Rede Social x Políticos…

208

Por Eduardo Sócrates Bergamaschi

A administração municipal que deixou o comando em Dezembro de 2016, sofreu muito com as redes sociais.
Agora é a atual administração que está no olho do furacão. Navegando em uma dessas redes sociais consegui ver muitas acusações, umas podem ser parcialmente contestadas de imediato, como é o caso dessa: “Nossa Câmara Municipal também conhecida como a casa do povo aluga computadores a preço de ouro e ainda de uma empresa é de um funcionário da prefeitura e o endereço não existe …nosso dinheiro sendo jogado no lixo. Com a palavra algum vereador com coragem para explicar porque vereador inútil tem um monte”, o texto está copiado do jeitinho que foi postado.
No que diz respeito ao valor ele é de R$ 78,7 mil por ano, o que dá R$ 6,6 mil por mês. A princípio o valor parece ser realmente abusivo, mas quando você vê a descrição do serviço vê que este valor refere-se a locação de 80 equipamento, o que dá um pouco mais de R$ 80 mensais por equipamento, o que não nos parece um custo tão absurdo assim.
Agora, o que se poderia colocar em cheque seria: Para que 80 equipamentos? Onde serão usados? São realmente necessários?
Mas, as acusações de que o endereço dado pela empresa não existe e que ela pertence a um funcionário da prefeitura, parecem-nos extremamente graves. O acusador, deveria pegar todas as provas (sim, porque, é preciso ter provas) e colocar nas mãos do Ministério Público
Outras acusações, porém, nos parecem muito graves, como é o caso da compra de cadeiras, supostamente superfaturadas, também pela Câmara Municipal de Rio Claro.
Neste caso a acusação veio de um jornal eletrônico onde são postados os valores pagos pela Câmara Municipal e os valores pesquisados por aquele órgão de comunicação, com um distanciamento enorme entre eles.
Para esta acusação, o presidente da Câmara, também pelas Redes Sociais, alega “interesses contrariados” e posta duas propostas de serviços apresentadas por aquele órgão de comunicação e que não foram aceitas pela Câmara.
Ou seja, documentos comprobatórios de acusação e defesa ninguém apresentou. Mais uma vez concluímos que se os fatos forem comprovados documentalmente devem ser apresentados ao Ministério Público, local apropriado para este tipo de discussão.
Agora, enquanto ficarem nas redes sociais se digladiando e vociferando impropérios, nada será resolvido e nenhum esclarecimento será levado à população.
E nós vamos ficar de olho, nos dois lados…

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA