Estados Unidos: Destin, Flórida: uma cidade com praias de areia cor de açúcar

E. Cortez

A Flórida é um estado muito privilegiado quando o quesito é natureza. Por esta razão, os turistas não param de descobrir novos destinos por aqui. Um exemplo é a cidade de Destin, detentora de algumas das praias mais lindas dos Estados Unidos e que fica na região noroeste do estado, conhecida como Esmerald Coast, na área da Flórida Panhandle. E a maioria dos visitantes de Destin vem aqui por uma razão: as praias de areias finas e águas verdes cristalinas.
Aliás, a cor tão branca da areia por aqui se destaca como o grande diferencial em relação a outras praias da Flórida: parece que estamos caminhando sobre finíssimos e alvos flocos de açúcar.
Por aqui também, além de nadar nas águas cor de esmeralda e temperatura morna do Golfo, você também pode aproveitar os diversos campos de golfe ou pescar, seja do cais ou de um barco.

eua-521-3

Um dos destinos na cidade é o Henderson Beach State Park – que além de sua atmosfera descontraída, tem a mais característica praia com areia cor de açúcar. Simplesmente incrível!
A areia clara oferece uma temperatura mais fresca nos dias mais ensolarados do verão e dá às águas cristalinas um tom esmeralda lindo de apreciar.
Já o parque oferece um ambiente mais tranquilo e natural se comparado às praias mais perto dos resorts. Além da praia, o parque oferece trilhas, locais com estrutura para fazer churrasco e piqueniques e áreas para campping.
Uma outra atração em Destin é a Crystal Beach. Situada no Golfo do México, Crystal Beach é frequentemente elogiada pelos visitantes por suas areias claras e águas cristalinas, além da limpeza da praia que chama a atenção de quem passa por lá.

??????????

Em Crystal Beach é fácil encontrar casas de veraneio e se você estiver viajando com um grupo grande e não quer gastar uma pequena fortuna em vários quartos de hotel, considere alugar uma dessas casas..
A praia é aberta do amanhecer ao anoitecer e oferece um pavilhão com banheiros, chuveiros, mesas de piquenique e estacionamento.
A recomendação para quem quer conhecer esse paraíso é mesmo passar alguns dias em Destin e relaxar muito. Por aqui nada de agito ou badalação!

Conab sinaliza doação de área para Secretaria de Agricultura

A doação deve ser realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), proprietária do espaço. Essa informação foi transmitida ao prefeito João Teixeira Junior, Juninho da Padaria, em reunião realizada na última quinta-feira (05) com Alfredo Luiz Brienza Coli, técnico responsável da empresa pública vinculada ao Ministério da Agricultura.
A iniciativa da doação da área partiu da deputada federal Renata Abreu (PTN) que solicitou que o representante da Conab e membros de seu partido realizassem uma visita ao prefeito de Rio Claro para informá-lo do fato. Outro assunto abordado no encontro foi a doação de mantimentos, como arroz e feijão, por meio do banco de alimentos.
Para concluir a doação da área o município precisa encaminhar um ofício para a Conab. Participaram também da reunião o secretario municipal de Agricultura, Emílio Cerri, a presidente do Fundo Social de Solidariedade do município Paula Silveira Costa, Edmilson Silva (Coordenador Regional do PTN) e Davi Risteri (Presidente do PTN de Rio Claro).
“Recebemos com carinho essa notícia da doação do espaço. É esse tipo de iniciativa que o município precisa”, disse Juninho.
Para Emílio Cerri, a permanência no local é de suma importância devido ao impasse que ocorria com eventual necessidade de deixar aquela área. “No espaço além da secretaria funciona uma sala do Incra, Cooperativa e o Programa de Aquisição de Alimentos (PPA), além disso os produtores rurais vêem o lugar como a sua casa”, explicou.

Saque de FGTS inativo começa em fevereiro

O cronograma de pagamento será fechado pela Caixa Econômica Federal nas próximas semanas, mas a orientação do governo é que todos os cotistas recebam o dinheiro no prazo máximo de um ano, para que a medida surta efeito na economia.
Dessa forma, quem nasceu em fevereiro receberá em março, e assim sucessivamente. Os meses também poderão ser agrupados para encurtar o prazo, disse um técnico envolvido nas discussões.
A Caixa estuda creditar diretamente os valores para os trabalhadores que têm conta no banco. A ideia é acionar também os correspondentes bancários, como as lotéricas, para ajudar no pagamento, no caso de saldos de menor valor.
Também se cogita a possibilidade de os trabalhadores serem informados por telefone (SMS) ou e-mail sobre o valor a que terão direito e a data do saque ou crédito na conta corrente. Para isso, a Caixa está fazendo um amplo trabalho no banco de dados, a fim de atualizar endereços, usando vários cadastros, como Bolsa Família, CPF e seguro-desemprego, além de consultar as informações de quem tem conta ativa no FGTS, mais atualizadas.

foto-tainara-ferreira

MAIORIA TEM UM SALÁRIO MÍNIMO
Segundo uma fonte, o primeiro passo é melhorar a qualidade do cadastro das contas inativas. Em muitos casos, não consta número de telefone, e o endereço está desatualizado.

A Caixa chegou a cogitar como critério para a liberação dos recursos os saldos das contas inativas, de modo a beneficiar primeiro os trabalhadores com menores valores — o que corresponde à maioria, pois mais de 80% têm até um salário mínimo, hoje em R$ 937. Essa ideia, no entanto, poderia causar uma corrida à Caixa, pois muitos cotistas não sabem quanto têm a receber.
Pesa a favor do corte pela data de nascimento o fato de a Caixa ter experiência com a liberação do abono (PIS), que vai de julho a junho do ano seguinte, período no qual são atendidas 20 milhões de pessoas.

Segundo um técnico, nesse caso, o fluxo de trabalhadores no banco é estável ao longo do ano, à exceção de fevereiro, que tem menos dias.
A Caixa informa que há 18,6 milhões de contas inativas no FGTS, no total de R$ 41 bilhões. Como muitos cotistas têm mais de uma conta, o governo estima que dez milhões de pessoas serão beneficiadas.

A previsão é que sejam sacados R$ 30 bilhões, pois há contas com valores tão baixos que não compensam a ida à agência.
Serão beneficiados com o saque das contas inativas do FGTS todos os trabalhadores que pediram demissão ou foram demitidos por justa causa até 31 de dezembro de 2015. A medida não contempla casos de cotistas que permanecem no mesmo emprego, mas têm conta inativa porque a empresa mudou de CNPJ.

Quem usou os recursos do FGTS para aplicar na Vale ou na Petrobras e depois ficou com a conta inativa poderá resgatar a aplicação e receber o dinheiro. Neste caso, os trabalhadores devem procurar os bancos onde fizeram o investimento. Quem não quiser sacar poderá deixar a quantia rendendo numa conta-investimento.

Os extratos de contas podem ser consultados no aplicativo do FGTS (disponível para Android, iOS, e Windows Phone), no site da Caixa (www.caixa.gov.br) e utilizando o Cartão do Cidadão em postos de autoatendimento ou agências do banco.
Hoje, o trabalhador pode sacar o dinheiro da conta inativa na sua data de aniversário, desde que ele esteja desempregado há pelo menos três anos. (fonte – Agência O Globo)

Verão aumenta doenças nos olhos

Aglomerações nas praias e piscinas são frequentes nesta época do ano e aumentam a incidência de conjuntivite, além de facilitar o olho seco evaporativo e a ceratite, inflamação na córnea mais comum em quem usa lente de contato.

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a doença mais comum no calor é a conjuntivite, inflamação da conjuntiva, membrana que recobre a esclera, parte branca do olho e a face interna das pálpebras. O especialista diz que nesta época do ano podem surgir três tipos diferentes de conjuntivite.

A bacteriana, explica, é desencadeada pela maior proliferação de bactérias no calor e água contaminada. A viral por conta das aglomerações, diminuição do apetite e queda da imunidade. Já o excesso de filtro solar na região dos olhos responde por 46% da conjuntivite tóxica conforme levantamento realizado pelo especialista. 

Maioria dos brasileiros se automedicam
O tratamento de cada conjuntivite é feito com um tipo de colírio. O problema é que segundo pesquisa lançada no segundo semestre de 2016 pelo ICTQ (Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade) 72% dos brasileiros se automedicam e 40% fazem o próprio diagnóstico pela internet.

Quando o assunto é saúde ocular um levantamento feito por Queiroz Neto no hospital mostra que quatro em cada 10 pessoas já chegam aos consultórios usando colírio por conta própria. Este comportamento, adverte, está tornando a conjuntivite bacteriana cada vez mais resistente. Só para se ter uma idéia, o tratamento feito com colírio antibiótico para tratar conjuntivite bacteriana geralmente dura sete dias.

Para quem se automedica chega se estender por até 15 dias, afirma o especialista. Isso porque, explica, são pessoas que usam uma sobra do colírio indicado aos avós após a cirurgia catarata e se tornam resistentes ao medicamento, além de correrem o risco de contaminar o olho. Outros instilam durante meses colírio corticóide indicado para combater processos inflamatórios severos.

O uso prolongado e desnecessário do medicamento predispõe ao desenvolvimento de glaucoma. Além disso, ressalta, muitos pacientes interrompem o colírio antes do prazo prescrito pelo médico, logo que os sintomas desaparecem. O problema é que a bactéria ou vírus está latente nos olhos e a doença reaparece com mais força.

Prevenção
Os sintomas comuns a todos os tipos de conjuntivite são: coceira, lacrimejamento, sensibilidade à luz, pálpebras inchadas, olhos vermelhos. Na bacteriana a secreção é amarelada, na viral é viscosa e transparente e na tóxica é aquosa.
As principais recomendações do médico para prevenir a contaminação por vírus ou bactéria são:
Manter as mãos limpas.
Não coçar os olhos.
Evitar aglomerações.
Não compartilhar colírio, toalhas, fronhas ou maquiagem.
Fazer compressa de água fria nos olhos quando a secreção for transparente e morna quando for amarelada. Não desaparecendo o sintoma procurar o médico.

Para prevenir a conjuntivite tóxica causada por filtro solar, Queiroz Neto recomenda evitar excessos na região periocular, enxugar o suor ao redor dos olhos com lenços descartáveis e lavar abundantemente sempre que o produto penetrar no globo ocular. Quando a doença já está instalada a recomendação é interromper o uso próximo aos olhos. Caso os sintomas não desapareçam em dois dias, consulte um oftalmologista.

O oftalmologista diz que cores de lente mais confortáveis conforme a atividade são:
• Âmbar, marrom – permitem boa visão de profundidade, além de reduzirem reflexos.
• Cinza – ideal para dirigir em dias nublados porque permite melhor visão de contraste.
• Rosa e púrpura – indicadas para surfistas por melhorar a visão de contraste em fundos azul ou verde.
• Amarela – para diminuir o ofuscamento de motoristas no lusco-fusco do entardecer.

José Campos assume o comando do Executivo ipeunense

O prefeito começou cedo com reuniões nos diversos setores da municipalidade com o objetivo de verificar quais são as possibilidades de melhoria da estrutura já existente, de acordo com as condições físicas e financeiras, e também do quadro de servidores municipais.
Para o prefeito José Campos, esse primeiro ano de governo será de cautela. “Embora estejamos assumido a Prefeitura com suas contas em dia, tanto com os fornecedores quanto com os servidores, é preciso cautela diante de um cenário econômico tão desfavorável, com a acentuada queda nos repasses dos governos estadual e federal”, esclareceu.
Ele ressalta que as projeções em nível nacional não são muito positivas para os municípios, por isso o modelo administrativo terá um perfil muito mais técnico. “Temos que iniciar com cautela para que as adequações possam ser feitas de forma proativa e consciente. Sabemos que teremos um grande desafio pela frente, mas daremos o nosso melhor para honrar a confiança depositada pela nossa população”, destacou o novo chefe do executivo ipeunense.

Primeiras impressões sobre o “Seguro Popular de Automóveis”

Muitos brasileiros sonham e lutam para adquirir carro próprio. Fazendo uso de todas as economias de anos ou valendo-se de financiamento, nem sempre dá para pagar o seguro do carro, colocando em risco esse patrimônio tão sonhado e difícil de conseguir e manter.
A falta de seguro implica riscos também para os demais motoristas e pedestres. Sinistros envolvendo veículos e passageiros ficam sem cobertura indenizatória porque o causador ou envolvido não contratou apólice securitária. Pouco adianta demandar no Judiciário, porque o causador ou responsável pelos danos materiais e morais não possui bens ou recursos para indenizar.
Uma forma de minimizar tal impacto negativo foi a recente criação do seguro popular de automóveis, cuja cobertura principal será a indenização em caso de colisões com dano parcial, isto é, que não causam perda total. Outra característica da cobertura é que qualquer modelo e ano poderão ser segurados pela modalidade.
Além disso, o segurado terá a liberdade de realizar consertos em oficinas de sua escolha, sendo obrigatório informar que o reparo será realizado com peças de desmontes, que estão devidamente regulamentados como negócios essencialmente legais desde 2014. Poderão ser utilizadas tanto peças de desmonte como também peças novas, ficando a escolha a cargo do segurado, que deverá ser informado sobre a procedência e se a peça em questão é adequada para utilização no carro.
Com a utilização de peças de desmanche, o seguro de carro nessa nova modalidade popular vai representar prêmios em média 30% mais baratos dos que os dos seguros de auto tradicionais. Importante ressaltar que não poderão ser adquiridas de desmanches os itens de segurança, assim considerados o sistema de freios, o sistema de controle de estabilidade, as peças de suspensão, o sistema de air bags, os cintos de segurança e seus subsistemas, o sistema de direção e os vidros de segurança com gravação da numeração de chassi, sendo sua destinação restrita para remanufatura ou reciclagem e tratamento de resíduos.

Além disso, outras peças, como o bloco do motor, faróis, condensador de ar e os para-choques, para citar alguns exemplos, deverão ser etiquetadas com um padrão de etiquetas e um número de série controlado pelo Detran do estado. A qualidade das peças serão garantidas pela supervisão dos Detrans de cada estado e do Distrito Federal. Todas as empresas serão fiscalizadas e deverão cumprir com requisitos mínimos para operar no setor. Todos os carros que entram e todas as peças que saem deverão ser documentadas, garantindo sua origem.

A expectativa é que essa modalidade inclua no mercado pessoas que até então não podiam pagar um seguro ou cujo veículo não tinha aceitação, como carros com mais de 10 anos.
Somente algo próximo de 30% de todos os carros no Brasil têm seguro. O foco, portanto, são pessoas que ainda não têm um seguro automotor por conta do preço, por isso será um produto mais barato para caber no orçamento do brasileiro, garantindo maior segurança e tranquilidade.

As seguradoras também poderão complementar os produtos com coberturas e assistências opcionais, vendo com bons olhos essa nova modalidade de seguro auto popular. Por se tratar de novidade, o mercado e as experiências servirão para os ajustes e reflexões necessárias.

William Nagib Filho – Advogado

COLUNA IGREJA EM COMUNICAÇÃO: Adorar Deus no Menino Jesus

Por Caio Arthur Borgi

Quando celebramos, no dia 6 de janeiro ou no domingo seguinte, a festa dos Reis Magos, as ocupações do turismo impedem muitos de contemplar o sentido desta festa. Mesmo assim, vale a pena dedicar-lhe nossa atenção, pois não é uma festa meramente folclórica.
O nome oficial da festa dos Reis Magos, “Epifania”, significa manifestação ou revelação. Contemplamos o paradoxo da grandeza divina e da fragilidade da criança no menino Jesus. Pensamos nos milhões de crianças abandonadas nas ruas de nossas cidades, destinadas à droga, à prostituição. Outras milhões mortais pela fome, doença, guerra,
aborto. Órgãos extraídos, fetos usados para produzir células que devem rejuvenecer velhos ricaços… Qual é o valor de uma criança?
Os “magos” – astrólogos vindos do Oriente – seguiram o caminho da estrela para adorar um menino do qual não sabiam nome nem paradeiro (evangelho). Como os reis anunciados pelo “terceiro Isaías” (1ª leitura), trazem de longe suas riquezas, para apresenta-las ao menino Jesus. Essa narração quer nos ensinar que Jesus é aquele que merece adoração universal, o Messias. E acena também à missão da Igreja, de anunciar a salvação universal (2ª leitura).
A estrela conduziu os magos a uma criança pobre, que não tinha nada de sensacional. Mas o rei Herodes, cioso de seu poder, pensou que Jesus fosse poderoso e, portanto, perigoso. Esse rei, que tinha mandado matar seus próprios filhos e sua mulher Mariamne, mandou, para que Jesus não lhe escapasse, matar todos os meninos de Belém.
Deus se manifesta ao mundo numa criança, e nós somos capazes de mata-la, em vez de reconhecer nela a luz de Deus. Por que Deus se manifestou numa criança? Esquisitice, para nos enganar? Nada disso. Salvação significa ser libertado dos poderes tirânicos que nos escravizam, para realizar a liberdade que nos permite amar. Pois para amar é preciso ser livre, agir de graça, não por obrigação nem por cálculo. Por isso, a salvação que vem de Deus não se apresenta como poder opressor, como o de Herodes. Apresenta-se como antipoder, como uma criança aparentemente sem valor.
Aqui, no início do evangelho de Mateus, a salvação universal manifesta-se numa criança; no fim dos ensinamentos de Jesus, o critério do juízo final será a caridade gratuita realizado ao pequenino (Mt 25, 31-46). O pequenino de Belém é venerado como rei, e no fim do evangelho, esse “rei” (25,34) julgará o universo, identificando-o com os mais pequeninos: “O que fizestes a um desses mais pequenos, que são meus irmãos, a mim o fizestes” (25,40). Quanta lógica em tudo isso!
Deus não precisa de nos esmagar com seu poder para se manifestar. Nem precisa do palco de uma TV mundial para se dar a conhecer. Para ser universal, prefere o pequeno, pois só quem vai até os pequenos e os últimos é realmente universal. Falta-nos a capacidade de reconhecer no frágil, naquele que o mundo procura excluir, o absoluto de nossa vida – Deus. Eis a lição que os reis magos nos ensinam.

Caio Arthur Borgi é Radialista e membro da Assessoria de Comunicação da Diocese de Piracicaba .
Reflexão baseada na Liturgia Deste Domingo;
1ª Leitura: Is 60, 1-6
2ª Leitura: Ef 3, 2-3ª.5-6
Evangelho: Mt 2, 1-12
Site : http://www.diocesedepiracicaba.org.br

Os que vão morrer te saúdam

Carlos Brickmann                                                        
Falou-se bobagem, jogou-se conversa fora. O governador do Amazonas, José Melo, do PROS, garantiu que entre os mortos no massacre da Penitenciária não havia nenhum santo. Deve ter razão; mas haverá santos em seu partido, em seu Governo? Qual de seus aliados colocará a auréola?
Falou-se o óbvio: que, entre mortos e matadores, havia estupradores, assassinos, gente malvada. E, isto é importante, gente do crime organizado.
Quem se rebelou e matou foi a FDN, Família do Norte, aliada ao Comando Vermelho, do Rio. Suas vítimas favoritas foram do PCC, do crime organizado com base em São Paulo. Como conter a futura vingança? E, a menos que a vingança seja contida, novos massacres ocorrerão: do PCC contra CV/FDN, do CV/FDN contra o PCC. Pelo noticiário sobre o crescimento de assassínios nas ruas, as vinganças já começaram, enquanto novos massacres se organizam em penitenciárias de todo o país.
De certa forma, Suas Excelências até entendem a sangueira. Os mortos, disse o governador José Melo, eram “(…) pessoas ligadas a outra facção, que é minoria no Estado do Amazonas”. São de fora, não são santos, são estupradores, matadores. É claro que, como presos, cabe ao Estado garantir sua segurança. É o que diz a lei. É o que diz a lei, também, sobre quem será morto como vingança. E a Segurança Pública? Todos já ouvimos falar nela.
Surpresa total
A rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim pode não ter surpreendido as autoridades, que sabiam que o controle do presídio era dos detentos, que sabiam (e as gravaram em áudio e vídeo) das grandes festas cheias de poeira, que jamais ignoraram que os celulares da cadeia eram de alta qualidade. Mas houve pelo menos uma surpresa: o secretário da Segurança do Amazonas, Sérgio Fontes, garantiu que as autoridades não perderam o controle do sistema prisional. “O sistema prisional continua sob controle”, disse o secretário. “O que aconteceu, aconteceu nos primeiros minutos da rebelião, e por isso nada poderia ser feito”.
A surpresa é que Fortes continua no cargo e não foi demitido na hora.
Promessas, promessas
Temer prometeu R$ 800 milhões para construir um presídio por Estado. É difícil que o dinheiro seja suficiente. Aliás, o dinheiro nem novo é: faz parte daquele pacote de R$ 1,2 bilhão do fim do ano passado, para presídios e instalação de bloqueadores de celulares em 30% dos presídios de cada Estado. Depois, um dia desses virão mais R$ 200 milhões e outros nacos de verba para completar R$ 1,8 bilhão no primeiro semestre.
A vida como ela é
O colunista James Akel (http://jamesakel.blog.uol.com.br/) comenta o  custo dos presos: “Custa 5.800,00 por mês cada preso do Amazonas. Em São Paulo um flat de luxo em Moema custa R$ 2.500,00.
Ao lado pode-se comer bem com 1.000,00 ao mês. Sobra grana”.
O que importa
E a vida continua. Os políticos costumam fazer aquilo de que gostam: política. Amazonas já era: os erros, sejam quais forem, serão encobertos por uma pedra em cima e esquecidos pelo passar dos anos. O que se discute hoje é a presidência da Câmara e do Senado. Na Câmara, a discussão é entre dois grupos, ambos aliados ao presidente Michel Temer. No Senado, o PT busca retomar sua tradicional ligação com o atual presidente da Casa, Renan Calheiros, para evitar a vitória do candidato de Temer, Eunício Oliveira, do PMDB do Ceará. A ideia é que Renan escolha o nome para que o PT o lance e solidifique, e que ele só o apoie na hora em que tiver certeza da vitória. Se não der para ganhar, Renan fecha com Temer e sai como um dos vitoriosos, como sempre cacique do PMDB.
Tudo bem
Há pontos que vão bem na economia brasileira – por exemplo, com a crise, o setor da recuperação judicial. Hoje se desenrola o maior pedido de recuperação judicial da nossa História, os R$ 64 bilhões da Oi. Ainda não havia experiência no país de recuperação judicial deste porte. “mas já está claro que a providência pode levar a sucesso na manutenção das funções sociais das empresas”, diz o advogado Fernando de Luizi, de São Paulo, especialista no tema. “A Lava Jato criou uma modalidade de recuperação judicial atípica”, explica de Luizi. “Empresas saudáveis e superavitárias se tornaram insolventes pelas circunstâncias originadas pela Lava Jato, ou seja, em face do congelamento de seus recebíveis, pela perda de contratos, e acabaram tendo de buscar a recuperação para equacionar suas contas”.  
Voa, governador, voa
O governador mineiro Fernando Pimentel, PT, viajou no helicóptero do Governo para buscar o filho no réveillon. Ele não entendeu as manifestações de rua: é para voar do cargo e nem pensar em voltar mais.
www.chumbogordo.com.br     carlos@brickmann.com.br        twitter: @CarlosBrickmann

ASNEIRAS

Carlos Chagas

Como aceitar que o ministro da Justiça despeje impunemente sobre a nação o maior monte de asneiras jamais pronunciado desde a posse do presidente Michel Temer?
Na semana que passou o jurista Alexandre de Barros declarou que “a situação não saiu do controle”; “nos presídios do Norte houve apenas um acerto de contas”; “não foi retaliação”; “não há guerra entre as facções de criminosos”…
Em Manaus, Boa Vista e outras cidades da região jogou-se futebol com cabeças degoladas, assassinaram centenas de presos com requintes de crueldade, arrancaram pernas e braços, furaram olhos e queimaram corpos de grupos adversos.
O que está sob controle, exceção da fúria de animais empenhados em destruir seus semelhantes numa guerra sequer registrada na pré-história?
Importa menos se foi o PCC, o CV ou a Família, pois todas as quadrilhas dedicaram-se a essas práticas, de acordo com o domínio eventual de estabelecimentos penais e a complacência das autoridades encarregadas de vigiá-las. Todo mundo massacra todo mundo nas cadeias do país inteiro, porque a animalidade não se limita ao Amazonas ou a Roraima, mas a todo o território nacional. Imagens de tantas barbaridades ganham o planeta e são tidas como simples acerto de contas. Muitos conseguiram fugir e encontram-se nas ruas, assombrando o cidadão comum.
Breve a equação se ampliará, ou seja, os animais assumirão o controle não só das penitenciárias, que já controlam, mas das ruas de qualquer cidade.
A solução do governo é construir, por centenas de milhões de reais, mais penitenciárias ditas de segurança máxima. Apenas para dar melhores condições aos bandidos se organizarem e estenderem as matanças. E entregando ao capital privado a gestão dessas universidades do crime, financiadas por quem paga impostos.
Nos idos da ditadura militar, as forças armadas caçavam, na floresta e nos grandes centros, quantos se propunham a mudar pelas armas ou pela palavra o regime então vigente. Quase não escapou ninguém, menos os que conseguiram exilar-se. Não seria o caso de repetir a operação, mesmo contra os animais a serviço do crime organizado, como agora. Enjaulá-los sem contemplação tornou-se missão impossível, mas extingui-los ofende os padrões da civilização, a menos que se adote a pena de morte. Já. Para eles e para os dirigentes do tráfico de drogas, a mola propulsora de tudo o que vai acontecendo.