Nova rotatória do Jardim Floridiana recebe sinalização de trânsito

A prefeitura de Rio está finalizando a construção da rotatória do bairro Jardim Floridiana, no cruzamento da Avenida 2-JF com Avenida M-25. Na quinta-feira (21) foram concluídos os serviços de demarcação e sinalização do solo (Pare), instalação de placas com indicação de velocidade máxima permitida – 30 km/h – e colocação de tartarugas e setas de direção no entorno da rotatória.NOVA ROTATÓRIA DO JARDIM FLORIDIANA (3)
A nova rotatória vai ajudar na organização de trecho muito movimentado que fica no acesso ao Distrito Industrial e também está nas imediações de escola e de um clube. “Esta é mais uma obra importante que irá beneficiar a comunidade e diminuir os riscos de acidentes que ocorria no local”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que vistoriou os trabalhos nessa quinta-feira junto com o vice-prefeito e secretário de Segurança, Defesa Civil e Mobilidade Urbana, Marco Antonio Bellagamba, o secretário de Obras, Paulo Roberto de Lima, e o diretor de Mobilidade Urbana, Adilson Marques.
Durante a construção da rotatória, os motoristas devem redobrar a atenção. Estão interrompidos os cruzamentos da Avenida M-23 com Rua M-2, Avenida 2-JF com Rua M-1, Avenida M-23 com Avenida 1-JF e Avenida M-29 com Avenida 2-JF
Recentemente a Prefeitura realizou o plantio de ipês nos canteiros centrais da Avenida 2-JF e trecho da Avenida 1-JF, que receberam mais de 50 mudas.

Espaço Mais Saúde terá ortopedia e colonoscopia na semana que vem

O Espaço Mais Saúde de Rio Claro, que iniciou atendimento quarta-feira (20) pelas especialidades oftalmologia e vascular, começa a receber na próxima terça-feira (26) pacientes com agendamento para consultas na especialidade de ortopedia e, na quinta-feira (28), exames de colonoscopia. Chamados por telefone pela Central de Regulação Ambulatorial da Secretaria Municipal de Saúde, os pacientes são atendidos nas unidades do complexo médico-hospitalar instalado na Avenida Rio Claro entre avenidas 10 e 12.
Ao serem chamados pela Central de Regulação, os pacientes recebem toda a orientação necessária para o atendimento no Espaço Mais Saúde. No caso da colonoscopia, por exemplo, os pacientes receberão kit de preparo e medicamentos para o exame.
Com base no que está sendo verificado nesses primeiros dias de atividade, adequações estão sendo realizadas pela empresa Cies Global, responsável pela operacionalização do Espaço Mais Saúde. Entre a sexta-feira (22) a segunda-feira (25) os técnicos da empresa fazem readequação da área interna das unidades para os atendimentos e exames de ortopedia. A empresa também está providenciando a climatização da área externa, no setor de recepção. Na parte interna, os ambulatórios já contam com sistema de ar-condicionado.
A sazonalidade dos agendamentos e adequações fazem parte deste primeiro momento de trabalho do Espaço Mais Saúde. O objetivo é garantir a eficácia e qualidade nas consultas, exames e cirurgias.

Prefeitura adquire máquina para retirar pintura de solo

A Prefeitura de Rio Claro adquiriu uma máquina de raspagem de pintura de solo para apagar de forma definitiva demarcações e sinalizações que não são mais necessárias nas vias públicas. O objetivo é evitar que marcas de sinalização antiga confundam condutores e pedestres. “Estamos investindo em equipamentos para oferecer serviços de qualidade para a população”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, destacando o trabalho realizado pelos servidores municipais e lembrando que o departamento municipal de Trânsito nunca teve equipamento similar.PREFEITURA ADQUIRE MÁQUINA (2)
A máquina entrou em operação nesta semana e já foi utilizada na Avenida 24 nos cruzamentos com a Avenida Ulysses Guimarães e com o anel viário. Toda a extensão da Avenida 15, que agora é preferencial, também está recendo o serviço. “O equipamento permite melhor acabamento, pois antes a sinalização de solo antiga era encoberta com tinta preta, que tem efeito temporário”, explica o diretor de Mobilidade Urbana, Adilson Marques, informando que o investimento da prefeitura na aquisição da nova máquina foi em torno de R$ 15 mil.

Palestra para técnicos de enfermagem acontece em RC

A prefeitura de Rio Claro, por meio do Núcleo de Educação em Saúde, Treinamento e Desenvolvimento (Nestd) da Secretaria de Saúde, realiza na segunda-feira (25), terça-feira e quarta-feira encontro com os técnicos de enfermagem da rede municipal. O tema da atividade é “Acolhimento Humanizado”, com palestra ministrada pela professora Débora Goulart Acácio.
A palestra terá sempre início às 13h30, no auditório I do Núcleo Administrativo Municipal (NAM). Com a realização do evento em três dias, todos os técnicos em enfermagem da rede de saúde da prefeitura poderão participar sem que haja prejuízo no atendimento à população durante a atividade.

Cipa do Daae tem novos integrantes

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) de Rio Claro tem nova diretoria. Os integrantes da gestão 2017-2018 tomaram posse na sexta-feira (22), em atividade no Centro de Treinamento “Oswaldo de Oliveira Brossi”. O presidente da nova Cipa é Rui Fernando Gomes da Silva e o vice-presidente é Luiz Cruz Fernandes.
A solenidade de posse contou com as presenças do superintendente do Daae, Francesco Rotolo, e do vereador Val Demarchi, representando a Câmara Municipal. De acordo com Rotolo, a Cipa desempenha papel fundamental no Daae. “A segurança no trabalho também é fator importante para a qualidade dos serviços, apoiamos a nova diretoria da Cipa e desejamos uma gestão profícua”, comenta.CIPA DO DAAE TEM NOVOS INTEGRANTES (2)
O vereador Val Demarchi ressaltou o trabalho do Daae nestes nove primeiros meses de trabalho da atual administração. “O Daae tem uma equipe muito bem qualificada que, mesmo diante das dificuldades, está desenvolvendo um serviço de qualidade”, destaca.
A Cipa tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, das condições do ambiente de trabalho e de todos os aspectos que afetam a saúde e segurança do trabalhador, de modo a tornar compatível permanentemente o desenvolvimento das atividades profissionais com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

Moradores aprovam nova posição de radares na Vila Alemã

Permitindo maior fluidez no tráfego de veículos, a iniciativa da prefeitura de Rio Claro de reposicionar radares na Rua 3-A entre as avenidas 32-A e 36-A, na Vila Alemã, foi aprovada pela comunidade. A comerciante Luciana Cerri destaca que o trabalho, realizado nessa quinta-feira (21), vai favorecer o comércio naquele trecho. “Do jeito que estava era muito bagunçado, agora há mais espaço na rua, vai facilitar”, comemora. Nessa sexta-feira (22), serviço similar foi feito na Rua 6-A entre as avenidas 24-A e 28-A, e por esse motivo o trânsito ficou temporariamente interrompido.
O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, e o vice-prefeito e secretário de Segurança Defesa Civil e Mobilidade Urbana, Marco Antonio Bellagamba, acompanharam parte das obras nessa quinta-feira, junto com o diretor de Mobilidade Urbana, Adilson Marques, e o secretário de Obras, Paulo Roberto de Lima. Juninho lembra que o trecho recebe grande fluxo de veículos e que a ação da prefeitura ajuda a deixar o trânsito mais organizado. “Com essa mudança, mantemos a necessária fiscalização eletrônica e liberamos mais espaço para o trânsito”, comenta. O local terá novo aspecto visual e facilidade para a limpeza da via pública.MORADORES APROVAM NOVA (2)
Jair Borges mora em frente ao radar e acredita que a mudança é importante principalmente porque os prismas que afunilavam o trânsito nas proximidades do radar foram retirados. “Vai amenizar aquela situação de carros estacionados em frente das nossas casas”, explica.
O secretário de Segurança frisa que a colaboração dos motoristas, obedecendo ao limite de velocidade no trecho, é essencial. “É um ponto com grande movimento de estudantes, localizado em frente à saída de alunos de uma grande unidade de ensino”, alerta.
O trabalho da prefeitura consiste no reposicionamento das colunas onde ficam os equipamentos que indicam a velocidade dos veículos. As colunas foram retiradas da rua e colocadas na beira da calçada, liberando toda a via e melhorando o fluxo dos veículos. Além disso, os prismas usados para afunilar o trânsito naquele ponto de fiscalização foram removidos.

Vettel x Max Verstappen x Raikkonen: acidente de corrida. Ponto.

Arnaldo Diniz

Acredito que vocês não me conhecem, pois escrevo pela primeira vez neste espaço. Estive no GP da Itália de F1, em Monza, a convite dos meus amigos Edison Cortêz, aqui do Diário do Rio Claro, e do José Vitte, do A Cidade, de Santa Gertrudes. Como acompanhei de perto, também, a última etapa, em Cingapura, o Edison me convidou para expor a minha visão do ocorrido na largada, com consequências diretas na definição do vencedor e talvez até do campeonato.

Deixo eu falar uma coisa. Eu também sou piloto, como o José Vitte, disputamos a mesma competição, o Mercedes Challenge. Este ano eu decidi me dedicar mais aos negócios, lidero a concessionária Mercedes Comark, em São Paulo. Em 2014 fui campeão.

Sei que já faz uma semana desde os acontecimentos no Circuito Marina Bay, em Cingapura, mas isso não impede de eu expor a minha opinião. Todos viram, primeiro, na classificação, a vantagem técnica da Ferrari na definição do grid. O Sebastian Vettel estabeleceu a pole position com uma volta de arrepiar.

Naquela volta final, no Q3, ele raspou o muro com a roda traseira esquerda, para se ter uma ideia do limite em que pilotava. Teve sorte, concordo. Mas essencialmente vimos uma demonstração de talento como em poucas ocasiões.

Mas sua eficiência acabou ali. Na largada, Vettel deixou as rodas patinarem demais, e estava do melhor lado da pista para tracionar, a posição impar, primeiro no grid. Largou tão mal que mesmo Max Verstappen, da Red Bull, segundo, e Kimi Raikkonen, seu companheiro de Ferrari, quarto, ambos em posição par, emparelharam com ele 200 metros depois de iniciada a corrida e, provavelmente, o ultrapassariam na curva 1, pois chegariam em maior velocidade e com o carro em melhores condições. A largada de Raikkonen foi excepcional.

Vettel não imaginava que teria de dividir a curva com os três. Ele sabia que para voltar à liderança do campeonato, perdida em Monza, onde eu estava com o Edison e o José Vitte, precisava ganhar o GP de Cingapura. O que ele fez? Ao ver que Max se aproximavam rápido pela esquerda, desviou o carro a fim de fechar a porta, como todo piloto que deseja vencer faria.

Para mim, Vettel não viu Raikkonen, não imaginou que Max não teria espaço para ir para a esquerda. Essa situação levou os três a colidirem. Não há culpados. Foi um acidente de corrida. Com desdobramentos nefastos para as possibilidades de a Ferrari ser campeã novamente. Hamilton agradeceu Vettel, venceu, ampliou a diferença entre ambos de 3 para 28 pontos e colocou a mão na taça.

Vendo globalmente o evento, a pista de Cingapura é oposta a de Monza. Um carro com um bom chassi, mesmo não dispondo de um motor capaz de disponibilizar muita potência, pode ir bem em Cingapura. É o traçado com o maior número de curvas do calendário da F1, 23. Em Monza, não tem nada disso. É reta e pé no fundo o tempo todo. Sem um bom motor você não faz nada.

É por essa razão que em Cingapura tanto a Ferrari, mas principalmente a Red Bull-Renault, andaram tanto quanto ou mais que a Mercedes. O motor alemão não ajudou Lewis Hamilton e Valtteri Bottas a fazer a diferença. Já na próxima etapa do mundial, dia 1º, na Malásia, 15ª do calendário, o motor de novo voltará a contar bastante, ainda que não como Monza, claro.

Uma palavrinha sobre o Felipe Massa, que nos recebeu tão bem em Monza. Que coisa a sua equipe insistir em mantê-lo na corrida, em Cingapura, com os pneus de chuva enquanto todos já estavam com os intermediários e registravam tempos melhores. A aposta deles era de que poderia voltar a chover. Mas só a Williams acreditava nisso.

Tanto que o Felipe passou direto do pneus de chuva intensa para os de pista seca, nem usou os intermediários. No primeiro pit stop o time apostou em mais água e colocou pneus de chuva de novo. Não acreditei quando vi.

Quando o Felipe deixou os boxes, com os pneus lisos, para asfalto seco, seus tempos eram excelentes, chegou a ser o mais rápido da pista em determinado instante, mas o estrago já havia sido feito. Felipe perdeu muito tempo com os pneus de chuva. Lá atrás, não havia como avançar demais na classificação. Infelizmente recebeu a bandeirada em 11º.

Já o seu companheiro, o Lance Stroll, mesmo sem fazer uma grande corrida, mas com a estratégia certa, ou seja, permanecer com os pneus intermediários, a adotada por quase todos, terminou em oitavo. Como o Felipe estava na frente dele, é bastante realista imaginar que concluiria as 58 voltas da prova em sétimo. Excelência na estratégia nunca foi o forte da Williams. Abraços e até uma próxima oportunidade.

O exemplo que vem de cima, um dos grandes males do Brasil

Livio Oricchio, de Nice, França
Aqui em Nice, na França, onde resido, e em Bordighera, Itália, do outro lado da fronteira, meia hora de carro, apenas, de Nice, costumo me reunir e conversar com amigos, cidadãos de importante formação acadêmica. Falamos sobre os mais variados temas, como aquele que mais nos atinge, hoje, o da imigração.

Há centenas imigrantes nas ruas, oriundos da África, tentando passar do lado italiano para o francês a fim de chegar em Calais, no norte da França, e de lá de alguma forma imigrarem para o que pensam ser o seu Shangrilá, a Inglaterra.

Mas conversamos, também, sobre o Brasil. Se você acha que a violência é o que mais chama a atenção dos estrangeiros em relação ao país, está enganado. Obviamente, quando eles sabem que este ano mais de 100 policiais já morreram no Rio de Janeiro, a maioria assassinada pelo crime organizado, meus amigos ficam estarrecidos.

A pergunta mais óbvia deles é: o que estão fazendo as forças armadas que não declaram guerra a esse poder paralelo que tomou conta da nação?

Mas eu comentava a respeito do que mais falamos. O principal, ultimamente, é o poder judiciário brasileiro. Eles sempre esperam que eu leve cópias das reportagens publicadas nos sites G1, da Globo, e do UOL, principalmente. Lá eu traduzo para eles. Ouvi de um amigo francês: “É surreal”.

A última série de li para os meus amigos é sobre Gilmar Mendes, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Agora, assim que voltar da Malásia, para onde embarco nesta segunda-feira, vou levar mais uma série de reportagens onde o cidadão em questão com certeza será, de novo, notícia no Brasil.

Vocês devem se lembrar do episódio em que o Ministério Público Federal (MPF) fez enormes esforços para decifrar, em detalhes, o esquema de corrupção milionário no sistema de transportes públicos no Rio de Janeiro, a Operação Ponto Final.

Diante da vasta e concreta documentação reunida, o juiz federal Marcelo Bretas emitiu mandados de prisão a todos os envolvidos diretamente, como o milionário empresário Jacob Barata Filho, conhecido como “o rei do ônibus no Rio” e mais cinco acusados.

Mais que de imediato, Gilmar Mendes analisou o pedido de habeas corpus dos advogados de “rei do ônibus” e os cinco envolvidos. Também como num passe de mágica Mendes tirou todos da cadeia. Instantes depois, surgiu na imprensa uma foto de Mendes ao lado de Jacob Barata no casamento da filha. Quem era o padrinho? Acertou, o próprio Mendes.

Questionado sobre um eventual envolvimento emocional no caso, Mendes foi até agressivo na resposta aos jornalistas. O MPF pediu o seu afastamento do caso. Sem sucesso. Dá para entender melhor meu amigo francês parar de sorrir, expor uma expressão séria e dizer o que mencionei, “surreal?”

Agora o mesmo Mendes foi sorteado para julgar o habeas corpus do empresário mais bem sucedido do Brasil, ao menos era: Joesley Batista, do grupo J&F, controlador da JBS, envolvida até o pescoço na Lava Jato. Estamos falando do desvio de bilhões e bilhões de reais, que dariam para atenuar senão resolver vários problemas crônicos do país, como o fornecimento de água tratada e o sistema de coleta de esgotos, base de muitas das doenças que fazem a mortalidade infantil brasileira ser assustadoramente alta.

Mas se depender do histórico de Mendes no caso, Joesley por mandar trocar a roupa da sua cama, na sua mansão, que em breve vai dormir em casa, deixará a prisão.

Delatores da JBS fizeram com que o procurador Ângelo Villela e o advogado Willer Tomaz fossem presos. Mas, para estarrecimento do MPF e da Procuradoria Geral da República (PGR), já estão soltos. Foram liberados pelo voto de minerva de Mendes. Nem todos sabem, mas o próprio ministro Gilmar Mendes foi citado por um dos delatores da JBS. Chocante.

A PGR pediu novo afastamento de Mendes. E ouviu em resposta do ministro que a PGR fez contratos criminosos com os delatores da Lava Jato.

Agora a cereja do bolo. O Grupo J&F confirmou para o jornal Folha de São Paulo que destinou ao Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) R$ 2,1 milhões em patrocínio para os seus eventos. Sabe quem é o sócio do IDP? Isso mesmo, o próprio, o ministro Gilmar Mendes.

O que esperar de um país em que a sua suprema corte de justiça dá exemplos contínuos de toda forma de desmando? Parte importante dos seus cidadãos, sem estudos, cultura, discernimento, acredita que esse é o modelo de sobrevivência, a pilhagem, a prevaricação da função que exercem, não importa qual, das mais simples às mais importantes para os destinos do Brasil, como a de ministro do STJ.

Dia 15 deste mês, o general da ativa do exército Antônio Hamilton Mourão disse durante palestra, em Brasília, que seus “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderá ser adotada “se o judiciário não solucionar o problema político”, em referência à corrupção sem limite que varre o Brasil.

Militar no poder é sinônimo de o país andar para trás, representa um atraso profundo. Mas militar realizar tarefas que o judiciário não faz, por conta do interesse pessoal (dá para acreditar?) de alguns de seus integrantes, tenha a certeza de que levaria 200 milhões de cidadãos, a maioria esmagadora de honrados homens e mulheres, às ruas para festejar.

Agora, os militares têm de estabelecer no seu plano de ataque não apenas a classe política, mas também a eliminação desses focos de virulência bárbara e injustiça que fazem tão mal ao Brasil quanto o promovido pela classe política, os existentes no judiciário, onde esse indivíduo, Gilmar Mendes, é um dos líderes.

liviooricchio@gmail.com

Água na Assistência pode se tornar realidade

Comitiva formada pelo prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, vereador Paulo Guedes (PSDB) e deputado federal Vanderlei Macris (PSDB), esteve em São Paulo na última segunda-feira, 19, reunida com o diretor de Investimentos da Agência de Transportes do Estado de São Paulo (ARTESP). Na pauta, a solicitação de apoio para a implantação de adutora necessária para garantir o fornecimento de água regular no distrito da Assistência.
No ofício entregue, Paulo Guedes detalha que os moradores da Assistência sofrem há anos com o fornecimento irregular de água, principalmente aos finais de semana, fator que os priva das necessidades básicas, como a higiene pessoal, bem como gera o que denominam de cobrança injusta, pois o relógio gira mesmo sem água. Esse problema, explicou o vereador, acontece devido ao diâmetro da tubulação que é insuficiente motivo pelo qual a substituição é solicitada em caráter de urgência.
“Solicitei a autorização à Artesp para a implantação de adutora sob o trecho da Rodovia SP-127, obra que irá solucionar o problema dos moradores da Assistência que sofrem, frequentemente, com o fornecimento irregular de água. A situação é mais grave aos sábados e domingos”, afirma o vereador. “A obra foi autorizada e terá investimento superior a R$ 1,5 milhão. Continuarei trabalhando muito, a fim de solucionar problemas como esse em nosso município”, acrescentou o parlamentar.

Rampas para cadeirantes nas ruas de Rio Claro devem ser avaliadas

A situação crítica que encontram-se as rampas destinadas a cadeirantes, mães que circulam com carrinhos de bebês, entre outras situações que levam à mobilidade reduzida, está na pauta de trabalho da Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Civil e Mobilidade Urbana.
O problema foi levado ao Plenário da Câmara Municipal por Ney Paiva (DEM) através do Requerimento 1278/2017 aprovado por unanimidade pelos vereadores na sessão ordinária do dia 17 de abril deste ano. “Muitas das rampas não contam com nenhuma condição de segurança para uso”, disse Ney Paiva ao defender a aprovação do requerimento. “Há trechos que sequer o cadeirante tem como se deslocar devido à proximidade de postes”, acrescentou o parlamentar ao afirmar que a acessibilidade é um grande desafio para muitas pessoas em Rio Claro.
Em resposta ao requerimento, no dia 4 de maio deste ano, o diretor do Departamento de Mobilidade Urbana, Adilson da Silva Marques confirmou que os locais citados pelo vereador seriam vistoriados. Cinco dias após, ou seja, em 9 de maio, o secretário de Segurança, Marco Antônio Melli Bellagamba assinalou: “O pedido é pertinente. Será avaliado tecnicamente de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro”.
No dia 31 de agosto deste ano, a Diretoria do Departamento de Mobilidade Urbana, em novo despacho ao vereador Ney Paiva informou: “Estamos analisando os locais para a instalação de novas rampas”.
Além de agradecer a atenção por parte da Prefeitura de Rio Claro, Ney Paiva avalia a informação como importante: “Estamos na Semana Municipal da Pessoa com Deficiência. Ao confirmar a instalação de novas rampas, a Prefeitura mostra que a acessibilidade está entre as prioridades de governo”, afirmou Ney Paiva que acompanha passo a passo os desdobramentos do assunto.

Censura ao pensamento e à arte e a natureza sobrenatural Dele, o Filho!

“Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, com atriz transexual, foi mantida na programação de um festival por sentença de um juiz de Porto Alegre. O magistrado afirmou que se deve “garantir a liberdade de expressão dos homens, das mulheres, da dramaturga transgênero e da travesti atriz, pelo simples motivo: porque somos todos iguais. Não se pode censurar a peça sob argumento de que estamos em desacordo com seu conteúdo. A liberade de expressão tem de ser garantida e nao cerceada pelo Judiciário. Censurar arte é censurar pensamento e censurar pensamento é impedir desenvolvidmento humano”.
De fato, a peça já vem causando polêmica deste 2009, na Inglaterra. Considerada blasfema por fundamentalistas religiosos, pois transforma o Cristo num transexual vivendo entre os contemporâneos, motivou reações e manifestações que buscavam proibir a sua apresentação, tal como se viu em Porto Alegre. Na peça, a atriz trans recorre à imagem de Jesus para propor reflexões sobre a intolerância contra pessoas trans e grupos marginalizados a partir de histórias bíblicas.
A Constituição de 1988 consagra como direito fundamental a liberdade de religião, prescrevendo que o Brasil é um país laico. Não se pode adotar, incentivar ou promover qualquer deus ou religião. Tanto para quem acredita em deus(es) como para quem não acredita neles, a Constituição propaga o banimento da intolerância e do fanatismo, leia-se aqui crença irracional e exagerada posição dogmática.
Assim, é inviolável a liberdade de consciência e de crença, assegurando-se o livre exercício dos cultos religiosos e garantindo, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias. Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa.
Já a Liberdade de expressão, usada pelo juiz de Porto Alegre como razão de decidir (sem despretigiar de forma alguma a liberdade religiosa e de crença mais ou menos exacerbada), é o direito de qualquer indivíduo manifestar, livremente, opiniões, ideias e pensamentos pessoais sem medo de retaliação ou censura por parte do governo ou de outros membros da sociedade. É um conceito fundamental nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral. Segundo o artigo 5º da Constituição Federal, todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, sendo livre a manifestação do pensamento, a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença. Ou seja, a manifestação do pensar, a criação e a expressão, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão restrições.
Antonio Gonçalves Filho escreveu interessante artigo no “Estadão” desta quinta-feira, comentando o episódio de Porto Alegre e ponderando que, ao se pedir judicialmente a proibição de uma peça por mostrar Jesus como um transexual, o que se quer mesmo é, via perseguição, o expurgo de seres que fogem à “norma”, embora inafastável a natureza subrenatural de Jesus, distante da essência e singeleza humanas. Assim se fez no Terceiro Reich ao se perseguir artistas visuais daquela chamada “arte degenerada” dos expressionistas. Os nazistas primeiro baniram e queimaram livros; depois os artistas judeus, comunistas e homossexuais.
Respeitadas posições antagônicas, fez o magistrado prevalecer o artigo XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ou seja, todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão, recebendo e transmitindo informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras físicas e morais.
William Nagib Filho – Advogado

Partido de um homem só

Por: Eduardo Sócrates Bergamaschi

De acordo com matéria publicada no UOL Notícias, o PT estuda “boicotar” as eleições de 2018 se Lula não puder ser candidato (o que é praticamente certo).
Em caso de condenação em segunda instância e consequente proibição de Lula em se candidatar nas próximas eleições, o partido não disputaria a presidência e não lançaria candidatos ao senado ou à Câmara dos Deputados.
De acordo com a senadora Gleisi Hoffmann “o impedimento de Lula seria uma fraude nas eleições. (O boicote) é uma coisa que não está sendo oficialmente discutida ainda, mas vai caminhar para isso se ele for impedido de ser candidato. É um processo que não tem base jurídica”.
Lembro que o ex-presidente já tem uma condenação em primeira instância no âmbito da operação Lava Jato em processo que é acusado de receber um tríplex da construtora OAS como forma de propina.
Além dessa condenação, o ex-presidente viu a sua situação jurídica e política se complicar ainda mais com a confissão de seu ex-ministro da Fazenda e braço direito Antonio Palocci.
Esse posicionamento do Partido dos Trabalhadores, nos faz concluir que o partido nunca existiu; o que existiu foi o Partido do Lula. Sem o ex presidente, o PT, com certeza ainda continuaria no ostracismo político brasileiro.
Os próprios “companheiros”, em sua grande maioria, não acreditam no partido como uma instituição de ideais sociais, de partido dos pobres, de partido que luta pelas causas que beneficiem a sociedade brasileira como um todo.
Os “companheiros” acreditam apenas no “companheiro” Lula, independente do que ele fez ou deixou de fazer. Sim, porque não é possível, em sã consciência, que eles acreditem na inocência do ex-presidente, com tantas evidências, com tantas denúncias, inclusive a do Palocci, que foi o homem de confiança de Lula, junto com o Zé Dirceu, por tanto tempo.
Alguns setores do PT repetem o mantra da “perseguição política pelo Ministério Público e pelo Judiciário brasileiros”, “golpe”, etc, já sem nenhuma eficácia para convencer os eleitores.
Alas do PT, no entanto, não são favoráveis à tese do boicote, como é o caso de Tarso Genro, que disse em entrevista à BBC Brasil: “Acompanho esta discussão e Lula é certamente o meu candidato. Mas esta posição de não ter candidato, boicotando as eleições se Lula não puder concorrer, é o resquício de uma velha ARROGÂNCIA de uma parte do PT, que acha que não existe vida inteligente, de esquerda, fora do nosso partido. O campo democrático de centro esquerda tem candidatos possíveis para nos representar, tanto à esquerda de Lula, como mais ao centro”
E aí está a grande verdade, dita por um petista. Arrogância, este sempre foi o mal do PT, em se achar o Salvador da Pátria, em achar que não existe nada além do seu partido, nem povo, nem justiça, nem Brasil. E esta ARROGÂNCIA pode enterrar o partido de vez, já que Lula não será candidato.
E que os anjos digam Amém…

RIO SEM LEI

Carlos Brickmann

Bandidos descem a pé da favela onde estão aquartelados, no Rio, carregando nas mãos, sem disfarce, armas de grande potência. Estão indo para invadir a favela ao lado, onde pretendem estabelecer nova base de fornecimento de drogas. Não que a favela que pretendem conquistar não tenha seus próprios traficantes armados, que fornecem todos os tipos de droga a quem quer que tenha dinheiro para comprá-la; o que os invasores querem é se apropriar do tráfico dos vizinhos, embolsando novos lucros.
Na luta pela conquista de novas áreas, as balas às vezes atingem seus alvos, às vezes matam seus inimigos. Mas boa parte das balas atinge casas de consumidores, ou de cidadãos que não têm nada a ver com o tráfico mas se transformam em vítimas. Algumas balas matam e ferem crianças, atingem mulheres grávidas, fazem vítimas que tiveram a má sorte de estar no lugar errado, na hora errada. Os bandidos não se preocupam com isso: o problema é das vítimas, da família das vítimas, do governo que tem de atendê-las e isso num momento em que o Rio está totalmente sem verbas.
Há Polícia nas ruas, há Forças Armadas nas ruas. Os bandidos os ignoram. Sabem que são mais fortes; que dirigentes das Forças Armadas e da Polícia brigam entre si para ver quem manda mais. Parecem não perceber que quem manda mais são os bandidos. A propósito, a favela que tenta invadir as outras é a Rocinha. Bem em frente ao belo Hotel Nacional.

As ações oficiais
Mas ninguém imagine que o Governo (federal, estadual, municipal, seja qual for) esteja inerte. Não! Os governos mudaram o nome das “favelas” para “comunidades”, politicamente mais correto. Claro que “comunidade” não é a mesma coisa que “favela”: qualquer condomínio fechado, por mais chique que seja, é também uma comunidade. Mas vá lá: daqui a pouco poderão dizer que o número de favelas se reduziu, já que várias já favelas não são, mas comunidades. Os governos investiram também em unidades de polícia pacificadora, UPP; mas não é só de polícia que a favela precisa. Cadê os postos de saúde, as escolas, as quadras esportivas? Se a presença do Estado nas favelas se limitar à Polícia, à pura e simples repressão ao crime, não há como impedir os bandidos de comandar os homens de bem.

Dúvida pertinente
Há alguns anos, o repórter Gilberto Dimenstein perguntou que é que faríamos se a Argentina tomasse um pedaço do Brasil. Haveria protestos, conclamações à guerra, tudo o que fosse necessário para reaver o território ocupado. Perguntava: os bandidos tomaram uma parte de nosso país, na qual não permitem nem a entrada da Polícia. E completava: em que é que os traficantes, que ninguém incomoda, são melhores que os argentinos?

Mar mineiro
O deputado Jair Bolsonaro disse que, se for eleito presidente da República, o Brasil vai explorar suas riquezas – “quem sabe até abrindo uma saída para o mar para Minas Gerais”. Para que? Minas exporta minério de ferro em grandes quantidades, já exportou ouro até provocar inflação em Portugal, exporta manganês. Não tem saída própria para o mar, mas utiliza os portos de outros Estados, sem precisar cavar um rio salgado para chamar de seu. Bolsonaro acha que pode ganhar. Pretende levar os militares de volta ao poder, com eleições. Mas, se tentar construir um mar interior, não haverá no país quem não fique de olho nas concorrências públicas.

Os outros
João Dória e Geraldo Alckmin, um dos dois sai pelo PSDB. Lula não deve sair, mas não se sabe quem é o poste que escolherá para substituí-lo. Álvaro Dias é candidato pelo Podemos, novo nome do PTN. Joaquim Barbosa é disputado por vários partidos, já que, imagina-se, tem bom potencial eleitoral. Henrique Meirelles é do PSD; se sua política econômica continuar dando certo, pode ser o candidato do Governo (ele ou Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES). Ciro Gomes gostaria de ser o candidato de Lula, mas é difícil. Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo, não tem partido nem voto. Mas traria respeitabilidade à eleição.

As chances?
Ainda não dá para saber nem quem será candidato, quanto mais as possibilidades de vitória de cada um: falta um ano para as eleições.
Atrapalhado
Há políticos capazes de atravessar a rua para escorregar numa casca de banana na calçada oposta. Michel Temer, por exemplo, resolveu colocar em estudos o fim do horário de verão. Num país que paga contas de energia mais altas porque é preciso ligar as termelétricas, Temer acha razoável desperdiçar a economia de eletricidade trazida pelo horário de verão. Vale pelas piadas: por exemplo, Temer não quer que o por do Sol ocorra uma hora mais tarde porque, com sua aparência de vampiro, tem de evitar o Sol.

COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann

Grave acidente na Wilson Finard deixa uma vítima fatal e outra em estado grave

A Guarda Civil Municipal (GCM),informou que o veículo Ford Focus cinza placas FSK 7811 de Rio Claro bateu contra um caminhão Mercedes-Benz. Com o impacto o carro se partiu ao meio. Ainda não se sabe o motivo, que será posteriormente apurado. Um dos ocupantes morreu no local. O outro foi em estado grave para o PSMI (Pronto Socorro Municipal Integrado) de Rio Claro. Um terceiro veículo, não conseguiu frear e bateu na traseira do caminhão. Ainda de acordo com a GCM, o Focus estava à venda em um loja de Rio Claro e estaria sendo testado no momento do acidente. Até às 20h de ontem o corpo da vítima fatal se encontrava no IML de Rio Claro, e não obtivemos mais informações. (Imagens: GCM/Rio Claro)


 

WhatsApp Image 2017-09-22 at 18.15.12 WhatsApp Image 2017-09-22 at 18.15.09 WhatsApp Image 2017-09-22 at 18.15.08 WhatsApp Image 2017-09-22 at 18.15.07

Lei que proíbe “pancadão” terá fiscalização a partir da semana que vem em Rio Claro

A prefeitura de Rio Claro pretende intensificar a partir da próxima semana a fiscalização em locais com queixas de perturbação do sossego público. A medida visa coibir o chamado “pancadão”, som em alto volume propagado por aparelhos portáteis ou instalados em veículos estacionados, parados ou em movimento nas vias e logradouros públicos. A fiscalização exclui veículos profissionais que estejam adequados à legislação vigente.
A proibição vale para todos os tipos de aparelho reprodutor, amplificador ou transmissor de sons, como rádio, televisão, vídeo, CD, DVD, MP3, Ipod, celulares, gravadores, viva-voz, instrumentos musicais e similares. “Todo equipamento que gere perturbação de sossego devido à emissão de sons ou ruídos em excesso será alvo da fiscalização”, alerta o secretário municipal de Segurança, Marco Antonio Bellagamba.
A restrição ao uso de aparelhos sonoros está prevista em lei proposta pelos vereadores Paulo Guedes e Júlio Lopes e aprovada pela Câmara Municipal em agosto deste ano. A proibição abrange ruas, veículos, espaços privados de livre acesso ao público, como postos de combustíveis e estacionamentos, e chácaras onde são realizadas festas e “raves”. “O desrespeito à norma configura infração independentemente da intensidade sonora do aparelho, já que a lei dispensa o uso de decibelímetro”, destaca.
A nova regra dá aos guardas municipais poder para impedir o som alto e, consequentemente, o “pancadão”. Os agentes receberam treinamento e orientação para realizar o serviço. A fiscalização também é feita pelos fiscais da prefeitura. Quem descumprir a regra fica sujeito a multa de 1.000 unidades fiscais do município, que equivale a quase R$ 3 mil. O valor dobra na primeira reincidência e quadruplica na segunda reincidência, além do risco de apreensão do aparelho de som ou veículo.
Em situações de perturbação do sossego, a população pode acionar Guarda Municipal pela linha 153, a Polícia Militar pelo telefone 190 ou registrar a queixa pela linha 156 da prefeitura, que também atende no balcão de entrada do paço municipal.

Trecho de Estrada dos Costas ganha calçadas

A prefeitura de Rio Claro está providenciando calçada em trecho da Estrada dos Costas, principal acesso ao Jardim das Nações. “A medida visa ampliar a segurança dos pedestres que utilizam o local”, destaca o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que esteve na quinta-feira (21) acompanhando os trabalhos.
“Após a conclusão da terraplenagem, serão depositadas raspas de asfalto em trecho de aproximadamente 500 metros de calçada”, observa Paulo Roberto de Lima, secretário de Obras.TRECHO DE ESTRADA DOS COSTAS GANHA CALÇADAS (1)
Além de contribuir para a segurança de quem já reside no local, como os moradores do Jardim das Nações 2, o trabalho tem sua importância destacada em virtude da quantidade de pessoas que em breve irão morar na região.

Workshop sobre uso de águas subterrâneas ocorre na Unesp

Com o objetivo de aprofundar o debate sobre o uso e gestão das águas subterrâneas, os Comitês PCJ (rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí) e sua Secretaria Executiva, a Agência das Bacias PCJ, em parceria com o Centro de Estudos Ambientais da Unesp – Rio Claro, irão realizar, entre os dias 25, 26 e 27 de setembro, o IV Workshop de Águas Subterrâneas: “Compartilhando Experiências”. O evento está sendo organizado pela Câmara Técnica de Águas Subterrâneas (CT-AS) dos Comitês PCJ, e será realizado no campus da Unesp, em Rio Claro. Na sua programação estão previstos três minicursos, além de palestras e mesas-redondas, todos ministrados por especialistas renomados nessa área.
Em sua quarta edição Workshop dos Comitês e Agência PCJ vai aprofundar debate sobre gestão e uso das águas subterrâneas nas Bacias e no país. A programação completa e outras informações estão disponíveis no site www.agenciapcj.org.br/aguassubterraneas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas nesse mesmo link. Atenção: as vagas são limitadas.

DEMANDA
O workshop visa atender a necessidade de informações e conscientização a respeito de águas subterrâneas, com foco na sua preservação e utilização racional frente ao cenário de aumento populacional nas cidades localizadas nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, que hoje contam com cerca de 5,5 milhões de habitantes. O aumento populacional e da atividade econômica fez com que as águas subterrâneas adquirissem uma importância cada vez maior em nossa sociedade.
“Nosso objetivo principal é possibilitar a troca de experiências a respeito de águas subterrâneas entre gestores, usuários, a comunidade acadêmica e o público em geral. A partir dessa troca, poderemos avançar na correta gestão dos recursos hídricos, tanto no âmbito dos Comitês PCJ quanto no nacional”, ressaltou o coordenador da CT-AS e um dos organizadores do evento, o geólogo e pesquisador da Unesp, Didier Gastmans.

AUMENTO
A captação de águas subterrâneas tem aumentado ao longo dos anos, especialmente após a crise hídrica ocorrida entre 2014 e 2015. As vazões outorgadas pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado) que eram de 2,73 m³/s em 2011, saltaram para 3,3 m³/s em 2015.
Entretanto, Gastmans explica que as águas subterrâneas apesar de muito exploradas nas Bacias PCJ são um recurso pouco estudado, que necessita de maior atenção no que se refere ao incentivo à geração de dados e informações sobre disponibilidade hídrica e qualidade.
A CT-AS dos Comitês PCJ tem se mobilizado, nos últimos anos, na propositura de ações voltadas à gestão dos recursos hídricos, à divulgação e avanço do conhecimento técnico-científico e ao aprimoramento do Plano de Bacias Hidrográficas do PCJ.
“Estamos comprometidos em conduzir um fórum de discussões que atendam aos anseios dos vários setores da sociedade”, ressaltou Gastmans. “Com certeza, o workshop será uma experiência enriquecedora para todos”, acrescentou.

IV Workshop de Águas Subterrâneas dos Comitês e da Agência PCJ, dias25, 26 e 27 de setembro de 2017 no campus da Unesp, em Rio Claro
25/09: Minicursos no CEA (Centro de Estudos Ambientais) da Unesp, das 8h30 às 17h30
26 e 27/09: Palestras e mesas-redondas no Salão Nobre Prof. Dr. Adistão Marcon (Departamento de Geografia), das 9h às 18h. (fonte e texto Emily Gomes)

Implantação de rotatória e plantio de ipês avançam no Jd. Floridiana

O plantio de ipês coloridos no Jardim Floridiana, em Rio Claro, foi concluído nessa quinta-feira (21). A iniciativa da prefeitura vai deixar mais bonita a Avenida 2-JF e trecho da Avenida 1-JF, que estão ganhando mais de 50 mudas ao longo dos canteiros centrais. Além disso, o encontro da Avenida 2-JF com a Avenida M-25 está ganhando rotatória, que vai deixar o cruzamento mais seguro.
Na quarta-feira (20) o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, vistoriou ambos os trabalhos. “Estamos combinando ações de paisagismo e reestruturação urbana nesta que é uma região muito movimentada na área norte da cidade”, comenta Juninho, que esteve acompanhado do secretário de Agricultura, Abastecimento, Silvicultura e Manutenção, Emílio Cerri, de Tadeu Olivetti, do setor de manutenção pública e do vereador Julio Lopes, que solicitou a implantação da rotatória.IMPLANTAÇÃO DE ROTATÓRIA E PLANTIO (1)
Durante a construção da rotatória, os motoristas devem redobrar a atenção. Estão interrompidos os cruzamentos da Avenida M-23 com Rua M-2, Avenida 2-JF com Rua M-1, Avenida M-23 com Avenida 1-JF e Avenida M-29 com Avenida 2-JF. “Assim que a parte estrutural estiver pronta, faremos o paisagismo da nova rotatória com plantio de grama e, talvez, colocação de palmeiras”, antecipa Emílio Cerri.
O cruzamento fica no acesso ao Distrito Industrial e também está nas imediações de escola e de um clube, e por isso é muito movimentado. Tanto o plantio de mudas quanto a implantação da rotatória estão sendo feitos com mão de obra da própria prefeitura.