CONSUMIDOR, O MAIS PREJUDICADO

326

Por Alessio Canonice – alessio.canonice@bol.com.br

Um dos assuntos mais polêmicos do momento, sem dúvida, prende-se à situação de alguns frigoríficos envolvidos em fraudes de grandes proporções e que vem despertando a atenção de toda a comunidade brasileira, especialmente daqueles que vão às compras junto às empresas e supermercados.
Os consumidores de um modo geral estão mais que informados e tudo indica que estão atentos ao efetuarem compras, apesar de que em Rio Claro o caso não nos parece alarmante e, assim sendo, as empresas e supermercados gozam a confiança dos consumidores, pelo menos esta é a nossa impressão.
A Operação conhecida como “carne fraca” mostra que os brasileiros não estão aparelhados quando vão às compras, no sentido de que estejam adquirindo mercadoria de boa qualidade, porém, ao mesmo tempo, correm o risco de ingerir produtos comprometidos e que comprometem a saúde por este ou aquele motivo.
Além desses aspectos, é de se ressaltar que, apesar de estarem os consumidores levando para suas residências produtos confiáveis, às vezes, vem a surpresa de que poderão estar comprando mercadoria comprometida ou vencida, porém, essas mercadorias são retiradas das prateleiras em relação a todos estabelecimentos comerciais e devolvidas ao fabricante.
Os cuidados imprescindíveis ao exporem um produto à venda entendemos mais que necessário, para o bem de quem está comprando e para o bem da própria empresa distribuidora, afim de que seja mantida a credibilidade perante os consumidores.
De acordo com os noticiários da mídia, mormente da televisão ocorridos no dia 18 último, temos a impressão de que falta melhor fiscalização por parte das autoridades competentes, no sentido de que haja de uma forma mais eficaz, caso contrário, como ficam os consumidores, correndo o risco de comprar alimentos comprometidos?
Tem-se a impressão de que falta punição mais severa àqueles que cometem fraudes, onde se constatam problemas diretamente ligados à alimentação, à vista deste cenário que aponta vários frigoríficos comercializando carne imprópria ao consumo e que vem assustando a forma com que os fatos se evidenciam, através das imagens da televisão.
Representantes de alguns países já estiveram no Brasil para ouvirem o que de fato está acontecendo com a chamada “carne fraca” e o posicionamento deles é de que a importação deva ser suspensa, até que as dúvidas sejam dissipadas sobre a qualidade da carne pelo Ministério da Agricultura.
O México suspendeu a importação, exceção a um frigorífico considerado pontual e de bom desempenho na comercialização do produto em questão, por sinal, não deixa de ser um ponto positivo a esse frigorífico sobre o problema enfocado.
Quanto à União Européia, considerada a maior importadora de carne brasileira, já deva ter tomado alguns posicionamentos sobre qual o caminho a ser trilhado, se parte para a suspensão ou se aguarda alguma definição das autoridades brasileiras sobre o estágio em que se encontra a carne.
É bem provável que o Ministério da Agricultura esteja empenhado a uma solução definitiva e que seja em prol das exportações.
Não resta dúvida de que a economia terá grandes prejuízos com a paralisação das exportações, palavras do ministro da agricultura Blairo Maggi, isto sem contar o risco que corre a saúde de todos que consomem carnes de toda a espécie.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA