Empresa responsável pelos reservatórios é ‘proibida’ de prestar esclarecimentos

Vereadores colocaram dúvidas em questão para serem debatidas
Vereadores colocaram dúvidas em questão para serem debatidas

Segundo informou Juninho da Padaria (DEM) no início da reunião, o engenheiro Carlos Suzuki da empresa Trail, não iria comparecer por orientação do superintendente do Daae

 
No final da tarde de quinta-feira (25) foi realizado no plenário da Câmara Municipal uma reunião entre os vereadores, a respeito das obras dos reservatórios de água do município. A princípio os engenheiros da empresa Trail, responsável pelas obras dos reservatórios danificados nos bairros Mãe Preta e Jardim Novo I, confirmaram presença, porém não compareceram.

Na abertura da reunião comandada pelo vereador Juninho da Padaria (DEM), o mesmo revelou que durante a manhã o engenheiro Carlos Suzuki da empresa Trail, o telefonou dizendo que não iria mais ao plenário dar explicações, devido orientações do superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae), Geraldo Gonçalves Pereira.

O democrata indignado disse ser uma total falta de respeito que a prefeitura tem com o legislativo. “Para ‘proibir’ o engenheiro de vir até aqui dar explicações porque o Daae não foi convidado é sinal de que aí tem coisa”, disse Juninho.

Paulo Guedes (PSDB) disse que se os reservatórios de água fossem construídos em fibra, o custo seria muito menor do que está sendo pago. Diz ainda que a opção Generic Viagra por se fazer com chapas de aço pode ser prejudicial à saúde da população, com a contaminação de materiais pesados como óxido de ferro e chumbo.

Críticas à empresa Trail também foram feitas por Julinho Lopes (PP). “A Trail ganhou outras licitações no município, como a construção de uma barragem. O que acontece atualmente é que não há fiscalização por parte da prefeitura nas obras. Este caso específico da caixa d’água deve ser denunciado ao ministério Público”, indagou o vereador.

Durante a reunião foi lembrado que o investimento para a construção das sete caixas d’águas supera os R$ 5,9 milhões. Para os reservatórios com capacidade para 1.000 metros cúbicos de água os valores são de R$ 790 mil e para os de 1.500 metros cúbicos é de R$ 940 buy Lasix online mil.

Os vereadores Dalberto Christofoletti (PDT), Geraldo Voluntário (DEM) e Anderson Christofoletti (PMDB) que estiveram presentes na reunião, disseram que esperam que a empresa buy Baclofen possa ser convocada formalmente pela Legislativo e que tenha cópias e acompanhamentos de todas as obras e licitações da prefeitura.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *