Justiça determina que DAAE terá que pagar multa por poluição em córrego

143

Há vários meses o ministério público de Rio Claro vem lutando pela punição da prefeitura e do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) por conta do despejo de esgoto e de resíduos derivados dos tanques de tratamento da água que acontece de maneira ilegal no Córrego do Lavapés.

Após pedido feito ao Supremo Tribunal Federal, para que ambos fossem multados, já que não cumpriram acordo feio em outubro de 2001, para que parasse o despejo de resíduos poluentes nos rios e córregos do município em um prazo de seis anos, o Ministério Público foi informado na tarde dessa quinta-feira (21) da sentença dada pelo juiz. buy Retin-A
Depois de julgados e avaliados todos os requerimentos e inquéritos feitos pelo promotor de meio ambiente Gilberto Porto Camargo, foi determinado que a Prefeitura Municipal de Rio Claro e o Departamento Autônomo de Água e Esgoto terão que pagar uma multa superior a R$ 80.343.166,20 milhões de reais por danos causados ao meio ambiente. order Robaxin
O principal estrago decorrente do despejo de esgoto domiciliar e empresarial nos rios Corumbataí e Ribeirão Claro, além de seus afluentes é a poluição das águas e do solo localizado nas margens dos mesmos.
O promotor Gilberto Porto Camargo acha absurdo que a própria administração do município e o departamento que cuida do tratamento da água da cidade poluir os rios que são usados para abastecer Rio Claro. “A luta do Ministério público em defesa do meio ambiente vai continuar” informou o promotor.
O Daae tem um prazo de dez dias para se opor aos embargos; caso isso não ocorra no prazo legal, o juiz requisitará o pagamento por intermédio do presidente do tribunal competente ou o pagamento poderá ser feito na ordem de apresentação do precatório e à conta do respectivo crédito.

order Aciclovir

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA