FALTA CREDIBILIDADE À POLÍTICA BRASILEIRA

233

Por Alessio Canonice – alessio.canonice@bol.com.br

O quadro político em que vive o Brasil nos dias de hoje é um dos mais comentados em todo o país e questionado até onde irá permanecer tantas denúncias, entre elas, essas que envolvem o presidente da República e o senador afastado Aécio Neves.
Tais denúncias fizeram com que o panorama político de Brasília partisse para posições diversas entre os deputados federais, inclusive, com o pedido de impeachment de um deles contra Michel Temer, diante do que demonstraram as imagens da televisão e que não deixam margem de dúvidas de que a corrupção anda à solta, comprometendo a imagem do Brasil perante o mundo.
Independente dos momentos que viveram o governo de Dilma Rousseff, a situação da política atual não se apresenta com perspectiva de normalidade, muito ao contrário, cada vez mais tensa, pois a cada momento os noticiários da mídia enfatizam novas ocorrências que envolvem a corrupção que se instalou no país.
Quando da posse do atual presidente, onde logo deu início em sua mente a propositura de reformas, tanto da Previdência como da trabalhista, passou a enfrentar adversidades, partindo das manifestações populares e condenando-as, até se concretizar o movimento de greve geral, porém, sem os efeitos que eram esperados.
Está mais que comprovada a impopularidade de Michel Temer, já que o país inteiro clama pela sua saída da condução da máquina administrativa do Poder Central e que desde há alguns dias vêm provocando manifestações de uma forma ampla com os dizeres em cartazes “FORA TEMER”. Dessa forma, fica consolidado o desejo da população de que alguma solução seja colocada em prática o mais urgente possível.
No último dia 18 do corrente, quando o governo nos parecia se sentir seguro e com perspectiva de levar avante os ideais, eis que, repentinamente, o Brasil foi tomado de surpresa com o depoimento de Joesley Batista, um dos diretores da JBS, comprometendo a imagem do presidente, através de delação premiada e que mexeu com o posicionamento de cada deputado sobre a decisão a ser tomada.
Sem dúvida, este fato se converteu em um acontecimento dos mais lamentáveis, e o presidente, por sua vez, não teve outra opção senão negar as acusações a ele imputadas, alegando que a gravação em fita é clandestina e sem fundamento capaz de comprometê-lo, deixando claro e patente que não renuncia.
Acreditamos que, se renunciar, estará se condenando e se permanecer no poder os manifestantes tendem a não lhe dar tréguas e muito menos tempo para reverter este quadro, através de seus defensores, porque o que se viu pela apresentação dos áudios foi diálogo entre dois personagens, visando interesses próprios e não aqueles que dizem respeito aos interesses da Nação.
Fica difícil identificar aqueles que realmente estão dispostos a servir a Pátria em confronto com aqueles que estão seriamente envolvidos em propinas e corrupção, que envolvem milhões, muito próximos a chegar a bilhões, e que, por certo, os brasileiros não estão dispostos a ser brindados com toda esta falcatrua que vem se sucedendo na vida do país.
Aguarda-se, portanto, alguma definição por parte do Congresso Nacional, porém, não se tem ideia de qual será este posicionamento, porém, que seja de uma forma que venha a contribuir para a normalização do andamento do complexo administrativo.
Para isto, torna-se necessário um parlamento composto de homens honestos e decentes para ajudarem o crescimento e o desenvolvimento de que tanto clama o Brasil

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA