SANTA CRUZ

165

Ana Lucia Missaglia Guarnieri

 

“Se dois ou mais dentre vós estiverem reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles”. Mateus, 18, 15-20, Evangelho de Domingo, 10/09/2017.


“A política é a mais alta forma da Caridade”. Papa Francisco “A força da fraternidade vai melhorar o mundo”. Dom Orlando Brandes, Missa de Aparecida, 10/09/2017.


Quatorze de Setembro próximo e, mais uma vez, no calendário litúrgico, se comemora o Dia da Exaltação da Santa Cruz.
– Será uma contradição exaltar o que tanto nos faz sofrer, como povo e individualmente, pelos séculos, a cuja ação calamitosa, dolorosa, incômoda, humilhante se dá o nome de cruz?
Ortega y Gasset descobre este paradoxo na história da palavra POVO: “o verdadeiro sentido de POPULUS (povo, em Latim; população, em português) foi originalmente o de corpo armado (…) a palavra mais mansa e civil de todas, povo, a que recorrem todos os pacifistas (em seus elogios a nações e raças) tem uma inquietante origem bélica”.
Como Filho Unigênito do Deus Vivo, a missão do Senhor é pacificar esse povo, distribuir-lhe as “benesses” que só um Rei, como Ele, pode dar, sem distinção, a todos os novos filhos do novo Adão, assumido por Ele.”Assim como todos morrem(pecam) em Adão, do mesmo modo todos ressuscitam (endireitam) em Cristo, o Novo Adão”. (Paulo, 1 Cor. 15, 20-21; Rom. 5, 17-19).
— É preciso calcular (- sem Amor?) o preço pago pelo Cristo, na Cruz, que, absolutamente, não a merecia, somente para trocar os efeitos das más ações da violência da corrupção, da mentira (…) pelas boas ações do Amor, da Justiça, da Verdade, da Paz?…
A Exaltação é para a Santa Cruz do Senhor, que abriu todas as portas do céu ao mundo decaído pelo erro e religou os poderes do alto às luzes terrenas, que se esforçam ,rompendo as trevas pela Vida, por todos os seres vivos, que conosco convivem.
A data é comemorada, especialmente, na Matriz da Santa Cruz de Rio Claro, onde os paroquianos se reúnem com muita fé, compenetrados da importância do que se celebra no calendário.A começar pela vida exemplar do fundador da Ordem dos padres Estigmatinos, que aí servem, São Gaspar Bertoni.
Gaspar Bertoni (9/10/1777 – 12/06/1853) é um católico italiano. É fundador da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo, popularmente, conhecida como Estigmatinos. Foi canonizado pelo Papa João Paulo II, Dia de Todos os Santos (1/11/1989) sendo que os milagres exigidos por sua beatificação e canonização foram realizados no Brasil, nas cidades de Rio Claro e Rio de Janeiro.
Para São Gaspar Bertoni, Papa Paulo VI escreveu: “”Vemos nesta suave e previdente figura o Apóstolo dos Jovens, que ainda hoje mostra o caminho a ser seguido a um futuro seguro da sociedade”.
E, pela Matriz da Santa Cruz, inesquecíveis sacerdotes passaram, inclusive Pe. Simeão que, na sua “visão de menino”, queria uma torre, ao lado da Igreja, onde a população pudesse olhar as horas, em seu relógio, lá do alto, e acabou encontrando a morte na sua própria obra. Momento esse que, mais tarde, por alguns anos, foi comemorado com as luzes natalinas que, da torre, se tornaram o brilho de Rio Claro.
Recentemente (28/06/2017) o “Diário do Rio Claro” noticiou, em sua primeira página: “Comunidade da Santa Cruz chora a morte do Padre Jacob Tomazella.” Seguida de uma biografia de Pe. Jacob, rio-clarense, filho de José e de Maria B.Tomazella, com vários cursos e cargos, em diversas áreas, a reportagem concluía : “MESMO COM ESSE INTENSO CURRICULUM ELE TINHA UMA HUMILDADE PECULIAR – TRATAVA SEUS PAROQUIANOS COMO VERDADEIROS IRMÃOS”.
E a comunidade da Santa Cruz chora, até hoje, a morte do Padre Jacob, separado da política e unido ao seu povo, ensinando a superar as provações pela união da fé em Jesus Cristo: “Onde dois ou mais estiverem unidos em Meu Nome, Eu estou no meio deles”. (Evangelho de Domingo, 10/9/2017), motivando a Imprensa a aplaudir o novo.
A descoberta de Ortega y Gasset sobre a origem bélica da palavra povo leva à reflexão sobre o berço humano que convence e conduz para a conquista de fora (se não se tem não se é nada) abrangendo a competição, a violência, sem investigar o principal, como nos ensina o Senhor a partir da oração universal do Pai Nosso:”… o pão nosso de cada dia nos dais, hoje”.
Aos descobridores da Verdade, torna-se veemente a frase: “A Deus não se engana”, pois” nada há de oculto que não venha a ser revelado”(Mc., 4, 22).Sob a morte de d. João, Junqueiro enaltecendo a alma límpida do justo, lembra a Santa Cruz, na sua Exaltação: “Jesus, o santo ideal, o santo misericordioso (…) perdoou injúrias e suplícios, sacrificando-lhes o corpo, mas não perdoou a mentira, sacrificando-lhe a verdade”. E diretamente da Colômbia, através da RAI, antes da oração do PAI NOSSO, (10/09/2017)Papa Francisco pede para afastar o rancor e a divisão do nosso meio. Mais uma vez, ele invoca a mansidão do Cordeiro de Deus dentre nós e convida-nos a confiar no Seu amor-luz verdadeiro.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA