‘’OS ÚLTIMOS SERÃO OS PRIMEIROS”

213

Ana Lucia Missaglia Guarnieri
“…pois quero dar a este último tanto quanto a ti. –Porventura, não me é lícito fazer o que quero do que é meu? Ou são maus os teus olhos porque sou bom? – Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos”.Mateus, 20, 1-16 – Evangelho de Domingo, 24/09/2017.
*********************************************
“Coisa difícil é ser mulher. Não bastassem as surpresas que a fisiologia lhes impõe, as sociedades criam regras para cercear-lhes a liberdade de ir e vir e padrões rígidos de comportamento e moralidade que não se aplicam aos homens.” Dr. Dráuzio Varella, “Folha de São Paulo”, 10/06/2017.
“Se os Governos não construírem escolas, em 20 anos, faltará dinheiro para construir presídios.” Darcy Ribeiro, 1982. “Professores apanham na sala de aula, agredidos por pais e alunos”. (Folha de São Paulo, setembro/2017) E, entrevistada pelo Jornal Nacional, professora Marta Costa Alves diz que as crianças veem um professor triste, desmotivado, cansado.(Trabalham 40 h/ semana, para um salário de R$ 1.917/mês, ou seja, cerca de R$ 11/aula).
*********************************************
“Se os brasileiros odiassem as remunerações absurdas do judiciário ao invés do Bolsa-Família, o Brasil seria um país de primeiro mundo”. “O Brasil tem hoje o melhor congresso e o melhor judiciário que o dinheiro pode comprar.” Emir Sader, 14/07/2017.
*********************************************
Pela leitura das manchetes, abaixo do anúncio do Evangelho, em que, segundo São Mateus – hoje até com estudos e teses recentes sobre sua personalidade – a aprovação do divino Mestre segue aos últimos, que serão os primeiros, “um aperitivo” é bom para facilitar a compreensão do texto.
Em 1995, um participante da UNESCO afirmou: “Sem a diferença entre os homens, a identidade de cada um desaparece: é a essência divina em cada um que é preciso preservar” e Gibran Khalil Gibran escreveu: “Que os cegos guiem os cegos para o abismo.E que os mortos enterrem os mortos até que a terra fique sufocada com seus próprios frutos amargos.Meu reino não é da terra. Meu reino será onde dois ou três de vós vos encontrardes em amor, em admiração pela beleza da vida, e em alegria, e em memória de mim”. (Jesus, O Filho do Homem).
E não se pode separar a Memória do Senhor do seu altíssimo sacrifício por nós: além da sua dolorosíssima morte biológica, Ele desceu com Sua Alma, feita de Amor, Verdade e Beleza, aos infernos, de lá ressuscitando os mortos sem luz e convertendo seus apóstolos , das más “manchetes” ou escândalos de seu tempo, à vida feliz, como Mateus, cobrador de impostos, que se torna testemunha ativa do Evangelho de Domingo, já que felicidade é sempre a vivência do subjetivo, dentro de nós.
Liturgicamente representado por um Anjo, segurando uma lança, uma moeda e uma pena, São Mateus, hoje padroeiro dos contadores, oficiais alfandegários, fiscais financeiros, conselheiros fiscais, operadores da bolsa de valores, economistas, guardas de segurança de valores, coletores e cobradores de impostos, é testemunha de que, na herança divina, os últimos (os oprimidos, a mulher e a criança marginalizadas, os injustiçados, os coxos, os cegos, os rejeitados, os enfermos, na opinião de Dom Fernando Figueiredo) serão os primeiros: – “Não me é lícito fazer o que quero do que é meu”?
A misericórdia do Senhor não é emoção passageira, é a definição da própria vida que, na Sua Riqueza insondável, encontra seu resgate e sentido plenos junto dEle, mesmo que Domingo p.p. (24/09/2017) Pe. Fernando José Cardoso (Arquidiocese de São Paulo) questionado por Pe. Ancelmo Dantas, tenha afirmado que a mulher não foi oficialmente chamada por Cristo e por iniciativa própria é que se introduziu na vida da Igreja(!)Para ele ,a mulher judia de outrora, para escapar um pouco dos maridos, custeava a vida dos apóstolos, talvez, esquecendo-se que outro grandioso herdeiro, Paulo, Apóstolo, convertido pela graça divina, afirma: “Já não se distinguem judeu e grego, escravo e livre, homem e mulher, pois com Cristo Jesus sois todos um só. E, se pertenceis a Cristo, sois descendentes de Abraão, herdeiros da promessa”. (Gálatas, 3,28-29)
“—Ou são maus os teus olhos porque sou bom?” – é a pergunta do Senhor ao que teve inveja da Sua misericórdia em relação ao pagamento dos últimos, que serão os primeiros. Para São Francisco de Assis, é falta grave, pois não se vê o próprio Deus, que vive em cada um. E o pecado (transgressão à lei divina) nunca inspira bons sentimentos (vai da vergonha, do nojo – quanto à impureza – até ao dito popular de que de boas intenções o inferno está cheio, quando não se cumpre a vontade de Deus em relação ao semelhante e a si mesmo). Como disse o ex-presidente do Uruguai e atual senador Pepe Mujica (82 anos)—“me dá pena, pena pelo Brasil” sobre manobra para salvar Temer da Câmara.
Dos 46 títulos de honra que constam da ladainha de Nossa Senhora, Mãe do Senhor, uma prece nos vem ao coração e à mente: “Mãe dulcíssima, ensinai-me a vida interior” , pois através dela se realiza a nossa individualidade, pelo corpo visível, marca sagrada do Amor do vosso Filho, que nos chama à fraternidade e à Vida.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA