RIO CLARO, SUAS RUAS E AVENIDAS

66

Por Geraldo J. Costa Jr.

Não me chamasse Geraldo, eu diria que sou a reencarnação de São Cristóvão. Por quê? Explico. O fato se repete com absurda frequência. Alguém para o seu automóvel ou motocicleta ao meu lado, para obter informação sobre algum endereço.
Em princípio, até achei que o motivo era o meu passo vagaroso, o olhar apalermado que, por vezes, se perde em direção ao nada, a dar vazão a pensamentos e observações que irei aproveitar em algum texto futuro, e que leva tais pessoas a confiarem na minha boa vontade e conhecimento.
Conversa mole, isto sim. Eles na verdade já cansaram de rodar ruas e avenidas de Rio Claro à procura do famigerado endereço que não encontram. São motoristas de outras localidades, entregadores e motoboys recém integrados à profissão e cobradores menos avisados. Procuram pela Avenida 8. E eu lhes respondo com uma pergunta: Qual delas? A voz embargada e o olhar espantado em minha direção deixam a resposta em suspenso.
Também pudera. A Avenida 8, em Rio Claro, pode ser: Centro, Santa Cruz, Jardim Claret, Mirassol. E a Avenida 8-A, Cidade Nova ou Bela Vista. Mas não fica nisso. Tem a Avenida 8-BRC, também conhecida como Residencial Bosques de Rio Claro, a Avenida 8-JC, leia-se Jardim Centenário. Mas não se dê por satisfeito, caro leitor, porque ainda temos, a Avenida 8-JG, Jardim Guanabara e Avenida 8-JN, Jardim Novo.
Ufa! Agora imagine-se sendo um motorista que vem de outra localidade e que, por acaso, não desfrute da modernidade e do conforto de um GPS em seu carrão, busão ou cavalão, e queira encontrar o endereço do estabelecimento ou residência localizado na Avenida 8 sei lá o quê? Entendeste a dificuldade?
Pois é. Quando foi imaginado o quadrilátero que definiria o formato das ruas e avenidas de Rio Claro, lá pelos idos do século 19, era certamente improvável que a cidade crescesse tanto. E quando a Câmara Municipal, na recém nascida República, determinou que as ruas e avenidas de Rio Claro não teriam mais nomes e sim números, certamente não considerou a possibilidade de que tais números pudessem ir para lá de 100. Os prefeitos que se sucederam e seus secretários e assessores também não. Eis o resultado. Por vezes é mais fácil achar a sepultura do Barão do Grão Mogól ou uma agulha no palheiro, do que localizar um endereço na Cidade Azul.
Nós, que aqui nascemos, vivemos e queira Deus, haveremos de bater com as botas, até que nós nos viramos razoavelmente. Mas, os que vem de fora… Pobrezinhos!
Sugiro, e não me envergonho de fazê-lo, afinal, em tempos de redes sociais, todo mundo se acha no direito e no dever de ter opinião pra tudo, que, sejam colocados outdoors nas entradas principais da cidade, com o mapa de Rio Claro, com letras vistosas e a sugestiva legenda: Você está aqui! Localize seu destino a partir desse ponto. Acho que facilitaria ao menos um pouco a vida dos motoristas de outras localidades que nos visitam a passeio ou a trabalho.

O colaborador é escritor

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA