Fórmula 1: Na despedida do GP da Malásia na F1, Hamilton se prepara para reação de Vette

524
Mau tempo em Sepang pode complicar luta de Hamilton pela manutenção da liderança

E. Cortez

 

Olá amigos! Tem gente que não gosta, é verdade, mas as corridas na madrugada sempre têm seu charme.  E vai ser assim não apenas neste fim de semana, com o GP da Malásia, mas também no próximo, quando acontece o GP do Japão.

Então prepare o café para se manter bem acordado, já que a corrida tem largada prevista para 4h da madrugada deste domingo. E por uma série de motivos, vale a pena acordar mais cedo ou esticar a noite para curtir o que promete ser mais uma prova empolgante da temporada, que entra na sua reta final com a realização desta etapa no continente asiático.

E tudo em clima de despedida, já que a Malásia recebe a F1 pela 19ª e última vez, com a previsão de muita chuva em Sepang, sobretudo no domingo, com o percentual chegando aos 80%.

E é promessa também de mais uma batalha imprevisível em meio ao confronto direto entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, com o piloto inglês ciente de que terá que administrar a vantagem, comprovar o favoritismo na pista e vencer pela oitava vez na temporada.

Uma das disputas que mais chama a atenção na F1 em 2017 diz respeito à busca pelo quinto lugar no Mundial de Construtores. Com a Force India isolada no quarto posto, sem ameaçar a Red Bull e tampouco sem ser ameaçada pelas outras, a Williams surge como a natural candidata a fechar o top-5. Contudo, o crescimento da Toro Rosso e, sobretudo, da Renault nas últimas etapas faz com que a vida da equipe de Felipe Massa não seja nada fácil.

Aliás vale lembrar que as próximas semanas vão definir o futuro de Felipe Massa não só na Williams, mas na F1 como um todo. Como está agora focada em se garantir no top-5 do Mundial de Construtores, a equipe britânica deixou claro que não tem pressa para definir o companheiro de equipe de Lance Stroll para 2018. Nos últimos dias, nomes como Robert Kubica, Paul di Resta e até Jolyon Palmer foram ligados ao cockpit que hoje é de Massa. O brasileiro, contudo, deixou claro que não se vê em outro lugar no ano que vem na F1. Caso não fique na Williams, Massa não vê chances para seguir no grid.

“Agora tenho de checar se vou ficar ou não”, declarou o brasileiro. “Ainda estou pensando, ainda estou conversando com a equipe para ver se eles me querem ou não. Preciso ter certeza de que talvez possa ter um ano melhor”, finalizou.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA