Em termos morais, foi só o óbvio

240

Por: Eduardo Sócrates Bergamaschi

Novas normas para uso de veículos oficiais na Câmara Municipal de Rio Claro, traz apenas o óbvio para aquela casa.

Com muita pompa, a mesa diretora anuncia através de sua assessoria de imprensa as novas normas para uso de veículos oficiais naquela casa.
Porém, ao contrário do que eles querem fazer o povo entender, estas novas regras são apenas coisas óbvias, que deveriam ter vergonha de anunciar que AINDA não eram praticadas naquela casa e, praticamente, a economia é irrisória perto das despesa que criaram com a inclusão de mais de 21 cargos no quadro daquela casa, recentemente.
Segundo texto enviado à imprensa local: “Por iniciativa da nova Mesa Diretora presidida por André Godoy (DEM) e a partir de consenso dos demais vereadores, a Câmara Municipal de Rio Claro adotará um controle MAIS RIGOROSO para o uso dos veículos oficiais da Casa e liberação de pagamento de diárias de viagens”.
Este parágrafo de abertura do texto, quando diz MAIS RIGOROSO, mostra que não havia rigorosidade nas análises das solicitações anteriormente, ou seja, viviam ao Deus dará.
Segundo o projeto, cada gabinete terá direito a quatro viagens por mês, ou uma por semana.
O que será que um vereador teria de assunto para viajar uma vez por semana? Se anteriormente a possibilidade de viagens era mais do que quatro por mês, aquilo era uma farra do boi, como foi o caso de uma antiga vereadora que cursava certa faculdade em São Paulo e usufruía do carro da casa, tudo pago com nosso dinheiro.
O texto ainda dizia: “O valor da diária fica estipulado em R$ 100,00 para funcionários efetivos e comissionados e em R$ 200,00, para vereadores. Para viagens em que houver necessidade de pernoite ou quando o destino for outro Estado, o valor da diária será o dobro”.
Pois é, se um vereador for a São Carlos e voltar no mesmo dia, considerando a diária do motorista, gastará a bagatela de R$ 300,00
Se fizer quatro viagens das mesmas características no mês, gastará R$ 1,2 mil. Se os 19 vereadores (Meu Deus!), fizerem a mesma estratégia a Câmara gastará somente com diárias, a importância de R$ 22,8 mil.
Portanto, se falarem que este projeto trará economia à Casa, será uma tremenda hipocrisia.
Mas, o que mais assusta a população é quando se lê no texto: “Não será concedida a diária para viagens a cidade cuja distância seja inferior a 40 km de Rio Claro, exceto quando a permanência for atingir o horário das refeições”. Pois é, parece que até há poucos dias, para ir as Santa Gertrudes o vereador dava um prejuízo ao município de R$ 300,00 somente em diárias. E isto tudo, via de regra, sem trazer nenhum, mas nenhum mesmo, benefício ao município.
Parte do texto, também trazia uma fala do presidente daquela casa, que dizia: “A moralização administrativa, a racionalização de despesas e o investimento em ações de inovação que valorizem o trabalho legislativo de modo a proporcionar melhorias sociais, são pilares da nossa gestão no comando do Legislativo”.
Aí só temos que fechar com a frase: “E que os Anjos digam Amém!”.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA