Expoambiental Colégio Coc 2017

Tema: Proteção e Recuperação da Cobertura Vegetal

481

No dia 16 de Setembro de 2017, aconteceu nas dependências do Colégio COC de Rio Claro – SP, das 09:00 as 14:00, a 2ª Edição da Expo Ambiental, organizada pelo UNEAMB – Universo da Educação Ambiental, em conjunto direção, professores e alunos desta unidade educacional. O principal tema da exposição foi, “Proteção e Recuperação da Cobertura Vegetal”.
A cobertura vegetal representa os tipos de formações vegetais (naturais ou plantadas) existentes. Nos últimos anos, a cobertura vegetal brasileira vem sendo impactada aceleradamente pelo desmatamento, decorrente de formas de uso do solo como: expansão da agricultura, mineração e urbanização.
Os principais tipos de cobertura vegetal, ou também denominados de biomas, brasileiros, que sofreram significativas alterações são: Pantanal, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Floresta Amazônica. A Floresta Amazônica tem sido símbolo de debates, referentes a sua grande contribuição vegetativa, e que vem sendo degradada. Esta é considerada o maior patrimônio natural do planeta, com uma vasta vegetação, rica biodiversidade e abrigando inúmeros países como Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.
Assim pensando no papel dos biomas, e também da importância da recuperação e proteção da vegetação dentro das cidades, a Expoambiental, destacou a comunidade escolar, a sensibilização com as árvores da cidade, a proteção da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, e a recuperação das matas as margens dos rios Corumbataí, Ribeirão Claro e outros afluentes.
Para o desenvolvimento das atividades da Expoambiental, foram feitos explicações aos alunos referentes ao tema, através de diálogos e debates, dentro das disciplinas de Geografia e Ciências Sociais, e oficinas de arte envolvendo a confecção de trabalhos manuais alusivos ao tema, dentro da disciplina de Educação Artística, e ainda alguns trabalhos de campo, para explanar melhor o conteúdo, fortalecendo o processo de ensino-aprendizagem, para a montagem das exposições. Assim foi trabalhado e explorado com os alunos atividades sobre o tema, através de teatros, músicas, poesias e maquetes, sobre o papel relevante da cobertura vegetal, no que concerne ao clima, temperatura e fauna, acarretando assim melhor qualidade de vida. A Expoambiental contou com a parceria de alunos voluntários e pesquisadores da UNESP de Rio Claro, que compõe a UNEAMB na assistência técnica. Os trabalhos dos alunos do COC foram analisados e avaliados pelos seguintes membros: Jessica de Moraes Minillo – Gestora Ambiental; Ligia Carrasco – Diretora de unidade educacional; Silvia e Romualdo, doutorandos da área de Educação Ambiental, do Departamento de Educação da UNESP de Rio Claro-SP.
Portanto o evento pode mostrar aos alunos e familiares, que somente a educação, será capaz de gerar conscientização, para vivermos irmanados em harmonia com a natureza, e que a preservação da cobertura vegetal, é fundamental para garantia de um equilíbrio natural as futuras gerações.

Cidade Ecologicamente Correta, com presença bem distribuída de vegetação
Cidade Ecologicamente Correta, com presença bem distribuída de vegetação
Apresentação de música , associando a fauna brasileira e vegetação
Apresentação de música , associando a fauna brasileira e vegetação
Apresentação de Dança de Ballet , caracterizando a conscientização ambiental
Apresentação de Dança de Ballet , caracterizando a conscientização ambiental

Alunos e alunas , que confeccionaram maquete sobre a Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade

Trabalho sobre a Amazônia - importante patrimônio natural do planeta
Trabalho sobre a Amazônia – importante patrimônio natural do planeta

TECNOLOGIA EDUCACIONAL DA UFSCAR

Maquete sobre a Floresta da Tijuca, importante Maciço Florestal do Rio de Janeiro-RJ
Maquete sobre a Floresta da Tijuca, importante Maciço Florestal do Rio de Janeiro-RJ
Confecção de exposição sobre a degradação das cidades, com ausência de vegetação
Confecção de exposição sobre a degradação das cidades, com ausência de vegetação

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA