Seria o início da recuperação?…

95

Por: Eduardo Sócrates Bergamaschi

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo anunciou nessa terça-feira (19) a transferência de R$ 260 milhões em repasse semanal aos municípios paulistas.
Desse montante, coube a Rio Claro a importância de R$ 1.453.290,57 que somados aos repasses das semanas anteriores acumulou um valor de R$ 6.541.500,22 somente no mês de setembro.
O acumulado do ano chega a R$ 136.669.849,49. Para a próxima terça-feira, a previsão do repasse para a cidade de Rio Claro, de acordo com o site da Secretaria da Fazenda estadual é de R$ 5.807.556,96, valor este que deixaria o acumulado até o mês de setembro em R$ 142,5 milhões.
Interessante é que, apesar da crise não ter dado tréguas até o momento, os cofres do município agradece, pois no mesmo período do ano passado o valor arrecadado foi de R$ 138,6 milhões, mostrando que os repasses este ano, já são de quase R$ 5 milhões superiores ao mesmo período de 2016, sem considerar a inflação, aliviando um pouco o sufoco da nova administração.
O IGPM (índice que mede a inflação) acumulado em agosto apresentou uma deflação de -1,7242, que se aplicado sobre o número de Setembro de 2016, melhora ainda mais as contas do município.

Não alivia
É lógico que não se pode agora dizer que a atual administração chora de barriga cheia; que a desculpa por falta de dinheiro não cola ou coisas assim.
Principalmente porque estamos analisando apenas o repasse de ICMS e não outras receitas e nem comparando com as despesas, que, via de regra, sobem mais que as receitas.
Além do que é público e notório que a situação financeira não é e não vem sendo nada boa. E este histórico não é de hoje, mas sim de 20, 30 anos de gestões administrativas sem nenhuma profissionalização. São administrações políticas partidárias que continuam e não acabarão tão cedo. Se é que acabarão!

Bom indicativo
Só o que se pode dizer dos números aqui evidenciados, é que este é um bom indicativo de melhora nos índices econômicos, já que o ICMS está diretamente ligado à movimentação de mercadorias, ou seja, há um bom indicativo de que houve uma ligeira melhora na circulação de mercadorias, o que ainda não indica um aumento no comércio de um modo geral.
Estes números podem muito indicar que a indústria pode estar em uma ligeira recuperação, ainda não suficiente para novos investimentos e consequente aumento no número de postos de trabalho, índice este que definitivamente mostraria uma recuperação mais consistente da economia.
Por enquanto, devemos apenas acreditar nos números e continuar torcendo para que nossos homens públicos federais, estaduais e municipais não façam nenhuma lambança que venha a atrapalhar esta tendência de melhora da economia e que, principalmente, administrem as coisas públicas como profissionais e não como políticos partidários. Será que é pedir muito?!
E que os anjos digam Amém…

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA