Chegou a hora da fogueira

Carlos Brickmann

Como no futebol, há juízes para decidir cada lance. Como no futebol, a derrota pode derrubar o time. Como no futebol, há quem se rebele contra o juiz. Como no futebol, muita gente levou uma bolada. Mas não se trata de futebol: trata-se de um país e de seu futuro. Futuro? Como no futebol, cada um pensa no próprio futuro, e os outros que, digamos, se danem.
O presidente Temer e o ex-presidente Lula buscam desmoralizar seus acusadores. Ataca-se o procurador-geral Janot, que denunciou Temer, e o Ministério Público, que, segundo Temer, não investigou procuradores cujo comportamento considera duvidoso. Ataca-se o juiz Moro, que Lula acusa de parcialidade, e procuradores da Lava Jato, porque fazem palestras pagas. Tanto Temer quanto Lula suspeitam que os acusadores tenham forçado delações “a la carte”, dando substanciais reduções de pena a quem atingisse determinado acusado. O embate nos tribunais mais parece uma guerra.
O juiz Sérgio Moro pode, a qualquer momento, emitir a sentença de Lula. A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, diz que só é aceitável a sentença que o absolva integralmente. O presidente do PT do Rio, Washington Quaquá, defende “o confronto popular aberto nas ruas” se Lula for condenado. Temer acena com o êxito da política econômica (a inflação ficou abaixo da meta, as exportações cresceram) que, indica, só será mantida caso fique no cargo. E o Brasil? O Brasil é apenas um detalhe.

Dois lados, uma defesa
Temer e Lula são hoje adversários ferozes, mas sua defesa é a mesma: há uma conspiração dos inimigos contra eles, e não há provas de nada. Mas cada um tem um antídoto diferente para a peçonha dos adversários. Lula, a ameaça de convulsão social, com apoio do PT, de partidos como PSOL e PSTU, de centrais sindicais como a CUT; Temer, a blindagem parlamentar, já que é preciso que 342 deputados (em 513) autorizem o processo contra ele. Só que Lula já ameaçou colocar nas ruas “o exército de Stedile” (o MST) e não deu certo. E Temer, em seu duro discurso de ontem, apareceu na TV ao lado de políticos de menor expressão. Os caciques se pouparam.

É o que temos
Outra arma de Temer é a falta de um bom nome para sucedê-lo, caso seja afastado. Mesmo que surja alguém, será eleito por um Congresso em que o presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o da Câmara, Rodrigo Maia, são investigados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Caso Temer seja afastado, Rodrigo Maia é o favorito para sucedê-lo

O Temer…

Um fato está intrigando os meios políticos: este Temer não é o Temer a que todos se acostumaram. Temer sempre foi discreto, afável, racional, cauteloso, frio e duro – foi quem assumiu com êxito a Secretaria de Segurança de São Paulo logo depois do massacre do Carandiru. O Temer presidente não tem como ser discreto. Mas anda ríspido, irritado, reagindo emocionalmente à pressão que sofre. O político cauteloso, que antes de falar “boa noite” pensava muito para não ser mal interpretado, referiu-se duas vezes aos russos como “soviéticos” – o que não são há 27 anos; e, em visita oficial à Noruega, confundiu o rei da Noruega com o da Suécia.

…que não é o Temer
O duro Temer levou um pito da primeira-ministra norueguesa sobre desmatamento na Amazônia e calou a boca. O sempre bem-informado Temer nem lembrou, ou nem sabia, que uma empresa controlada pelo Governo da Noruega está desmatando quase cinco mil hectares da floresta amazônica para extrair bauxita, o minério básico do alumínio; e que um país tão interessado no meio-ambiente talvez devesse repensar a poluente extração de petróleo no Mar do Norte e a autorização para a caça às baleias.
O cauteloso Temer ainda recebe Joesley Batista nos porões do Jaburu.

O dia da caça
Os procuradores da República elegem hoje três candidatos à Procuradoria-Geral, na sucessão de Janot. Mas o presidente Temer nomeia quem quiser, esteja ou não na lista tríplice. Uma escolha acertada pode fazer com que Janot se enfraqueça até deixar o cargo, em 17 de setembro. Temer acredita que, saindo Janot, se reduzam as pressões contra ele. Mas nem sempre é assim: o novo procurador-geral pode querer provar que não está lá para acochambrar, e que é tão duro quanto o antecessor.

Gravando lá e cá
O ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, reuniu a família para dizer que ninguém deve se preocupar com delações premiadas em que é citado. Informou que, durante todo seu período como ministro, gravou todas as conversas que manteve em seu gabinete. São oito anos de gravações.

COMENTE: carlos@brickmann.com.br
Twitter: @CarlosBrickmann

CORRUPCIOLÂNDIA

Alexandre Garcia
Em São Paulo, o prefeito Dória anda às voltas com a cracolândia instalada no centro da cidade. Tirou-os de lá, ante os protestos dos que costumam defender as drogas e os traficantes, mas eles voltam, são retirados, e voltam de novo e de novo, na busca movidos pelo vício e o gregarismo que os faz dividir esse tipo de trágica escravidão.
No Brasil inteiro, procuradores e Polícia Federal andam às voltas com a corrupciolândia, instalada num território de 8.500 km2. Tiraram-nos de alguns lugares, na operação do Mensalão, os estão tirando dos mesmos lugares na operação Lava-jato; e tentam tirá-los agora ainda dos mesmos lugares, no caso da JBS. Mas, como um cracudo, o corrupto está viciado, dependente da droga da corrupção.
É a reiteração típica do vício. Flagram-se empresas estatais sendo lesadas e elas voltam a ser saqueadas; flagram-se grandes empresas comprando favores públicos e elas voltam a comprar de agentes públicos que vendem; descobrem-se aloprados com malas cheias de dinheiro mas eles voltam às ruas, saltitando em suas corridinhas, trazendo a reboque a mala com rodinhas.
Alguns dirão, bondosos, que “ não aprendem”. Na verdade, não é isso. É que estão viciados na corrupção. Ela está na medula; já é reflexo condicionado. Quando os líderes são denunciados, argumentam que “as acusações vão prejudicar o país”. Todos iguais na essência, “ farinha do mesmo saco”, como dizia Leonel Brizola.
É vício. Condenados no Mensalão, agiam na Lava-jato; no meio da indignação nacional, não conseguem conter o vício e marcam encontros na calada da noite. Não se acautelam sequer de gravações, porque o vício é forte. Mesmo ante a obviedade das provas, negam sempre, como um alcoólatra nega a dependência. E, convencidos da própria mentira, mentem convicentemente. O Brasil não pode ficar dependente dessas drogas.

Escadas ou caminhos

*Cristovam Buarque
Houve um tempo em que os políticos debatiam qual o melhor caminho para o progresso, hoje discute-se como o Brasil pode oferecer escadas mais fáceis para permitir ascensão social aos grupos com poder de pressão no uso dos recursos públicos. A discussão sobre as reformas, trabalhista e previdenciária, é exemplo deste desvio da estratégia do “caminho” para a estratégia da “escada”.
Cada grupo estuda e defende suas posições, favoráveis ou contrárias às reformas, não em função de qual será o melhor caminho para desamarrar o Brasil e permitir caminhar para o aumento de nossa eficiência, produtividade, justiça, independência, sustentabilidade, incentivo aos jovens, proteção aos velhos, pobres e doentes; mas em função de como evitar perdas para seu grupo, ou para conseguir aumentar seus benefícios ou seus votos.
Este não é um fenômeno novo. Em reação aos anos de chumbo da ditadura, durante a elaboração da Constituição decretou-se mais direitos do que deveres. Desde a luta pela democracia, o debate político perdeu a discussão de quais os melhores caminhos para todos os brasileiros e se concentra até hoje, salvo exceções, em quais são as escadas para servir a cada grupo e cada indivíduo.
Até mesmo boas políticas para corrigir injustiças têm sido definidas mais para atender interesses de grupos do que para formar compromissos com o país: preferimos cotas para ingresso na universidade, do que assegurar a educação de base com a mesma qualidade para brancos e negros, pobres e ricos. O Ciências Sem Fronteiras foi mais orientado para beneficiar jovens do que para construir um potente sistema de ciência e tecnologia a serviço de todo o país e seu futuro.
A operação Lava Jato e a lei da Ficha Limpa têm a grande vantagem de tirar escadas para a eleição de políticos corruptos, mas não vai construir o caminho para a escolha de políticos honestos. Felizmente já temos o sistema judiciário que prende corruptos, mas ainda não formamos uma massa de eleitores capazes de eleger políticos honestos.
O Brasil precisa sair da discussão de escadas que atendem interesses de grupos e fazer o debate sobre quais são os melhores caminhos para o futuro desejado. No lugar de buscar construir coesão nacional, preferimos continuar a política de atender corporações, sindicatos, associações, grupos. Não percebemos que esta falta de coesão é a principal causa de nossos problemas e frustrações: porque sem coesão, política e social, não vamos definir um rumo para o conjunto de nosso povo e nossa nação.

*Cristovam Buarque é senador pelo PPS-DF e professor emérito da Universidade de Brasília (UnB).

Deputado lamenta morte de Valtimir Ribeirão

O deputado Aldo Demarchi foi um dos primeiros a se manifestar publicamente sobre o falecimento do ex-prefeito de Santa Gertrudes, Valtimir Ribeirão, o “Migué”, ocorrido na madrugada do último dia 24. Ambos mantiveram convivência muito próxima na juventude, quando viviam na Capital da Telha. “Apesar de estarmos algumas vezes em lados opostos na política, foi um grande amigo, cidadão exemplar e que, acima de tudo, amava Santa Gertrudes e sua gente”, registrou o deputado sábado de manhã na página que mantém em uma rede social.

Coluna Edmar Ferreira

Impossível não se emocionar com a história da pequena Giulia, de 11 anos, filha do atacante Roger, do Botafogo/RJ. O Globo Esporte, através do narrador Luís Roberto, imprimiu em 3D o gol do centroavante contra o Sport e deu de presente a garotinha, que é cega. Foi emocionante. Impossível não chorar. Para completar, pai e filha entraram de mãos dadas segunda-feira no Engenhão contra o Avaí. A torcida do Fogão gritou em coro o nome da menina. Espetacular!
Interessante também a matéria feita pela TV Globo com o goleiro Douglas, do Avaí, que literalmente fechou o gol na inesperada vitória sobre o Botafogo/RJ, em pleno Engenhão, por 2 a 0, na segunda-feira. Apenas 53 cartoleiros apostaram no arqueiro, que fez 18,5 pontos no Fantasy Game.
O argentino Montillo rescindiu seu contrato com o Botafogo/RJ. O meia de 33 anos sofreu sua quinta lesão só este ano e resolveu deixar General Severiano. Seu pedido de rescisão foi aceito pelo presidente Carlos Eduardo Pereira. Montillo começou como titular diante do Avaí, segunda-feira no Engenhão, mas aos 7 minutos de jogo sentiu a panturrilha direita e deixou a partida.
A Chapecoense confirmou que disputará um amistoso contra o Barcelona, além de participar da Copa Suruga Bank, torneio realizado no Japão ao qual o time se classificou como atual campeão da Copa Sul-Americana. A partida amistosa contra o Barça, válida pelo Troféu Joan Gamper, está agendada para o dia 7 de agosto.
Já o duelo pela Copa Suruga será no dia 15 de agosto contra o Urawa Red Diamonds, atual campeão japonês. A partida será no estádio de Saitama, que foi sede da Copa do Mundo de 2002. O time catarinense ainda poderá enfrentar a Roma, no mês de setembro na Itália, durante data Fifa. A delegação seria recebida pelo Papa Francisco no Vaticano.
Vinicius Pinotti, diretor executivo de futebol do São Paulo, garantiu a permanência do técnico Rogério Ceni até o final de 2018. Ele avaliou que o trabalho do treinador está sendo bem feito. A ideia é inclusive renovar o seu contrato em seguida. Mito é mito. Ah se fosse o Cristóvão Borges.
Mas é bom lembrar que o São Paulo, de Rogério Ceni, é o clube grande com pior aproveitamento em 2017. São apenas 52% dos pontos disputados na temporada, o que deixa a equipe atrás de todos os outros 11 times considerados como os maiores do país. O Corinthians por sua vez, tem 72% (sem contar o jogo de ontem). Apenas três clubes além do São Paulo possuem índice inferior a 60%.
Estava lendo a matéria do Estadão sobre o Patriotas, que ontem à noite enfrentou o Corinthians pela segunda fase da Copa Sul-Americana. Quando esse time colombiano foi fundado em 2003, o Timão já era campeão mundial, tinha três Campeonatos Brasileiros, duas Copa do Brasil e 25 Campeonatos Paulistas.
Sem grandes investimentos, o Patriotas chegou a formar uma parceria com o Independiente Santa Fé, de Bogotá, e foi subindo de divisão até chegar na elite, em 2011. Atualmente, o clube tem uma das folhas salariais mais baixas do Campeonato Colombiano, cerca de 100 mil dólares (R$ 332 mil). A do Timão beira os R$ 10 milhões. Isso sim que é disparidade. Ontem, Fagner completou 200 jogos pelo Timão.
Ainda sobre o Corinthians, a Lazio está monitorando o volante Gabriel. O time italiano procura um jogador aguerrido para o seu meio de campo. A diretoria alvinegra está correndo para acertar as pendências. Pelo que li, o Timão ainda não pagou as luvas ao jogador e algumas parcelas de sua contratação. Gabriel caiu nas graças do torcedor, mesmo vindo do Palmeiras.
O Santos recebeu uma proposta oficial de empréstimo do lateral Caju. Ela veio do Lille, da França. A diretoria santista estaria analisando a oferta. Caju, que perdeu boa parte da temporada em razão de uma lesão, iria para a França sem custos. Mas com uma cláusula de compra obrigatória no valor de 4,5 milhões de euros (R$ 16,9 mi) se atuar em 10 jogos da Liga Francesa.
Dois times brasileiros entram em campo hoje pela Copa Sul-Americana. Às 19h15, a Ponte Preta recebe o Sol de América, enquanto Fluminense encara o Universidad de Quito, às 21h45, no Rio de Janeiro. Já pela Copa do Brasil apenas um confronto pelas quartas de final (ida): Atlético/MG x Botafogo, às 19h30, no Estádio Independência.
Agora é oficial. O jogo entre Atlético-PR x Santos pelas oitavas de final da Taça Libertadores da América será na Vila Capanema, dia 5 de julho. Para jogar na casa do Paraná Clube, os atleticanos pagarão cerca de R$ 200 mil e ainda cederão o meia João Pedro. A Arena da Baixada receberá as finais da Liga Mundial de Vôlei.
Florentino Perez, presidente do Real Madrid, disse ontem que o atacante Vinícius Júnior será um fenômeno mundial e que valeu o alto investimento feito pelo time espanhol na revelação do Flamengo. Eu ainda não tenho essa certeza, mas que é talentoso, isso sim.
Portugal e Chile fizeram um jogão ontem na Rússia pelas semifinais da Copa das Confederações. Após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, os chilenos levaram a melhor nas penalidades máximas e venceram por 3 a 0. Goleiro Bravo defendeu as três cobranças. Hoje, às 15h, acontece a segunda semifinal. A Alemanha, que está na Rússia sem a sua seleção principal, enfrenta o México. Os alemães são favoritos, mas aposto nos mexicanos.
Júnior Cigano retornará ao octógono no dia 9 de setembro, em Alberta, Canadá, para a disputa do UFC 215. O ex-campeão dos pesados enfrentará Francis Ngannou em confronto válido pela categoria dos pesados. A informação foi anunciada pela organização em suas redes sociais.
A seleção brasileira feminina de vôlei começou com vitória a última fase de preparação para o Grand Prix. O Brasil superou a Polônia por 3 sets a 0 (25/16, 25/12 e 25/23), em 1h09 de jogo, no Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Hoje, às 21h30, o time do treinador José Roberto Guimarães voltará a enfrentar a Polônia, desta vez no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, com transmissão do SporTV e Rede TV.
Curiosidade do dia: Como superstição, a CBD pediu para que toda a tripulação do avião que levou a Seleção Brasileira para a Suécia na Copa do Mundo de 1958 também levasse nossa seleção ao Chile em 1962.

Equipe da Defesa Civil de RC faz curso de capacitação profissional

Os integrantes da Defesa Civil de Rio Claro iniciam nessa quinta-feira (29) curso de capacitação promovido pela prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Civil e Mobilidade Urbana. O ciclo de atualização técnica tem como objetivo capacitar e aperfeiçoar os servidores para aumentar a eficiência e melhorar o atendimento oferecido à população. “A Defesa Civil atua na prevenção, para isso é fundamental que os servidores estejam sempre preparados para agir com segurança em caso de situação de risco”, explica o vice-prefeito e secretário de Segurança, Marco Antonio Bellagamba.
O diretor da Defesa Civil, Wagner Martins Araújo, explica que o curso terá uma carga horária de 30 horas/aula e prossegue até agosto. Serão realizados dois encontros por semana, sempre no período da manhã. Essa será a primeira capacitação do ano. “É importante manter o treinamento e a atualização da equipe em dia, principalmente quando há renovação de pessoal”, esclarece Araújo.
As aulas serão ministradas na sede da Secretaria de Segurança e no Corpo de Bombeiros por especialistas de cada área. A grade curricular terá temas relacionados ao trabalho da entidade como legislação, procedimentos operacionais padrão, vistoria em edificações, condução e manutenção de viaturas, climatologia, pronto-socorrismo, combate a incêndios, técnicas para resgate de vítimas, animais peçonhentos, entre outros assuntos.

Guarda civil localiza motocicleta roubada

Na noite de terça-feira 27/06/2017, por volta das 19h25, a viatura 4.35 Canil da Guarda Civil com os GCMs Edison, Henrique e Junior, em patrulhamento pela Av. 27 entre Ruas 16 e 17, no Bairro do Estádio depararam em estado de abandono com uma motocicleta Honda/CG 150 Fan, ano 2012, vermelha, sem placa e com os números do chassi suprimidos. Como já era de conhecimento da equipe que havia uma motocicleta roubada na noite anterior com as mesmas características, foi feito o contato com a vítima do roubo e o mesmo compareceu no plantão policial, reconheceu a sua moto e apresentou o documento. A motocicleta foi apresentada no Plantão Policial, onde foi registrado o BO/PC nº 6525/2017, natureza Localização/Apreensão de Veículo e RO/GCM n° 1136/2017.