Câmara repassa R$ 1 milhão para trazer as “Carretas da Saúde” para Rio Claro

Como consequência do novo modelo gestão baseado na economia e eficiência, a Câmara Municipal de Rio Claro antecipa a devolução de R$ 1 milhão à prefeitura com a recomendação de que esse valor seja investido no programa “Mais Saúde”, que tem como meta zerar a fila de espera em diversas especialidades de atendimento médico.

O anúncio da devolução desses recursos foi feito ao prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, pelo presidente da Câmara André Godoy em nome de todos os vereadores, durante a cerimônia de assinatura de contrato entre a prefeitura, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e o Projeto Cies Global – Centro de Integração de Educação e Saúde, que venceu a licitação para que Rio Claro receba as “Carretas da Saúde”, que serão instaladas no Espaço Livre da Avenida Visconde do Rio Claro.

“É o dinheiro dos impostos pagos pelos contribuintes que volta em benefício da saúde dos rio-clarenses que mais precisam”, afirmou André. O prefeito enalteceu o gesto e disse que com vontade, respeito e amor ao próximo é possível superar as dificuldades e fazer mais. “Isto demonstra o comprometimento dos vereadores com a comunidade e certamente vamos atender o seu pedido, presidente”, confirmou Juninho.

Realizada na tarde desta quinta-feira (29), a assinatura do contrato faz com que Rio Claro seja o primeiro município do interior do Estado de São Paulo a contar com uma estrutura médico-hospitalar em unidades móveis de atendimento, através de um projeto semelhante ao que existe só na capital paulista.

Citado pelo presidente da Câmara como um exemplo de postura ética e responsabilidade, o deputado estadual Aldo Demarchi, que se reuniu com o prefeito no início da noite, parabenizou os gestores municipais e os vereadores por providenciarem em poucos meses um projeto desta envergadura. “É essa união que torna realidade um compromisso assumido por todos nós com a população rio-clarense”, destacou.

A assinatura do contrato contou também com a presença do vice-prefeito Cel. Bellagamba, do juiz Luiz Claudio Pavão, diretor do Fórum de Rio Claro, dos vereadores Adriano La Torre, Val Demarchi, Seron do Proerd, Geraldo Voluntário, Ney Paiva, Paulo Guedes, Carol Gomes, Júlio Lopes, Rogério Guedes, Thiago Yamamoto, Rafael Andreeta, Maria do Carmo Guilherme, Anderson Christofoletti, Hernani Leonhardt e Irander Augusto, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Domingos de Almeida, e Vitória Hummel, representante da Santa Casa. Os vereadores Luciano Bonsucesso, José Pereira e Yves Carbinatti estiveram representados por seus assessores.

CÂMARA REPASSA 1 MILHÃO (1)CÂMARA REPASSA 1 MILHÃOCÂMARA RESPASSA 1 MILHÃO

Agilidade e respeito
O presidente da FMS, Djair Francisco, observa que o contrato assinado com a Associação Beneficente Ebenézer – que administra o Projeto Cies Global – é fruto de meses de trabalho, desenvolvido com o empenho da equipe da Fundação de Saúde e de forma transparente. “Vamos reduzir a fila de espera por consultas, exames e pequenas cirurgias, estimada em 37 mil procedimentos”, disse.

Segundo Kengi Itinose, diretor médico do Cies Global, procedimentos que na rede pública podem levar 120 dias ou mais, desde a primeira consulta até a cirurgia, no sistema que chegará a Rio Claro com as “Carretas da Saúde” poderão levar apenas 30 dias, a partir da primeira consulta. “E isso feito a preço da tabela do SUS”, salientou ao enfatizar que todas as unidades e equipamentos que serão instalados no Espaço Livre são novos.

A expectativa é de que a instalação seja feita até agosto e o início de atendimento ao público comece a partir de setembro. Um plano de comunicação que será estabelecido entre a prefeitura, a Fundação de Saúde e o Cies Global – atendendo a orientação do presidente da Câmara – dará todas as orientações para as pessoas que forem utilizar os serviços, garantindo agilidade e respeito no atendimento.

Expectativa é que cerca de 15 mil pessoas visitem o Encontro de Veículos Antigos em Rio Claro

Com entrada gratuita, a atividade deve receber a visita de aproximadamente 15 mil pessoas, conforme expectativa dos organizadores. O tradicional evento faz parte do calendário de aniversário de Rio Claro, que completou 190 anos no dia 24 de junho, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Rio Claro, por meio da Secretaria de Esportes e Turismo (Setur).
Para o titular da pasta, Ronald Teixeira Penteado, a exposição se destaca não apenas pela beleza dos veículos antigos, mas também por seu valor histórico. “Além da beleza dos carros antigos, a visita à exposição é importante pelo fator histórico que está agregado aos veículos. São exemplares que levam o público a uma viagem no tempo, sendo considerados verdadeiras relíquias”, considera o secretário.
Paulo Palota, presidente do Antigo Auto Clube de Rio Claro, destaca a importância do evento. “O início foi em 1988, quando alguns amigos se reuniram e se propuseram a montar a exposição. Foi a partir da exposição que teve início o Auto Clube e hoje o evento é bastante tradicional. Nossa expectativa é que cerca de 15 mil pessoas visitem a exposição”, comenta.
O evento terá aproximadamente 400 veículos expostos, de diferentes marcas e modelos. O público poderá conferir lambretas, bicicletas, caminhonetes, entre outras raridades, oriundas de Rio Claro e região, além de cidades como São Paulo, Jundiaí e Campinas, entre outras.
A animação do evento ficará a cargo da Rádio Vitrola, com a locução e reprodução de jingles antigos.

Sociedade Beneficente Cultural Dançante Veteranos de Rio Claro

Agenda de Programações:
– Domingo, 2, tarde dançante, a partir das 15 horas,
Atração musical: Banda IDEAL
Traje: Esporte
*Sócios e frequentadoras livre acesso com apresentação da carteirinha social e recibo JUNHO/2017
Para mais informações: Secretaria do clube de 2ª. a 6ª. feira, das 09 às 11 e das 14 às 17 horas. Fone: (19) 3524-2424 ou na internet: http://sociedadeveteranosderioclaro.blogspot.com.br/
Traje: Esporte
Outras informações
A Secretaria da Sociedade Veteranos atende diariamente das 09 às 11 e das 14 às 17 horas. Informações (19) 3524-2424.
Grato pela atenção. E um ótimo final de semana com saúde e paz.

Feijoada Solidária será preparada por Clube de Amigos da Comunidade

Quem quiser saborear deliciosa feijoada e passar uma agradável tarde de domingo já pode adquirir a adesão para a Feijoada Solidária, organizada pelo Fundo Social de Solidariedade de Rio Claro. O evento será no dia 9 a partir do meio dia no Sobradão Eventos.
“Agradecemos muito a colaboração do Clube de Amigos da Comunidade, que voluntariamente vai preparar a feijoada, sempre muito elogiada por quem experimenta”, observa Paula Silveira Costa, presidente do Fundo Social. A arrecadação do evento será destinada ao trabalho social desenvolvido pela entidade.
As adesões custam 35 reais e dão direito à feijoada e acompanhamentos, incluindo arroz, couve e torresmo. Crianças menores de seis anos não pagam e para as que têm idade entre seis e 10 anos a adesão custa 20 reais. Bebidas serão vendidas à parte.
A animação musical será da dupla Lincoln Carvalho e Jander, que levará ao público repertório sertanejo da melhor qualidade. Os interessados devem procurar o Fundo Social, que fica no segundo andar do paço municipal, na Rua 3, entre avenidas 3 e 5. O atendimento para a venda de adesões é das 8h30 às 16h30.

Rotatória no Jardim Paulista 1 ganha calçadas e novo paisagismo

A rotatória localizada no final da Avenida Ápia, no Jardim Paulista 1 em Rio Claro, está recebendo melhorias, que incluem calçamento e revitalização do paisagismo com plantio de grama e de palmeiras imperiais e jerivás. Os trabalhos foram iniciados nesta semana por funcionários das secretarias de Agricultura, Obras e Meio Ambiente.
A construção de calçadas nas imediações da rotatória visa dar maior segurança para a travessia de pedestres, conforme ressalta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. “Sem calçada, eles precisam utilizar a rua disputando espaço com os veículos e colocando em risco sua segurança”, comenta o Juninho, que vistoriou os serviços na quarta-feira (28).ROTATÓRIA NO JARDIM PAULISTA 1 (1)
Além de deixar o local mais bonito, as melhorias reforçam homenagem póstuma a moradora Jovelina dos Santos Vendrami, conhecida como “Dona Jovem”, que sempre trabalhou em benefício da comunidade. Em dezembro de 2008, a rotatória recebeu o seu nome e, nestes nove anos, praticamente nenhuma melhoria foi feita no local. “Quem trabalha por Rio Claro merece nosso agradecimento e homenagem”, declara Juninho.
A rotatória está recebendo aterramento para posterior plantio de gramas e palmeiras. “Estamos trabalhando para atender não apenas o Centro da cidade, mas também as regiões mais afastadas”, afirma Emilio Cerri, secretário municipal de Agricultura. “Intervenções como essas valorizam a paisagem e promovem um visual mais agradável para motoristas e pedestres que circulam pelo local”, acrescenta.
Além dos serviços na rotatória da Avenida Ápia, melhorias também estão sendo feitas na região do trevo Victor Lopes Junior, mais conhecido como rotatória da Viviani Veículos. Os trechos sem calçamento na Avenida 11 estão sendo pavimentados e guias e sarjetas pintados. “A via tem grande fluxo de veículos, por isso as calçadas são importantes para garantir segurança e diminuir o risco de acidentes com pedestres”, explica o secretário municipal de Obras, Paulo Roberto de Lima.

Após oito anos, horta suspensa da Aderc é reativada

A Prefeitura de Rio Claro, por intermédio da Secretaria Municipal de Agricultura, reativou no dia 23 a horta suspensa da Associação dos Deficientes de Rio Claro (Aderc) situada na avenida 8, bairro Bela Vista.
O secretário municipal de agricultura, Emílio Cerri, informou que a horta foi criada no ano de 2006, funcionando por dois anos e posteriormente as atividades suspensas. “A horta suspensa na Aderc serve como terapia para os alunos, e tudo o que plantarem e colherem ficam para eles”, afirma.
No local serão plantados alface, almeirão, cheiro-verde, couve-flor entre outras verduras. O vereador Geraldo Voluntário também participou da reativação da horta.

APÓS OITO ANOS HORTA DA ADERC (2)

Aderc
Fundada em junho de 1986, a Aderc (Associação dos Deficientes de Rio Claro) é uma instituição com sem fins lucrativos e tem como foco o atendimento a crianças, jovens e adultos com necessidades especiais. Iniciativa de um grupo que buscava para seus filhos um atendimento digno, respeitoso, com conteúdo e formato que proporcionasse a esses possibilidades reais de aprendizado e desenvolvimento. Desde sua fundação, a Aderc funciona em um conjunto de salas cedido pelo Grêmio Recreativo e Cultural da Bela Vista.

Creche Francisca Coan recebe melhorias

Equipe de manutenção da prefeitura trabalha em ritmo acelerado na Escola Municipal “Francisca Coan”, localizada no bairro Jardim São João. A unidade de ensino está passando por reforma para melhorar as condições da cozinha, da despensa e banheiros que estavam em condições precárias. As obras estão em andamento e devem ser concluídas em breve.
A escola recebeu na segunda-feira (26) a visita do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que foi conferir de perto os trabalhos. “Estamos fazendo manutenção nas escolas conforme as prioridades, pois além de ofertar vagas, temos que ter estruturas adequadas para atender os alunos”, observa Juninho.
O secretário municipal da Educação, Adriano Moreira, explica que a cozinha da escola estava sem instalação elétrica inviabilizando o uso de coifa, freezer e outros equipamentos. A despensa também estava em condições precárias, dificultando o armazenamento de alimentos. Os banheiros apresentavam vários problemas. Tudo está sendo resolvido. “Vamos trocar tudo e fazer os consertos necessários para atender melhor as crianças e a equipe escolar”, afirma Moreira.
A diretora da escola, Solange Santos Corrêa, informa que além desses reparos, também foi feita a troca do telhado de duas salas de aula e dois banheiros que estavam com problemas de infiltração, além de pintura e substituição de portas e janelas. Ainda será realizado conserto das calhas e outros serviços. “Essas melhorias facilitaram muito nosso trabalho e o atendimento às crianças”, afirma Solange. “Aos poucos a escola está ganhando um novo visual”, comenta a vice-diretora, Djaine Sara Francisco Duarte.

Estados Unidos – curiosidade Conheça o Hearst Castle, um castelo em plena Highway 1

E. Cortez
Castelo Hearst é uma das principais paradas da Highway 1, a incrível viagem de carro pela Costa da Califórnia, e é uma visita super interessante. Construído aos moldes europeus, o castelo é imponente e recheado de obras de arte e ornamentos antigos.
Quem foi Hearst? – Antes de mais nada, vale saber que Willian Hearst foi um milionário da indústria da comunicação e um grande colecionador de arte (grande parte da sua coleção está exposta nas paredes do castelo), tendo se relacionado com muitos artistas e esportistas do seu tempo. Não é a toa que o castelo, durante seus anos de Glória, foi palco de muitos encontros informais, torneios de tênis e jogos de bilhar com a participação de personalidades como Charlie Chaplin, Clark Gable, Greta Garbo, Winston Churchill, Joan Crawford, Dolores del Rio, Charles Lindbergh e muitos outros.
Construído nas montanhas de San Simeon, o Castelo de Hearst era chamado pelo seu proprietário de “Estado da Costa Encantada” e é um verdadeiro elefante branco no meio da Califórnia. São mais de 165 salas e 127 acres de jardins que nos tempos de glória de Hearst chegaram a abrigar um zoológico.
O castelo foi projetado pela arquiteta Julia Morgan, e a obra jamais foi terminada, pois Hearst não cansava de inventar novos detalhes e de incluir novos ornamentos no projeto. A construção foi iniciada em 1919, e só parou quando Hearst teve que deixar o castelo em 1947 (28 anos depois) por motivos de saúde (naquela época, não havia hospitais e nem médicos na região).
Após a morte do Magnata em 1951, o castelo foi doado ao estado da Califórnia e transformado em museu. Todos os aposentos que são mostrados nos tours, foram mantidos da forma como Hearst os deixou.
Como funciona a visita? – O castelo pode ser visitado somente através de tours guiados, e devem ser agendados com antecedência, já que durante a alta temporada costuma haver até duas horas de espera e os tours no final do dia costumam se esgotar com antecedência.
As visitas guiadas levam entre 45 minutos e uma hora e 40 minutos. Calcule mais uma horinha para ter tempo de visitar os jardins (que é sem dúvida o pedaço mais espetacular do passeio) e para poder subir e descer o morro com calma. Assim, espere gastar pelo menos 2 horas do seu dia visitando o castelo.
O passeio começa no centro de visitante onde há um grande estacionamento, bilheteria, uma sala que passa vídeos do castelo e que serve de sala de espera e uma lanchonete. Como não há comida (e nem água) lá em cima, recomendo que você coma algo e leve uma garrafinha de água.
No final da visita guiada, os visitantes conhecem os jardins, considerados por muitos a melhor parte do passeio. O Castelo tem jardins enormes e maravilhosos, decorados com árvores, flores e esculturas de diferentes épocas e estilos. Dos jardins você conseguirá fotografar o castelo, e ver a região de San Simeon do alto com o mar ao fundo.
E pra fechar a visita com chave de ouro, nada melhor do que deparar-se com a piscina romana, que é uma piscina coberta decorada do chão ao teto com mosaicos coloridos e ornamentada com motivos greco-romanos. Na época de Hearst essa piscina era aquecida.
O Hearst Castle fica mais ou menos na metade do caminho entre San Francisco e Los Angeles.

The Gothic Study at Hearst Castle
The Gothic Study at Hearst Castle

ESTADOS UNIDOS (1) ESTADOS UNIDOS (2) eua 567

Nasa trabalha em um novo avião comercial supersônico

Você é passageiro e está voando no Airbus A350, a última aeronave comercial a entrar em serviço, dia 14 de junho de 2013, através da Qatar Airways. A cada lançamento de um novo avião sentimos de imediato os seus benefícios em quase todas as áreas do voo.

Voltemos no tempo, ao distante 2 de maio de 1952, quando a Boac, empresa aérea britânica, chocou o mundo com o primeiro voo comercial de um avião a jato, o De Haviland Comet. Era duas vezes mais rápido que os melhores aviões da época, como o Constellation, quadrimotor a hélice, e voava pelo menos duas vezes mais alto.

Alguém que estivesse nesse voo pioneiro do Comet e, 61 anos mais tarde, no primeiro voo do Airbus A350, certamente se impressionaria com o avanço da aviação. Em primeiro lugar, a segurança de modo geral.

Se fosse um pouco a fundo, entenderia as diferenças no material empregado na construção das aeronaves, cada vez mais leves e resistentes, nas turbinas, hoje mais potentes, silenciosas e econômicas, no impressionante emprego da eletrônica para gerenciar a maioria dos sistemas, conferindo-lhes grande automação, tornando os pilotos quase que apenas controladores se esses sistemas funcionam de acordo com a orientação do fabricante.

Podemos levar nosso passageiro até o primeiro voo do primeiro jato comercial de grande sucesso, o que não foi o caso do Comet, o Boeing 707. Ele voou, com a pintura da Pan Am, de Nova York a Paris no dia 26 de outubro de 1958.

Pronto, nosso passageiro tem já três experiências fantásticas. Esteve no voo inaugural do Comet, do Boeing 707 e do Airbus A350, ele é a própria história viva da aviação.

Mas supondo que esses primeiros voos fossem na mesma rota, pode ser a do Boeing 707, entre Nova York e Paris, por exemplo. Nosso passageiro levaria um susto: esses três ícones dos ares levariam quase que o mesmo tempo de voo entre as duas cidades, apesar dos 61 anos de idade do A350 para o Comet e 55 para o Boeing 707.

Como mencionado, a aviação evoluiu exponencialmente em todas as áreas nesse período, exceto em um: a velocidade de cruzeiro, ou a velocidade normal de deslocamento com o voo nivelado. Se o nosso passageiro estudasse as características de cada uma das três aeronaves se chocaria ao ver que as três, apesar dos imensos avanços introduzidos ao longo dos anos, voam a cerca de 900 km/h.

A novidade nessa área veio do Concorde, que no seu voo inaugural, no dia 26 de janeiro de 1976, entre Paris e o Rio de Janeiro, superou e em muito a velocidade do som (1.224 km/h), ao voar em impressionantes 2.158 km/h. Quando todos pensaram que aquele era o futuro, o próximo passo da aviação, eis que as coisas andaram para trás. O custo operacional e os protestos gerados pelo elevado ruído do Concorde, em especial quando superava a barreira do som, o que provoca o som de uma explosão, comprometeram a vida do Concorde. Assim, no dia 24 de outubro de 2003 realizou seu último voo.

De lá para cá, as duas maiores indústrias aeronáuticas do mundo, a Airbus e a Boeing, concentraram-se em melhorar em tudo os novos aviões que lançaram. O voo supersônico não entrou na lista de prioridades das duas.

Essa história pode, agora, mudar. A Nasa, a agência espacial norte-americana, informou, esta semana, ter estabelecido um contrato com a empresa norte-americana Lockheed Martin para o desenvolvimento do projeto de uma aeronave comercial supersônica. Os desenhos da versão básica já foram concluídos e até mesmo os ensaios de um modelo em escala estão em curso no túnel de vento supersônico do Centro de Pesquisa Glen da Nasa, em Cleveland.

O projeto leva muito em conta os problemas que inviabilizaram o sucesso do Concorde, custo operacional desproporcionalmente alto e nível de ruído capaz de mobilizar a população para protestar contra seu uso. E a Nasa informou que os engenheiros envolvidos conseguiram, também, transformar o clássico estrondo da superação da barreira do som a um ruído de intensidade aceitável. Você tem detalhes do projeto no site na Nasa: www.nasa.gov

O primeiros testes de um protótipo estão previstos para 2021. Se tudo der certo, uma grande empresa se interessar em trabalhar a tecnologia que está sendo desenvolvida, para atender às necessidades econômicas e ambientais de hoje, daqui a sete, oito anos é bem provável que uma empresa aérea decole para uma nova era do voo supersônico. Quem sabe o nosso passageiro possa estar a bordo também e depois nos conte como foi.

Se isso acontecer, a humanidade finalmente dará o passo adiante na velocidade dos voos, o que não aconteceu desde o início dos anos 50. Continuamos a voar de Londres a Nova York em 8 horas.

liviooricchio@gmail.com

Pista de Patinação no Shopping Rio Claro é garantia de diversão

O Shopping Rio Claro sempre tem uma atração diferente para seus clientes se entreterem, principalmente nos fins de semana, como a Pista de Patinação no Gelo, que está atraindo crianças de todas as idades. A pista também recebe crianças a partir de 2 anos, que podem passear no Space Car, um carrinho guiado pelos instrutores da atração e que desliza no gelo, especialmente desenvolvido para garantir a diversão de quem ainda está desenvolvendo o equilíbrio.
A Pista de Patinação no Gelo funciona todos os dias, de segunda a sexta, das 14h às 22h, aos sábados das 12h às 22h e aos domingos das 12h às 20h. Menores de idade devem estar acompanhados por um adulto responsável, lembrando que é recomendada para crianças acima de 5 anos e com mais de 1,10 metro.
Já na Praça de Eventos a atração é o Zig Soft Play, um brinquedo composto por um circuito de atividades recomendado para crianças com até 1,40 m e as com menos de 0,90 m podem brincar acompanhadas por responsáveis.
Para a criançada, as opções ainda incluem os bichos motorizados do Quiosque Pelucinhas, os carrinhos elétricos da The Cars, os games e jogos mais famosos da World Games e as aulas gratuitas da Oficina de Música da Escola Maria Isabel, que acontecem de quinta a sábado das 14h às 22h e aos domingos das 14h às 18h. Para participar das oficinas, é preciso doar 1 kg de alimento não perecível, e o montante arrecadado será doado ao Lar Bethel.
E para quem adora assistir bons filmes, nas salas de cinema do Shopping Rio Claro estão em cartaz Meu Malvado Favorito 3, O Círculo, A Múmia e Mulher Maravilha.
E por falar em cinema, com a estreia de Meu Malvado Favorito 3, o McDonald’s do Shopping Rio Claro promove uma ação que vai encantar os fãs do filme: no sábado, a partir das 14h, os clientes poderão fazer fotos com seu personagem favorito. Não vai perder essa chance, não é?
Para os adultos, as exposições “Janela Aberta – esperança que renasce”, do arquiteto, urbanista e artista plástico Silvio Iamondi, “Arte, cor, luz e expressão”, de Lúcia Pedroso, e “Pet’s & Colors”, de Damaris Rampin, são uma excelente oportunidade para conhecer o trabalho de artistas da cidade.
“As atrações culturais e de entretenimento do Shopping Rio Claro oferecem opções de lazer para as famílias de Rio Claro e região, que também podem aproveitar para confraternizar em nossas operações de alimentação, com opções variadas para todos os gostos”, destaca Sibelly Paganotti, Analista de Marketing do Shopping Rio Claro.

Comitiva rio-clarense cobra agilidade de concessionária para água em Assistência

O distrito de Assistência e os bairros Jardim Novo 1  e 2, no extremo sul de Rio Claro, foram temas de reunião na sexta-feira (30) entre comitiva de Rio Claro e a concessionária Colinas, que administra a rodovia que liga o município e Piracicaba (rodovia SP-127). Segundo o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, o assunto principal foi a passagem pela rodovia da adutora que será ligada ao novo reservatório de água de Assistência. “Estamos somando esforços para dar andamento o mais rápido possível a essa obra que é essencial aos moradores daquela região”, comenta.
Como se trata de rodovia intermunicipal, Rio Claro precisa de autorização para implantar a adutora sob a SP-127. Presente à reunião, o deputado Aldo Demarchi, integrante da Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa, entrou em contato com a Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) com a finalidade de esclarecer dúvidas e cobrar agilidade nas decisões para execuções da obra. “Estamos confiantes que nosso empenho junto ao governo do estado e à Colinas trará bons resultados em breve”, comenta.
Cláudio Taira foi o representante da concessionária na reunião, da qual também participaram o vereador Rafael Andreeta, o secretário municipal de Obras, Paulo Roberto de Lima, e o superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) de Rio Claro, Francesco Rotolo. “A nova adutora permitirá que a água chegue com pressão e em quantidade suficientes para o pleno aproveitamento do novo reservatório”, explica Rotolo.
Passagem
Outro assunto tratado na reunião foi a implantação de passagem cruzando a estrada Rio Claro-Piracicaba na altura do Jardim Novo 1 e 2. Grande número de pessoas que mora naquelas imediações precisa cruzar diariamente a SP-127.

COMITIVA RIO-CLARENSE colinas5 (2)

Unesp assegura uso de nome social para transgêneros

A Unesp aprovou, no Conselho Universitário de 29 de junho de 2017, Resolução pioneira em diversos aspectos, que assegura a inclusão, quando requerida por docentes, servidores e discentes, do nome social de travestis e transexuais, para fins de adequação de gênero, nos registros funcionais e acadêmicos da Universidade. O documento, pioneiro entre as universidades públicas paulistas, surge de uma demanda da comunidade de alun@s, professor@s e servidor@s técnico-administrati@s da instituição e é resultado de uma ampla pesquisa de normas existentes no Brasil, na Europa e nos EUA.
“O reconhecimento do nome social pela Unesp é um grande marco para os direitos humanos na universidade. A implementação do nome social mostra que a Universidade não aceita a discriminação e que está atenta às minorias”, diz Daniela Cardozo Mourão, docente da Faculdade de Engenharia da Unesp de Guaratinguetá, integrante da comissão responsável pela redação da Resolução aprovada pelo Conselho Universitário, que teve participação de representantes dos diversos segmentos da Universidade, sob a presidência de Maria Aparecida Custódio Domingues, assessora da pró-reitoria de Graduação.
A Resolução da Unesp assegura o direito para transgêneros, e ressalta que deve ser utilizada para a adequação de gênero. Busca evitar, portanto, que pessoas possam desrespeitar a norma, seja para fazer gracejo, trote ou protesto ideológico, realizando alterações como João para John ou Maria para Madona.
A Resolução da Universidade não permite a mudança do sobrenome, como o uso de algum nome famoso ou artístico, pois distorceria o princípio da lei que é a dignidade e o constrangimento do nome civil.
Outro diferencial nesta Resolução é a inclusão de pós-docs, servidores temporários, visitantes e participantes de eventos, que teoricamente já estariam cobertos pelo Decreto Estadual nº 55.888, de 17 de março de 2.010, constante dos “considerandos” no preâmbulo da Resolução da Unesp, mas que estão explicitados como forma de mostrar, aos da Unesp e aos de fora, que este direito é garantido na Universidade.
O Artigo 2º dispõe que “O requerimento de inclusão do nome social deverá ser protocolado na Área de Comunicações e deverá ser encaminhado ao dirigente da Unidade, e na Reitoria, ao Reitor, para providências das Áreas de Recursos Humanos, quando a pessoa interessada for docente ou servidor técnico-administrativo, de Graduação, quando discente de graduação, de Pós-Graduação, quando discente de pós-graduação, ou outras que sejam responsáveis por esta inclusão nos sistemas institucionais da Universidade.”
Em formulário apropriado, portanto, a pessoa deve explicitar se a mudança é masculino para feminino ou feminino para masculino. Desse modo, está garantido que a mudança se dará apenas para adequação de gênero.
No Artigo 4º a Resolução dispõe que “O nome social deverá preceder o nome civil no histórico escolar, ata de colação de grau, diploma, declarações, certificados e demais documentos oficiais que venham a produzir efeitos perante terceiros, e a especificação de cada nome virá entre parênteses, tal qual o modelo que consta do Anexo II da Resolução.
Portanto, somente o nome social será usado internamente. Nos documentos para uso externo será explicitado qual é o nome social e qual é o nome civil. Este formato facilitará a identificação do usuário em lugares que, ou não adotam a norma, ou poderiam ficar em dúvida sobre qual nome se refere: o civil ou o social. Além disto, não haverá problema do uso do diploma no exterior, sendo que, em muitos países, sequer existe o nome social.
A Resolução da Unesp deixa claro que o nome social deverá ser usado nas solenidades. Isto é muito importante porque as solenidades são eventos públicos e oficiais, onde poderia ser levantada esta dúvida.
O artigo 6º afirma: “Deve ser garantido, no âmbito institucional, a todos os interessados que solicitarem a utilização do uso do nome social, o direito ao tratamento oral exclusivamente pelo nome social requerido, em qualquer circunstância, não cabendo qualquer tipo de objeção de consciência.”
Este Artigo, baseado na Resolução Federal nº 12, garante o respeito a travestis e transexuais, por parte de professores e funcionários que queiram, por questões pessoais ou ideológicas, utilizar o nome civil para os constranger publicamente ou como forma de agressão.
Após a publicação da Resolução no Diário Oficial, haverá também a publicação de Instrução Normativa com orientações sobre a sua implementação.
Documento aprovado na sessão de 29/6 do Conselho Universitário disponível em
www.unesp.br/secgeral/Pautas//CO/20170629/1125-17-resolucao-nome-social.pdf (fonte assessoria da Unesp)

Inovação de alto impacto

Minuto a minuto somos bombardeados com notícias sobre algo que ameaça tirar o Brasil do processo de retomada de confiança tão vital para a volta do crescimento. Acredito que não haja um cidadão brasileiro de bem que não se sinta desconfortável com esta situação e procure contribuir e encontrar saídas.
Claro que é importante buscar formas urgentes de vencer a crise; mas também é vital ter a cabeça e os olhos focados na construção de uma visão de futuro.
E onde está o futuro? Durante um congresso internacional promovido recentemente em São Paulo foi apontado que o futuro está naquelas empresas que criam valor para o consumidor. São os empreendimentos inovadores e criativos, que usam a tecnologia para se diferenciar e crescer no mercado. Os que promovem alto impacto.
É lógico, portanto, que esses negócios sejam considerados estratégicos e recebam tratamento diferenciado para expandir e consolidar-se. Lógico, mas nada mais longe da realidade.
Foi noticiado recentemente, de forma quase despercebida, um dado preocupante. No Brasil, existem pouco mais de 31 mil empresas de alto crescimento, que geram cerca de 4,4 milhões de empregos e pagam R$ 103,2 bilhões em salários e outras remunerações. São as scale-ups, assim definidas por crescer pelo menos 20% ao ano, em número de funcionários e/ou receita, por três anos consecutivos. A esmagadora maioria é de pequenas e médias empresas (92%) e contrata 100 vezes mais que o restante das empresas.
Até aqui, só boas notícias, certo? Em termos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo segundo ano consecutivo, tivemos redução, em relação ao ano anterior, do número dessas empresas (-6,4%), no pessoal ocupado assalariado (-10,4%). Em 2013, estes recuos tinham sido menos intensos: 5,2% e 5,8%, respectivamente.
Fomos investigar as causas e não deu outra: os gargalos burocráticos e tributários são gigantes, quase intransponíveis para quem quer crescer. Se, por exemplo, a empresa ultrapassa os limites que permitem sua inserção no sistema tributário simplificado, tem que migrar diretamente para o modelo oneroso que rege a vida das grandes corporações.

Outro agravante: o investimento anjo no Brasil está em desaceleração, chegando a 9% em 2016, contra os 14% de aumento registrado em 2015. Provavelmente reflexo da taxa de juros alta, que faz com que as aplicações em renda fixa sejam mais atraentes a potenciais investidores.
Não podemos virar a cara para o Brasil que dá certo e que faz a diferença. Recentemente, durante a solenidade do Prêmio Nacional de Inovação, que identifica e apoia ações inovadoras em micro, pequenas, médias e grandes empresas, tive a oportunidade de celebrar com três pequenos negócios paulistas, clientes do Sebrae-SP, que foram campeões. Eles disputaram com quase 4 mil empresas inscritas, de todas as regiões do País, e juntas com outros 16 empreendimentos se consagraram como referências nacionais em desenvolvimento de inovação.
O Sebrae-SP está fazendo sua parte, com a expansão de programas que viabilizem a criação e o fortalecimento de empresas inovadoras. Com o Startup SP, 60 startups paulistas foram selecionadas para participar do programa de aceleração de startups digitais e estão criando um admirável mundo novo, totalmente conectado com as necessidades e oportunidades da quarta revolução industrial, a era da indústria 4.0. Neste time estão também 15 mil pequenos negócios paulistas, de base tradicional, que já investiram recursos na implantação de inovações em produtos e serviços, processos e na gestão que participam do programa Agentes Locais de Inovação – ALI. Este ano o Sebrae está aplicando R$ 350 milhões em inovação, cerca de 35% do orçamento total.
Na outra ponta, a da melhoria do ambiente para empreender e investir, tivemos avanços consideráveis como a regulamentação do projeto de lei complementar (PLC) 25/2017, mais conhecido como Crescer sem Medo, que regulamentou a figura do investimento-anjo, fazendo uma distinção clara entre operador e investidor. E permite que a empresa permaneça no Simples, mesmo após receber recursos deste tipo de investidor. Também foi criada pela lei uma faixa de transição de até R$ 4,8 milhões para as empresas que ultrapassarem o teto atual.
Mas ainda há muito que avançar. Nosso trabalho agora é pela urgente aprovação das reformas previdenciária e trabalhista, pela desburocratização e criação de incentivos fiscais que garantam maior aporte de recursos de investidos privados, como já ocorre para quem investe em pequenas empresas listadas na Bolsa de Valores, por exemplo.
É a nossa contribuição para que a confiança no Brasil não seja apenas retomada, mas sim consolidada num ciclo virtuoso do desenvolvimento sustentável.

Paulo Skaf
Presidente SEBRAE-SP

Siga o cheiro do dinheiro

Carlos Brickmann

Tudo bem, houve greve geral. Só que não foi geral: tirando alguns congestionamentos chatos em algumas cidades, o país funcionou como de costume. Também não foi greve: até os congestionamentos chatos, seu símbolo maior, ocorreram por manifestações com pouca gente, em locais estratégicos, para dificultar o trânsito. Trabalhou-se como de costume.
Guilherme Boulos, líder do MTST, movimento dos sem-teto, um dos organizadores da greve, atribuiu o fracasso ao desemprego. “As pessoas estão com medo de ser demitidas, achacadas por patrões”. A explicação tem lógica, mas não é verdadeira. O objetivo da greve geral era impedir um ponto da reforma trabalhista: o que prevê o fim do imposto sindical. Este imposto, um dia de trabalho de cada assalariado do país, é a grande fonte de renda das centrais sindicais (e dos sindicatos, que ficam desobrigados de trabalhar em favor de seus associados, porque eles não lhes fazem falta: o dinheiro do imposto sindical continua irrigando seus cofres com fartura).
O problema era esse? Michel Temer o resolveu: o Imposto Sindical será abolido e, em seu lugar, surgirá uma nova fonte de financiamento para a pelegada. Em outras palavras, o imposto sindical só muda de nome. Paulinho, presidente da Força Sindical, confirma a manobra: resolvido o problema do dinheiro (R$ 3,5 bilhões por ano), a reforma passa a ser boa.
As centrais ameaçaram, Temer acertou tudo, e o caro leitor paga a conta.

Dinheiro entra…
Um dia de salário de todos os empregados com carteira assinada (pouco mais de 41 milhões de pessoas) representa uns R$ 3,5 bilhões por ano. Desse dinheiro, pela CLT, Consolidação das Leis do Trabalho, 60% vão para 15.315 sindicatos, para muitos deles a principal receita; 15% às federações; 5% às confederações; 20% ao Ministério do Trabalho, para financiar programas como o FAT, Fundo de Amparo ao Trabalhador, que sustenta o seguro-desemprego e o PIS. Da verba repassada ao FAT, 10% vão para as centrais, livres de prestar de contas. Por isso há tantas centrais sindicais e tantos sindicatos: há muito dinheiro sem precisar trabalhar.

…dinheiro sai
A Assembleia Legislativa de São Paulo planeja licitação para contratar uma agência de publicidade. A agência terá verba inicialmente calculada em R$ 35 milhões por ano (podendo chegar a R$ 50 milhões). Pergunta que vale milhões: que é que a Assembleia paulista pretende anunciar? A Assembleia faz aniversário e quem ganha o presente é você? Assembleia, sempre a seu dispor? Assembleia, novas obras, agora ainda mais bonita?
Para que publicidade da Assembleia? Alguém lhe faz concorrência? Há alguma disputa de mercado? Não: é pura vontade de gastar cada vez mais.

Direito na prática
Depois de quatro sessões, o Supremo Tribunal Federal decidiu como tratar os acordos para obter delações premiadas. Os acordos de delação não poderão ser revistos, exceto em dois casos: quando houver uma ilegalidade afrontosa ou quando o delator não cumprir o que prometeu. Em outras palavras, os acordos legais deverão ser mantidos. E os ilegais, cancelados.
Temer, o poeta do futuro
Nos tempos do Império Romano, acreditava-se que os poetas recebiam dos deuses a capacidade de prever o futuro. Poeta, em latim, é “vate”; daí vem a palavra “vaticínio”, previsão. E, quem diria, nos dias atuais há quem preveja o futuro em seus poemas. O presidente Michel Temer publicou em 2012, pela Topbooks, o livro de poesias Anônima Intimidade. Cinco anos depois, é cada vez mais atual. Quem descobriu essa pedra preciosa foi o jornalista Augusto Nunes (http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/):
SABER: “Eu não sabia./ Eu juro que não sabia!”
TRAJETÓRIA: “Se eu pudesse,/ Não continuaria”.
FUGA: “Está/ Cada vez mais difícil/ Fugir de mim!”
RADICALISMO: “Não. Nunca mais!”
EU: “Deificado./ Demonizado./ Decuplicado.”/
“Desfigurado./ Desencantado./ Desanimado.”/
“Desconstruído./ Derruído./ Destruído”.
COMPREENSÃO TARDIA: “Se eu soubesse que a vida era assim,/ Não teria vindo ao mundo.”

Justiça petista
Frase do ex-presidente Lula (PT), que aguarda sentença de Sérgio Moro:
“Se tiver uma decisão que não seja a minha absolvição, quero dizer que não vale a pena ser honesto neste país”.

Pimenta no ar
Rádio Jovem Pan de São Paulo, a partir desta terça, dia 3: voltam os Pingos nos Is, com Felipe Moura Brasil, Joice Hasselmann, Fernando Martins, mais o ótimo repórter Cláudio Tognolli. Metralhadora giratória.

COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann

Binge drinking: não basta beber, tem de se intoxicar!

A Revista “Ser Médico” n.76 do CREMESP publicou pesquisa da Unifesp mostrando os efeitos da intoxicação alcoólica em jovens após as baladas. A Binge drinking, ou farra alcoólica, significa beber muito, em pouco tempo, com a intenção de ficar embriagado, algo como 4 ou 5 doses em menos de 2 horas de balada, o que contribui para o desenvolvimento de situações de risco para quem bebe e para os que estão ao seu redor, especialmente porque mais de 20% dos entrevistados dirigiu embriagado O comportamento sexual de risco, como ausência de preservativo, arrependimento posterior, amnésia alcóolica e sexo não consensual representaram percentuais impressionantes. Agrava o cenário a participação de muitos menores de idade.
Além da conscientização por parte de pais, educadores e mídia acerca da gravidade da binge drinking, o poder público também tem o dever de atuar, a partir da implantação de políticas de controle e ação ostensiva, notadamente quando se tratar do consumo por menores de 18 anos.
O MP de São Paulo, por exemplo, montou uma força tarefa para investigar a ocorrência de festas regadas a álcool organizadas por alunos das comissões de formatura do ensino médio de escolas tradicionais da Capital. Vê-se menores bebendo, ingerindo álcool excessivamente, incentivados, infelizmente, por seus próprios pais, parentes e amigos, que adquirem ou pegam as bebidas e as cedem em goles ou copos cheios aos menores. Quando não, os próprios menores pegam diretamente dos atendentes, sem nenhum controle.
O fato é que se trata da prática de crime por parte dos donos de estabelecimentos que permitem a ocorrência desse estado de coisas. A Lei 13.106, de março de 2015, alterando o Estatuto da Criança e do Adolescente, tornou crime vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar bebida alcoólica a criança ou adolescente, ainda que gratuitamente. Também inclui outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica. A pena é de detenção, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.
No entanto, a imperatividade da norma não tem surtido efeitos e a fiscalização não é suficiente, daí porque – um bom exemplo a ser seguido por juízes país afora – uma Portaria da Vara Cível da Infância e da Juventude de Belo Horizonte foi além da Lei: responsabiliza judicialmente e impõe multa a pais, síndicos e diretores de escola por eventos em que houver consumo de bebida alcoólica entre menores. Permite que a fiscalização entre até em festas particulares com open bar, como as de formatura, de 15 anos ou comemorações em clubes, sítios, casas especializadas e condomínios residenciais. No que diz respeito às escolas, a portaria especifica: “Nos casos de festas e eventos promovidos por comissões de formatura de alunos dos ensinos fundamental e médio, os pais ou responsáveis legais e a direção da escola também serão responsáveis pela vigilância, respondendo conjuntamente no caso de venda, fornecimento ou consumo de bebida alcoólica por crianças ou adolescentes”.
Interessante lembrar que os hospitais devem comunicar ao Conselho Tutelar sobre todo e qualquer atendimento de menores por uso de drogas e álcool, com o que se consegue chegar até os responsáveis pelo fornecimento, mesmo porque o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê punição ao médico, professor ou responsável por estabelecimento de atenção à saúde e de ensino fundamental que deixar de comunicar às autoridades situações desse tipo.
A sociedade acha comum o adolescente beber (e beber muito!), mas não é assim que os nossos legisladores, representantes do povo, estabeleceram como norma vigente, até porque partiram da premissa de que o uso de álcool -piora tudo quando a onda é a binge drinking- atrapalha o processo de formação do sistema nervoso, reduzindo a capacidade de cognição na vida adulta, sem contar a exposição a riscos do sexo inseguro, abuso sexual, agressão e toda forma de violência a que estão expostos jovens e adolescentes, cujos hormônios e questões cerebrais já os expõem naturalmente a muitos riscos.
William Nagib Filho – Advogado

A partir de 2ª-feira Refis dá descontos de até 95% nos juros e multas

Quem aderir ao Refis de Rio Claro a partir de segunda-feira poderá ter até 95% de descontos nos juros e multas. O programa de refinanciamento fiscal do município vale para dívidas anteriores a dezembro de 2016 com a prefeitura e Daae. “O abatimento nos juros e multas pode representar redução significativa no valor total da dívida”, comenta o secretário municipal de Economia e Finanças, Gilmar Dietrich. “É uma ótima oportunidade para quem quer ficar em dia com os cofres públicos”, acrescenta.
A possibilidade de abater até 95% dos juros e multas prossegue durante todo o mês de julho. Quanto menor o número de parcelas, maior será a isenção concedida.
O atendimento é feito no Atende Fácil (Avenida 2 entre as ruas 2 e 3, Centro) das 8 horas às 16h30. Quem deve ao Daae também pode ir à sede da autarquia, na Avenida 8-A, Cidade Nova. É possível ainda aderir ao Refis pelo site da prefeitura, www.rioclaro.sp.gov.br. O termo de acordo deve ser impresso e levado ao Atende Fácil para ser validado.
O Refis de Rio Claro será encerrado no dia 31 de agosto. De segunda-feira (3) até 31 de julho os descontos vão de 25% a 95%. De 1º a 31 de agosto os descontos vão variar de 20% a 90%.
O programa de refinanciamento fiscal de Rio Claro tem opções de parcelamentos mais longos, para que cada devedor possa encaixar o Refis no orçamento familiar e manter o pagamento em dia. Pela primeira vez, é possível parcelar em até dez anos. A inadimplência por três parcelas consecutivas ou cinco intercaladas exclui automaticamente o contribuinte do programa.
As parcelas têm valor mínimo de R$ 30,00 para pessoas físicas e R$ 100,00 para pessoas jurídicas. Também no site da prefeitura é possível tirar dúvidas e encontrar informações sobre os documentos necessários e outros itens do programa.
O Refis de Rio Claro teve início em primeiro de junho e é oportunidade do contribuinte quitar ou renegociar sua dívida antes do município lançar amplo sistema de cobrança de quem deve para a prefeitura ou Daae. O programa de cobrança deve ser lançado logo após o término do Refis, que vai até agosto.

Juninho assina contrato que garante projeto pioneiro para a saúde de Rio Claro

O município de Rio Claro será o primeiro do interior paulista a contar com uma estrutura médico-hospitalar em unidades móveis de atendimento. O pioneirismo de Rio Claro foi assegurado na tarde desta quinta-feira (29) com a assinatura de contrato entre a prefeitura de Rio Claro, Fundação de Saúde e a Associação Beneficente Ebenézer, que administra o Projeto Cies Global (Centro de Integração de Educação e Saúde). “Este projeto é mais do que suficiente para valer a pena nosso trabalho na administração da cidade”, afirmou o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. “Fizemos a escolha certa quando trocamos o carnaval e o balonismo por investimentos na saúde”, ressaltou. “O programa Mais Saúde dá um novo passo na reestruturação da saúde pública municipal, que já ganhou o Farmácia Todo Dia e logo terá novas unidades de saúde”, afirmou.
Projeto semelhante ao de Rio Claro só existe na capital paulista, conforme lembrou Kengi Itinose – diretor médico do Cies Global. “Já iniciamos contatos para implantar nosso trabalho no Paraguai, na Índia e nos Estados Unidos”, anunciou.
Segundo Kengi, procedimentos que na rede pública podem levar 120 dias ou mais, desde a primeira consulta até a cirurgia, no sistema das unidades móveis que serão implantados em Rio Claro poderão levar apenas 30 dias, a partir da primeira consulta. “Isso feito a preço da tabela do SUS”, salientou Kengi.
Os consultórios e ambulatórios serão instalados no Espaço Livre Centro, que está recebendo adequações na infraestrutura. “Todas as unidades e equipamentos são novos”, disse Kengi. A expectativa é de que a instalação seja feita até agosto e o inicío de atendimento ao público comece a partir de setembro.
“É importante estabelecer um plano de comunicação que dê todas as orientações para aquelas pessoas que forem utilizar os serviços”, alertou André Godoy, presidente da Câmara de Vereadores. Ao lado dos demais vereadores que acompanharam a assinatura do contrato, André Godoy anunciou a devolução de R$ 1 milhão à prefeitura, com a solicitação ao prefeito para utilizar os recursos na saúde. “Isto demonstra o comprometimento dos vereadores com a comunidade e certamente vamos atender o seu pedido, presidente”, disse o prefeito Juninho.
O deputado Aldo Demarchi, que se reuniu com o prefeito no início da noite, parabanizou os gestores municipais e os vereadores por providenciarem em poucos meses um projeto desta envergadura. “O prefeito Juninho torna realidade um compromisso que nós todos assumimos com a população”, destacou.
Para o secretário municipal de Saúde, Djair Francisco, Rio Claro vive um momento histórico. “Este contrato é fruto de meses de análises e estudos, com o permanente empenho de nossa equipe”, observou. O objetivo da unidade de atendimento no Espaço Livre é reduzir a fila de espera por consultas, exames e pequenas cirurgias, estimada em 37 mil procedimentos.
A solenidade contou também com a presença do juiz Luiz Claudio Pavão, diretor do Fórum de Rio Claro, dos vereadores Júlio Lopes, Adriano La Torre, Rafael Andreeta, Maria do Carmo Guilherme, Rogério Guedes, Anderson Christofoletti, Irander Augusto Lopes, Ney Paiva, Carol Gomes, Paulo Guedes, Seron do Proerd, Hernani Leonhardt, Val Demarchi, Geraldo Voluntário e Thiago Japonês, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Domingos de Almeida, e Vitória Hummel, representante da Santa Casa.

JUNINHO ASSINA CONTRATO QUE GARANTE (1)

Regina Crespo lança livro ‘A arte de enumerar’ neste sábado no Casarão da Cultura

“A arte de enumerar”, Editora Urutau, 2017, livro de poemas de Regina Aída Crespo, será lançado neste sábado (1), às 19h30, no Casarão da Cultura de Rio Claro. Aída é rio-clarense e há anos vive na Cidade do México. Escreve poesia desde jovem e agora publica seu primeiro livro, que espelha sua vivência entre dois universos culturais e linguísticos distintos, que se complementam no plano da escrita poética.
A autora nasceu em Rio Claro, em 1961. Partiu aos 18 anos para estudar, mas sempre manteve laços afetivos profundos com a cidade, onde permanecem suas raízes, família e muitos dos seus amigos. Regina se dedicou à carreira universitária. Mudou-se para a Cidade do México, onde trabalha há 22 anos como professora e pesquisadora no Centro de Investigações sobre a América Latina e o Caribe, da Universidad Nacional Autónoma do México (Unam).
“A arte de enumerar” se compõe de haikais e de poemas de formato variado, em verso livre. O poeta Fabio Weintraub, autor do prefácio, destaca, entre outros elementos, a relação geográfica, linguística e sentimental. “Com relação ao ponto de vista móvel, vale lembrar que a experiência de Regina como tradutora também se revela aqui, pela presença de poemas em espanhol, pela reflexão sobre a mescla de idiomas (“café latte com leite light,/ miragem de três línguas, três eles e exíguas calorias”) e sobre o incessante deslizamento de sentido no “desfile de sinônimos” (conforme se verifica em “Word reference”)”.
Regina Aída Crespo voltou a Rio Claro em julho de 2016 para realizar projeto de pesquisa. Prestes a regressar ao México, vê neste livro a celebração do ano que viveu aqui, onde reencontrou cores, imagens e sensações capazes de construir um mundo próprio, além das distâncias geográficas e do passo implacável do tempo.