O BRASIL É DE TODOS?

251

Por Geraldo J. Costa Jr.
Menos política mais administração. Ou seja, menos enrolação, mais trabalho. É disso o que o Brasil precisa. Há pessoas sem a menor qualificação, sem nenhum conhecimento da área pela qual são responsáveis, comandando os destinos do país. Isso se vê em ministérios, secretarias de governo, inclusive em âmbito municipal. Qual resultado pode se atingir senão a ineficiência, a falta de critérios e de cuidado com a coisa pública que só traz prejuízo ao Brasil. Conta essa sempre paga pelo povo.
Enquanto persistir essa realidade, entrará governo, sairá governo e nada irá mudar. Todos os anseios da população ficarão nas promessas dos candidatos, que, através dos seus marqueteiros, preparam em período eleitoral, um discurso que agrade em cheio às expectativas do eleitorado.
Sabe-se que onde o bem se ausenta o mal se instala. O mesmo vale para o mérito e a competência. Onde faltam ambos, prevalece o apadrinhamento, o quem indica, o interesse político-partidário, a estratégia da ocupação de espaços, visando o fortalecimento do grupo dominante que almeja permanecer no poder o tanto quanto possível, e, se possível, eternamente. Prevalece também a ineficiência, o desperdício do dinheiro, da riqueza gerada pelo povo, que, com grande esforço e, por vezes, sacrifício, paga seus impostos, suas obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias.
Por causa disso é que jamais experimentamos a agradável sensação de que as coisas mudaram sim para melhor. Jamais tivemos a alegria de poder contar com saúde, transporte, educação e segurança pública eficientes, que correspondam às expectativas, e que justifiquem o esforço do contribuinte e a esperança do eleitor.
Quando isso irá mudar? Quando nós mudarmos. Quando adquirirmos a consciência do que é cidadania e exercê-la. Quando compreendermos que somos cada um de nós um elo da corrente. Quando valorizarmos o voto. E fiscalizarmos a conduta de nossos representantes, com o mesmo interesse com o qual acompanhamos o destino dos personagens nas telenovelas e a classificação no campeonato ora em disputa dos times pelos quais torcemos.
Essa mudança passa pela educação. Mas começa na família, com os pais, os irmãos mais velhos, os avós que tem por missão apresentar e desenvolver nos mais novos os valores fundamentais para o engrandecimento de um país, como a noção de direito e dever, de cidadania, de respeito pela coisa pública, que, ao contrário do que muitos imaginam, não pertencem ao grupo político que detém por outorga do povo o poder temporário, mas a todo povo, do melhor ao pior, do mais qualificado ao menos qualificado, do mais sábio ao mais ignorante. O Brasil é de todos, mas precisa ser de fato, e não apenas em teoria.
O colaborador é escritor
jcosta jr2009@gmail.com

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA