DO POP AO DIVINO

152

Ana Lucia Missaglia Guarnieri
“ Não sabeis que vossos corpos são templos do Espírito Santo?(…)Portanto, glorificai a Deus com vosso corpo”. (1. Cor. 6)
****************************************
Num programa da TV5 Monde (França) o entrevistado respondia que “hoje não é mais possível expressar o amor senão através do sexo”(!) e Pe. Alessandro, pelas emissoras da TV brasileira, está prodigalizando as mulheres: “Não troco quatro de vinte por uma de noventa”. Se isso não fica só na cultura popular – POP – as palavras do apóstolo Paulo são atualmente urgentíssimas: “…quem não reconhece o Corpo do Senhor, come e bebe a própria condenação” (1 Cor.11, 23-29).
Nunca, na História da Igreja Católica, houve dois Papas ao mesmo tempo, como atualmente: Papa Bento XVI que renunciou em 28/02/2013, após pouco mais de 7 anos da eleição, e Papa Francisco, eleito em 13 de março de 2013,já com 4 anos de pontificado. Papa Bento XVI, nascido Joseph Aloisius Ratzinger (Alemanha) completou 90 anos (16/04/2017) e, humildemente, renunciou ao Pontificado, tornando-se Papa Emérito, enquanto Papa Francisco, Jorge Mario Bergoglio (Argentina) completará 81 anos a 17/12/2017.
Papa Francisco tem mensagem atual, “da hora”, postada pelas redes sociais: “Viva a vida agora. Esta vida vai passar rápido. Não brigue com as pessoas, não critique tanto seu corpo… repita suas roupas prediletas, e daí? Por que não orar agora em vez de antes de dormir? Por que não telefonar agora? Por que não perdoar agora?(…) Aqui é uma oportunidade de aprendizado (…) deixe o resto para Deus”.
Já Papa Bento XVI é conhecido por POP não só por ser o primeiro Papa a ter um IPad , além de 6 endereços de e-mail, falar 10 idiomas, ter mais de 20 mil livros(e 23/04 é Dia Mundial do Livro)
mas por ser um apaixonado por gatos e guardar consigo bichinhos de pelúcia costurados por sua mãe no tempo da sua infância. Porém, com a humildade da sua renúncia, expressou-se melhor diante da natureza e do divino. Por sua obediência ao Reino de Deus, pôs fim entre a humildade passiva, que não expressa a Verdade e a humildade ativa, que dá lugar ao que não passa. (O Amor não acabará 1 Cor. 13).
Por não ter a filosofia, a ciência, os conhecimentos humanos de todas as eras (e para o grande historiador, H.B. Wells, o homem apenas engatinha para a luz) capacidade de expressar a perfeição de Deus, foi que o Senhor se expressou, metaforicamente, por meio de parábolas, para ir revelando, a cada um de nós, que somos bem melhores do que pensamos. Entretanto, no Sermão da Montanha (resumo da sua herança compartilhada com seus seguidores), na oração do Pai Nosso e na hora da Sua Morte e Ressurreição, deixou, não só a Sua Mãe como corredentora da Nova Civilização, mas afirmou: “Felizes os despossuídos porque herdarão a terra”… “Felizes os limpos de coração porque verão a Deus” (Mt.5). sendo que todo pecado será perdoado, menos o que se comete contra o Espírito Santo.
No seu tempo, perdoando a mulher adúltera, condenada ao apedrejamento pela prostituição do próprio corpo e infidelidade no matrimônio, Cristo a torna importante no anúncio do seu reino. Salva, ela compreende o Amor Maior a que fora chamada. Diferente da teledramaturgia brasileira ,(mesmo a de outros países, segundo suas diferenças culturais) onde a prostituição multiplicou-se a tal ponto, que o trinômio – dinheiro, paixão, morte – segue livre, aqui , com a observação do Fausto Silva: “da vida real para a novela e desta para o dia-a-dia”. Hoje homens estão vendendo o corpo em troca do prazer carnal que acaba mal e não termina. A decadência permissiva e abusiva corrompe, e o divino já não faz sentido, mesmo que o Senhor tenha respondido à “sabatina” da mulher casada 7 vezes com que marido ficaria na ressurreição: “Os que forem dignos, na vida futura, serão como os Anjos”.
Tiradentes, nosso herói e mártir, casado duas vezes, pai, exercendo diversas profissões antes de terminar como um coronel do exército, defensor da libertação do povo brasileiro, embora tardia (– LIBERTAS QUAE SERA TAMEN, a bandeira que abraçou) , traído, assumindo sozinho as sentenças dos outros inconfidentes e condenado à forca pela Coroa Portuguesa, disse, serenamente, antes de morrer: ‘Mil vidas eu daria por amor à minha Pátria”. – (Com certeza, seu nome está inscrito no céu, como na alegre notícia do Evangelho de Domingo p.p..Lamentável se o feriado Nacional em sua memória foi apenas um dia a mais para o POP de que se pode derivar o pior, quando se zomba de Deus).
Que a fé (nossa crença no divino) a esperança (que luta contra todo o desespero) e o Amor (“quem ama nasceu de Deus e conhece Deus”,1 Jo., 4, 7) possam levar os Governantes e leigos religiosos à oração do Senhor: “Pai ,não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal’(João, 17).

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA