LUZES DA CIDADE: TEOLOGIA DO AMOR FRATERNAL

374

Augusto Hofling
Estamos ainda vivendo política do ódio, que pode caminhar para um estado de guerra: aquele ódio individual do egoísmo conseguiu partir para algo muito mais perigoso: “cada um para si, os outros que danem.” Tudo para mim, nada para outros já redundou em sociedade da exploração e da miséria.
A Bíblia é chamada o livro do amor porque é a obra que mais contêm passagens exaltando a paz entre os seres humanos, prevendo um futuro maravilhoso para todos aqueles que crêem na vitória do amor no sentido puro, será um mundo de amor e de paz.
Vivemos ainda em Era da Rivalidade: disputas, concentração de riqueza, política de vantagem, de ódio e preservação da pobreza como se fosse fatalidade do destino, portanto não melhoramos em nada. Estamos muito longe ainda daquele reconhecimento dos valores do próprio Mestre.
O de que as escrituras falam: o amor é afeição, afeto, compaixão, gratidão, perdão, solidariedade, amizade, justiça e, sobretudo, humildade diante do sacrifício de Cristo que deu sua vida, com sofrimento, para a salvação daquilo que somos: corpo e alma. Sim corpo também! Nosso corpo maravilhoso, glorioso, perfeito e puro tem um destino certo: a eternidade.
Violências e trapaças por posições elevadas não passam de ilusão. Existe Teologia do Corpo glorioso tratada aqui em artigo anterior. Temos também a Teologia Amor Fraternal – João:13,34 – Bíblia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA