População solicita medidas de segurança ao DAAE

161
Se necessário, a comunidade deve chamar a polícia, ou a Guarda Civil (153) ou a vigilância patrimonial (3532-7037) assim que presenciar atitudes suspeitas

Se necessário, a comunidade deve chamar a polícia, ou a Guarda Civil (153) ou a vigilância patrimonial (3532-7037) assim que presenciar atitudes suspeitas
Se necessário, a comunidade deve chamar a polícia, ou a Guarda Civil (153) ou a vigilância patrimonial (3532-7037) assim que presenciar atitudes suspeitas

Segundo a denunciante, em pouco mais de dez dias esta foi a terceira vez que o problema se repetiu

 
Em contato com a redação do Diário na última semana, uma moradora do Jardim Palmeiras, Heliane Furquim, descreveu o drama que moradores do bairro estão passando em relação a um constante vazamento de água em um dos reservatórios localizados na entrada do bairro. Segundo a denunciante, em pouco mais de dez dias esta foi a terceira vez que o problema se repetiu. “Fico imaginando o quanto de água tratada foi desperdiçada durante este ano. Queria saber se o DAAE teria coragem de informar o cálculo deste volume de água desperdiçada, sendo que poderia ter sido evitado a partir de um trabalho preventivo de segurança nestas caixas, impedindo ação de vândalos”, reclamou Heliane.

A moradora ainda cita a única caixa d’água que está murada naquele trecho, “Porque o DAAE não faz o fechamento das outras duas caixas d’água como foi feito em uma delas? Será que dessa forma não inibiria o vandalismo?”, questionou.

O Departamento Autônomo de Água e Esgoto (DAAE) de Rio Claro declarou que em relação ao último vazamento, que a equipe de manutenção executou na quarta-feira (12) daquela semana o conserto Cytotec cheap das válvulas controladoras de nível de dois reservatórios de água, um localizado no Jardim das Palmeiras e o outro no Jardim Azul, confeccionado em fibra de vidro, com capacidade para armazenar 120 mil litros de água e responsável pelo abastecimento da região do Jardim Araucária.

Nas últimas semanas, os reservatórios do Jardim das Palmeiras, Jardim Azul e da Vila D’ Napoli no Distrito de Ajapí estão sendo alvo de constantes ataques de vandalismo.

Há informações de que pessoas estão invadindo a área onde estão os reservatórios e, de maneira irresponsável, danificando a válvula controladora, provocando o transbordamento e a perda de toda a água tratada e armazenada, gerando falta de água nos bairros e prejuízos para os cofres municipais.

A região do Jardim das Palmeiras possui dois grandes reservatórios, o reservatório metálico que tem capacidade de 500 mil litros e o de concreto tem capacidade de armazenamento de 220 mil litros de água. Os reservatórios atendem os bairros Jardim das Palmeiras, Jardim Esmeralda, Jardim Nova Rio Claro, Jardim Brasília e Jardim Guanabara.

Se o vândalo que causou o problema for identificado e for provada sua responsabilidade Proscar buy pelo ato, terá que responder pelo dano e pelo desperdício causados. Por isso é importante que a comunidade contata as autoridades em caso de presenciar esse tipo de ação, para que o prejuízo não seja de toda a população.

Caso o munícipe constate o vazamento em algum local, dever entrar em contato com o DAAE pelo telefone 3531-, opção “1”.

DAAE
Questionada se a construção de um muro em torno das caixas d’água não resolveria o problema, como no caso de uma das caixas ao lado que está murada, dificultando o acesso de vândalos, a prefeitura informou que as caixas d’água são fechadas com cadeado e têm acesso restrito a funcionários e que vândalos e ladrões também invadem áreas cercadas. Com base nesta última resposta, foi perguntado o porquê o ato de vandalismo ocorreu às válvulas controladoras, se as caixas são devidamente protegidas conforme informou, sobre isso, o DAAE informou somente que foi “devido a ações de vandalismo”.

Quanto a fiscalização das caixas d’água declaram que “A vigilância patrimonial de Rio Claro mantém order Asacol rondas, com viaturas, que contemplam os prédios e equipamentos públicos municipais, inclusive as caixas d’água. Como é impossível estar em todos esses lugares ao mesmo tempo, é importante que a comunidade chame a polícia, ou a Guarda Civil (153) ou a vigilância patrimonial (3532-7037) assim que presenciar atitudes suspeitas”.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA