Estados Unidos: Parques apostam em montanhas-russas aquáticas para maior diversão e turismo

762
Parques ganham montanhas-russas aquáticas com quedas bruscas nos EUA

E. Cortez
As montanhas-russas aquáticas são a nova aposta e estão se espalhando pelos parques dos Estados Unidos. Elas combinam a altura e os espirais da montanha-russa tradicional com a diversão molhada de um tobogã. Algumas usam jatos d’água pressurizada para elevar cápsulas (uma espécie de bóia) a planos inclinados, o que parece desafiar a gravidade, tornando-se atrações merecedoras da atenção dos entusiastas dos dois brinquedos. Veja algumas delas:
MASTER BLASTER – O Schlitterbahn, parque aquático à margem do rio Comal, no Texas, abrigou a primeira montanha-russa aquática do mundo, a Dragon Blaster, inaugurada em 1994. O maior atrativo, no entanto, surgiu dois anos mais tarde. O parque decidiu realizar um sonho mais ambicioso e criou uma atração muito maior, a Master Blaster. Depois de se instalarem confortavelmente em suas cápsulas para duas pessoas, os visitantes enfrentam uma queda em ângulo muito agudo, por uma longa encosta. Mas jatos d’água imediatamente propelem a cápsula para um túnel curvo, que tem um brilho azulado. Em seguida vem uma nova queda, mais profunda que a anterior, e outro jato, que reconduz a cápsula encosta acima.
MAMMOTH – Em um canto remoto do parque aquático Splashin’ Safari, no sul de Indiana, fica uma das maiores montanhas-russas aquáticas dos Estados Unidos. Essa atração de porte gigantesco, em vermelho, azul e amarelo, merece o nome (informalmente, “mammoth” significa “enorme”), e foi feita para cápsulas redondas com capacidade para seis pessoas. O visitante embarca no módulo, conectado a uma correia transportadora, que o eleva por uma encosta.ESTADOS UNIDOS (3) ESTADOS UNIDOS (1)
O primeiro mergulho termina em um túnel com uma curva acentuada, que leva a uma segunda descida. Em seguida o motor entra em ação e conduz a cápsula a um segundo túnel e nova elevação. As porções suspensas do passeio, no topo, causam a sensação de que algo impossível está acontecendo.
A experiência é reforçada pelo fato de o visitante ficar sentado de frente para os demais passageiros e poder perceber que estão sentindo a mesma dificuldade para acreditar no que estão vendo. A Mammoth detém o recorde de mais longo percurso para uma montanha-russa aquática, mas seu comprimento impressiona menos que sua inventividade. O trajeto labiríntico cria emoções a cada trecho. E a tecnologia também impressiona.
KRAKATAU – O vulcão que ocupa posição central no parque Volcano Bay, em Orlando, Flórida, e faz parte do nome do local é impressionante. Visto de frente, é uma linda estrutura, com uma cachoeira caudalosa. Por trás, se abre para revelar um grupo de atrações coloridas, entre as quais uma assombrosa montanha-russa aquática, a Krakatau Aqua Coaster.
Uma correia transportadora leva a cápsula, em forma de canoa, à posição de partida e arremessa os passageiros no primeiro mergulho, para depois voltar ao vulcão. Túneis translúcidos geram cores brilhantes, em determinados trechos, e túneis verdes criam uma atmosfera quase néon, em outros. O visitante não passa o tempo todo em passagens cobertas, e a combinação entre pedaços fechados e abertos é boa.
O melhor vem no final, com um mergulho íngreme e uma breve subida, que termina com um pouso em meio a uma explosão de água ao redor da cápsula, capaz de abrigar quatro pessoas em fila.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA