Pré-natal reduz riscos da sífilis congênita

Doença pode passar despercebida pelas gestantes. Testes são fundamentais para não haver transmissão ao bebê. Fundação de Saúde amplia orientações na rede municipal

1207
Pré natal reduz número de sífilis congênita nos bebês, que pode se manifestar logo após o nascimento, durante ou após os primeiros dois anos de vida da criança

 
Realizar o exame pré-natal completo é uma das principais ações na prevenção à sífilis congênita, caracterizada pela transmissão da doença pela gestante ao filho. Com esse foco, a Fundação de Saúde de Rio Claro está intensificando as orientações às grávidas e aos profissionais da rede municipal de saúde, visando reduzir a incidência dos casos no município. Entre 2011 e 2016 Rio Claro registrou 80 casos de sífilis em gestantes e mais da metade, 47, foram casos de sífilis congênita.
“Montamos uma equipe especialmente para cuidar dos testes pré-natais de sífilis e também para orientar gestantes e seus parceiros”, explica Neide Heloisa Pinto, responsável pelo Serviço Especializado em Prevenção e Assistência (Sepa) da Fundação de Saúde. “Nossa mobilização inclui busca ativa, isto é, em alguns casos os profissionais vão até pacientes para realizar exames”, informa.
O maior perigo da sífilis é quando a doença ataca a gestante, pois põe em risco a vida do bebê e na maioria das vezes as mulheres não percebem que estão doentes. A infecção é grave e pode causar má-formação do feto, aborto ou morte da criança. É fundamental fazer o teste para detectar a sífilis durante o pré-natal e, quando o resultado for positivo, tratar corretamente a gestante e o parceiro. Só assim se consegue evitar a transmissão da doença.
Essas e outras orientações feitas na rede municipal seguem plano elaborado pela Sepa e envolvem todos os setores da Fundação de Saúde, especialmente os profissionais da rede de atenção básica – Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família – e do Centro de Especialidades e Apoio Diagnóstico (Cead).
Sexualmente transmissível, a sífilis é uma doença infecciosa causada por bactéria e atinge homens e mulheres. Os principais sintomas ocorrem nos dois estágios iniciais da infecção. Já a sífilis congênita pode se manifestar logo após o nascimento, durante ou após os primeiros dois anos de vida da criança.
Na maioria dos casos, os sinais e sintomas estão presentes já nos primeiros meses de vida. Ao nascer, a criança pode ter pneumonia, feridas no corpo, cegueira, dentes deformados, problemas ósseos, surdez ou deficiência mental.
O diagnóstico, por meio do exame de sangue, deve ser pedido no primeiro trimestre da gravidez. A recomendação é refazer o teste no terceiro trimestre da gestação e repetir logo antes do parto. Mesmo quem não fez pré-natal, deve realizar o teste antes do parto.
Os testes rápidos e demais exames preventivos de diagnóstico da sífilis podem ser feitos no Sepa, na Avenida 19, 1045, esquina com a Rua 10, e em todas as Unidades Básicas de Saúde e nas de Saúde da Família.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA