Perspectivas para os advogados

319

Há mais de um milhão de advogados e estagiários no país em festejo pelo 11 de agosto. São Paulo lidera com mais de 300 mil, espalhados por áreas de atuação tradicionais ou clássicas e também por áreas mais recentes, como direito ambiental, relações jurídicas no âmbito da internet, mediação, compliance, etc.
O Direito expande áreas de atuação e cria oportunidades. Nas mais tradicionais faculdades de Direito os jovens entram no curso com interesses bem variados, fazem estágios nas chamadas áreas tradicionais como civil, trabalhista e criminal e também noutras recentes, como direito concorrencial envolvendo a internet, biotecnologia e família, daí porque os bacharéis de hoje devem estar preparados para soluções envolvendo mais de uma área.
Para os que gostam do direito empresarial, as áreas tributária, ambiental, de litígio em negócios, contratos, fusões, aquisições de empresas, direito societário, recuperação judicial, dentre outras, demandam atualização constante visando amplo conhecimento das novas tecnologias para encarar as necessidades do mercado, em franca expansão, mesmo em tempos de crise geral.
De outro lado, há forte busca das empresas por advogados com perfil generalista, para assumir cargos gerenciais que demandem ampla visão de negócios, governança corporativa, compliance, gestão de clientes e reconhecimento dos impactos e oportunidades, normalmente profissionais que fizerem curso de especialização, MBA, pós-graduação, mestrado e doutorado no segmento do direito civil comercial.
Em algumas faculdades observa-se que o curso explora com destaque as questões ligadas à responsabilidade e ética profissional, preparando a capacidade crítica do aluno para exercer o direito de cidadania.
A Advocacia é profissão de muita coragem. Expressamente considerado na Constituição Federal como elemento essencial à administração da Justiça, somente o advogado está apto a buscar assegurar direitos e garantias fundamentais do cidadão, administrativa ou judicialmente. Por isso, para os novos ou mais antigos, vale a mesma regra: a valorização de um profissional passa por sua constante atualização.
Muito embora haja flagrante expansão das áreas de atuação e criação de novas oportunidades, a ampliação constante do conhecimento sem a seleção adequada do que se pretende pode ser um desastre, é bom lembrar!

William Nagib Filho – Advogado

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA