Prefeitura entrega obras na rotatória Dona Jovem no Jardim Paulista I

A prefeitura de Rio Claro entrega oficialmente na sexta-feira (25), às 17 horas, as obras realizadas na rotatória localizada na Avenida 11 com a Rua 30, no final da Avenida Ápia no bairro Jardim Paulista I. A população está convidada a prestigiar a cerimônia que marca a entrega do espaço revitalizado à comunidade. “Não existe nada mais valioso do que podermos dar qualidade de vida e segurança para os munícipes, além de realizar obras que melhorem a vida das pessoas”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.
O local recebeu uma série de melhorias que incluem construção de passagem para pedestres e implantação de novo paisagismo com o plantio de 1.600 metros de grama esmeralda, 14 palmeiras jerivá e 12 palmeiras fênix, além de 1.500 mudas do arbusto conhecido como mini ixora. A rotatória também recebeu quatro braços de iluminação, deixando o trecho mais iluminado aumentando a sensação de segurança para quem transita no local.PREFEITURA ENTREGA OBRAS NA ROTATÓRIA (1)
Além dos serviços na rotatória da Avenida Ápia, melhorias também foram feitas pela prefeitura na região do trevo Victor Lopes Junior, mais conhecido como rotatória da Viviani Veículos. Os trechos sem calçamento na Avenida 11 receberam calçadas e as guias e sarjetas foram pintadas.
A rotatória recebeu o nome em homenagem póstuma à moradora Jovelina dos Santos Vendrami, conhecida como “Dona Jovem”, que sempre trabalhou em benefício da comunidade. Dona Jovem foi uma das primeiras moradoras do Jardim Paulista na década de 1970, quando o bairro carecia de infraestrutura. Ela lutou bravamente para a implantação de água, luz e esgoto no local, entre outras benfeitorias, como a instalação do primeiro orelhão para uso dos moradores.

Telhas danificadas no Jardim das Nações 2 já foram substituídas

Com ação rápida da prefeitura, as telhas danificadas domingo (20) em bloco do Jardim das Nações 2, em Rio Claro, foram trocadas na manhã dessa segunda-feira (21), aproveitando a trégua da chuva. O destelhamento aconteceu devido aos fortes ventos registrados no final de semana, gerando riscos no bloco Polônia do condomínio residencial. “Assim que fomos avisados, acionamos a construtora, para que as providências necessárias fossem tomadas o mais rápido possível”, explica o secretário da Habitação, Anderson Golucci.
Engenheiros da pasta da Habitação estiveram nessa segunda-feira no condomínio para verificar os danos, mas o atendimento da prefeitura começou ainda no domingo, com ações emergenciais da Defesa Civil. “Fornecemos lonas para cobrir provisoriamente as áreas destelhadas enquanto não fosse possível fazer a troca das telhas”, explica o diretor da Defesa Civil, Wagner Araújo. Não foram constatadas infiltrações, danos em apartamentos e nem desabrigados.TELHAS DANIFICADAS NO JARDIM DAS NAÇÕES (2)
São 1168 famílias morando no Jardim das Nações 2, que fica ao lado do bairro Terra Nova, na região sul de Rio Claro. Inaugurado em dezembro do ano passado na administração anterior, o condomínio foi entregue aos moradores com vários problemas estruturais, que foram sanados no atual governo.
O empreendimento popular faz parte do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, realizado em parceria com a prefeitura e o governo estadual, por meio do programa Casa Paulista, e faz parte de um conjunto que soma 2.096 moradias. Os outros 961 apartamentos que formam o Jardim das Nações 1 estão sendo finalizados e serão entregues em breve. As residências já foram sorteadas entre os futuros moradores.

Secretaria de Saúde realiza semana interna de prevenção de acidentes do trabalho

Ciclo de palestras e outras atividades terá início nesta terça-feira (22) para os servidores da rede pública municipal de Saúde de Rio Claro. Organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), a 11ª edição da Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) será realizada no auditório do Núcleo Administrativo Municipal (NAM), das 8 às 16 horas até quinta-feira (24), e é aberta a todos os servidores do setor.
No primeiro dia, às 9 horas, após a abertura oficial do evento, Danilo Hoffman fará palestra com o tema “O Poder da Mente na Prevenção de Acidentes”. A mesma palestra será realizada à tarde, às 14h30.
Na quarta-feira (23), às 8h30 e às 14 horas, os participantes poderão participar de aula especial de Lian Gong, atividade física oriental terapêutica que auxilia no equilíbrio mental e na prevenção de doenças.
Ainda na quarta-feira, às 9 horas e às 14h30, haverá palestra com Maristela Antonio, com o tema “Prevenção da Doença e Promoção da Saúde no Trabalho”.
Na quinta-feira (24) também haverá a prática de Lian Gong, com aulas às 8h30 e às 14 horas. A palestra no último dia da Sipat será ministrada pela doutora Susi Osana de Souza, que irá falar sobre “Biossegurança”, às 9 e às 14h30.
“Além de integrar ainda mais nossos servidores, a Sipat é de grande importância para o setor de Saúde pelo que representa em termos de ação preventiva”, afirma o secretário de saúde de Rio Claro, Djair Francisco. “Garantir boas condições de trabalho e saúde dos servidores é essencial para nossa gestão”, acrescenta.
A Sipat é uma das atividades obrigatórias para as comissões internas de prevenção de acidentes, tanto na esfera pública como na iniciativa privada.

Prefeitura repõe palmeiras destruídas na Castelo Branco

A prefeitura de Rio Claro realizou nessa semana o plantio de 13 mudas de palmeiras imperiais no canteiro central da Avenida Castelo Branco. O plantio foi realizado pela Secretaria de Agricultura em reposição às mudas destruídas em ato de vandalismo no sábado passado (12), quando as plantas foram arrancadas e jogadas no meio da avenida.
“O acontecido foi lamentável e, em respeito aos alunos que fizeram o plantio, providenciamos a reposição das plantas”, destaca o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.
“Quatro dias depois do vandalismo a Avenida já teve o paisagismo recuperado”, observa Emílio Cerri, secretário de Agricultura.
As palmeiras arrancadas tinham sido plantadas em junho por alunos da Escola Municipal Luiz Martins Rodrigues Filho, em ação organizada pela prefeitura. Na ocasião foi feito plantio de 122 palmeiras e cada uma recebeu o nome da criança que fez o plantio.

Cantata Mês dos Pais do Shopping Rio Claro

Vem acontecendo cantatas durante o mês de agosto apresentações de alunos de escolas da cidade na Praça de Alimentação.
“Nosso objetivo é homenagear todos os pais com músicas interpretadas por crianças e jovens, uma forma desses alunos declararem seu amor a cada pai presente nas apresentações. Temos certeza que serão momentos que marcarão a vida de todas as famílias”, afirma Sibelly Paganotti, Analista de Marketing do Shopping Rio Claro.
Além da programação de grandes shows nas terças-feiras de agosto, os pais também serão homenageados pelo Shopping Rio Claro com a Cantata Mês dos Pais.
“Nosso objetivo é homenagear todos os pais com músicas interpretadas por crianças e jovens, uma forma desses alunos declararem seu amor a cada pai presente nas apresentações. Temos certeza que serão momentos que marcarão a vida de todas as famílias”, afirma Sibelly Paganotti, Analista de Marketing do Shopping Rio Claro.

Serviço
Cantata Mês dos Pais
Período: até 31 de agosto
Local: Praça de Alimentação
Gratuito

Programação das apresentações
23/8 – 19h30 Escola Micropro
24/8 – 18h45 Colégio Objetivo
25/8 – 19h30 Colégio COC
26/8 – 19h30 InFlux English School
29/8 – 19h30 Colégio Cena
30/8 – 19h30 Colégio Dom Bosco
31/8 – 19h Escola de Música Maria Isabel

Shopping Rio Claro
Com 65 mil m² de área construída, o Shopping Rio Claro é o empreendimento comercial que disponibiliza o maior mix de marcas na macrorregião de Rio Claro, reunindo em um só local uma grande diversidade de lojas e serviços que atraem 600 mil frequentadores por mês.
O Shopping Rio Claro possui 140 operações, sendo seis lojas-âncora (Marisa, C&A, Lojas Americanas, Renner, Poupatempo e Arcoplex – com cinco salas de cinema, sendo uma 3D), quatro megalojas (Centauro, Ri Happy, Polo Wear e DiGaspi), Praça de Alimentação com 13 operações de fast food e um restaurante, além de uma casa lotérica.
Localizado em uma área privilegiada, o mall é um importante local de compras, lazer e entretenimento para adultos e crianças da cidade e região, oferecendo excelentes opções de compras, segurança e estacionamento para 1.000 vagas.

Estados Unidos: Passeios que valem a pena, nos arredores de Washington DC: conheça Inner Harbor

E. Cortez
Para quem visita Washington DC , vamos dar hoje mais uma dica de ótimos passeios de um dia em cidades próximas à capital dos Estados Unidos. Já abordamos Alexandria e National Harbor. E agora é a vez de Inner Harbor – outro passeio na região que vale muito a pena!
Trata-se, como dissemos nas últimas duas edições da coluna, de pequenas cidades que ficam nos estados vizinhos de Maryland e Virginia, e que podem ser facilmente acessadas de metrô, táxi ou water táxi (balsa).
Inner Harbor fica em Baltimore, Maryland. Baltimore é a cidade mais cosmopolita de Maryland, mas ainda mantém o charme por ficar à beira da Baía de Chesapeake. Lá é possível fazer passeios de barco narrados pela baía, passando por locais históricos e aprender ainda mais sobre o destino.
Inner Harbor é um complexo portuário e você vai encontrar várias atividades legais para fazer por lá e até um parque onde pode fazer caminhadas e apreciar a vista, um centro de informação que é uma parada quase obrigatória para você conhecer mais sobre a cidade – que tem uma história incrível. E já que o lugar já foi uma fábrica de construção naval, você pode também ver muitos navios que são expostos. Não deixe ainda de provar os deliciosos pratos com camarões e muito mais.ESTADOS UNIDOS (3) ESTADOS UNIDOS (2) ESTADOS UNIDOS (1)
As crianças vão adorar uma visita ao Centro de Ciências de Maryland, Aquário Nacional ou ao Museu da Criança Port Discovery. Para ter uma experiência americana inesquecível, uma dica é dar uma esticada a pé até o Camden Yards e assistir a uma partida de baseball do Baltimore Orioles. Para uma refeição típica e em grande estilo, nada melhor do que degustar um delicioso caranguejo de Maryland fresquinho em um dos diversos restaurantes de frutos do mar.
Particularmente, um lugar se destaca nessa cidade. De museus e restaurantes, capazes de satisfazer todos os paladares, a uma vida noturna animada e um incrível skyline, o Inner Harbor tem muito mais para ver e fazer do que você imagina!
A dica é escolher um hotel nas proximidades ou que, no mínimo, esteja próximo da rota do Charm City Circulator, o ônibus turístico gratuito que tem uma de suas rotas focada na região de Inner Harbor.
Embora a maioria das atrações precise de tempo, é possível aproveitar muitas deles nesse passeio de um dia. E aqui seguem outras dicas básicas:
– Use e abuse do ônibus gratuito (Charm City Circulator)! As rotas são ótimas e cobrem quase tudo que tem para se ver em Baltimore, inclusive te deixa na estação de trem, caso você esteja a caminho da Philadelphia, Washington e arredores, solicite o mapa no seu hotel!
– Essa área tem muitas opções para comer. Você pode dar uma pesquisada e conferir antes de optar para comer e beber com estilo em Baltimore.
– Se puder, evite o carro…estacionamentos pagos estão por toda parte, inclusive nos hotéis mais bem localizados. Quer economizar com transporte? É só aproveitar a primeira dica!

Tiro de Guerra comemora Dia do Soldado

O Tiro de Guerra de Rio Claro realiza na sexta-feira (25), às 19 horas, solenidade em comemoração ao Dia do Soldado. O evento contará com a presença de familiares e amigos dos atiradores que prestam o Serviço Militar Inicial no TG 02-032, além de autoridades civis e militares de Rio Claro.
Na oportunidade, serão entregues a personalidades do município o título honorífico de “Amigo do Tiro de Guerra”, com a finalidade de tornar público o reconhecimento e o agradecimento da organização militar àqueles que ao longo dos anos têm contribuído para o fiel cumprimento da missão do tiro de guerra: cidadania e civismo.
Conforme ressalta divulgação do Tiro de Guerra, o Dia do Soldado foi instituído em comemoração ao aniversário do patrono do Exército Brasileiro, Luíz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, e presta justa homenagem ao maior soldado brasileiro, que simboliza e personifica o patriotismo. Todos os valores morais, físicos e intelectuais do militar exemplar Caxias possuía, como generosidade, dedicação, destemor, desinteresse e entusiasmo. Herói ilustre que soube combater e vencer com bravura. Nos dias atuais, seu exemplo continua a inspirar inúmeros cidadãos fardados que, anonimamente e de forma silente, defendem as fronteiras e guarnecem os mais de oito milhões de quilômetros quadrados do território nacional.

O trauma insuperável

Um trauma relacionado à uma tragédia seguida de morte a qual você foi vítima também e quem estava ao seu lado acabou falecendo, a um assalto, a uma baixa da vida como a demissão de um emprego que antes de trabalhar no mesmo havia sonhado tanto, à uma doença grave que foi superada ou à uma fúria da natureza que destruiu todo os seus bens, enfim, todos esses traumas por mais graves e fixadores em nossa mente que sejam são ao longo do tempo superados, segundo estudos de psicólogos e psiquiatras, logicamente que não cem por cento, mas apagam-se de tal forma que mais cedo ou mais tarde conseguimos dar seqüência na vida, exatamente no ponto de felicidade que tínhamos parado.
No entanto, há um trauma que seja por parte masculina ou feminina, na amizade, no relacionamento a dois ou na vida profissional, dificilmente se apaga. Sabe qual é? O trauma de uma traição. Esse dependendo das proporções, segundo os mesmos estudos do parágrafo anterior, podem levar o (a) indivíduo (a) a morte por intermédio de uma depressão galopante e destruidora que baixa sobre o (a) mesmo (a).
O nosso maior erro é confiar cem e as vezes até cento e um por cento nas pessoas que nos rodeiam, essa é a maior falha que cometemos, seria até radical escrever dessa forma, mas não se pode confiar por proporções totais em absolutamente ninguém, nem mesmo familiares, pelo simples fato de que somos todos seres humanos, pecadores e sujeitos a erros os quais não queremos cometer mas acabamos cometendo e portanto confiar nessa nossa espécie humana é nada mais nada menos, que dar tiros e tiros no escuro.
Damos todos os créditos possíveis aquele amigo ou amiga de anos e de repente, zás! Nos apunhala pela costas, uma inexplicável traição que nos leva ao desacerto mental. Amamos cegamente aquela namorada ou namorado, noiva ou noivo, esposa ou marido e quando menos esperamos os Ricardões ou Gabrielas de plantão, fazem parte de nossas relacionamentos amorosos, aí não só as casas caem, como os corações despedaçam e em diversos casos param de bater.
Na empresa ou na atividade que exercemos, acabamos por confiarmos naquela pessoa que das “cobras” que ali existem parece a menos venenosa, trocamos idéias e experiências profissionais passadas e em um belo dia ela se ajunta ao butantã das cobras, mostra a sua verdadeira, cruel e até então escondida face de víbora moldada pela fúria da inveja, nos golpeia no pescoço, fazendo com que nossos empregos ou atividades exercidas sejam destruídas de tal maneira, que dali em diante ao chegarmos em casa sintamos medo de até mesmo sairmos novamente para aquele trabalho se ele ainda existir ou procurarmos outro.
No futebol, a famosa “igrejinha” é um típico exemplo de traição profissional. Jogadores descontentes com a forma de trabalho do treinador ao invés de conversarem com ele, se unem na demoníaca intenção de jogarem mal, causando conseqüentemente más resultados, culminando então com a saída do técnico.
Perceba então que a traição infelizmente é algo que faz parte da nossa espécie, e que somos movidos inconscientemente a fazermos algo contrário a felicidade alheia. Por que somos assim? Movidos por sentimentos e atitudes destruidoras, como é o caso da inveja e principalmente da traição? Que seres somos nós? Sinceramente eu não consigo responder.
Trair alguém, não é enganar ou prejudicar ao outro e sim a nós mesmos, pois o tempo em que perdemos agindo assim com o coração em diversas ocasiões amargoso, é como se nos tirassem dias de vida, porque quem é traído, ao descobrir recebe um trauma insuperável, mas quem trai permanece para o resto da vida com a carga do arrependimento.

Douglas S. Nogueira
Técnico de Manutenção e Integrante das Associação Literárias de Santa Bárbara e Piracicaba – ACIBEL e CLIP
E-mail: douglas_snogueira@yahoo.com.br
Blog: www.douglassnogueira.blogspot.com

ASSUNÇÃO (2)

Ana Lucia Missaglia Guarnieri
“Escritores do século X tinham em vista provas históricas e não razões teológicas sobre a Assunção corporal de Maria ao céu. (…) hoje o universo canta, jubiloso e convicto: Maria foi levada ao céu, rejubila-se o exército dos Anjos. No Ano Santo de 1950, veio a definição desta verdade como fé”. (Pe. Geraldo Pires de Souza, 1989, em comemoração das leituras do Evangelho de Domingo,20/8/2017).
*************************
Leonardo Boff, responsável pela Teoria da Libertação, é que melhor resume os estudos sobre a psique humana, quando escreve: “O homem-psique é um universo constituído de pulsões, emoções, sentimentos, paixões, arquétipos ancestrais, imagens carregadas de significado, símbolos poderosos e energias fortes de vida e de morte, como o poder, a sexualidade, o amor, a indiferença e o ódio.Todas estas realidades psíquicas podem elevar o ser humano até os píncaros da contemplação e de fusão com a divindade, como podem afundá-lo até o abismo profundo da barbárie e da violência”.
Sobre o corpo humano, o grande teólogo (mais de 80 livros publicados) afirma que a propaganda midiática explora o corpo dividido: ou desvinculado do espírito, ou o espírito desmaterializado do corpo. E nessa falta da totalidade do corpo (-tipo “cachorro sem dono”?) a mulher leva a pior, pois a visão machista, usando partes femininas, fazem dela um objeto de consumo.
Finalmente, Leonardo Boff trata do espírito e cita Santo Agostinho: “Meu coração inquieto não descansa enquanto não repousa em Ti” (Livro X, 27).
Segundo o estudioso, todos os seres são portadores de informações, inscritas em seu código genético. Essas vão estocando-se e organizando-se, mais e mais, na medida em que o universo avança e ganha maior complexidade. No nível humano se alcança um patamar elevadíssimo de complexidade, aparecendo sob a forma de consciência.(…) A diferença entre o espírito de uma floresta e o do ser humano não é de PRINCÍPIO, mas de GRAU.O mesmo princípio funciona em ambos, criando, em nós, subjetividade e alta capacidade de relação. Na floresta, com uma expressão própria, também gestando unidade e dinamismo, entrelaçando relações, a floresta aparece como floresta, também conectada com todo universo, com suas energias e forças, diretivas e da Terra.(Aqui nos lembra a cura do cego pelo Senhor Jesus ao abrir-lhe a visão, quando começou a ver uma árvore, sinal da sua religação com Deus e conexão com a vida, onde tudo que existe é habitado por espíritos. Ou como escreveu Machado de Assis:”HUMANITAS é o princípio. Há nas cousas todas certa substância recôndita e idêntica, um princípio único, universal, eterno, comum, indivisível e indestrutível, – ou para a linguagem do grande Camões: Uma verdade que nas cousas anda/ Que mora no visível e no invisível).
E aí Leonardo Boff recorre a Maria, na sua Missão e Assunção: “O extraordinário do homem-espírito é poder entrar em comunhão com Deus. (…) Louvá-lo por sua grandeza e amor, por ter criado todas as coisas e continuar dizendo(!) com Maria: Faça-se em mim, segundo a Vossa Palavra, FIAT, faça-se, renove-se e exista”.
Como educador, ele nos cita Paulo Freire, para quem “ninguém liberta ninguém; nos libertamos somente em Deus”. E Deus é Amor (I Jo, 1-10). Através da História é que se conhece a liberdade, feita do rompimento das amarras, pois o Reino de Deus, como disse o próprio Senhor, vindo do Alto, não é desse mundo. Basta ver, por exemplo, que 3 dias antes de se suicidar (27 de Abril de 1945) Hitler escreveu: “No fim de tudo vem-me o arrependimento de ter sido tão generoso”, ou seja, por não ter podido mandar exterminar trinta milhões de eslavos, pois os seis milhões de judeus que mandou às câmaras de extermínio não foram suficientes ao que havia determinado.
Em 1965, Manuel Bandeira escrevia: “Vi ontem um bicho/ Na imundície do pátio/ Catando comida entre os detritos.(…) O bicho não era um cão,/ Não era um gato,/ Não era um rato./O bicho, meu Deus, era um homem”. Hoje, o Governo não se importa que 60.000 Brasileiros sejam assassinados, por ano( 5000 por mês) nem que a taxa do desemprego tenha subido de 14 para 26 milhões de desempregados. Muito menos ainda com a má distribuição de renda e com a inversão de valores que vão fazendo a última Guerra aos pedaços (Papa Francisco).
Na mensagem conclusiva, Boff escreve: “ o novo mundo ou será mais espiritual ou não será”e cita o antropólogo Darci Ribeiro:”há a humanidade-corpo faminta (…) humilhada por ser tratada como carvão a ser consumido no processo produtivo”, necessitando de comer dignamente todos os dias.
E foi no Evangelho de Domingo (20/08/2017) que a Assunção de Maria- assunta na sua totalidade de corpo e de alma ao céu – foi lembrada com a visita que Ela fez à prima, Santa Isabel. E na beleza desse encontro de solidariedade, a Ascensão do Novo Mundo felizmente se desenhou no tempo e no espaço, sem limites, abertos por seu divino Filho:”PASSARÁ O CÉU E A TERRA, MAS AS MINHAS PALAVRAS NÃO PASSARÃO”.(Mateus, 24, 35).(E na História é assim: aos que se arriscaram pela própria liberdade e para os outros se escrevem poemas e se erguem monumentos, não para seus algozes, os que entram na contramão da Vida).

Os números impressionantes da violência no Brasil

Os números impressionam: notícias recentes divulgadas pela mídia revelam que o Brasil poderá ultrapassar a marca histórica de 60 mil homicídios em 2017! Não se tratando apenas de meras conjecturas numéricas, friamente calculadas, estamos falando de uma verdadeira guerra interna que está às nossas portas, mesmo que, por sorte ou por possuir mais meios para nos defendermos de situações violentas, nunca tenhamos presenciado ou nos envolvido num conflito ou em episódios do gênero!
Impossível elencar e analisar em um único artigo ou até mesmo em um volumoso tratado todos os fatores que levam o ser humano à agressividade contra os seus semelhantes (ou contra os animais). Se aceitarmos a hipótese de que inicialmente habitávamos as selvas e depois, num longo processo, fomos obrigados a viver em bandos com regras precisas de convivência, oralmente transmitidas e, em seguida, codificadas em leis que se tornaram o auge do que comumente chamamos de civilização, precisamos também admitir que o animal selvagem que está em nós se manifesta esporadicamente todas as vezes que os nossos instintos são provocados ou estimulados de maneira inadequada.
Tomando como provável a afirmação do parágrafo anterior, pode parecer impossível solucionar o problema da violência humana. No entanto, é bom não esquecer a lição de Ítalo Calvino que nos convidava a não aceitar passivamente o inferno social em que vivemos, e sim buscar possíveis paraísos dentro dele. Para encontrar tais paraísos, devemos atenuar, minimizar e, em certos casos, controlar adequadamente os instintos que nos levam à agressividade. Mas de que modo podemos fazê-lo e com quais meios?
Certamente, não há outro modo ou ao menos ainda não se descobriu um modo melhor que o apelo a instituições de controle social, normalmente aceitas pela sociedade. Há os que devem escrever as leis e há também os que devem mandar aplicá-las; há os que devem reprimir, quando necessário, e da maneira correta, os que se recusam a aceitar as regras. Periodicamente, as regras devem ser revistas , adaptando-as aos costumes dos tempos, mas sempre respeitando normas mínimas de convivência, baseadas em tolerância e respeito. Enfim, é necessário constituir sistemas que vigiem e controlem os responsáveis pela vigilância e pelo controle, a não ser que se acredite (ainda) que tais pessoas sejam diretamente escolhidas por Deus e, portanto, só a Ele devem prestar contas.
No Brasil atual as instituições, as leis, os que vigiam, os que devem vigiar e os que devem reprimir ou controlar estão em crise ou estão quase completamente ausentes. Não é difícil, portanto, apostar num aumento constante da violência, pois os que não conseguem reprimir os instintos (porque não receberam adequada formação para reprimi-los ou, ao menos, para atenuá-los, ou porque se encontram em ambientes familiares desestruturados ou fortemente sujeitos ao apelo das drogas e a outras formas de alienação incitadoras de violência), não encontrando assistência, amparo ou obstáculos, tendem a expressar-se de maneira socialmente inadequada, isto é, que não leva minimamente em consideração o direito a vida e à liberdade do outro, seu semelhante, sujeito às mesmas pressões cotidianas e incessantes.
Eliminar a violência entre os seres humanos é uma tarefa impossível, pois, mesmo nas condições ideais de uma sociedade ideal, sem desníveis sociais e com instituições em perfeito funcionamento, o animal selvagem que em nós habita encontrará a ocasião propícia para despertar e cometer atos aparentemente inexplicáveis. Cabe, porém, retomando mais uma vez as lúcidas palavras de Calvino, não aceitar passivamente tal condição que nos foi imposta pela “Mamãe-Natureza” e arregaçar as mangas, trabalhando incessantemente para que as instituições funcionem, discutindo e revendo continuamente leis e normas, evitando radicalismos, polarizações maniqueístas, apelos sedutores e demagógicos a supremacias de qualquer natureza, ideológica, religiosa ou étnica, para evitar que cheguemos ao absurdo de uma guerra não declarada entre cidadãos de um mesmo país, com vítimas inocentes e frequentemente muito jovens.
Sérgio Mauro é professor da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Araraquara.