familiar dos beneficiários do BPC, tanto para a manutenção, quanto para requerimento.

A determinação possibilita que o Estado tenha mais informações sobre a realidade socioeconômica dos beneficiários, requerentes do benefício e suas famílias. Ao mesmo tempo, permite a identificação das necessidades desse público para a inclusão nos serviços socioassistenciais e de outras políticas públicas. O CadÚnico é a visão do governo diante das necessidades da população.

O governo estadual está empenhado para que os beneficiários não percam este BPC. Distribuímos mais de 10 mil cartazes em todo o Estado, como também nas estações do Metrô, CPTM e EMTU, para divulgar a necessidade do cadastramento.

No entanto, os esforços precisam originar de todas as esferas do poder público. Os municípios têm um papel fundamental na divulgação dos prazos e no cadastramento.

O foco em 2017 é o cadastramento dos idosos e suas famílias, e em 2018 as pessoas com deficiência e suas famílias. Para se inscrever, é necessário procurar um dos 1.103 Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Estado de São Paulo.

O resultado deste trabalho vai aprimorar a gestão pública e ampliar o acesso da população a benefícios e serviços da assistência social e de outras políticas públicas. O descumprimento da inclusão no CadÚnico causará a suspensão do benefício. Dessa forma, as gestões municipais do CadÚnico deverão ser pautadas por celeridade, acessibilidade e cordialidade no atendimento às famílias.

A parceria entre o governo federal, estadual e municipal garantirá que os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada permaneçam no programa. Não há combate à pobreza sem uma forte ação do Estado e a união de todas as esferas de poder. Afinal, temos todos um objetivo único: o de trabalhar para a garantia de direitos daqueles que mais precisam. O desafio é nosso, mas precisa do envolvimento de toda a sociedade.

Floriano Pesaro, secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo

Estudantes do ensino fundamental trocam cartas com idosos

Os alunos do ensino fundamental do Colégio Termomecanica-CTM, escola de educação básica mantida pela Fundação Salvador Arena, participaram de mais uma edição da Estação Memória, projeto de pesquisa e extensão desenvolvido em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) para realizar encontros intergeracionais voltados à trocas culturais entre idosos, crianças e adolescentes.

O encontro aconteceu na quarta-feira, 18/10, na sede do Colégio Termomecanica, em São Bernardo do Campo, e, na ocasião, os alunos conheceram pessoalmente o grupo de idosos com quem trocaram correspondências desde o início do ano letivo. Neste ano, sob a temáticaLendas Urbanas – Histórias que o povo conta, os estudantes tiveram a tarefa de pesquisar mitos e lendas contadas por seus familiares e compartilha-las com os idosos nas correspondências, que, por sua vez, também contaram as histórias que ouviam antigamente.

Márcia Gomes de Lima, coordenadora pedagógica do Colégio Termomecanica, explica que o projeto contribui com o processo de aprendizagem dos alunos. “A proposta do projeto Estação Memória é mais uma oportunidade para falarmos da importância do respeito aos mais velhos e de mostrar aos nossos alunos o quanto pode ser rica a troca de experiências e convivência com os idosos, que são fontes de informação. Além disso, também dispomos do projeto para despertar o interesse pela pesquisa e para desenvolver a escrita e a leitura dos estudantes, já que eles precisam preparar as cartas que serão enviadas aos idosos”, completa.

Segundo Ivete Pieruccini, coordenadora do projeto e pesquisadora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo ECA/USP, a iniciativa tem caráter cultural e educativo. “Em geral, o trabalho com memória e/ou com idosos tem viés assistencialista ou apenas culto ao passado, mas na Estação Memória a proposta é que os jovens tratem os mais velhos como fontes significativas de informação, que se apropriem e aprendam com a experiência, e que os idosos ressignifiquem sua experiência a partir das relações estabelecidas com os jovens”, explica.

Em edições anteriores no Colégio Termomecanica, o projeto Estação Memória abordou temas como adolescência, esportes, a era do rádio, a ditadura da beleza, a revolução das mulheres e brincadeiras infantis.

Sobre o Colégio Termomecanica
O Colégio Termomecanica-CTM é uma escola de ensino infantil, fundamental, médio e técnico totalmente gratuitos localizada no município de São Bernardo do Campo, região da Grande São Paulo. O CTM é reconhecido pelo ensino intensivo e humanista, que desenvolve toda a potencialidade do aluno em sala de aula e como cidadão. A instituição integra o Centro Educacional da Fundação Salvador Arena, principal projeto social da Fundação Salvador Arena na área de educação. www.cefsa.org.br.

URBANISMO

A influência urbana de uma igreja que não chegou a existir

As primeiras construções que vieram a formar o centro histórico de Rio Claro entre 1820 e 1860 foram basicamente de pau a pique com cobertura de sapé ou palha por duas aventadas condições naturais. A primeira seria o predomínio de terreno arenoso da vizinhança e a longa distância para se extrair material em bancos de argila.

Esta consideração aqui avaliada toma por base referências de Zulmiro Ferraz (1927), que vê o estímulo ao uso de material cerâmica na cidade a partir da frustrada construção da Matriz Nova, cujas obras foram iniciadas em 1865 e abandonadas em 1867 por falta de recursos.
O prédio, demolido entre 1885 e 1888, que tinha paredes de quatro metros de altura, foi erguido até os telhados onde hoje é Lago do Índio, no Jardim Público.
Zulmiro é quem diz: “Pode-se dizer que o iniciador das construções com tijolos foi o velho francês Marcelino Girard, que fora empreiteiro da construção da célebre Matriz Nova, a qual não passou de uma esperança que não se realizou jamais”.

Urbanização e olarias
Seja como for, por época da construção da igreja, o município ganhou impulso urbano com a abertura de olarias que passaram a produzir tijolos e telhas, além de artefatos domésticos.
Com a oferta de argila, o sistema de construção de pau a pique foi substituído pela taipa de pilão, com barro socado. Prédio remanescente deste tipo na cidade é o Museu Histórico e Pedagógico “Amador Bueno da Veiga”, na esquina da Rua 7 com a Avenida 2.
Ao longo deste texto irá conferir-se, além das referências a Ferraz, detalhes sobre a frustrada construção da Nova Matriz bem como alguns comentários de viajantes europeus que ao visitarem Rio Claro destacaram o aspecto aflitivo e característico de uma cidade sobre terreno arenoso. “Rio Claro é poeirenta como o deserto do Saara”, registrou um dos visitantes. Eles comentam também a qualidade das construções de casas, sobrados e alinhamento das ruas.

Retrospectiva
Antes, cabe rever itens básicos do texto “A indústria cerâmica paulista na formação de Rio Claro e região” (Sant´Ana, 2017) para se conferir o panorama em que transitou a produção cerâmica local com a transformação das olarias em cerâmicas industriais, superadas as fases do pau a pique e da taipa de pilão.
Na região, as olarias se distribuíam por Santa Gertrudes e pelos bairros de Sobrado, Batovi, Serra D´Água, e São Bento com produção artesanal.
O Almanaque da Província de São Paulo para 1873 registra Rio Claro como o segundo município paulista com maior número de olarias. O primeiro era Campinas. Dentre as cidades com mais olarias, destacam-se: Campinas – 13; Rio Claro – 11; São Paulo – 10; Sorocaba – 9; Itu – 8; Limeira – 6. Piracicaba, Araraquara e Santos tinham 5 cada uma.
O Almanaque São João do Rio Claro para o mesmo ano, organizado por Tomas Carlos Molina, divulga que havia 4 depósitos de cal e as 11 olarias de Rio Claro tinham seus pontos de venda na área central, nas ruas 3, 7 e 8 e nas avenidas 1, 2 e 3. Na época as vias tinham nome. A numeração seria foi adotada em 1886.
Os proprietários traziam sobrenomes português, espanhol e alemão. Os sobrenomes são Gonçalves, Rodrigues, Gurgel, Guimarães, Bueno, Russo, Godoy e Hebling. A forte presença de sobrenomes italianos na indústria cerâmica iria se dar a partir dos anos 1880.
A mão de obra para a construção civil e serviços do segmento abrangia 1 arquiteto, 11 pedreiros e as turmas de “Marcellino Gerar, Felix Flores, escravos de Amorim, da viúva Franco e muitos outros” e 33 mestres de obras e carpinteiros, informa Molina. Notar que apesar da grafia diferente, o referido Marcellino é o mesmo empreiteiro da construção da Matriz Nova, obra paralisada em 1867,
A primeira grande fábrica de produtos cerâmicos do Brasil foi fundada em São Paulo, em 1893, por quatro irmãos franceses, naturais de Marselha. O nome da empresa era “Estabelecimentos Sacoman Frères”, posteriormente alterado para Cerâmica Sacoman S.A. Suas atividades foram encerradas em 1956. O nome das telhas conhecidas por “francesas” ou “marselhesas” é devido à origem destes empresários, conforme o Anuário Brasileiro de Cerâmica, 1979.
Entre as primeiras cerâmicas da cidade, o álbum “História de Rio Claro”, publicado por Romeu Ferraz em 1922, traz publicidade da empresa suíça e alemã “Serraria e Cerâmica Schmidt, Meyer & Cia”. Original de 1910, a empresa produzia tijolos e telhas em suas unidades de Santa Gertrudes e Corumbataí.

Urbanização do centro
Zulmiro Ferraz assinala a urbanização do que viria ser a área central a contar do impulso vivido pela elevação do povoado à categoria de Vila. O que significava independência política e administrativa de Piracicaba e Limeira com governo próprio em Rio Claro devido à instalação da Câmara Municipal e posse dos primeiros vereadores em 1845. Seguem registros do autor.
“Com a instalação do município um novo alento se apoderou dos habitantes de São João do Rio Claro, e a lavoura cafeeira progredia, incessantemente, enriquecendo os lavradores diligentes.”
“A Vila ia abrindo novas ruas que seguiam o alinhamento primitivo com as enormes praças da Matriz, do Jardim, da Boa Morte, da Várzea (Espaço Livre) e da Santa Cruz.”
“Fazendeiros e negociantes construíam casas confortáveis, amplas, mas sem arquitetura alguma; poucas eram as assobradadas e não existia senão o Sobradão do Amorim.”
“A Câmara começava a fazer os passeios das ruas com pedra brutas, arredondadas, que causavam martírio aos transeuntes. Alguns proprietários mais caprichosos, porém, tinham o cuidado de calçar as beiradas de seus prédios com umas lajes arroxeadas que vinham dos terrenos calcários de Ipojuca (Ipeúna). “
“Os centros das ruas, principalmente da Avenida 1, para os lados da Matriz, eram areais terríveis onde se atolavam os pés até os tornozelos.”
“Quem queria beber água boa mandava buscar no Bicão, que ficava nos fins da Rua 6, então chamada de São João. Quase todos tinham poços nos quintais, cujas águas eram salobras.”
“A construção de tijolos ainda não era usada. Como a terra da cidade fosse somente sílica, sem argila, os edifícios de taipas eram pouquíssimos, pela dificuldade de trazer saibro de longe.”
“Dai a razão porque os antigos edifícios foram construídos de pau a pique, tais como a primitiva igreja matriz, a de Boa Morte, a de Santa Cruz, o velho Teatro São João, o palacete de José Elias Pacheco Jordão (Avenida 3 entre ruas 6 e 7), o palacete Molina (Avenida 1 entre ruas 7 e 8), e muitos outros edifícios que posteriormente foram reconstruídos com tijolos.”
“Pode-se dizer que o iniciador das construções com tijolos foi o velho francês Marcelino Girard, que fora empreiteiro da construção da célebre Matriz Nova, a qual não passou de uma esperança que não se realizou jamais.”

Pau a pique
Descrição de como se fazia uma construção em pau a pique é encontrada no mesmo autor. No caso, ele descreve como foi levantada a primeira capela da cidade, em 1827, data referente à fundação da cidade.
“O povo da região levantou a pequena e rústica capela de São João Batista bem no meio do quarteirão entre as avenidas 3 e 5 da Rua 7, no atual Largo da Matriz.” No local citado encontra-se hoje a capela do “Puríssimo Coração de Maria”. Na sequência, a igreja foi construída no terreno onde se encontra, na Rua 6, entre as avenidas 3 e 5.
“A capelinha era coberta, a princípio, de palmas de indaiá entrelaçadas em tipiti, as suas paredes de pau a pique, isto é, com esteios de cerne e barrotes e ripas de palmito jissara, eram barreadas apenas, sem reboque de cal. O tosco templo cristão não teria mais de 60 palmos de comprimento, 30 de largura e 20 de altura.”

Areia e poeira
Visitantes estrangeiros que estiveram em Rio Claro entre 1850 e 1890, período da formação urbana, referendam a visão de Zulmiro quanto à presença de areia, poeira e à construção de casas. O período corresponde à época de definição de projeto, construção e demolição da Matriz Nova.
O embaixador suíço Johann Jakob von Tschudi visitou fazendas da região e a cidade em 1858 e divulgou suas impressões dois anos depois. Segundo publicou, Rio Claro tinha 35 fazenda de café, 6 engenhos de açúcar e diversas fazendas de gado. Em detalhe, assinalou: “As ruas são poeirentas como o deserto do Saara, e o pó é sufocante”.
De sua visita a cidade em 1886, Alfonso Lomonaco, conforme indica Helmut Troppmair, destacou da cidade que “suas ruas longuíssimas, perfeitamente planas, são cobertas de branca e fina areia.”
Documento de 1887 da Comissão Central de Estatística aponta que naquele ano há havia sobrados, tipo de construção que Zulmiro indicara que antes de 1860 não existiam. “Possui grande número de prédios assobradados e elegantes e alguns sobrados modernos construídos com apurado gosto.”
No mesmo ano o turista alemão Maurício Lamberg mostrou-se impressionado por algumas características da cidade. Suas impressões foram registradas no livro “Brasil”, três anos depois.

A influência urbana de uma igreja que não chegou a existir
A influência urbana de uma igreja que não chegou a existir

Na publicação, ele diz:
“Esta é uma pequena cidade horrivelmente monótona, porém construída com regularidade e que nada fica a dever a uma aldeia alemã.”
“Sua população de oito mil habitantes arrasta-se pesadamente em meio da poeira mais espessa que vi em minha vida. Se me queixei da poeira em Campinas, só aqui vim saber que quantidade enorme de pó um homem pode vencer.”
“Nesse lugar tão enfadonho, que desafia qualquer descrição, eu não queria nem sequer ser enterrado, apesar de haver no local um cemitério realmente bonito. E por isso, apressei-me em partir”.
Resta conferir a trajetória da construção e demolição da Nova Matriz, mas isto é outra história, que fica para outra vez.

Historiador – J.R.Sant´Ana – 29/10/2017

Santa Casa x Prefeitura, eternas divergências…

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Desde que aqui cheguei em 1987, venho presenciando as divergências entre a Santa Casa de Misericórdia e as administrações municipais que por aqui passaram.
Quem é poder não cumpre com as suas obrigações com o hospital! Quem é oposição critica a falta de comprometimento com o hospital filantrópico, cuja importância para a saúde pública é notória.
E com essa nova administração parece que o panorama não mudou em nada. A atual administração que condenava os atrasos nas transferências para a Santa Casa, desde agosto que não repassa valor acordado para acertar dívidas antigas e até hoje continua sem a renovação de contrato com a Santa Casa.
Portanto, passados 10 meses de nova administração e as coisas continuam praticamente as mesmas nas relações entre Santa Casa e administração pública municipal.
Na tentativa de fazer andar a fila de espera na rede pública de saúde a administração municipal publicou edital para que hospitais privados se credenciassem a atender pelo Sistema Único de Saúde. Recentemente foi anunciado a assinatura de contrato com um hospital local para que o mesmo prestasse serviços à saúde pública de Rio Claro, realizando cirurgias eletivas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Pelo que consta a Santa Casa não se interessou em participar do chamamento público.
Enfim, o que acontece é que até o presente momento, nenhuma solução foi dada ao caso Santa Casa x Administração Municipal.
A renovação de contrato entre Santa Casa e Prefeitura Municipal de Rio Claro é anunciada para esses dias. Porém, responsáveis pela saúde pública de Rio Claro anunciam que exigirão uma contrapartida do hospital, fato esse que chama muito a atenção. De acordo com as informações dadas à mídia local, nunca houve essa preocupação. Aparentemente, de acordo com informações, o hospital recebia (ou não) a subvenção sem que houvesse uma obrigatoriedade de contrapartida. Em se confirmando essas afirmações seria um fato lamentável e poderia se entender o porquê que apesar de tantos atrasos para os repasses de tal subvenção a Santa Casa pouco reclamava da situação.
Passaríamos a entender também o porquê que na maioria das vezes em que é feita a solicitação de internação na Santa Casa, a resposta sempre é que “NÂO HÀ VAGAS”.
A situação aparente é aquela de que “você finge que me paga e eu finjo que presto serviço”. E quem acaba pagando o pato pela incompetência geral é a população. Sempre…

Fotografias retocadas e propaganda enganosa

Na França todas as fotos modificadas digitalmente, especialmente as que emagrecem modelos, devem trazer o aviso photographie retouchée, ou seja, “fotografia retocada”. Qualquer violação ensejará multa de 130 mil Reais. Dita lei também pune quem contrata modelos muito magras.
No Brasil há projeto de lei semelhante que, se fosse aprovado, obrigaria que imagens utilizadas em peças publicitárias ou publicadas em veículos de comunicação, que tenham sido modificadas com o intuito de alterar características físicas de pessoas retratadas, trouxessem mensagem de alerta acerca da modificação.
Considerando a frequente utilização de recursos tecnológicos e programas de computadores para a manipulação de imagens veiculadas em peças publicitárias, que enganam o consumidor e o induz a constantes erros na aquisição de bens e serviços, o tema é de saúde pública e merece regulamentação legislativa.
O que preocupa é o fato de que expor jovens a imagens normativas e irrealistas dos corpos leva a um sentimento de auto depreciação e baixa autoestima, que afeta o comportamento relacionado à saúde, até porque a fixação de um padrão de beleza irreal pode incrementar índices de desenvolvimento de transtornos alimentares como anorexia e bulimia.
A proposta de lei ainda sob apreciação de nosso “ocupado” Congresso alteraria o Código de Defesa do Consumidor-CDC, obrigando que imagens utilizadas em peças publicitárias ou publicadas em veículos de comunicação, que tenham sido modificadas com o intuito de alterar características físicas de pessoas retratadas, tragam mensagem de alerta acerca da modificação. O nosso CDC considera enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços.
Pelo projeto de lei, as imagens deverão conter advertência escrita, ou seja, “Atenção: imagem retocada para alterar a aparência física da pessoa retratada”. Quem infringir a lei seria sancionado com advertência, obrigatoriedade de retificação e esclarecimentos, além de multas.
Por se tratar de evidente tema ligado à saúde pública e à dignidade da pessoa humana, já deveria ter sido discutido e votado pelo Congresso, a exemplo do que já se viu na França e Reino Unido.
William Nagib Filho – Advogado

Na contramão do caminho

Carlos Brickmann

Foi uma vitória suada; suada, difícil e cara. Neste momento, dez entre dez analistas dizem que o Governo acabou, que Michel Temer não tem força nem para se livrar da obstrução urinária sem fazer shopping parlamentar. Ficará manquitolando à espera do último dia de seu mandato.
Só que não é assim: vitória suada e cara também vale três pontos. Se, no momento em que enfrentava uma denúncia que poderia afastá-lo do cargo, ele sobreviveu, tem tudo para ganhar forças depois de livrar-se de Janot. O presidente tem muitos fatores a favor: o exercício do poder, que lhe permite preencher o Diário Oficial e dar apoio a algum candidato à Presidência, o fim das denúncias e esplêndidos resultados econômicos. Depende dele: não adianta usar Moreira Franco, Padilha e Eunício para divulgar boas notícias, porque neles ninguém vai acreditar. Mas, abrindo seu Governo à luz do Sol e tirando os suspeitos de sempre de seu lado, terá tudo para virar o jogo.
As exportações por Santos se aproximam de 100 milhões de toneladas, e vão batendo recordes. A balança comercial deve ter superávit de US$ 70 bilhões até o final do ano – recorde absoluto. A taxa de juros, em um ano e pouco de Temer, caiu à metade do que era com Dilma: foi de 14,25% a 7,5%. Há leves sinais de melhora da atividade – que ficarão mais visíveis a partir da taxa de juros mais baixa, que facilita os investimentos. Afastando a turma vetusta para que a equipe econômica cresça, Temer cresce com ela.
A vista…
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-Rio) acha que Temer não terá força para votar a reforma da Previdência. Maia deve entender bem os sentimentos parlamentares, ou não se elegeria presidente; mas é verdade, ao mesmo tempo, que sua maior credencial é o pai, César Maia. Antes dos atuais episódios, poucos tinham ouvido falar de Rodrigo Maia.
O fato é que Temer está disposto a votar, ainda neste ano, a reforma da Previdência. Temer também conhece os sentimentos parlamentares, tanto que, sem apoio familiar externo, se elegeu três vezes presidente da Câmara. E, tendo sido quem convenceu Suas Excelências a ficar a seu lado, sabe perfeitamente quanto custa um voto, e qual seu prazo de validade.
…e a prazo
Quem foi abençoado com cargos para votar contra a aceitação da denúncia contra Temer pode, de uma hora para outra, perdê-los: não tem como retirar seu voto. Não pode, portanto, virar oposição a Temer, sem entrar no prejuízo, de uma hora para outra. Para aprovar a reforma, Temer precisará de 308 votos – os 251 que rejeitaram a denúncia contra ele, mais 57. Temer acredita que, entre os 107 deputados governistas que votaram contra ele, há pelo menos 57 favoráveis à reforma. E Suas Excelências sabem que, ao votar contra a reforma, estarão votando contra os cargos que seus partidos tiverem recebido; estarão contra a equipe econômica, bem na hora em que a economia mostra sinais de recuperação; e estarão contra um possível – e forte – candidato à Presidência, o ministro Henrique Meirelles.
A hora do sonho
Quando Meirelles voltou para o Brasil, depois de boa carreira no Banco de Boston, tinha um plano em duas etapas: primeiro, eleger-se governador de seu Estado, Goiás; segundo, tentar a Presidência. Entrou no PSDB, com a proposta de pagar sua própria campanha, sem doações. Havia, entretanto, um obstáculo intransponível: o cacique tucano de Goiás, Marconi Perillo. Meirelles então se elegeu deputado federal. Nem tomou posse: Lula, eleito ao mesmo tempo, convidou-o para presidente do Banco Central. Mas seu sonho se manteve: está no PSD de Kassab, seu trabalho na Fazenda vai bem, Temer não tem outro nome. Entre Lula (ou poste de plantão), Alckmin e Bolsonaro, Meirelles pode ser o candidato-novidade, sem processos, capaz de viajar a Curitiba a passeio, sem medo, e com Temer.
Atenção em Lula
Lula disse que está na hora de parar de gritar “Fora, Temer”. Por que?
Amigos…
Lula não se transformou, de uma hora para outra, em apreciador de Temer. Soltou até, em Minas, uma frase venenosa (que, embora atinja a posta de sua escolha, derrama mais peçonha no adversário): “Como Deus escreve certo por linhas tortas, as pessoas que diziam que a Dilma era uma desgraça perceberam que Temer era desgraça e meia”.
…inimigos
Na verdade, Lula não tinha como falar isso sem atingir aliados. Quem foi que montou a chapa Dilma-Lula que ganhou a eleição?
Mas Lula provavelmente está estudando o terreno, escolhendo os adversários de campanha. Pois sua caravana, que deve percorrer o país inteiro, não está repetindo o sucesso da Caravana da Cidadania, de antes de se eleger presidente. É pouca gente e muita vaia.
COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann