Fórmula 1: GP do Japão: duelo na madrugada entre Mercedes, Ferrari e Red Bull

371
O GP do Japão será uma boa oportunidade para a equipe sustentar a quinta colocação no Mundial de Construtores. Com 65 pontos, o time britânico sofre a ameaça da Toro Rosso, que está em sexto, com 52 pontos

E. Cortez
Olá amigos! O Grande Prêmio do Japão foi uma das últimas corridas agregadas ao calendário da Fórmula 1 e acabou sendo o palco de decisões de campeonato. O autódromo Fuji Speedway foi local destinado para a realização das duas primeiras provas que ocorreram no Japão nos anos de 1976 e 1977, até ser retirado novamente do calendário, por 10 anos. Seu retorno se deu em 1987 no atual autódromo de Suzuka, hospedando a Fórmula 1 de forma exclusiva e ganhando a reputação de corrida mais desafiadora da temporada.
E será exatamente aqui que, novamente na madrugada, com largada às 2 horas, acontece a 16ª prova da temporada de 2017 da Fórmula 1. Nos últimos três anos, a Mercedes brilhou em Suzuka, sendo duas vezes com Lewis Hamilton (2014 e 2015) e uma com Nico Rosberg (2016). Mesmo assim, o chefe da equipe, Toto Wolff, sabe que, no atual campeonato, nada é garantido, e espera ter concorrência forte na prova.
Com sua Ferrari, Sebastian Vettel, obviamente, tenta recuperar o prejuízo das duas últimas corridas, quando viu a vantagem de Hamilton aumentar para 34 pontos. Mas engana-se quem pensa que o piloto terá vida fácil em solo nipônico. De olho na performance do vice-líder, Hamilton vai tratar de fazer também a sua parte.
“Nos últimos anos, fomos muito fortes em Suzuka. Mas as últimas semanas nos mostraram que o retrospecto vale pouco com os carros e pneus de 2017. É um circuito que recompensa as melhores performances de carros e pilotos, e esperamos duelos apertados ente nós, a Ferrari e a Red Bull”, declarou o chefe da Mercedes.
Atualmente, a escuderia britânica lidera o Mundial de Construtores com 503 pontos, enquanto a Ferrari tem 385. Entre os pilotos, Hamilton aparece com 281 pontos, contra 247 de Sebastian Vettel. Por isso, Wolff sabe que a vitória está totalmente no fato de sua equipe saber administrar a vantagem.
“Nossos carros fizeram mais pole positions e venceram mais do que qualquer outro e estamos liderando os dois campeonatos. Isso é graças tanto a nossa própria força quanto, em parte, ao azar de nossos rivais. Mas cada ponto conta, não importa como ele foi conquistado. Como equipe, nossos objetivos para o último trimestre da temporada são muito claros. Está totalmente em nossas mãos”, continuou.
Das últimas quatro corridas, Hamilton venceu três e assumiu a liderança do campeonato. Por sua vez, Bottas começou a apresentar certa queda no ritmo, o que vem preocupando o chefe da Mercedes. Por isso, Wolff quer o time trabalhando para o finlandês recuperar o melhor desempenho possível.
Depois do 9º lugar no GP da Malásia, Felipe Massa, que é fã do traçado japonês, se diz ansioso para colocar sua Williams na famosa pista em busca de mais pontos no campeonato.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA