Sou vereador, o que faço agora?…

218

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

Em vídeo de uma sessão ordinária de nosso legislativo, o vereador Seron, líder do governo, depois de apontar inúmeros defeitos em certo secretário, o instigou dizendo: “Ou o secretário está com medo, ou não quer trabalhar. Se o sr. não está contente, pede pra sair. Pede pra sair”.
Confesso que sou fã de carteirinha do vereador, pelo belo trabalho desenvolvido no PROERD, é um ídolo das crianças e crianças sempre expressam o seu sentimento com uma sinceridade impressionante. Porém, o vereador, me parece estar equivocado nesta questão do secretário.
Não é assim, “se não está contente pede pra sair”, vereador. Se o vereador não está contente com as atitudes e com o trabalho do secretário, se o vereador tem provas dessa incompetência e da irresponsabilidade; como líder do governo e como representante do povo tem a OBRIGAÇÃO de EXIGIR a retirada do mesmo. É essa a função de um legislador, fiscalizar o bom uso do dinheiro público. Se o profissional não está executando bem a tarefa pela qual ESTÁ SENDO PAGO, tem mesmo é que ser mandado embora. E não ficarmos esperando que ele peça para sair.
O vereador, e aqui já não falo de um especificamente, tem como dever, elaborar leis, DISCUTIR projetos (Na maioria das vezes vereadores nem leem os projetos, quanto mais discutir) e votá-los conscientemente, sabendo aquilo que está aprovando ou não. Na maioria das vezes vereadores votam como o partido manda, independente de sua convicção.
É deles também a responsabilidade de trazer novas ideias, identificar as necessidades da população e permitir que as leis se tornem realidade.
O prefeito, como chefe do EXECUTIVO, tem entre suas atribuições a administração das contas públicas, destinação do dinheiro e pagamento de funcionários.
Cabe ao legislativo (VEREADORES) a função de fiscalizar a administração municipal, observando o cumprimento do orçamento e cuidando da aplicação dos recursos.
É deles a importantíssima responsabilidade de tomar conta do dinheiro público, o nosso dinheiro.
É aqui, nessa importantíssima função que muitos dizem: “Meu Deus”. Isso porque o que se vê hoje na atual politicagem brasileira é um legislativo omisso, conivente e na maioria das vezes “cúmplice” de um sistema corrompido.
Vejam então que a um vereador cabe inúmeras tarefas dentro da administração de uma cidade e que se cada um deles efetuasse metade delas, com certeza não teriam tempo de ficar procurando buraco nas ruas da cidade, mato alto em terrenos baldios, pintura de PARE no chão de nossas vias públicas e outras baboseiras mais praticadas diariamente pela maioria de nossos vereadores.
Isso porque, NÃO é função de vereador construção de escolas, hospitais ou obras em geral, para isso existe a secretaria de obras.
Eles também não tem a tarefa de doar cadeiras de rodas, fraldas, óculos ou conseguir empregos para os eleitores. Para isso há a secretaria de Assistência Social.
Recolhimento do lixo, capinagem das ruas, limpeza de canais, manutenção de encostas também não é obrigação deles. Para isso sempre existirá uma secretaria responsável.
Portanto, um recadinho a alguns vereadores de nossa cidade: “Vamos começar a brincar de vereador de verdade?”…

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA