Fórmula 1: Hamilton vence no Texas e fica a nove pontos do título

405
Em etapa recheada de astros, Usain Bolt foi um dos destaques no GP dos EUA

E. Cortez
Olá amigos! Agora nem um milagre deverá ser capaz de “tirar o doce da boca da criança”: Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio dos Estados Unidos de Fórmula 1 e já está praticamente com a mão na taça. O resultado representa a quinta vitória do inglês no traçado texano em seis corridas lá realizadas, e na próxima prova só precisa de um 5º lugar para levar o título desta temporada.
Largando da pole position, ele viu Sebastian Vettel, seu rival na disputa pelo campeonato, ultrapassá-lo na largada, tomando a primeira colocação. Porém, logo na sexta volta, o inglês retomou a liderança com uma ultrapassagem na curva 1, disparou na frente, e mesmo com uma estratégia de uma parada, seguiu para vencer pela nona vez na temporada, e garantir o título de construtores para a Mercedes.
A segunda colocação ficou com Sebastian Vettel, que fez duas paradas e superou Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen nas voltas finais, ficando com a segunda colocação. O pódio foi completado por Kimi Räikkönen, que foi superado na última volta por Max Verstappen, mas viu o piloto da Red Bull ser punido com cinco segundos por passar por fora da pista na ultrapassagem. O holandês caiu para quarto, e foi seguido por Valtteri Bottas.
Esteban Ocon, da Force India, finalizou a corrida na sexta colocação, depois de suportar os ataques de Carlos Sainz, que fez sua estréia pela Renault nos Estados Unidos e terminou em sétimo. Sergio Pérez, companheiro de Ocon, terminou em oitavo, e foi seguido por Felipe Massa, nono com a Williams após apostar em uma estratégia de uma parada. O top-10 foi completado por Daniil Kvyat, da Toro Rosso.
A Fórmula 1 prossegue no próximo domingo (29), com a realização do Grande Prêmio do México, que será disputado no Autódromo Hermanos Rodríguez, na Cidade do México.
F1 americanizada – A Fórmula 1 soube mesmo se “americanizar” no coração do Texas. Para conquistar o público americano, criou um espetáculo com a cara da NBA, da NFL e, claro, da Nascar e da Indy. eua 601
Já se sabia que Usain Bolt, o nome mais famoso da história do Atletismo, é quem daria a bandeirada para a volta de apresentação da corrida. E assim foi feito: com seu sorriso famoso, o recordista mundial dos 100m e 200m agitou a bandeira verde.
Antes de Bolt, porém, diversas surpresas apareceram, levando à loucura não só o público no circuito, mas também quem acompanha a corrida pela televisão e comenta nas redes sociais. Com os boxes abertos 45 minutos antes da corrida, e não 30 minutos, como é o tradicional, uma apresentação de cada dupla das equipes foi feita, como na Indy, Mundial de Atletismo ou de Natação, por exemplo.
O fator novidade pareceu ter inibido a maioria dos pilotos, já que não se animaram muito com o estilo. Mas, para o público, funcionou.
Com os pilotos no carro, enfim seu lugar de praxe, o histórico locutor de boxe Michael Buffer apareceu em destaque no pódio para levantar o público com ‘start your engines’, “liguem seus motores”, autorizando os carros a abrir a corrida.
Na pista, além das cheerleaders, uma das coisas ‘circenses’ mais americanas existentes, Bill Clinton, ex-presidente do país, declarou aos repórteres presentes sobre como é “importante que a F1 esteja nos Estados Unidos”.
É claro, pessoas famosas são sempre bem-vindas para dar a “consolidada” na idéia de popularizar o esporte. Na NBA, são músicos e atores que estão sempre presentes à beira da quadra. Na F1, foi Michael Douglas quem apareceu no paddock. Com certeza as outras sedes da categoria irão perder o sono para tentar igualar esta festa.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA