Coluna Edmar Ferreira

484

A diretoria do Corinthians tinha que punir Rodriguinho. O meia ficou 1 minuto e 54 segundos em campo até cometer aquela entrada cavalar e ser expulso no segundo tempo contra o Racing. Ele prejudicou demais o Timão. Se já era difícil marcar no time argentino com 11 em campo, com 10 ficou impossível.
Aliás, que festival de pancadas e cotoveladas na quarta-feira. Jogo violento entre Racing e Corinthians e jogo violento entre Santos e Barcelona. Cada baita carrinho. Entradas desleais. Provocações. Peitadas. Teve de tudo. Sobraram cartões vermelhos. Times entraram pilhados demais em campo.
Racing, de Lizandro Lopes, ex-Internacional/RS, avança e agora enfrenta o Libertad do Paraguai. Nos últimos 12 jogos no El Cilindro, Racing venceu 10 e empatou dois. Como diria o saudoso Xixo da Cidade Nova, “lá a cuíca ronca”. Já o Corinthians terá apenas o Brasileirão para se preocupar.
Bruno Henrique também deveria ser punido pela diretoria do Santos. Cuspir na cara de uma pessoa é bem pior que dar um soco. Isso não se faz. E o tal Jonathan Alvez do Barcelona hein? Que espetáculo de atacante. Marcou cinco gols nesta Libertadores, quatro deles em times brasileiros. Porém foi expulso e não enfrenta o Grêmio.
Bruno Henrique se desculpou ontem nas redes sociais pela cusparada no meia Damián Díaz, do Barcelona de Guayaquil. O jogador disse que cometeu um grande erro e mostrou arrependimento. O atacante pode pegar até seis jogos de suspensão e desfalcaria o Santos em toda a primeira fase da Libertadores caso o clube se classifique para a competição no ano que vem.
Lucas Barrios não prestava no Palmeiras e hoje é o “cara do Grêmio”. Que coisa. Paraguaio foi decisivo na vitória sobre o Botafogo por 1 a 0, no Sul. Torci muito para o Fogão, mas Jair Ventura faz milagre com aquele time limitado. Foi longe demais.
Às vezes sou contra poupar titulares. Jogadores ganham fábulas. A maior prova disso é o Santos. Se tivesse jogado com os titulares, fatalmente venceria o Botafogo, sábado passado no Rio. Como perdeu, voltou a ficar distante do líder Corinthians. Agora só resta o Brasileirão ao Peixe. Sábado às 21h, força máxima contra o Atlético/PR. Porém, ainda sem Lucas Lima.
No Palmeiras, Cuca traçou uma meta: quer seis vitórias seguidas para brigar com o Corinthians pelo título do Brasileirão. O primeiro passo foi bater o Coritiba por 1 a 0, no Pacaembu. O segundo, será derrotar o Fluminense, domingo no Maracanã. Em seguida o Verdão terá Santos, Bahia, Atlético-GO e Ponte Preta. A última vez que isso aconteceu foi em 2015, com Oswaldo de Oliveira no comando.
Nos bastidores, crescem os rumores que Lucas Lima defenderá o Palmeiras em 2018. O meia, que ganhará o passe livre no fim do ano, receberia R$ 6 milhões de luvas e um salário de R$ 600 mil. Outro jogador que pode reforçar o Verdão é o goleiro Weverthon, do Atlético/PR. Mas a primeira opção é o paraguaio Gatito Fernandez, desde que o Botafogo/RJ aceite ficar com o lateral Victor Luís.
Quando o Corinthians jogou no Mineirão, Jô disse que não comemoraria se marcasse um gol no Atlético/MG por respeito. E realmente cumpriu. Agora, está processando o time mineiro e quer receber R$ 872 mil do tempo que jogou pelo Galo.
A partir de 2019, os times que disputarão o Campeonato Brasileiro não poderão mais treinar em seus estádios, apenas no CT. Objetivo é preservar os gramados.
Faturamento da TV Globo com o futebol em 2018, ano da Copa do Mundo da Rússia, está praticamente fechado: R$ 3 bilhões, bem superior ao valor de 2014, quando o Mundial foi no Brasil.
Freddy Rincón, ex-Corinthians e Palmeiras, reprovou a série Narcos e disse: “A Colômbia é mais do que isso”.
Meia palmeirense Vitinho está ganhando cada vez mais espaço no Barcelona. Titular do time B, para onde foi contratado em julho, o garoto de 19 anos treinou pela primeira vez com o time principal. O jogador até posou para foto ao lado de Paulinho.
A cada jogo, novos números. João Vallim segue fazendo história. Na vitória sobre o Rio Branco por 3 a 0, domingo no Limeirão, pela última rodada da fase de classificação da Copa Paulista, o treinador tornou-se o sexto em número de jogos pela Inter de Limeira com 48, igualando a Claudemir Peixoto.
O retrospecto de Vallim é de 28 vitórias, 9 empates, 11 derrotas, 76 gols marcados e 45 sofridos. Dos 144 pontos que disputou, conquistou 93, ou seja, 64,5% de aproveitamento. Na partida contra o Água Santa, dia 27 (quarta-feira) às 20h, no Limeirão, João Vallim se tornará o quinto em número de jogos, com 50, igualando a Carlos Gainete. E contra a Ferroviária, dia 7 de outubro, às 17h, também no Major Levy, o atual comandante será o quarto em jogos com 52, igualando a Lelo.
Com dores no tendão de Aquiles, Thomaz Bellucci desistiu de participar do do ATP 250 de Shenzhen, da China. A lesão o prejudicou na derrota para o Japão pela repescagem da Copa Davis. O brasileiro é o atual 76º do ranking mundial.
Só para constar, um torcedor gritou: “vai Corinthians!” antes de Rafael Nadal sacar no matchpoint na final do US Open. Até lá?
Curiosidade do dia: O primeiro gol no Estádio do Mineirão aconteceu no dia 5 de setembro de 1965, quando a Seleção Mineira venceu o River Plate da Argentina por 1 a 0, gol de Buglê, que jogava pelo Atlético/MG.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA