DIA NACIONAL DA CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

As mudanças climáticas são observadas a partir de fenômenos como: intensificação de períodos chuvosos e de períodos de secas; derretimento das geleiras; intensificação de ondas de calor, nevascas, furacões, tornados, tsunamis, e elevação do nível do mar.
Por essa razão, no dia 16 de Março, é comemorado, o Dia Nacional da Conscientização sobre as Mudanças Climáticas, criada pela Lei nº 12533 de 02 de Dezembro de 2011. Estas são frutos dos problemas ambientais, como a poluição por emissão de gases, principalmente de veículos e indústrias, bem como, ausência de áreas verdes.
A falta de cobertura vegetal, por exemplo, afeta diretamente o clima, tanto nas cidades, promovendo ilhas de calor, trazendo mudanças na qualidade do ar, quanto no campo, principalmente próximo a nascentes e corpos da água, ocasionando erosão, empobrecimento e desgaste do solo.
Para redução da emissão de gases, é necessário adotar algumas ações como: ampliar o uso de energias renováveis, principalmente nos transportes em área urbana contribuindo com a eficiência energética, bem como incentivar programas de incentivo ao reflorestamento em diversos pontos das cidades e áreas rurais.
As indústrias precisam contribuir significativamente para a redução de CO2, adotando politicas de conscientização ambiental interna, disponibilizando embalagens no mercado mais ecológicas, contendo menos plástico possível, e utilizando matérias-primas de fontes sustentáveis.
Os cidadãos também precisam estar conscientes e mudar suas posturas, para contribuir com este cenário, utilizando responsavelmente os recursos naturais, dando prioridades a atividades que evitem a emissão de gases do efeito estufa, e adquirindo produtos, bens ou serviços, pensando nas questões ecológicas.
Portanto para reduzir a emissão de gases e os efeitos no aquecimento global, é necessário investir em reflorestamento, utilizar energias renováveis como: biomassa, solar e eólica, utilizar biocombustíveis (biodiesel e etanol), utilizar tecnologias com baixo índice de carbono, melhorar transportes com baixa dispersão de poluentes, reduzir o consumo de energia e adotar politicas consistentes em relação ao clima, permitindo melhor qualidade de vida a todos.

Éder Rodrigo Varussa
Gestor e Educador Ambiental
Especialista em Gerenciamento Ambiental
Mestrando em Geografia na Linha Espaço, Cultura e Sociedade – UNESP/Rio Claro/SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *